La Alberca – Província de Salamanca

Viajar pelo interior da Espanha é uma experiência inesquecível, pois possibilita conhecer lugares encantadores, como os pequenos povoados, aqui denominados Pueblos, abundantes por todo o país. Alguns destes povoados, apesar de seu reduzido tamanho, possuem uma valioso patrimônio histórico-artístico. Outros se caracterizam por suas peculiaridades e por serem lugares realmente pitorescos, como o povoado de La Alberca, situado numa região serrana ao sul da Província de Salamanca, uma das províncias que formam a Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada numa região de grande beleza natural, a denominada Sierra de Francia, neste povoado não veremos castelos, palácios ou belas igrejas, pois La Alberca é conhecida principalmente por sua interessantíssima arquitetura popular tradicional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom pouco mais de mil habitantes, La Alberca foi o primeiro povoado da Espanha em receber o título de Monumento Nacional, em 1940. A partir deste momento, o povoado, antes conhecido apenas por curiosos viajantes, alcançou grande popularidade e prestígio, sendo frequentado por milhares de turistas que a visitam anualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA beleza e a singularidade deste pueblo foi divulgada por personalidades do mundo artístico como o cineasta Luis Buñuel (1900/1983) e por intelectuais famosos, como o escritor e filósofo espanhol Miguel de Unamuno (1864/1936), cujo retrato aparece decorando uma das casas do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive o privilégio de conhecer La Alberca num passeio de fim de semana organizado pelos professores de história Rafael (conhecido como “Rafa”) e Fernando, cujas aulas sobre a história de Madrid pude presenciar durante dois anos em cursos que realizei na capital espanhola. Rafa foi nosso guia na excursão, brindando as cerca de 40 pessoas que faziam parte do passeio com seus amplos e profundos conhecimentos sobre história, arte e arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado de La Alberca localiza-se numa das zonas mais úmidas do país, e seu nome procede do artigo árabe “Al” com o termo de origem hebraico “Bereka”, significando “lugar das águas”. Foi habitada desde tempos remotos por tribos pré-romanas, os celtíberos, como demonstram os restos de um antigo castro, como são conhecidos os assentamentos deste povo, sobre o qual se construiu o povoado de La Alberca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os séculos XII e XIII, o local foi repovoado por ordens do Rei Alfonso IX de León, principalmente por franceses, justificando desta forma a presença de inúmeras palavras na região de origem francesa ou relacionadas ao país vizinho (Sierra de Francia, por exemplo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, o monarca Juan II concedeu o povoado à Casa de Alba, transformando-se num senhorio. Esta condição permaneceu até 1834, quando  finalmente os senhorios foram abolidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Alberca foi edificada sem nenhum tipo de planificação urbana, e suas ruas, praças e casas se adaptaram às condições geográficas do local, uma montanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos consideram La Alberca como o Pueblo mais belo da Espanha, e razões não faltam para tanto. De fato, aparece sempre nas listas dos povoados mais bonitos do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo post, faremos um passeio pelo pueblo, e vocês terão a oportunidade de conhecê-lo com mais profundidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

El Muyo – Pueblo Negro

Continuamos a denominada Rota dos Pueblos Coloridos, uma das grandes atrações da Província de Segóvia, e fomos conhecer os povoados negros, assim chamados pela cor das pedras de suas construções. Dos três povoados que compõem os Pueblos Negros, visitamos El Muyo, o mais conhecido deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA ardósia (pizarra, em espanhol) é a pedra predominante nas construções deste povoado, justificando o nome de Pueblo Negro. Também é utilizada nos pavimentos das ruas, como podemos ver acima. Existem referências da existência de El Muyo desde 1587. Durante boa parte de sua história, foi um município independente, mas em 1979 foi agregado à cidade de Riaza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEl Muyo significada O Mutilado, e existe a teoria de que o fundador da cidade assim o fosse…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA principal construção de El Muyo é a Igreja dos Santos Mártires Cornélio e Cipriano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm algumas casas podemos ver a parte reservada ao forno, um espaço circular típicos dos povoados de arquitetura negra…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos umas imagens do entorno natural de El Muyo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça de San Lorenzo – Segóvia

Segóvia é uma cidade repleta de surpresas. Mesmo depois de visitá-la inúmeras vezes, ainda me surpreende com lugares que nao havia conhecido antes. Recentemente, estive no Bairro de San Lorenzo, um dos mais pitorescos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituado fora da muralha que rodeia o centro histórico de Segóvia, este bairro conserva de modo magistral sua atmosfera medieval e a praça dedicada a San Lorenzo é o centro de sua vida comunitária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATradicionalmente, seus habitantes dedicavam-se ao trabalho agrícola nas hortas e moinhos existentes nas margens de um dos dois rios que cortam a cidade, o Eresma. As casas que circundam a praça refletem em sua arquitetura tradicional, este modo de vida. Feitas de tijolos e com vigas de madeira, sua conservaçao é uma memória viva desta cidade à sua dilatada história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas casas tradicionais possuem dois andares, como podemos observar nas fotos, e muitas delas conservam sua porta composta por um arco de meio ponto. Na casa abaixo, vemos refletida em sua janela a torre da Igreja de San Lorenzo Mártir, que domina o centro da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima igreja românica possui uma cronologia indeterminada. No entanto, seus elementos estruturais a situam entre o séculos XII e XIII, ainda que alguns estudiosos afirmam que poderia ser mais antiga, talvez do séculos X ou mesmo do IX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua torre é um exemplo do denominado Românico Mudéjar. Destacam também em sua estrutura o triplo ábside e a galeria, típica do Românico Segoviano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA galeria está formada por colunas duplas, e nelas podemos apreciar a rica iconografia presente nos relevos de seus capitéis, com cenas históricas notáveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns dos numerosos elementos decorativos da Igreja de San Lorenzo sao tao arcaicos que dificultam a leitura de suas cenas. Outros, porém, estao muito bem preservados, como o que representa o Martírio de San Lorenzo. Este santo aragonês, que viveu entre 225 e 258 dC, foi queimado vivo numa fogeira, mais precisamente num assador e sua representaçao é uma das mais comuns associadas à iconografia deste santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cena impressionante é a que representa o Sacifício de Isaac, patriarca bíblico e único filho de Abraao com Sara, e pai de Esaú e Jacó. Isaac, no momento de seu sacrifício, foi substituído por um carneiro, e o episódio se refere à obediência de seu pai à Deus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com uma das portas de acesso ao templo, que estava fechado para visitaçao…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts veremos outro local maravilhoso de Segóvia, o Monastério de San Antonio, nao percam…

Belas Praças de Espanha – Parte 3

Além das funções originais como mercado e da localização de edifícios públicos, as Praças Maiores também foram os locais preferidos para solenidades e festividades, algumas das quais felizmente já não existem, como os autos de fé praticados pelo Tribunal da Inquisição (principalmente no que se refere à sua parte solene, pois os réus eram executados em locais mais discretos) e execuções públicas de caráter civil. Muitas vezes, tornaram-se o centro de manifestações sociais. No entanto, dentre os espetáculos realizados em seu entorno, o mais praticado, sem dúvida alguma, foram as corridas de touros. Muitas praças foram expressamente construídas para este fim, como no caso de Tudela (Navarra).

DSC01417DSC01416A partir do séc. XIX, começaram a ser edificadas Praças de Touros permanentes, abandonando-se o costume de realizá-las na Praça Maior. Porém, em alguns locais, o costume ainda permanece, como no caso de Chinchón, pueblo situado na Comunidade de Madrid. Nos dias festivos, ainda são realizados corridas de touros em sua Praça Maior, consideradas uma das mais belas e pitorescas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Praças Maiores são locais acolhedores e cheios de vida, e ponto de encontro da vida social. Algumas delas são autênticos monumentos, grandiosas e magníficas, como a Praça Maior de Salamanca e a de Madrid. Outras possuem elementos tradicionais de caráter popular, que a distinguem das demais, como no caso de Chinchón. Um outro exemplo de arquitetura tradicional vemos na Praça Maior de Puerto Lápice (Castilla-La Mancha).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOu então como Tembleque, povoado situado próximo à Puerto Lápice.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor suas características que lhe proporcionam amplas perspectivas e por ser um lugar muito frequentado, a Praça Maior é o local perfeito para a colocação de estátuas e monumentos, que rendem homenagem a personalidades ilustres e acontecimentos fundamentais da história. Abaixo, vemos novamente a Praça Maior de Madrid, presidida pela monumental estátua equestre de Felipe III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIX, já consideradas como locais de encontro e ócio, foram colocados bancos para o descanso e quiosques para representações musicais. Atualmente, é o local escolhido por uma grande variedade de artistas e cenário de uma grande agenda cultural. Abaixo, vemos a Praça Maior de Toro (Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das mais belas Praças de Espanha conservam seu caráter medieval, tema do nosso próximo post…

Peñaranda del Duero – Prov. Burgos

Peñaranda del Duero é um destes pueblos que fazem parte de nosso imaginário popular. Situado a apenas 18km de Aranda del Duero, é considerado, com razão, um dos povoados mais bonitos da Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATanto Peñaranda, quanto Aranda del Duero, foram repovoadas simultaneamente a começos do séc. X. A chamada fronteira do Rio Duero representava a delimitação dos territórios cristãos e árabes durante a Idade Média. A vila aparece por primeira vez mencionada em torno ao ano 1000 dC, por sua condição de praça defensiva. De fato, conservam-se duas das três portas que integravam a antiga muralha, construída já no séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa época do reinado de Alfonso XI, a vila tornou-se vinculada à família Avellaneda, que ostentava o título de Condes de Miranda, contribuindo notavelmente para o enriquecimento do local, mediante a construção de seus principais monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Maior, epicentro da vida social do pueblo, é uma das mais belas da comunidade castelhana e de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela, se concentram os monumentos mais relevantes de Peñaranda, entre os quais o Palácio de Avellaneda. Foi construído em 1530, no estilo renascentista, por encargo de D.Francisco de Zúñiga Avellaneda y Velasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada do palácio, vemos o escudo da família Avellaneda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo passar pela entrada, vemos um elegante pátio, composto por dois níveis de galerias, belamente decorados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio foi catalogado, em 1931, como Bem de Interesse Cultural. Em frente a ele, do outro lado da praça, situa-se a ex Colegiata de Santa Ana, o principal templo religioso da localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi financiada pela viúva de Francisco de Zúñiga e seu filho, e seu traçado é atribuído ao arquiteto Rodrigo Gil de Hontáñon. Iniciada em 1540, foi reformada no séc. XVIII com a edificação de uma portada barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe frente para a igreja, observamos uma pequena coluna de pedra. Trata-se do denominado “Rollo de Justiça”, uma estrutura em forma de coluna, coroada, geralmente, por uma cruz ou uma bola. Representa a categoria administrativa do local, levantando-se nas vilas que possuem plena jurisdição, indicando a que tipo de regime estava submetida, seja real, senhorial ou eclesiástico. Servia, também, para delimitar o território, e como lugar de castigos para os crimes comuns, cujos condenados eram açoitados e expostos ao escárnio público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, abundam no povoado, exemplos de casas construídas segundo os ditames da arquitetura tradicional da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo não poderia faltar, no alto do pueblo se eleva, imponente, o Castelo de Peñaranda, matéria do próximo post…

Arties – Vale de Arán

Um passeio pelo Vale de Arán nos permite, além da possibilidade de praticar esportes de inverno e caminhadas por suas belas paisagens, conhecer pueblos de encanto, que conservam sua arquitetura tradicional. Arties, situado entre Vielha e a estação de Baqueira Beret é um deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado é uma típica vila de montanha, banhada pelas águas de dois rios, o Garona e o Valerties, e sua populaçao nao chega aos 600 habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07455Caminhando tranquilamente por suas ruas, descobrimos detalhes de rara beleza, tanto na decoraçao das casas, quanto em sua arquitetura.

DSC07448OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC07450

Apesar de seu reduzido tamanho, Arties conserva um belo patrimônio cultural, principalmente por suas duas igrejas.

A Igreja de San Joan situa-se bem na estrada que comunica a estacao de esqui com a capital do vale de Arán, Vielha. Construída entre os séc. XIII/XIV, sua origem é românica, apesar de ter sido ampliada no período gótico. O templo pertenceu aos Cavalheiros Templários e à Ordem de San Juan de Jerusalém, mas atualmente permanece fechada para o culto. No entanto, acolhe em seu interior exposições temporárias relativas à cultura do vale.

DSC07454A Igreja de Santa Maria representa um dos expoentes do românico aranês. Construída entre os séc. XII/XIII, possui planta basilical de 3 naves, encabeçadas originalmente por seus 3 ábsides, dos quais se conservam apenas os laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vemos  na foto acima, os ábsides laterais conservam seu aspecto original, enquanto o central foi reformado posteriormente.

A arquitetura da igreja foi fortemente influenciada pelo românico Lombardo, como em toda a zona pirenaica da Catalunha. O templo possui também dois campanários, um deles situado na torre de 5 andares, de estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior surpreende por sua riqueza, principalmente no que se refere às suas magistrais pinturas murais, de estilo renascentista e datadas do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

No teto, está representado o juízo final.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O retábulo é uma obra prima da pintura gótica, com cenas da vida da Virgem Maria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Igreja de Santa Maria foi declarada Monumento Nacional, e na idade média hospedou aos cavalheiros templários, que construíram um castelo junto ao templo, do qual se conserva apenas uma torre defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Pedro De Las Dueñas

Situado a 5km de Sahagun, o Monastério de San Pedro de Las Dueñas localiza-se no povoado homônimo e pertence à ordem beneditina. Habitado somente por monjas, foi fundado no final do séc. X e princípios do séc. XI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O atual edifício é do séc. XVIII, mas conserva intacta sua igreja primitiva, de estilo Românico-Mudéjar e erguida no séc. XII, sendo considerada a jóia mais valiosa de todo o conjunto monacal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério gozou ao longo de sua história do apreço da realeza, sendo incontáveis os privilégios que lhe foram concedidos. Seu nome pode ser explicado pela grande quantidade de damas da nobreza castelhana que nele tomaram hábito ou então ingressavam em suas dependências para receberem  educação. Abaixo, a entrada construída no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi iniciada em 1109, primeiro em pedra e posteriormente em tijolo. A planta é constituída por 3 naves, sendo a central com o dobro de largura que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, são célebres os capitéis, de notável qualidade escultórica, dos quais o que representa 7 monjas é o mais famoso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO simbolismo relacionado com a figura do leao aparece em vários de seus capitéis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outra de suas jóias é uma imagem do Cristo crucificado, do insigne escultor barroco Gregório Fernández.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior, além da torre quadrada feita inteiramente de tijolos, que se eleva sobre o presbitério da nave central, como podemos observar nas primeiras fotos da matéria, os jardins também chamam a atençao do visitante, pelo cuidado com que sao tratados, transformando-se num local  em que se respira paz e tranquilidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVoltando para Sahagun, é possível conhecer diminutos pueblos, que nao obstante, preservam sua arquitetura tradicional e até mesmo seu imponente castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA