Centenário do Metrô de Madrid

O Sistema Metroviário de Madrid foi tema de duas matérias publicadas em 4/12 e 5/12/2012, momento em que abordei vários aspectos curiosos do transporte público da cidade. Este ano de 2019 constitui um ano especial, pois o Metrô de Madrid está completando seu centenário, e muitas iniciativas interessantes estão sendo realizadas pela companhia para celebrá-lo, como exposições de fotos antigas pertencentes ao arquivo histórico do Metrô, que podemos ver nas estações da primeira linha inaugurada em 17/10/1919.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO sistema metroviário de Madrid foi pioneiro na Espanha, revolucionando a mobilidade urbana e tornando-se com o tempo no transporte por excelência de seus habitantes. O primeiro metrô construído no mundo foi o de Londres, inaugurado em 1863. Depois vieram o de Chicago (1892), Budapest e Glasgow (1896), Boston (1897), Paris (1900), Berlín (1902), Atenas e Nova York (1904), Filadélfia (1907), Hamburgo (1912), Buenos Aires (1913) e Madrid (1919). A chegada do Metrô à capital da Espanha representou uma grande transformação para Madrid, convertendo-se numa cidade moderna como muitas outras metrópoles européias.

DSC03506Para a construção da primeira linha do metrô, o custo foi de 8 milhões de pesetas, dos quais a metade foi patrocinado pelo Banco Vizcaya, 3 milhões provenientes dos engenheiros fundadores da companhia e de particulares e 1 milhão de pesetas pagos pelo próprio Rei Alfonso XIII, na época monarca reinante da Espanha. Por este motivo, inicialmente o Metrô de Madrid recebeu a denominação de Companhia Metropolitana Alfonso XIII, sendo o rei um de seus principais acionistas e a primeira pessoa em realizar o trajeto inaugural da linha norte-sul, que ligava a Puerta del Sol (centro da cidade) com o Bairro industrial de Cuatro Caminos, uma zona industrial com uma grande quantidade de população obreira residente. Abaixo, vemos o Rei Alfonso XIII  no centro da foto no dia inaugural da linha.

20190416_113721OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro trecho compreendia 8 estações, com um trajeto de quase 4km, sendo que o trem realizava o percurso numa velocidade de 25 km/h. O trajeto era realizado em cerca de 10 minutos e o bilhete custava 15 centavos de peseta. Na época, Madrid tinha uma população de 750 mil habitantes, e no primeiro dia da inauguração do metrô utilizaram o novo sistema de transporte público 56 mil pessoas. Atualmente, Madrid é a maior cidade espanhola com aproximadamente 3.2 milhões de habitantes e diariamente utilizam o metrô 2.3 milhões de viajantes. Abaixo, vemos duas fotos em que vemos as primeiras obras de construção da linha 1 na Puerta del Sol, em 1917, e na então estação final de Cuatro Caminos, em 1918.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a linha inaugural norte-sul está integrada na Linha 1 do Metrô de Madrid e conta com 33 estações num total de 24 km, unindo 8 distritos de Madrid e considerada a segunda em número de passageiros, superada apenas pela linha circular que rodeia a cidade. A seguir vemos uma foto atual da Puerta del Sol, um local emblemático da capital, e uma de suas portas de acesso ao metrô…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto Antonio Palacios, personagem imprescindível da arquitetura madrilenha da primeira metade do século XX, foi durante os primeiros 25 anos da Cia Metropolitana Alfonso XIII o responsável pelo projeto das estações e também do logotipo da empresa. Inspirado na Arte Decô, Palácios proporcionou o estilo decorativo dos vestíbulos e das portas de acesso ao interior do Metrô de Madrid. Abaixo, vemos a entrada da Estação Sol, numa imagem dos anos 20 do século passado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo elemento decorativo principal, Antonio Palacios utilizou azulejos brancos com a finalidade de criar um ambiente interno acolhedor, como podemos observar na Estaçao Tirso de Molina, que conserva seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma aquarela pintada pelo próprio arquiteto representando o interior da Estação Sol

20190416_111106Finalizo esta primeira matéria sobre o Centenário do Metrô de Madrid com duas fotos em que vemos a Estação Sol nos anos 60…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

Cidade Universitária de Madrid: Parte 3

Como foi dito na matéria anterior, a maior parte dos edifícios que compunham a Cidade Universitária de Madrid estavam terminados na década de 30 do século XX. No entanto, em 1936 eclode a Guerra Civil Espanhola. Madrid, como enclave republicano que era, sofreu intensos bombardeos pelas tropas nacionalistas durante o conflito que se estendeu durante três anos mais. Por estar situada numa frente de batalha, a Cidade Universitária foi uma das zonas mais castigadas. Abaixo, vemos uma foto tirada durante a guerra, e podemos observar o estado que ficou a Escola de Engenheiros Agrônomos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAinda hoje podemos ver algumas estruturas situadas no Parque do Oeste, localizado ao lado da Cidade Universitária, que funcionaram como ninhos de metralhadoras durante o conflito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil, o campus universitário se converteu num campo de batalha no qual a maior parte dos edifícios foram destruídos. Tornou-se famosa a guerra travada na Faculdade de Filosofia e Letras, em que os combatentes dos bandos republicano e nacionalista lutaram corpo a corpo. Trincheiras e muros foram “construídos” com os livros de sua importante biblioteca. Abaixo, vemos uma foto atual da faculdade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada exterior não apresenta elementos destacáveis, mas em seu interior se reconstruiu um magnífico painel de vitrais de estilo Art Decô, uma recriação do vitral destruído durante a guerra. Foi realizado pela Casa Maumejeán, especializada em vitrais artísticos e fundada em 1860.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo jardim da faculdade vemos uma escultura do grande filósofo espanhol José Ortega y Gasset (Madrid: 1883/1955), realizada por Juan de Ávalos e inaugurada em 2002.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo final da contenda, o panorama na Cidade Universitária era desolador, e se perdeu quase a metade dos edifícios construídos antes da guerra. Mais de 40 mil árvores foram derrubadas. Com a vitória nacionalista, Franco reconstruiu o campus, feito que foi utilizado pelo próprio ditador como um grande êxito do novo regime. O próprio Franco reinaugurou a Cidade Universitária em 1943. Abaixo, vemos o Colégio Maior José Antonio, cujo nome foi uma homenagem a José Antonio Primo de Rivera (1903/1936), filho primogênito do ditador Miguel Primo de Rivera. Considerado o principal líder do fascismo espanhol, foi ele o fundador da Falange Espanhola. Acusado de conspiração e rebelião militar, foi executado nos primeiros meses da Guerra Civil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAProjetado em 1948, durante boa parte do século XX foi um reduto franquista formado por estudantes que apoiavam o regime. Depois de uma profunda reforma realizada em 1981, passou a ser o edifício sede da Reitoria da Universidade Complutense, função que persiste até os dias de hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi construído dentro dos parâmetros do estilo herreriano, referência a Juan de Herrera, construtor do Monastério de El Escorial (século XVI). Esta estética arquitetônica acabou sendo adotada pelo Franquismo e muitas construções desta época podem ser vistas na região que integra a Cidade Universitária. Dessa reconstrução foram encarregados os arquitetos Pedro Muguruza e o próprio Modesto López Otero, responsável pelos projetos dos edifícios originais do campus. Em grande parte, os novos edifícios seguiram os planos originais de 1928, ainda que introduzindo modificações relacionadas com o novo regime, como  introduzir capelas em todas as faculdades.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa segunda metade do século XX, a Cidade Universitária experimentou um grande desenvolvimento, principalmente depois que a Universidade Complutense foi instalada, incorporando novas faculdades ao conjunto. Atualmente, a Complutense, universidade pública mais antiga de Madrid, é considerada uma das mais prestigiosas da Espanha e de todo o mundo hispânico. Dos 8 Prêmios Nobel do país, 7 estudaram ou foram professores na Universidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Edifícios Art Decô – Gijón

Na primeira metade do séc. XX, graças ao desenvolvimento econômico de que foi protagonista, Gijón foi o centro, em Asturias, das chamadas correntes vanguardistas arquitetônicas que assolaram o continente europeu. A Art Decô foi uma das mais importantes, deixando uma grande quantidade de edifícios na cidade, que foram realizados neste estilo eminentemente decorativo, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO movimento Art Decô desenvolveu-se principalmente entre os anos 20 e 40 do século passado, tendo a sofisticação exterior e interior como um elemento referente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto Manuel del Busto e seu filho Juan Manuel foram os pioneiros desta estética na cidade. Em 1929, por ex., realizou este edifício, marcado por uma concepção racionalista em voga na Europa, provocando uma mudança de seu estilo, anteriormente regionalista, para um conceito moderno, através da Art Decô. Destaca o geometrismo da composição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro edifício, de caráter modernista, foi projetado pelo arquiteto em 1913…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo começo do séc. XX, a repercussão da arquitetura modernista catalã provocou um grande impacto e Gijón acabou brindada com alguns belos edifícios, como o de abaixo, construído em 1902 pelo arquiteto José Craner Prat, situado ao lado do edifício acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira etapa de Manuel del  Busto esteve marcada por uma arquitetura regionalista, como dissemos acima. Um exemplo vemos a seguir, onde a decoração de azulejos foi encomendada a Daniel Zuloaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO conhecido Café Dindurra, o mais antigo da cidade (1901), foi alvo de uma reforma nos anos 30, cujo teto e colunas foram inspirados na Art Decô, encargo que Manuel del Busto e o escultor Pepín Morán assumiram com grande competência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20150721_221849Também neste período projetou a Estação Rodoviária da cidade, obra pertencente a última fase do Movimento Art Decô, que passa a incorporar critérios racionalistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estilo foi adaptado a muitos outros tipos de construção, que proporcionaram glamour antigamente e mesmo hoje em dia, como neste bar à beira da praia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao bar vemos o Hotel Alcomar, cuja fachada apresenta uma decoração tipicamente Art Decô

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mesmo podemos dizer do Clube Náutico de Gijón

OLYMPUS DIGITAL CAMERANossa visita a cidade de Gijón está chegando ao fim. Antes, porém, de sua conclusão, veremos no próximo post um museu exemplar, que me impressionou muito, tanto pelo seu conteúdo, quanto pela amabilidade e simpatia de seus funcionários, o Museu Ferroviário de Gijón…até lá !!!

Cidade de Ibiza

Ibiza é a denominaçao tanto da ilha quanto de sua principal cidade e capital, um encantador município e porto natural do mediterâneo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA capital da ilha é considerada também seu centro histórico, estando protegida por um excepcional conjunto de muralhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConserva belas construçoes, tanto do Ecleticismo, quanto da estilo Art Decô.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO bairro mais importante da capital corresponde ao seu centro histórico, situado na parte alta, denominado Dalt Vila (cidade alta, em catalao).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1999, a Unesco declarou esta parte da cidade Patrimônio da Humanidade, tanto por sua relevância e conservaçao histórica, quanto por sua beleza natural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA posiçao estratégica em pleno Mar Mediterâneo fez com que ao longo dos séculos fosse disputada por vários reinos e povos. Durante a época fenícia, sua importância é comprovada pelos restos arqueológicos encontrados, como a Necrópole de Puig des Molins. Ibiza foi, para os cartagineses, uma colônia e porto comercial. Depois da vitória sobre Cartago, os romanos tentaram dominar a cidade, sem êxito. Posteriormente, foi saqueada por normandos, vândalos, bizantinos e árabes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo ano de 1235, a cidade foi reconquistada pelo rei Jaime I de Aragón, sendo incorporada ao Reino de Mallorca, propiedade da Coroa Aragonesa. A populaçao árabe foi deportada em massa, e repovoada por cristaos da Catalunha. Abaixo, vemos a Capela de Sant Ciriac que, segundo a tradiçao, foi o local por onde entraram as tropas cristas, no dia das festividads do mencionado santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhar por suas ruas estreitas é um verdadeiro prazer para os sentidos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHabitualmente, encontramos artistas de rua improvisando notas para o deleite dos ouvintes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando o cansaço bater, nada melhor que parar e repor as energias e saborear umas das delícias da Gastronomia Espanhola, pao francês tostado com tomate triturado, jamón, e azeite de oliva. Bom demais….

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe volta à caminhada, descobrimos as casas de personagens ilustres da história de Ibiza, como a do pintor Antoni Marí Ribas (1906/1974). Uma placa comemorativa em catalao indica o local onde viveu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a segunda parte sobre a Cidade de Ibiza, com destaque para o imponente conjunto de muralhas e sua catedral…até lá !!!

Arquitetura Eclética e Modernista – Albacete

É difícil pasear por Albacete e nao olhar para cima, já que numerosos e diversos sao os edifícios que chamam a atençao pelo centro da cidade. O ecleticismo convive perfeitamente com a estética modernista e os movimentos vanguardistas da arquitetura, como o Art Decô. Abaixo, vemos alguns exemplos deste último estilo, expressao artística desenvolvida entre os anos 20 e 40 do século passado.

DSC09465OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANma das ruas mais importantes da cidade, a conhecida Calle Ancha, sao abundantes as construçoes históricas, em que a arquitetura é o elemento principal. Esta grande avenida é a mais cara de toda a cidade, e a décima quinta de todo o país. Nela encontramos edifícios de final do séc. XIX e princípio do XX, em que a burguesia da cidade pôde manifestar artisticamente a importância que desempenhavam na época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm exemplo desta magnificência burguesa, refletida na arquitetura, é a Casa Cabot, que vemos nas duas últimas fotos acima. O edifício surpreende pela belíssima cúpula azul que se eleva numa de suas esquinas, estando presidida por um animal mitológico, o grifo. O edifício foi encarregado pelo prefeito José Carbot ao arquiteto Miguel Ortiz, que o realizou entre 1922/1924 no estilo eclético, com alguns elementos modernistas. Destaca também, no alto da construçao, a escultura de um menino, segurando a bola do mundo. Já o Grande Hotel foi o pioneiro da indústria turística e hoteleira de luxo na cidade. Iniciado em 1915, foi concluido em 1920, e apresenta uma fachada eclética, com elementos renascentistas, góticos e platerescos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído pelo arquiteto Daniel Rubio, o Gran Hotel substituiu as típicas pousadas da época, inaugurando um novo conceito nos estabelecimentos turísticos de Albacete. De grande destaque na história arquitetônica é o Teatro Circo, construído em 1887. Este emblemático e histórico espaço cênico foi declarado Bem de Interesse Cultural, já que é o único teatro espanhol com uma dupla funçao teatral e também um local para espetáculos circenses. Do séc. XIX, é um dos 6 desta característica que se conservam em todo o mundo. Nele, anualmente se celebra o prestigioso Festival Internacional de Circo de Albacete, e atualmente concorre para ser declarado Patrimônio da Humanidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos as várias reformas a que foi submetido o teatro, desde sua criaçao em 1887. No próximo post, continuaremos conhecendo outros belos edifícios de Albacete…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Centro Comercial Art Déco – Madrid

Concluimos a série sobre a Art Déco em Madrid com uma verdadeira homenagem ao estilo. Próximo ao Rio Manzanares, no Paseo da Ermita de San Isidro, localiza-se um centro comercial cuja maior atraçao é a própria decoraçao do estabelecimento, inspirada no velho estilo dos anos 20 e 30 do século passado.

DSC08351DSC08360Nao por acaso, o lugar chama-se Centro Comercial Barrio (bairro, em português) Art Déco, e seus construtores souberam captar à perfeiçao suas linhas e geometria.

DSC08367DSC08371DSC08372Tanto no exterior, quanto no interior do conjunto, impera a Art Déco nos desenhos, formato das construçoes, elementos decorativos, etc.

DSC08373O Centro Comercial foi construído em 2007, e a adoçao da Art Déco serviu como um chamariz para novos clientes. Além das lojas, conta com uma variada oferta de serviços, que inclui academia de ginástica, escola de golf, teatro, etc.

DSC08349Abaixo, vemos algumas imagens do interior, conseguidas num momento em que as lojas ainda nao estavam abertas.

DSC08336DSC08337DSC08344Observamos a influência da Art Déco em todos os detalhes constituintes da estrutura do complexo comercial.

DSC08339DSC08354DSC08366Tanto os elementos presentes na primeira fase do estilo (zig-zag) quanto da época em que predomina o estilo aerodinâmico podem ser admirados, tornando o local uma referência para a apreciaçao da Art Déco.

Art Déco e Arquitetura Racionalista – Parte 2

Neste segundo post sobre  Art Déco e Arquitetura Racionalista, veremos dois aspectos fundamentais no desenvolvimento de ambas, as vidreiras e a influência do cinema. Na capital espanhola existem muitas vidreiras artísticas que representam aspectos relacionados à evoluçao da Art Déco. Muitas delas foram fabricadas pela prestigiosa Maumejean, empresa fundada em 1860 por Jules Pierre Maumejean, e que ainda existe. Uma das mais famosas decora o edifício da Facudade de Letras e Filosofia da Universidade Complutense de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste enorme painel de vitrais adorna a entrada da faculdade. Destruída na Guerra Civil, quando no campus da universidade foi travada uma das batalhas mais sangrentas da guerra, foi reconstruída para celebrar o septuagésimo quinto aniversário da faculdade. Para tanto, utilizaram-se documentos gráficos existentes da época, e sua reconstruçao coube a vários vitralistas de renome da cidade de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das artes mais associadas ao estilo Déco é o cinema. Nas décadas de 20 e 30 do séc. XX,  a sétima arte transforma-se num fenômeno de massas, principalmente depois da estréia do filme “O Cantor de Jazz”, quando se inauguram os filmes sonoros (1927). Alguns títulos produzidos na época refletem perfeitamente a atmosfera Art Déco, como a produçao alema “Metrópolis”, de Fritz Lang (também realizada em 1927). De fato, este filme expressionista tornou-se um paradigma da Art Déco, e seu ambiente futurista foi inspirado na Arquitetura de Chicago. As salas de cinema converteram-se no espaço perfeito para a difusao da nova arte e seus edifícios tornaram-se referências arquitetônicas. Em Madrid, embora alguns dos antigos edifícios que abrigavam salas de cinema foram totalmente reformados para usos completamente diferentes de sua concepçao original, ainda podemos contemplar algumas de suas características da época de sua construçao. Abaixo, por ex., vemos o antigo Cinema Europa.

DSC08411Connsiderado um dos expoentes do Racionalismo Madrilenho, o Cine Europa foi construído pelo arquiteto Luis Gutiérrez Soto, autor de inúmeras salas de cinemas pela cidade, em 1928. O edifício foi influenciado pelo expressionismo alemao, em particular pelas obras criadas por Erich Mendelsohn. Uma de suas principais características é a fachada aerodinâmica, rematada na esquina por um formato semicircular, a modo de uma quilha de barco.

DSC08414Outro aspecto desenvolvido a partir dos anos 30 na arquitetura racionalista foi o emprego de grandes janelas situadas na fachada e ao longo das escadas interiores, como vemos no Cine Europa.

DSC08415Também realizado por Luis Gutiérrez Soto, o Cine Barceló é considerado sua obra prima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1931, o Cine Barceló é justamente reconhecido como um dos melhores exemplos da Arquitetura Racionalista de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior, observamos a horizontalidade de suas linhas combinadas com a curva, além de vários elementos derivados da arquitetura náutica, como as escotilhas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor último, vemos o antigo Cine Salamanca, que apresenta características simlilares aos anteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cine Salamanca foi inaugurado em 1935, e projetado pelo arquiteto Francisco Alonso Martos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA