O Canal de Castilla – Medina de Rioseco

Além de seus importantes monumentos religiosos, Medina de Rioseco possui uma interessante construção hidráulica de grande relevância não só para a cidade, mas também para toda a comunidade castelhana, o chamado Canal de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta enorme obra de engenharia hidráulica foi realizada entre 1753 e 1849 com um grande esforço humano e técnico, e sua construção foi patrocinada pelo Rei Fernando VI e o Marquês de la Ensenada, que ocupou um cargo de prestígio durante o reinado do mencionado monarca. Surgiu da necessidade de escoar a produção de lã e do excedente de cereais através do Porto de Santander, situado na Comunidade de Cantabria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara sua construção foi utilizada mão de obra de penitenciários e muitos trabalhadores pereceram devido as duras condições de trabalho, além de sofrerem doenças decorrentes da água estancada. Em seus 207 km de comprimento, o canal conta com 49 eclusas, salvando um desnível de 150 metros.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla chegou à cidade de Medina de Rioseco em 1849, correspondendo ao final do trajeto em um de seus três ramais. Seu apogeu ocorreu entre 1860 e 1880, desenvolvendo a agricultura e a indústria, ao facilitar o transporte de matérias primas e produtos manufaturados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO avance tecnológico proporcionado pela construção do canal foi inquestionável, pois um barco transportava uma quantidade de grãos equivalente a 30 carros puxados por bois da época. Ao longo de seu trajeto, podemos observar distintas obras para vencer os obstáculos, como eclusas e aquedutos, assim como edifícios que foram construídos para satisfazer a atividade econômica local, como centrais elétricas, indústrias siderúrgicas e  moinhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma desta fábricas pode ser visitada, pois foi transformada num museu, a antiga Fábrica de farinha San Antonio. As máquinas, apesar de já não funcionarem, se conservam totalmente. A fábrica fechou em 1991.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla perdeu parte de sua função original com a chegada do transporte ferroviário. Em relação à navegação, o canal prestou seus serviços até 1959, recuperando esta finalidade na atualidade, mas somente para fins turísticos. Também se utiliza para regar a agricultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla foi declarado Bem de Interesse Cultural (BIC) em 1991.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com outras imagens do canal, esperando que algum dia possa conhecer outros lugares que fazem parte de seu trajeto…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Museu Provincial de Lugo

O Museu Provincial de Lugo  é um local imprescindível para se conhecer a história da cidade. Como vimos no último post, está situado no local do antigo Convento Franciscano, cujo espaço foi remodelado e ampliado para acolher a coleção do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu Provincial foi criado em 1932 com o objetivo de proteger os bens culturais encontrados na cidade e também na Província de Lugo, que se encontravam dispersos em coleções particulares e outras instituições públicas. Com o incremento e quantidade das peças, o museu foi trazido em 1957 para o convento, que conserva três dependências da antiga instituição religiosa (claustro, refeitório e cozinha). Abaixo, vemos uma foto da fachada principal do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo compreende peças de várias etapas históricas, como a de sua época fundacional, a romana. Um grande mosaico romano foi colocado no centro do espaço expositivo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERABustos romanos também podem ser admirados…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO antigo claustro tornou-se um local perfeito para a exposição de várias peças arqueológicas de interesse.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos uma Estela (século I dC), monumento monolítico encontrado na província com inscrições que cumprem finalidades comemorativas, funerárias, religiosa ou geográfica, representando importantes documentos para arqueólogos e historiadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo século III dC vemos uma Ara, monumento religioso típico da etapa romana, com uma função funerária e de homenagem às divindades do panteão romano, neste caso do deus Manes. Foi encontrado na Muralha de Lugo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVários escudos nobres podem ser vistos no claustro, como este, do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Sepulcros encontraram seu lugar no claustro, como este que vemos a seguir, do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsculturas Sacras formam parte do acervo, algumas de grande interesse, como esta imagem da Virgem das Angústias, do século XIX, feita de granito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das coleções mais interessantes do museu constituem a excelente amostra dos chamados Relógios de Sol. Apesar do clima instável da Galícia, estes objetos sao abundantes na comunidade. O museu conta com 42 peças destas peças típicas do artesanato popular local. O mais antigo data de 1685, mas a maior parte dos relógios pertencem ao século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA coleção inclui ainda pintura religiosa dos séculos XV ao XX, esculturas românicas, góticas, renascentistas e barrocas, além de uma grande quantidade de obras realizadas por artistas galegos. Infelizmente, somente em alguns locais do museu se permitem tirar fotografias. Em 1962, o Museu Provincial de Lugo foi declarado Bem de Interesse Cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui também uma incrível colecção de lucernas de diversas épocas, de 2300 aC ao século XV dC. Estes pequenos utensílios tinham a função de lâmpadas feitas de pedra ou terracota. Utilizadas desde a pré-história, foram os romanos quem a produziram em massa, constituindo objetos comuns encontrados em pesquisas arqueológicas. Fico devendo as fotos…

Muralha de Lugo: Patrimônio da Humanidade

No centro de Lugo, antiga Lucus Augusti, ergue-se imponente a famosa Muralha Romana da cidade, que rodeia a parte histórica num perímetro de mais de 2 km de comprimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALugo é considerada a cidade mais antiga de toda a Galícia, com mais de 2 mil anos de história. Cerca de 300 anos depois de sua fundação, se construiu esta espetacular estrutura defensiva, a única de todo o Império Romano que conserva íntegro seu traçado original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu excelente grau de conservação e sua importância histórica foram reconhecidos com vários títulos como Monumento Nacional em 1921, Bem de Interesse Cultural em 1985 e Patrimônio da Humanidade, desde o ano 2000.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  A Muralha Romana de Lugo foi construída no final do século III e princípio do século IV dC. Possui um formato quadrangular e as esquinas redondeadas. Sua altura varia de 8 a 12 m, e os cubos semicirculares que a compõem têm um diâmetro entre 10 e 13m.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha é classificada dentro de um grupo denominado Estilo Legionário Hispânico, e foi projetada segundo os princípios do grande arquiteto Vitrubio para a arquitetura militar. Originalmente possuía 85 cubos ou torres, dos quais se conservam 72.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO esplendor de Lucus Augusti ocorreu justamente no momento em que a cidade foi fortificada. A construção deste excepcional sistema defensivo foi realizada em função dos conflitos internos existentes na época, mais que pelo temor das invasões bárbaras que já assolavam o Império Romano naquele momento. Seus principais materiais construtivos, a pedra de granito e a ardósia, se encontram nas imediações da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua parte inferior, fossos com mais de 20 metros de largura e 5 de profundidade dificultavam ainda mais a aproximação do inimigo. O acesso à parte superior das torres é possível através das escadas existentes ao longo da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO caminho de ronda da parte superior da muralha, em espanhol denominado Adarve, constitui um tradicional passeio pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se castigava com 30 dias de prisão e uma pesada multa a todos aqueles que se atrevessem a roubar materiais da muralha. No século seguinte, o rei responsabiliza o bispo de Lugo para qualquer reforma ou intervenção realizada em sua estrutura. Na segunda metade do século XVIII, esta responsabilidade passa a ser da prefeitura da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1972, foram derrubados 81 edifícios que se encontravam adossados à muralha em sua parte exterior, dentro do processo de sua restauração geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara compreender sua importância e o processo histórico de sua dilatada existência, convém visitar o Centro de Interpretação da Muralha de Lugo, situado numa das Oficinas de Turismo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o traçado geral da Muralha Romana de Lugo

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, cada torre estava composta por janelas em seus dois ou três níveis. Para sua defesa, eram necessários 4 arqueiros em cada torre, totalizando cerca de 350 arqueiros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte da matéria sobre a grande Muralha Romana de Lugo

O Cemitério de Castro Urdiales

Esta é a primeira vez que escrevo sobre um cemitério, um local que normalmente preferimos ignorar em nossas viagens pelo mundo. No entanto, o Cemitério de Castro Urdiales constitui uma das atrações da cidade, sendo considerado um dos mais belos da Espanha. Por este motivo decidi visitá-lo para comprovar a fama que possui. O passeio que leva ao campo santo discorre pela costa do Mar Cantábrico, oferecendo paisagens  maravilhosas, apesar da chuva fina que me acompanhou em todo o percurso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO chamado Cemitério Municipal de Ballena foi declarado Bem de Interesse Cultural (BIC), uma das principais categorias de preservação do patrimônio histórico-artístico da Espanha. Sua localização em frente ao mar já é um diferencial em relação aos demais cemitérios que conheci em minha vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetado em 1885 pelo arquiteto Alfredo de la Escalera, e reúne um excepcional conjunto de monumentos funerários de extraordinária qualidade artística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes monumentos foram construídos no final do século XIX e primeira metade do XX para a classe burguesa de Castro Urdiales e projetados segundo os critérios estilísticos das correntes arquitetônicas do período, englobando o Ecleticismo, o Modernismo e a Art Decô.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO antigo cemitério localizava-se no centro histórico da cidade, junto à Igreja de Santa Maria, que vimos recentemente no blog. Depois, a prefeitura planejou a construção de um novo, distante do centro urbano. Foi construído mediante apoio popular e seguiu a mentalidade higiênica da época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da visita ao cemitério, regressei pelo mesmo caminho, admirando as vistas de Castro Urdiales e as belas paisagens do entorno…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Castro Urdiales

Como vimos no último post, com a descoberta do continente americano Castro Urdiales prosperou de forma significativa através do incremento da atividade marítima, com notórias consequências sobre a paisagem urbana da cidade. Um passeio pelo centro histórico permite observar alguns resquicios das reformas urbanas realizadas a partir do século XVI, como a Praça do Ayuntamiento, local central da vila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPresidindo a praça situa-se a Casa Consistorial, edifício sede da prefeitura local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício atual é de 1755, e foi projetado pelo arquiteto Antonio de la Vega, menos o remate da torre central, realizada pelo arquiteto nascido na cidade Eladio Laredo, personagem fundamental na revitalização urbana que se deu no final do século XIX e princípio do XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs reformas urbanas realizadas a partir do século XVI proporcionaram a chegada do saneamento básico à cidade, além da construção de fontes públicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACastro Urdiales formava parte, junto com outras cidades da costa da Cantábria, da denominada Quatro Vilas da Marinha de Castilla, fornecendo homens e barcos de guerra para muitas das disputas e conflitos bélicos em que a Espanha participou ao longo dos séculos. No século XIX, Castro Urdiales foi praticamente destruída pelas tropas francesas sob a o comando do General Foix. Parte dos habitantes conseguiram escapar em naves inglesas, mas o número de vítimas foi enorme, como podemos ver neste monumento comemorativo aos caídos durante a conquista francesa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do final do século XIX, Castro Urdiales transformou-se num local ideal para as férias de verão de muitos habitantes do país, graças as belas praias que possui e as paisagens que circundam a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1909, o rei Alfonso XIII concedeu o título de cidade a Castro Urdiales, e muitas das construções que contemplamos hoje em dia estão relacionadas a este período histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInteressantes construções foram realizadas no final do século XIX e princípio do século XX devido a esta nova fase de crescimento econômico, algumas das quais podemos admirar no Paseo Marítimo, como o Edifício Salvarrey.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi projetado em 1901 pelo arquiteto Severino Achúcarro, que encarregou a direção das obras ao seu discípulo Leonardo Rucabado, transformando o edifício num dos mais representativos do início do século XX, realizado com influências modernistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos palácios foram edificados nesta época, segundo a corrente eclética em voga no momento, como o chamado Chalet de San Martín, inspirado na arquitetura inglesa. O edifício foi construído em 1900 pelo arquiteto de Bilbao Gregorio de Ibarreche (1864/1933), e foi catalogado como Bem de Interesse Cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Igreja de Santa Maria de Castro Urdiales

Durante a Idade Média, as atividades marítimas (pesca, caça de baleia, comércio marítimo) deram um grande impulso econômico à Castro Urdiales. Em 1163, o rei Alfonso VIII concedeu à cidade o título de vila através do Foro de Logroño (atual capital da Rioja), a primeira cidade da costa cantábrica em recebê-lo. A partir do século XIII iniciou-se a construção de uma grandiosa igreja, denominada pelos habitantes a Catedral de Castro Urdiales, a Igreja de Santa María de la Asunción.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima construção é considerada por muitos como o edifício gótico mais importante de toda a Cantábria. De fato, a igreja possui todos os elementos que constituem a arquitetura do gótico clássico, como os arbotantes, que transferem o peso dos muros da igreja para o exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs inúmeras e curiosas gárgulas existentes, com animais fantásticos, cabeças humanas, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria situa-se junto ao Castelo, em frente ao Mar Cantábrico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal segue o estilo normando, e caracteriza-se por seu aspecto  de fortaleza, pois a igreja integrava o sistema defensivo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por uma nave central de grande altura (quase 30m), algo típico das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns dos vitrais que embelezam o interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, foram construídas várias capelas para os comerciantes que ficaram ricos através do comércio marítimo, depois da descoberta do continente americano, e também com França, Inglaterra e Flandes. Em uma delas, vemos uma escultura de Cristo, realizada pela escola de Gregório Fernández, o mais famoso escultor barroco da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Altar Maior, o destaque é a imagem gótica (século XIII) da Virgem de Santa Maria “La Blanca”

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua importância histórica, a Igreja de Santa Maria recebeu a distinção de Bem de Interesse Cultural (BIC).

Instituto do Patrimônio Cultural da Espanha

Recentemente fiz uma visita guiada num dos edifícios mais interessantes da Cidade Universitária, o Instituto do Patrimônio Cultural da Espanha (IPCE).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO IPCE pertence ao Ministério da Educação, Cultura e Deporte e se dedica à investigação, conservação, restauração e documentação do patrimônio espanhol. Para que possa realizar estas funções, conta com profissionais das mais variadas áreas, como arqueólogos, arquitetos, restauradores, físicos, geólogos, químicos, bibliotecários, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício do instituto se insere dentro da corrente arquitetônica denominada Brutalismo, cujo auge se deu entre as décadas de 50 e 70 do século XX. Seus princípios se inspiraram nos trabalhos do influente arquiteto suíço Le Corbusier (1887/1965) e do finlanês Eero Saarinen (1910/1961). De fato, o edifício impressiona por sua singular composição circular, rematado por pináculos que lhe concederam o apelido de “Coroa de Espinhos“.

20161212_115527No Brutalismo, as estruturas geométricas se repetem, a base de concreto, embora o emprego deste material não seja  exclusivo. Sua idéia principal é expressar os materiais utilizados em sua forma bruta. Se durante décadas o Brutalismo esteve marginalizado, atualmente volta a estar de moda.

20161212_120107O edifício suscitou, desde que foi construído por Fernando Higueras e Antonio Miró Valverde, grande interesse nos arquitetos de muitos países. Em 1975, um pouco antes de ser finalizado, foi catalogado como um dos 24 edifícios de maior relevância de Madrid no Congresso Internacional de Arquitetos. Atualmente, o edifício está protegido por ter recebido a distinção de Bem de Interesse Cultural e seu projeto recebeu o Prêmio Nacional de Arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção constituiu um dos processos mais longos e complicados da segunda metade do século XX em toda a Espanha. O projeto inicial foi realizado por Fernando Higueras em 1961, e contou com a colaboração do jovem Rafael Moneo. Por uma série de fatores, a construção tardou 30 anos, estando abandonado durante 16 anos. Além do mais, suas funções foram modificadas em 13 ocasiões.

20161212_114842O interior do edifício destaca-se por sua amplitude e luminosidade natural, propiciada por uma grande estrutura de vidro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs vigas pré-fabricadas foram criadas por uma grande variedade de elementos geométricos, como hexágonos, quadrados e octógonos, cuja estrutura se refletem na decoração de seus pavimentos.

20161212_115424OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs jardins interiores colaboram para a atmosfera de suavidade e tranquilidade que se experimenta dentro do edifício.

20161212_114908Para os interessados no patrimônio histórico, artístico e cultural da Espanha, o IPCE é o local ideal para seu aprofundamento, pois conta com uma excepcional biblioteca de planta circular composta por mais de 40 mil livros sobre o tema.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do edifício, vemos uma pequena panorâmica da Cidade Universitária de Madrid, cuja matéria finalizo com este post…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA