Os Trampantojos

Dentro dos elementos decorativos utilizados tanto na arquitetura, quanto na pintura, os Trampantojos se destacam por sua identidade ilusória, criando imagens que não correspondem aquilo que parecem. Seu nome se origina da expressão “Trampa ante os ollhos”, ou seja, um recurso para enganar a vista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Trampantojo consiste numa técnica pictórica que consiste em enganar a vista, utilizando elementos arquitetônicos, suas perspectivas e os jogos de luzes e sombras. Também se conhece com o nome de “Ilusionismo”, simulando ou criando realidades inexistentes.

20170630_131054No exemplo acima, tanto as pedras quanto os tijolos foram pintadas, simulando suas texturas, formas, cores etc. Os objetos, materiais construtivos, perspectivas e personagens se utilizam como um recurso decorativo e também para ocultar defeitos na construção. Através de pintura, se retratam portas falsas, janelas sem fundos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs paredes servem como superfície para a criação de pinturas murais de um acentuado realismo, desenhadas com uma perspectiva tal que, contempladas desde um determinado ponto de vista, fazem crer ao espectador que o fundo se projeta para além do muro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Trampantojos foram um recurso utilizado já na antiguidade pelos gregos e romanos. Durante o Renascimento, proporcionou a desejada profundidade aos tetos e paredes das igrejas, mas foi com o advento do Barroco que atingiu sua máxima expressão. Abaixo, vemos uma pintura mural em Madrid que cria uma rua imaginária…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta técnica se baseia em estudos ópticos, e se utiliza também por outras razões que as decorativas, como a falta de orçamento durante o processo construtivo ou para criar elementos arquitetônicos com a intenção de produzir efeitos que seriam impossíveis na realidade. A seguir, vemos uma superfície mural em Madrid que proporciona uma solução de continuidade com o edifício situado ao lado, imitando sua arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Trampantojos podem ser usados tanto no exterior, quanto no interior das construções, como vemos a seguir, numa pequena casa situada no Parque do Capricho, em Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro exemplo de sua utilização vemos no maravilhoso teto da Igreja de San Antonio de los Alemanes de Madrid, totalmente decorado com pinturas que simulam elementos associados à arquitetura, como colunas, arcos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO grande pintor espanhol Francisco de Goya aproveitou a técnica para criar uma sensação de profundidade que podemos admirar no teto da Ermita de Santo Antonio de la Florida, também em Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cidade onde encontramos diversos Trampantojos é Toledo, principalmente no exterior dos edifícios.

20170630_13094820170630_12023720170630_130138

Anúncios

Concatedral de Alicante

A outra igreja de importância de Alicante é a Concatedral de San Nicolás de Bari, situada, da mesma forma que a Basílica de Santa Maria, no centro antigo da cidade. Também foi erguida sobre uma mesquita da época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocaliza-se na Praça do Abade Penalva, dedicada a Francisco Penalva Urios (1812/1879), um frade dominicano que foi abade da igreja durante 25 anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concatedral de Alicante foi construída entre 1616 e 1662. Sua fachada se caracteriza pela austeridade decorativa, própria da denominada arquitetura herreriana (uma referência a Juan de Herrera, arquiteto do Monastério de El Escorial, que criou um estilo próprio dentro do Renascimento Espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar disso, encontramos alguns elementos de um barroco incipiente, principalmente na decoração das portas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada foi projetada por um discípulo de Juan de Herrera chamado Agustín Bernardino, sendo que a igreja foi dedicada a San Nicolás, padroeiro da cidade. Abaixo, vemos a Concatedral de Alicante desde o Castelo de Santa Bárbara, ressaltando a cúpula que se eleva a 45m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo é grandioso, como vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo altar maior, o destaque é o tabernáculo em forma de baldaquino, formado por 8 colunas e realizado na Itália em 1688, em mármore e jaspe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos o aspecto interior da cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO belo órgão da igreja….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo de San Nicolás realizou-se no século XVII por José Villanueva, mas sua imagem é gótica, do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro é considerado um dos mais belos do barroco valenciano

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de ter sido construído no século XVII, existem algumas partes que se remontam ao século XV, demonstrando a existência de um templo anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concatedral de Alicante é uma das sedes eclesiásticas da Diocese de Orihuela-Alicante, dividindo esta condição com a Catedral del Salvador, na cidade de Orihuela. Em 19159, a sede de Alicante foi elevada ao nível de Concatedral, pois até então era considerada uma Colegiata.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1974, a Concatedral de San Nicolás foi declarada Monumento Nacional.

Museu de Arte Sacra – Jerez de los Caballeros

Jerez de los Caballeros, com uma grande tradição religiosa e um excepcional patrimônio em forma de igrejas, ermitas e sua popular e fervorosa Semana Santa, possui também um Museu de Arte Sacra que merece ser visitado. Situado um palácio do século XVIII, o museu é pequeno, mas acolhe belíssimas obras de temática religiosa, em sua maioria anônimas e pertencentes aos templos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de contemplar esculturas, pinturas e objetos litúrgicos, o visitante poderá aprender muito sobre Arte Religiosa Espanhola dos séculos XVI ao XVIII. Por exemplo, a utilização da prata para a criação  de objetos litúrgicos na Espanha se remonta ao século XIII. No entanto, o período mais frutífero ocorreu durante o renascimento (século XVI), com a chegada da prata vinda do continente americano. A partir deste momento, a pratería alcança a categoria de arte e deixa de ser considerada um mero ofício mecânico no trabalho deste metal, conferindo prestígio e privilégios para os artesãos. Abaixo, vemos dois exemplos de custódias feitas de prata, ambas do período acima mencionado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação à escultura, várias são as peças de qualidade e grande expressividade, como esta imagem de São Pedro de Alcântara, do século XVIII e procedente da Igreja de Santa Catalina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASão Miguel pesando as almas, do século XVII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADestacam as esculturas representando a Virgem com o Menino Jesus, do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Barroco, os escultores espanhóis se distinguem pelo virtuosismo entre a sobriedade clássica e a influência italiana. Abaixo, vemos uma excelente obra do chamado Cristo de la Victoria, do século XVIII e procedente da Igreja de Santa Catalina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe muito interesse, os Cantorales (também denominados Livros de Cânticos) são os livros de música religiosa, que são  cantadas no coro das igrejas e conventos, durante a celebração da liturgia. De grandes dimensões e com uma robusta encadernação de couro, estão formados pelos pergaminhos com as notas musicais. O país conta com uma grande tradição na elaboração e decoração destes livros. Um pesado móvel, denominado Facistól, suportava os manuscritos, permitindo que os religiosos pudessem seguir as notas a uma certa distância. Abaixo, vemos um cantoral do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Pintura Barroca Espanhola também pode ser apreciada no museu. Realizados no século XVIII, estes quadros pertenciam às igrejas da cidade. A seguir, vemos um Ecce Homo, inspirado nos modelos de Luis de Morales, artista a quem dediquei um post recentemente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Virgem Imaculada e a Dolorosa

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom esta matéria, concluímos os posts sobre Jerez de los Caballeros e minha viagem à Comunidade de Extremadura. As próximas matérias estarão dedicadas à cidade de Alcalá de Henares,  condecorada com o título de Patrimônio da Humanidade, outorgado pela Unesco.

Catedral de Badajoz

Na matéria publicada sobre a Alcazaba de Badajoz, vimos como logo após a reconquista da cidade por Alfonso IX em 1230, a mesquita árabe foi convertida na primeira catedral da cidade, com a denominação de Santa María del Castillo. Badajoz tornou-se sede episcopal e o primeiro bispo, Fray Pedro Pérez, decidiu logo depois construir uma nova catedral, que acabou sendo edificada fora dos limites do recinto militar, na atual Plaza de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO corpo principal da Catedral de Badajoz foi construído entre a segunda metade do séc. XIII e finais do XIV. Como podemos observar na foto acima, caracteriza-se pela sobriedade e austeridade decorativas. Seu aspecto de fortaleza se deve ao caráter bélico da cidade. Dedicada a São João Batista, sua construção foi iniciada pela cabeçeira, estando orientada de leste a oeste, como de costume nos templos catedralícios. Na segunda metade do séc. XV iniciou-se a construção da torre de planta quadrada, dividida em 3 partes, mais o corpo para acolher os sinos. Foi finalizada apenas no século seguinte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior da torre mostra a transição da arquitetura gótica ao período inicial do renascimento. O segundo corpo é plateresco, como podemos ver nos detalhes decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO terceiro corpo acolhe o relógio e o último, a parte onde foram colocados os sinos, é de um renascimento mais puro, com arcos de meio ponto e rematada com pináculos e almenas. Abaixo, vemos a porta principal da igreja, construída em 1619 com uma escultura de São João Batista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a fachada lateral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo lado direito da foto acima, podemos observar a Porta de San Blás, também renascentista e construída em 1546. O interior da Catedral de Badajoz é de cruz latina, formada por 3 naves, sendo a central de maior altura e largura que as naves laterais. Abaixo, vemos o Retábulo Maior, projetado por Ginés López e dourado por Manuel de los Reyes entre 1715 e 1717, inserindo-se, portanto, dentro da estética barroca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha visita ao interior do templo, conheci a Jesus, o guia da catedral. Seus amplos conhecimentos de história e arte tornaram minha visita muito mais interessante e proveitosa. Entre outras coisas, comentou que é a única catedral da Espanha que possui 3 órgãos barrocos, um central e dois laterais situados sobre o coro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJesus me explicou que graças a participação de artistas do país vizinho, a Catedral de Badajoz é a mais “portuguesa” das catedrais espanholas. Este importante detalhe pode ser visto na reja que separa o coro da nave central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA participação de artistas lusos pode ser admirada também no claustro, construído nas primeiras décadas do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o claustro está sendo reformado, não estando aberto à visitação pública. Amavelmente, Jesus me levou para conhecê-lo, permitindo que tirasse fotos de uma de suas partes, assim como da curiosa composição dos seus arcos góticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Badajoz foi decorada com tapetes flamencos do séc. XVI. Na sequência vemos um deles, junto com Jesus. Aproveito para agradecer sua atenção, simpatia, e a verdadeira aula de história e arte que me proporcionou.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com a foto de uma enorme lamparina colocada na nave central. Possui 102 braços e pesa 3750 kg !!!!.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Praças Alta e de San José – Badajoz

Na matéria de hoje, veremos dois lugares emblemáticos de Badajoz. Dentre todas as praças da cidade, as denominadas Praça de  San José e Praça Alta são consideradas as mais importantes, do ponto de vista histórico. Ambas estão situadas ao lado da Alcazaba e formam um espaço contínuo. A origem da Praça de San José se remonta ao período em que a Alcazaba ficou pequena para acolher uma população em aumento, que começou a mudar-se para a zona adjacente.OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça recebeu este nome graças a Ermita de San José, construída no século XIII depois da reconquista da cidade, ocorrida no dia de São José. Com a Guerra de Independência no início do século XIX, o templo foi bombardeado e saqueado pelos franceses, provocando sua deterioração progressiva. Em 1917, a ermita foi substituída pela construção atual,o Convento de San José, projetada pelo arquiteto Francisco Franco Pineda no estilo neogótico. Em frente a igreja podemos observar uma cruz de ferro colocada em 1632.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da praça, se conservam casas construídas no estilo mudéjar. Se desconhece a época exata de sua construção. Sua fachada está composto por arcos sobre colunas, cujos capitéis são de origem visigodos, que foram reutilizados. Atualmente, acolhem um Centro de Informação Turística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Alta passou a existir depois que casas da época árabe foram derrubadas, quando então funcionava o mercado de animais da cidade. Em 1458, iniciou-se uma reforma que modificou seu aspecto, com a construção de portais formados por um conjunto de arcos feitos de tijolo e pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO objetivo principal desta reforma era transformar o local para que voltasse a cumprir sua função original de mercado. Ainda hoje podemos ver exemplos de rótulos escritos em seus muros, que delimitavam os espaços reservados para as distintas classes de comerciantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA praça também passou a ser um local de espetáculos diversos. Nela se celebraram corridas de cavalos e de touros, autos sacramentais, representações teatrais e execuções públicas. O local apresenta duas partes bem diferenciadas. Na mais antiga situava-se a antiga Casa Consistorial, de finais do século XV. Este edifício exerceu a função de prefeitura da cidade até 1799. Destaca sua fachada com elementos mudéjares. Atualmente o edifício é utilizado para a celebração de atos institucionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos duas das torres que compõem o recinto da Alcazaba, situadas detrás da antiga Casas Consistorial. Ao lado dela, vemos a fachada do Edifício do Conselho de Ferias e Festas, considerada a mais antiga da cidade (1450).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Alta possui um caráter renascentista, com amplos espaços abertos. É considerada a primeira praça pública construída em Badajoz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA finais do século XVII, o bispo da cidade Juan Marin de Rodezno realizou uma nova reforma na praça, finalizada abruptamente em 1703 devido à Guerra da Sucessão Espanhola. Se completou apenas um terço do planejamento previsto, e a praça também é conhecida pelo nome deste bispo. No costado da praça, vemos um monumento em sua homenagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da reforma não ter sido completada integralmente, podemos admirar a decoração barroca dos edifícios desta parte da praça, que em conjunto foram denominadas Casas Coloradas, composta por esgrafiados com motivos geométricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem da praça tirada da Alcazaba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo foi dito no começo da matéria, antigamente as Praças de San José e Alta estavam unidas, até que a mediados do século XVI se construiu o Arco del Peso, que acabou separando as mesmas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Praça Alta está sendo reabilitada e é um dos principais pontos de encontro dos habitantes de Badajoz. Um lugar único, sem dúvida nenhuma.

 

Museu Catedralício – Murcia

Uma visita à Catedral de Murcia não estaria completa sem o Museu Catedralício, situado no primitivo claustro da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAChegamos ao museu através de um espaço coberto por vidro no solo que conservam restos arqueológicos de época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo de arte sacra deste museu é incrível, com obras representativas de vários estilos, tanto de pinturas, quanto de esculturas e objetos litúrgicos. Abaixo, vemos um Cristo Crucificado feito de marfim, do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1516, vemos este quadro com a Adoração dos Pastores, pintado por Fernando de Llanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo museu se conservam as capelas mais antigas da catedral, onde se celebravam liturgias, sendo que algumas delas exerciam uma função funerária, pois foram locais de enterramento para aqueles que ostentavam sua propriedade, que se estendiam aos seus descendentes. Abaixo, o retábulo gótico de Santa Lúcia, realizado em 1380 pelo artista Bernabé de Módena. OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste artista italiano tinha seu atelier em Gênova, fato que demonstra os fortes laços existentes entre esta cidade e Murcia. De 1374, Bernabé de Modena realizou esta obra com a representação da Virgem da Leite.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Capela do Sarcófago se expõe o retábulo, também do período gótico, de São Miguel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nome desta capela é uma referência a um excepcional sarcófago romano de finais do séc. III ou começo do séc. IV dC.  Realizado em mármore e ornamentado com as musas, mestres e sábios, foi reutilizado no séc. XVI como uma peça sepulcral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo do museu conta com peças litúrgicas utilizadas durante as procissões de Corpus Christi, e são realmente impressionantes, como esta custódia barroca, uma das mais belas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas obras, apesar de anônimas, mantêm o alto nível artístico da peças expostas, como este busto de São Paulo, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Pinturas Murais de época medieval foram descobertas depois da reforma do museu em 2005, como a que representa a Coroação da Virgem da Misericórdia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre o Museu Catedralício com uma foto geral do claustro, transformado em museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Catedral de Jerez de la Frontera

Um dos monumentos mais importantes de Jerez de la Frontera, a Catedral de San Salvador se alça bem próximo ao Alcázar, que vimos na matéria anterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja, até o ano de 1980 uma colegiata, foi elevada ao nível de catedral pelo Papa João Paulo II, quando se constituiu a diocese da cidade. Uma estátua do pontífice comemora o acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente, havia uma construção anterior do séc. XII que foi erguida sobre a mesquita maior de Jerez de la Frontera. Este edifício, devido ao seu péssimo estado de conservação, foi substituído pelo atual, construído a partir do ano de 1695. Da primitiva igreja, existe escassa documentação, e a única parte que dela se conservou é a torre. Atualmente se especula que poderia ter sido o antigo minarete da mesquita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre possui dois níveis diferenciados. O primeiro, que vai até o primeiro vão que vemos acima, foi construído no séc. XV no estilo gótico-mudéjar. O nível superior pertence ao séc. XVIII. A obra da catedral durou mais de 80 anos em ser completada. O projeto inicial se deve ao arquiteto Diego Moreno Meléndez, mas acabou sendo finalizada por Torcuato Cayon de la Vega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi patrocinada pelo Cardeal Arias, mas contou também com o auxílio econômico de papas (Inocêncio XIII e Benedito XIII) e dos monarcas Carlos II, Juan I e Carlos III. A Catedral de Jerez de la Frontera foi consagrada em 1978, exatamente duzentos anos depois de sua inauguração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui três fachadas com uma rica ornamentação barroca, sendo que a principal é a mais decorada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula que remata a estrutura vertical do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior desta bela catedral veremos no próximo post…