Patrimônio Religioso de Salamanca

Além de sua histórica Universidade e da grande quantidade de palácios nobres que possui, Salamanca conta com um rico patrimônio religioso. Basta dizer que é uma das poucas cidades da Espanha com duas catedrais (posts publicados em 23 e 24/4/2012), diversos conventos, como o de San Esteban (matéria do dia 3/5/2012) e templos, como a Igreja de la Clerecía (tema da matéria publicada em 22/2/2015), entre muitas outras. Neste post e no seguinte, veremos outras fundações religiosas de importância na cidade, com uma grande variedade de estilos artísticos. Por exemplo, da arquitetura românica destaca a curiosa Igreja de San Marcos, de inusual planta circular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExiste uma certa controvérsia a respeito de sua construção, mas parece que foi edificada no final do século XI ou no começo do XII. Única dentro do Românico Espanhol por seu singular formato, seu interior, no entanto, não possui uma planta centralizada típica das construções circulares, estando dividida por 3 naves com seus respectivos ábsides, que não podemos observar desde o exterior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém originária de época românica, a Igreja de San Millán foi reedificada a partir de 1765, cujo projeto foi elaborado por Jerónimo García de Quiñones, um importante arquiteto de Salamanca, filho de Andrés García de Quiñones, igualmente arquiteto, responsável de diversas intervenções no centro histórico da cidade. Atualmente é a sede do Centro de Interpretação do Patrimônio Histórico de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas igrejas não sobreviveram à passagem dos séculos, e permaneceram em ruínas, caso da Igreja de San Polo, cujo nome representa um arcaísmo de San Pablo. Construída  a partir do século XII no estilo românico-mudéjar e reformada no século XVI, ficou abandonada no século XIX devido ao seu péssimo estado. Em 1984 foram realizadas escavações arqueológicas no local, um pouco antes de se construir um polêmico hotel, sendo que as ruínas foram incorporadas ao novo estabelecimento comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro caso similar, em que um templo foi abandonado pelos prejuízos causados pelos acontecimentos históricos, é o atual Auditório de San Blás. Situado próximo ao Colégio do Arcebispo Fonseca, tema de uma matéria recentemente publicada e que vemos no fundo da foto abaixo, sua origem se remonta ao século XIII, quando se construiu a Igreja de San Blás, com a finalidade de prestar serviço religioso a uma zona isolada da cidade na época. No século XVIII teve que ser reconstruída por seu estado lamentável, mas voltou a ser castigada durante a Guerra da Independência Espanhola no início do século XIX. O templo ficou abandonado, e na década de 80 do século XX a antiga igreja foi cedida à Prefeitura de Salamanca, que a habilitou como Auditório Municipal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo passado, a importância de uma cidade se refletia na quantidade de ordens religiosas que nela se estabeleciam, ordenando a construção de conventos e suas respectivas igrejas. Em Salamanca, a Ordem dos Carmelitas adquiriu um grande protagonismo. Abaixo, vemos o antigo Convento de San Andrés, uma antiga fundação carmelita cuja igreja é o única parte sobrevivente do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira construção data do século XV, mas foi destruída por uma enchente em 1626. O atual templo foi edificado em 1756, projetado por Manuel de Lara Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo desaparecido convento viveu durante quatro anos San Juan de la Cruz (1542/1591), que junto com Santa Teresa de Ávila, foram os responsáveis pela reforma carmelita, que deu origem a Ordem das Carmelitas Descalças. Ambos são considerados  referências da poesia mística cristã e San Juan de la Cruz foi proclamado o Padroeiro dos Poetas de Língua Espanhola. Uma placa comemorativa na fachada da igreja enaltece a presença do santo dentro do antigo convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo à igreja foi colocado um monumento em homenagem a San Juan de la Cruz, inaugurado em 1993 e realizado pelo escultor Fernando Mayoral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do antigo Convento de San Andrés passou a ser conhecida como a Iglesia del Carmen de Abajo (por estar situada numa zona próxima ao Rio Tormes), para diferenciá-la de outra construção carmelita, a Iglesia del Carmen de Arriba, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo barroco foi realizado no final do século XVII, sendo a única construção que se conservou do Convento e Colégio de San Elías, pertencente à Ordem Carmelita. Na fachada vemos uma imagem de San Elías.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

A Catedral Compostelana – Parte 2

A Catedral de Santiago de Compostela constitui um formidável exemplo do que se conhece como Igrejas de Peregrinação, que se desenvolveram ao longo do Caminho de Santiago no século XI, dentro do Estilo Românico. Uma outra igreja, que também faz parte da rota jacobea (como também se conhece o Caminho de Santiago) é a Basílica de Saint Sernin, situada na cidade francesa de Toulouse, construída na mesma época que a catedral compostelana (séculos XI e XII).

IMG_2321Estas grandes e monumentais construções possuem características comuns, que nos ajudam a compreender a arquitetura românica da Catedral de Santiago de Compostela. O interior possui uma planta de cruz latina, estando composta de 3 a 5 naves, sendo a central mais larga e alta que as laterais. A Catedral Compostelana possui 3 naves que alcançam os 100 m de comprimento e outra parte transversal, também com 3 naves, de 70 m de comprimento. Abaixo, vemos a planta da catedral, junto com o claustro de formato quadrado que complementa o conjunto, situado no lado direito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas igrejas estão abovedadas, isto é, possuem uma estrutura arqueada que cobrem o espaço entre dois apoios, formando o teto do templo. A nave central está coberta por uma Bôveda de Cañón, frequentemente utilizada na Arquitetura Românica, que está formada por arcos de meio ponto ou semicirculares, como podemos ver abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPor outro lado, as naves laterais estão formadas por Bôvedas de Arista, que se originam pelo cruzamento entre duas Bôvedas de Cañón, formando uma cruz que divide em 4 compartimentos a própria bôveda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra característica das Igrejas de Peregrinação é a profusão decorativa através de um conjunto de esculturas de caráter religioso e simbólico, como vimos, por exemplo, na Fachada das Platerías, na matéria anterior. Os grossos muros da igreja possuem dois níveis. O formado pelas arquerias em sua parte inferior e a tribuna, em sua parte superior. Esta última estrutura permitia alojar uma grande quantidade de peregrinos, além de suportar as forças arquitetônicas transmitidas desde a bôveda da nave central, gerando uma maior estabilidade. Na Catedral de Santiago de Compostela, a tribuna rodeia todo o edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo redor da capela maior, encontramos um espaço denominado Girola, também conhecido como Deambulatório. No plano arquitetônico que inicia a matéria, podemos observar a girola como um alargamento das naves laterais. Esta solução construtiva possibilitou no período românico, o trânsito dos peregrinos pela igreja, sem prejudicar os cultos religiosos e para que pudessem contemplar as relíquias colocadas em suas várias capelas. Devido ao considerável peso das bôvedas, os muros são grossos, com poucas janelas para a iluminaçao interior, que se realiza principalmente através da cúpula da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro atual foi edificado em época posterior. De enorme tamanho, foi construído a partir de 1521 por Juan de Álava e Juan Gil de Hontañón. Como foi dito, possui uma forma quadrada, com 34 m de cada lado. Nele foi colocado os sinos que originalmente se situavam na Torre do Relógio, também vista no post anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro da Catedral de Santiago podemos observar uma de suas principais funções, como local de enterramento, tanto através de sarcófagos talhados com esmero, quanto em tumbas colocadas no próprio solo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVárias capelas foram situadas junto ao claustro. Abaixo, vemos uma delas com seu belo retábulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das portas do claustro conduz ao Arquivo da Catedral, um local de visita proibida, pois nele se guarda um dos principais tesouros da cidade, o famoso Códice Calixtino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste manuscrito iluminado de mediados do século XII constitui o exemplar mais antigo e completo que se conhece da obra “Liber Sancti Iacobi” ou “Livro do Apóstolo Santiago“, do qual existe 200 cópias. Reúne hinos, textos litúrgicos, relatos de milagres e episódios relacionados com o santo. Consta de 5 livros e 2 apêndices, num total de 225 folhas feitas de pergaminho. O quinto livro constitui uma guia para os peregrinos (a mais antiga que se conhece), com descrições da rota do caminho, conselhos, etc. Sua autoria, um sacerdote francês chamado Aymeric Picaud, está atualmente posta em dúvida. O códice começa com um comentário do Papa Calixto II, no qual relata, através de uma carta dirigida à Ordem de Cluny e ao Arcebispo de Compostela Diego Gelmírez, os testemunhos dos milagres realizados pelo Apóstolo Santiago. Em 2011, o códice foi roubado por um eletricista que havia trabalhado na catedral, mas felizmente foi recuperado um ano depois. Finalizamos a matéria com um facsímil do Códice Calixtino, uma reprodução exata do livro original…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral Compostelana

Esta série de matérias sobre Santiago de Compostela estaria incompleta, caso não publicasse posts sobre seu edifício mais famoso e importante, a Catedral, que preside o Centro Histórico da cidade, declarado Patrimônio da Humanidade em 1985.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada um dos templos mais importantes de todo o mundo, a Catedral Compostelana está dedicada ao Apóstolo Santiago, cujos restos descansam em seu interior. Este fato a converteu num dos principais centros de peregrinação da Europa desde a Idade Média, através do Caminho de Santiago. O sepulcro do Apóstolo, nomeado Padroeiro da Espanha, foi descoberto no século IX por um eremita chamado Pelayo, que comunicou o achado ao Bispo Teodomiro de Iria Flávia, atual município galego de Padrón. O bispo, por su vez, avisou da notável descoberta ao Rei Asturiano Alfonso II, que posteriormente converteu-se no primeiro peregrino documentado do caminho. O monarca ordenou a construção de uma pequena capela no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADiante do crescente número de peregrinos e das reduzidas dimensões do templo, se construiu uma igreja maior no ano 829 e no final do século IX (899) uma outra igreja, de estilo pré-românico, construída pelo Rei Alfonso III, que se transformou gradualmente num importante local de peregrinaçao. Em 997, esta primitiva igreja foi destruída pelo General Almanzor, comandante do exército muçulmano do Califato de Córdoba, que respeitou, no entanto, o sepulcro do Apóstolo Santiago. Apesar disso, as portas e campanas da igreja foram levadas à Mesquita de Córdoba. Quando a cidade andaluza foi reconquistada pelo Rei Fernando III em 1236, foram transportadas por prisioneiros muçulmanos à cidade de Toledo, concretamente a sua notável catedral gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADestruída a igreja primitiva, durante o reinado de Alfonso VI e sob o patrocínio do Bispo Diego Peláez, se iniciou a construção da atual catedral, um dos edifícios de estilo românico de maior importância em toda Europa. Edificada basicamente com granito, as obras se detiveram em vários momentos, sendo finalizada em 1122 e consagrada por primeira vez seis anos depois. Seus principais arquitetos foram Bernardo El Viejo, seu discípulo Roberto e um grande arquiteto da Arquitetura Românica, o Mestre Esteban. A última etapa construtiva ocorreu a partir de 1168, quando o chamado Mestre Mateo realizou a cripta e o fabuloso Pórtico da Glória, considerado um dos expoentes máximos da Arte Românica. As obras finalizaram em 1211, ano em que a Catedral é definitivamente consagrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos o aspecto da fachada principal românica da catedral, antes da reforma barroca realizada no século XVIII, que dá para a Plaza del Obradoiro. Esta imponente e maravilhosa fachada, além de outras partes da Catedral, como o mencionado Pórtico da Glória, está sendo restaurada para solucionar o processo de deterioração em seus elementos estruturais e decorativos, causado principalmente pela humidade, além de intervenções realizadas no passado que resultaram problemáticas. Além do mais, a fachada recebeu um necessário tratamento de limpeza. Abaixo, vemos duas imagens da fachada, antes da reforma, e outra atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs primitivas torres da fachada principal eram românicas, mas forma substituídas pelas atuais durante a reforma barroca. Abaixo, vemos a Torre do Relógio, situada no lado direito da fachada. Foi realizada em 1680 por Domingo de Andrade. O relógio é de 1831, e os sinos são réplicas, cujos originais foram colocadas no claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior da catedral, a única fachada que conserva sua fábrica românica é a impressionante Fachada de las Platerías, construída pelo Mestre Esteban entre 1103 e 1117.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACaracteriza-se por sua riqueza escultórica, tanto nos capitéis, quanto nos tímpanos de suas duas portas. No tímpano da esquerda, vemos cenas relacionadas às tentaçoes de Cristo. No extremo direito aparece a representação de Eva com uma caveira, identificada como adúltera pelo Códice Calixtino (um pouco complicado de ver na foto…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo tímpano da direita, vemos outras cenas historiadas, como a Epifania em sua parte superior. Na parte inferior, a cura do cego e episódios da Paixão de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns elementos decorativos foram colocados posteriormente (final do século XIX), como estes 6 meninos que faziam parte do coro de pedra situado na nave central da igreja e realizado pelo Mestre Mateo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local destacável do exterior da catedral é a Porta Santa, cuja porta se abre somente nos denominados Anos Santos ou Jubilar, quando as festividades em honra ao Apóstolo Santiago (25 de julho) caem num domingo, algo que ocorre em intervalos de 5, 6 e 11 anos. Este privilégio foi concedido pelo Papa Calixto II em 1122.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais da porta, também foram colocadas, no século XVII, 24 figuras de personagens bíblicos, do Antigo e do Novo Testamento, que originalmente integravam o coro pétreo do Mestre Mateo. Em sua parte superior, vemos o Apóstolo Santiago, cuja imagem foi realizada em 1694 por Pedro del Campo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos esta primeira parte sobre a Catedral de Santiago de Compostela com a Fachada da la Azabachería, construída em 1758, substituindo a antiga Porta do Paraíso, pela qual entravam a maioria dos peregrinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igreja de Santiago – La Coruña

Na Galícia existem muitas igrejas dedicadas ao Apóstolo Santiago, o santo padroeiro da Espanha. No Centro Histórico de La Coruña situa-se uma delas, considerada a mais antiga da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída entre os séculos XII e XIII na fase final do Estilo Românico e por sua importância histórica recebeu o título de Monumento Histórico-Artístico. Como de costume, dentro da arquitetura românica, está formada por 3 ábsides, o central maior que os laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior dos ábsides vemos várias figuras esculpidas, algumas das quais representam cabeças humanas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua história, o templo foi reformado em várias momentos, como na fachada principal. A porta principal, por exemplo, pertence ao final do século XV e começo do XVI. Nela aparecem, no tímpano, o Apóstolo Santiago a cavalo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa arquivolta situada acima do tímpano, foram representados 20 figuras de anjos sentados com os instrumentos da Paixão de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na porta principal vemos uma roseta, colocada no final do século XIX. Abaixo, vemos seu aspecto exterior e também de dentro da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm outra das portas da igreja vemos a representação do Agnus Dei, expressão latina traduzida como Cordeiro de Deus, título dado a Jesus no Evangelho de São João.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante vários anos, no átrio da igreja se celebraram as reuniões do Conselho da cidade, algo habitual naqueles tempos (desde 1380 até o século XV, pelo menos). Originalmente, o interior da igreja estava formado por 3 naves (com seu ábside correspondente). No entanto, devido às reformas realizadas, se reduziu o espaço a uma grande nave, como vemos abaixo, no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave vemos o retábulo principal da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria sobre a Igreja de Santiago de La Coruña com outras imagens do templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANão poderia faltar uma imagem do Apóstolo Santiago, como peregrino…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Igrejas Românicas: Ávila (Parte 2)

Prosseguindo com a matéria sobre as Igrejas Românicas de Ávila, hoje veremos outros templos existentes na cidade que foram construídos neste estilo. A Igreja de Santiago é uma delas. Sua localização, fora das muralhas e num nível mais baixo em relação a elas, é perfeita para se tirar boas fotos do templo e do espaço que a circunda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de ter sido construída durante o período românico, foi reformada nos séculos XIV e XVI, alterando seu aspecto original. Á primeira vista, destaca sua torre, de elevada altura e formato octogonal, caso único nas igrejas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido às reformas e ampliações realizadas, o estilo predominante é o gótico em sua fase final. Segundo a tradição, neste templo se reuniam os cavalheiros da Ordem de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa porta que vemos acima, observamos uma abundante decoração com o símbolo principal associado ao Apóstolo Santiago, as c0nchasOLYMPUS DIGITAL CAMERAExiste outra porta de acesso à igreja, edificada segundo os ditames da Arquitetura Românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte central de uma das arquivoltas que compõem o arco, vemos um dos elementos mais comuns relacionados com a Arte Românica, o Crismón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Crismón é a representação ou monograma de Cristo no idioma grego, composto pelas duas primeiras letras do seu nome nesta língua, o X e o P. Em muitas ocasiões, aparece acompanhado das letras alfa e ômega, a primeira e a última letra do alfabeto grego, relacionando Cristo como a origem e o fim de todas as coisas, caso do Crismón acima. Vemos ambas letras nas partes laterais. O românico é uma arte essencialmente simbólica, e o Crismón uma de suas representações mais comuns. A Igreja de Santiago foi declarada Bem de Interesse Cultural (BIC) em 1983. Também de origem românica é a Igreja de San Martín, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar das reformas realizadas nos séculos XVI e XVIII, conserva uma belíssima torre construída no estilo mudéjar, provavelmente do século XIV. Em sua parte inferior foi utilizado o granito, e no resto da estrutura o tijolo, o material construtivo predominante deste estilo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem próxima, se localiza a Igreja de Santa María de la Cabeza. Aparece documentada por primeira vez em 1258, sendo que sua construção data desta época, no século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente dedicada a San Bartolomé, nesta igreja se encontrava o primeiro cemitério da cidade, do século XIX. Conserva sua cabeçeira com os três ábsides de estilo românico. Abaixo, vemos uma porta decorada com a imagem de Santa María de la Cabeza e um Crismón, situado abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs elementos mudéjares encontrados também neste templo se explicam porque, da mesma forma que a Igreja de San Martín, está situada num bairro onde antigamente vivia uma grande concentração de população mourisca. Em 1708 se colocou a Espadaña, que atualmente transformou-se na residência da fauna urbana…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa mesma época se construiu uma outra porta de acesso ao templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

Igrejas Românicas: Ávila

Ávila possui um enorme e importante patrimônio histórico relacionado à Arquitetura Românica. De fato, junto com as cidades de Segóvia e Zamora, Ávila conta com a maior quantidade de Igrejas Românicas de toda Espanha. Algumas delas já foram matéria aqui no blog, como a maravilhosa Basílica de San Vicente (publicada em 22/7/2012) e a Igreja de San Pedro (post intitulado “Românico em Ávila”, publicado em 30/7/2012). Hoje veremos outros templos edificados neste estilo, que podem ser conhecidos numa visita à cidade. Em sua maioria, foram construídas no século XII, e todas elas receberam o título de Monumento Nacional, outorgado àqueles monumentos representativos da história do país e que sao protegidos por lei. A única Igreja Românica situada dentro das muralhas de Ávila é a Igreja de San Esteban, cujo aspecto atual é o resultado de reformas realizadas a partir do século XVI. O ábside é original do período românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADedicada ao padroeiro da cidade, a Igreja de San Segundo também foi reformada no século XVI. Inicialmente estava dedicada a São Sebastião, titularidade que mudou com a descoberta no século XVI de restos humanos que foram atribuídos a San Segundo, primeiro Bispo de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs três ábsides que a constituem são originais, bem como uma das portas de acesso ao templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos capitéis românicos que decoram a porta, mas que estão muito erosionados pela ação do tempo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA espadaña foi colocada em época posterior à construção da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Nicolás foi construída na segunda metade do século XII, numa zona ocupada tradicionalmente por artesãos e abundante população mourisca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi consagrada pelo Bispo Jacobo de Ávila em 1198 e em 1980 recebeu o título de Monumento Histórico-Artístico. O destaque fica por conta de sua imponente torre e uma das portas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das igrejas mais antigas de Ávila, a Igreja de San Andrés destaca-se na paisagem urbana da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAparece documentada por primeira vez em 1250, mas sua construção é anterior. Monumento Nacional desde 1923, foi restaurada duas vezes no século XX, na década de 30 e nos anos 60.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída com pedra arenítica, destaca-se por seu tamanho e sua bela torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima vemos os ábsides semicirculares da igreja, característicos da Arquitetura Românica. Os arcos de meio ponto, também semicirculares, podem ser observados na torre e nas portas de entrada, e constituem outro dos elementos associados ao estilo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA escultura, depois de um longo período de abandono a partir da queda do Império Romano, voltou a ser realizada no Românico, como um elemento associado à arquitetura. Os capitéis que rematam as colunas foram decorados com esculturas que representam motivos florais, animais e cenas religiosas.Abaixo, vemos um dos capitéis que ornamentam a porta de acesso à Igreja de San Andrés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sotosalbos: Prov. Segóvia

Sotosalbos é um belissimo pueblo da Província de Segóvia, situado a apenas 20 km da capital provincial. Conta com somente 130 habitantes, e de sua localização as vistas da Serra de Guadarrama sao impressionantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de conquistada pelos árabes, estas terras onde atualmente se situa o povoado tornaram-se terras de ninguém, numa zona compreendida entre os rios Tajo e Duero, formando a fronteira entre os cristãos do norte e os muçulmanos que viviam no sul da Espanha. Com o avance cristão, este território foi doado ao Bispado de Segóvia, iniciando desta forma seu repovoamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASotosalbos possui um dos templos românicos mais famosos de toda a província, a Igreja de San Miguel Arcángel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPouco se sabe sobre a história desta igreja construída no século XII, que substituiu uma anterior edificada , ao parecer, no século anterior. Uma de suas características principais é a singular galeria porticada, um dos sinais de identidade do Românico Segoviano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsta de 7 arcos sustentados por colunas geminadas. O conjunto está decorado por uma grande riqueza simbólica e iconográfica em seus capitéis e em pequenas esculturas situadas embaixo do telhado, denominadas canecillos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANos elementos escultóricos podemos observar cabeças humanas, ofícios tradicionais, animais fantásticos, motivos vegetais, etc. As portas de acesso à igreja possuem arquivoltas realizadas em zig-zag…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs galerias porticadas , além de sua função estrutural, eram consideradas locais de reunião popular, onde se discutiam assuntos relacionados ao interesse comum. Abaixo, vemos uma foto do seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos a sólida torre campanário da igreja, de planta quadrada e três níveis, sendo que o segundo está formado por arcos cegos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA exuberância decorativa do templo também pode ser admirada nos capitéis existentes, como estes que integram a galeria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem do interior da igreja, composto por nave única.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo ábside se conservam pinturas murais românicas, que representam um Pantocrátor (Cristo em majestade dentro de uma mandorla, junto com a representação zoomórfica dos 4 apóstolos evangelistas, conhecidas como Tetramorfos. Podemos apreciar somente o leao, relacionado com Sao Marcos. As demais pinturas não sobreviveram).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Igreja de San Miguel Arcángel foi declarada Monumento Histórico-Artístico em 1973, devido à sua importância histórica e arquitetônica, fazendo jus ao título de uma das jóias do estilo românico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA