Monastério de Uclés – Parte 2

Como comentei no último post, o Monastério de Uclés teve uma grande importância histórica na Espanha por ter sido a sede da Ordem de Santiago, uma das principais ordens militares e religiosas do país. A Ordem de Santiago foi fundada no século XII (ano de 1170) no antigo Reino de León, precisamente na cidade de Cáceres, atual Comunidade de Extremadura. Inicialmente, seu objetivo primordial era proteger os peregrinos que realizavam o caminho a Santiago de Compostela, onde se encontra o sepulcro do Apóstolo Santiago, santo padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o tempo, a Ordem de Santiago acabou participando do processo de expulsão dos muçulmanos da Península Ibérica, tendo um papel relevante nas guerras de reconquista. No Monastério de Uclés vivía o grande mestre da ordem, bem como muitos dos cavalheiros que pertenciam à instituição. O emblema da ordem era a Cruz de Santiago, que podemos observar em distintos locais do monastério, como no pátio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu na sacristía….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se de uma cruz vermelha que simula uma espada com forma de flor de lis na empunhadura. Os cavalheiros da ordem  levavam a cruz estampada num estandarte e em sua capa branca. A espada representa o espírito guerreiro do Apóstolo Santiago e sua forma de martírio, pois foi decapitado com uma espada. Simboliza também “tomar a espada” em nome de Cristo. Abaixo, vemos a cruz numa das capelas da igreja do Monastério de Uclés, na qual podemos ver exposições sobre a história da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem de Santiago enriqueceu graças ao grande território que se estendia sobre seus domínios, principalmente pela região que atualmente conhecemos como Castilla La Mancha. Chegou a possuir mais propriedades que as ordens de Alcántara e Calatrava juntas, outras ordens importantes do país. Sua rápida propagação se deve a que suas regras eram menos rígidas que as demais, sendo a única em que os cavalheiros membros tinham o direito de casar. Além de suas amplas propriedades na Espanha, a Ordem de Santiago possuía terras em Portugal, França, Itália, Hungria e também na Palestina. Abaixo, vemos a sacristía do Monastério de Uclés, transformada numa capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1493, os Reis Católicos incorporaram as ordens militares-religiosas à Coroa da Espanha. Atualmente, constituem uma organização nobiliária religiosa e honorífica. Na sequência, vemos um quadro do Apóstolo Santiago retratado como peregrino…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a bela escada de acesso ao nível superior do pátio construído como se fosse um claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE um quadro da Imaculada Conceição que decora uma das paredes do interior do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto a ser salientado neste monastério é a grande quantidade de estilos artísticos que apresenta em sua construção, como vimos na matéria anterior. Sua fachada principal pertence ao século XVIII, e foi realizada por Pedro de Ribera, um dos maiores arquitetos barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi concebida como se fosse um autêntico retábulo feito de pedra, caracterizado por uma rica decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1836, com o processo desamortizador dos bens eclesiásticos, a Ordem de Santiago teve que abandonar o monastério. No começo do século XX, o Monastério de Uclés transformou-se num colégio de educação secundária e depois num colégio de noviciados pertencente aos padres agostinhos. Em 1936, durante a Guerra Civil Espanhola, foi saqueado, convertendo-se num hospital. Com o término do conflito, acolheu uma penitenciária para presos políticos até 1943, em cujo período faleceram centenas de presos republicanos pelas más condiçoes a que eram submetidos, além da prática da tortura. Finalmente, com o fechamento da prisão, foi transformado num seminário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Último Passeio por Cáceres

Fora do recinto amuralhado de Cáceres, declarado Patrimônio da Humanidade, existem outros edifícios históricos de importância, todos eles situados próximos à Plaza Mayor. Nesta última matéria sobre esta bela cidade da Extremadura, veremos alguns deles. Bem perto do hotel onde me hospedei situa-se a Igreja de San Juan, cercada de restaurantes e bares que oferecem excelente comida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja é um exemplo da arquitetura gótica, e foi levantada no século XIII, com sucessivas reformas nos séculos XIV, XV e XVII, sendo finalmente concluída somente no século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX foi restaurada, recuperando o estilo original. A Plaza de San Juan, onde se localiza a igreja, antigamente se denominava Plaza de San Juan de los Ovejeros, pois nela se assentavam os pastores e mercadores de gado para uma feira que comercializava animais. Abaixo, vemos o órgão da igreja e uma comovedora imagem da Virgem Maria

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERABem em frente à porta principal, colocou-se uma estátua que representa um membro de uma confraria, simbolizando a importância da Semana Santa em Cáceres, quando muitas delas saem pelas ruas em procissão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio dos Ovandro-Saavedra é outra das inúmeras residências nobres existentes em Cáceres (lado direito da foto abaixo). Sua simples fachada esconde um belo saguão, decorado com azulejos nas paredes e com pinturas no teto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago impressiona por seu tamanho. Alguns estudiosos afirmam que foi construída no século XII, mas os restos mais antigos que se conservam pertencem ao século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI, a igreja foi reformada por Rodrigo Gil de Hontañón, considerado um dos arquitetos renascentistas mais importantes do país. Sua obra simboliza a coexistência da etapa final do estilo gótico com o renascimento, contribuindo na Espanha para a superação do medievalismo. Abaixo, vemos a portada gótica do templo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma lástima que quando estive visitando a igreja, ela encontrava-se fechada, e não pude admirar seu rico interior. No final do dia caminhava invariavelmente pelo Paseo de Cánovas, um parque público inaugurado no final do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX, o parque ficou cercado por ambos lados pela Avenida España, uma das principais artérias viárias da parte nova da cidade. O nome do parque é uma homenagem a Antonio Cánovas del Castillo (1828/1897), um personagem fundamental da política espanhola na segunda metade do século XIX, assassinado por um anarquista dois anos depois da inauguração do parque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês tenham gostado desta série de posts sobre Cáceres, uma cidade rica em história e com um conjunto monumental reconhecido pela Unesco, e uma das mais importantes da Comunidade de Extremadura.

A Judería de Cáceres

Um dos lugares mais interessantes do Centro Histórico de Cáceres é o antigo bairro judeu, a Judería. Conhecido como Bairro de San Antonio, esta parte da cidade passa, muitas vezes, inadvertida por boa parte dos turistas que a visitam, em parte por estar situado na zona mais acidentada do ponto de vista topográfico de toda a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira sensação quando entramos no bairro é o contraste existente entre os edifícios de pedra do Centro Histórico com as casas populares de cor branca da Judería, decoradas com flores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido a falta de fontes escritas, se desconhece exatamente quando a comunidade judaica se assentou em Cáceres. Se sabe, no entanto, que já no período árabe os hebreus haviam se instalado na cidade, ocupando postos relevantes na sociedade da época. Dedicavam-se a todo o tipo de atividades comerciais e artesanais, principalmente compra e venda de terras, tecidos e metais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO bairro conserva boa parte da estrutura urbana do período em que os judeus o habitavam e integra a denominada Rede das Juderías da Espanha, formada por cidades que preservaram o antigo bairro judeu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté 1470, a Sinagoga da Judería Velha, como se conhece o bairro, esteve no mesmo local onde atualmente se ergue a Ermita de San Antonio. A partir deste momento, passou a ser propriedade de Alfonso Golfín, integrante de uma das famílias nobres mais importantes da aristocracia local, que decidiu derrubá-la para a construção da ermita, dedicada a Santo Antônio de Pádua, cuja titularidade posteriormente deu o nome ao bairro. Sua arquitetura e cor se integram perfeitamente a tipologia construtiva do bairro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABoa parte das ruas que compoem a Judería de Cáceres estao situadas junto à muralha da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1478, se ordena que a comunidade judaica deveria viver num outro bairro, situado fora das muralhas, numa zona que atualmente coincide com as ruas próximas à Plaza Mayor. Passou a ser conhecida como Judería Nova, que também teve sua Sinagoga, construída onde hoje em dia se encontra o Palácio de la Isla, edificado no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo ao bairro judeu, encontramos outras construções que fazem parte do Patrimônio Histórico de Cáceres, como o Convento de Santa Clara, um edifício barroco construído no começo do século XVII. A simplicidade de sua fachada constitui a principal característica do convento, com a imagem de São Francisco na fachada principal. Ainda permanece ocupado por uma comunidade de freiras clarissas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu de Cáceres

Para se conhecer as etapas históricas de Cáceres, bem como poder contemplar inúmeras peças artísticas, recomendo visitar o Museu da cidade, situado na Plaza de San Mateo. O museu encontra-se sediado no Palácio de los Veleta, um dos inúmeros palácios existentes no Centro Histórico da cidade, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo local onde atualmente se ergue o edifício, no século XIII se levantava o antigo Alcázar Árabe. Na segunda metade do século XV, o Rei Enrique IV concedeu a Diego Gómez de Torres a possibilidade de construir sobre a fortaleza um novo palácio, com a condição que não tivesse elementos defensivos. No entanto, o edifício que vemos atualmente se deve a Lorenzo de Ulloa y Torres. Na fachada, vemos os escudos de ambas as linhagens, dos Ulloa e da família Torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes atrações do museu é que se conserva o antigo Aljibe Árabe, um local utilizado como depósito de água. Excavado em parte na rocha, o espaço ocupado pelo Aljibe está formado por 5 naves separadas por arcos de ferradura. Suas colunas conservam elementos de épocas romana, que foram reutilizados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu de Cáceres foi inaugurado em 1933, cuja origem se deve a sua importante coleção de peças arqueológicas, formada a partir do final do século XIX e que abrangem desde o Paleolítico até a Idade Média. Do período ibérico estão expostos vários Verracos, como se conhecem as esculturas zoomórficas feitas de granito, que representam touros, porcos ou javalis e utilizados como marcadores de territórios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras peças de grande interesse histórico constituem as Estelas, monumentos funerários onde guerreiros são representados de maneira heróica. O Museu de Cáceres possui uma das maiores coleções deste tipo de obras da Idade de Bronze. Os guerreiros aparecem junto às suas armas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém relacionado à cultura ibérica, o denominado Tesouro de Aliseda foi descoberto em 1920, estando considerado uma importante façanha da Arqueologia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da seção de arqueologia, o Museu de Cáceres está composto pelo acervo de Etnografía e Belas Artes, esta com várias peças de interesse, tanto na pintura quanto na escultura. Abaixo, vemos um Cristo Crucificado de marfim, feito por um artista anônimo das Filipinas, no século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro foi esculpido em madeira, no século XV, por um artista espanhol anônimo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a representação da Santíssima Trindade, uma escultura feita de alabastro do século XVI (anônimo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação à Pintura, vários quadros despertaram meu interesse, entre os quais um de El Greco (1541/1614), com a representação de Jesus Salvador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um belíssimo tríptico flamenco da Paixão de Cristo, anônimo do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALuca Giordano (1632/1705), um pintor italiano que realizou diversas obras em solo espanhol, realizou este quadro de Santo André

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPintura Contemporânea Espanhola também faz parte do acervo pictórico do museu. Um exemplo é o pintor Darío Villalba (1939/2018), que realizou esta obra intitulada “Noche 81” em 1981.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra obra interessante, o quadro feito de acrílico intitulado “Agressión” em 1976 foi realizado pelo artista valenciano Juan Genovés, nascido em 1930.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza de San Mateo – Cáceres

Prosseguindo com as matérias sobre a belíssima cidade de Cáceres, o post de hoje está dedicado a outros de seus espaços icônicos, a Plaza de San Mateo. Nela podemos visitar uma das igrejas mais importantes da cidade, um palácio e o Museu de Cáceres. A praça está presidida pela Igreja de San Mateo, cuja construção finalizou-se em 1602 sobre uma antiga mesquita islâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da estrutura ter sido concluída no início do século XVII, sua torre campanário é do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do templo possui apenas uma nave, e seu retábulo maior constitui uma verdadeira obra prima. Foi realizado com madeira de pino sem policromar pelo artista Vicente Barbadillo no estilo rococó, em 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo ocorre com outras igrejas da cidade, na Igreja de San Mateo também apreciamos túmulos pertencentes às famílias nobres de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um dos belos vitrais da igreja, com a representação do Batismo de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo também acolhe um interessante conjunto de pinturas religiosas, como a que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1982, esta igreja foi declarada Monumento Histórico-Artístico. Ao seu lado situa-se outra das residências nobres de Cáceres, o chamado Palácio de las Cigueñas (cegonha, em português), assim denominado por esta espécie de ave que costuma construir seus ninhos no alto de sua esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste imponente palácio foi construído no final do século XV no estilo gótico pelo capitão Diego de Cáceres Ovando, com a permissão dos Reis Católicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio possui um pátio interior, como normalmente ocorre nas residências nobres antigas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, realizam-se exposições temporárias no interior do palácio. Tive a oportunidade de visitar uma delas, sobre a história militar do país e admirar alguns detalhes decorativos do seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Palácio de las Cigueñas vemos o Convento de San Pablo, fundado em 1492. Sua fachada destaca-se pela austeridade, mas apresenta uma bonita espadaña, como se conhece na arquitetura uma estrutura levantada com a função de campanário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o convento acolhe uma comunidade de freiras de clausura pertencente a Ordem de Santa Clara. No próximo post, veremos o Museu de Cáceres, também situado na Plaza de San Mateo

Igreja de San Francisco Javier – Cáceres

Bem próximo à Plaza de Santa María situa-se outra praça emblemática de Cáceres, a Plaza de San Jorge, dedicada ao santo padroeiro da cidade, representado numa escultura no centro da mesma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta bela praça está presidida pela Igreja de San Francisco Javier, um santo espanhol pertencente à Ordem dos Jesuítas, e conhecido como o Apóstolo das Índias, por sua atividade missioneira no continente asiático.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja barroca do século XVIII fazia parte de um antigo colégio jesuíta, situado ao lado da igreja, e que atualmente é utilizado pelo governo da Comunidade de Extremadura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada da igreja está composta por duas torres quadradas e uma escultura de San Francisco Javier (1506/1552), junto com o escudo de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja segue o modelo dos templos jesuítas, com uma nave e capelas laterais que se comunicam entre si. O destaque fica por conta do Retábulo Maior, pintado na cor dourada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro do retábulo vemos uma pintura realizada pelo artista italiano Paolo de Matteis que retrata o conhecido milagre do caranguejo, um dos mais representados na iconografia de San Francisco Javier. Em uma de suas travessias pelo mar, o santo tentou acalmar uma tempestade submergindo seu crucifixo na água, fato que ocasionou sua perda. Quando chegaram à costa e triste pela perda do crucifixo, um caranguejo saiu do mar e se parou aos pés do santo, elevando o crucifixo entre suas pinças…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo estive na cidade um pouco antes do Natal, pude admirar vários presépios pela cidade. No interior da Igreja de San Francisco Javier organizaram uma exposição com beléns (presépio, em espanhol) de diversas partes do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central da igreja foi montado um maravilhoso presépio feito com peças de Playmobil, que me impressionou pelo tamanho e riqueza de detalhes relacionados a várias civilizações da antiguidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA O acesso às torres estava permitido, e aproveitei para subir à parte mais elevada da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na praça vemos um belo espaço, o Jardim de Doña Cristina de Ulloa, inaugurado em 1963 em homenagem a esposa do então prefeito da cidade, falecida num acidente de carro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Palácios de Cáceres – Parte 2

Neste segundo post sobre os Palácios de Cáceres, veremos outros exemplos de propriedades aristocráticas preservadas no Centro Histórico da cidade. O Palácio dos Condes de Adanero segue as pautas renascentistas existentes em muitos outros Palácios de Cáceres. Foi construído em 1596 e sua bela fachada apresenta os característicos almohadillados de influência italiana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Casa del Sol constitui um palacete gótico do século XV e reformado no século seguinte. Apresenta o escudo da família Solís, que decora a fachada, e que deu o nome à construção, além de um forte caráter militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEdificada no século XV, a Casa de los Moraga foi muito reformada e suas dependências estão dispostas em torno a um pátio central. Atualmente é um centro de artesanato local, com venda de produtos fabricados na região. Na fachada, vemos os escudo do proprietário, Benito Moraga, e sua esposa, Marina de Carvajal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto antiga que mostra os artesãos locais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio de los Moctezuma é um símbolo da mestiçagem das culturas européia e americana. Construído nos séculos XIV e XV, foi reedificado no XVI pelo descendente da filha do imperador asteca Montezuma, Don Juan de Toledo y Moctezuma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns palácios conservaram apenas uma parte de sua estrutura, como a Torre de Espaderos, construída entre os séculos XIV e XV, e que fazia parte de um palácio desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa de los Espadero-Pizarro possui uma lenda curiosa e, ao mesmo tempo, trágica. Conhecida como a Casa del Mono (casa do macaco), a tradição diz que seu proprietário, um rico burguês, não tinha filhos. Depois de retornar de uma viagem, trouxe consigo um macaco, que chegou a ter dormitório próprio, brinquedos, etc. Em uma das longas ausências do proprietário, um belo cavalheiro pediu abrigo para passar a noite, e a esposa ofereceu sua casa para acolher o desconhecido. Quando o marido regressou, sua mulher o recebeu com a grata notícia de que estava grávida. Quando nasceu o bebê, o macaco, ciumento, em um descuido da família, jogou o bebê pela janela, causando sua morte. Histórias à parte, o palácio pertence ao final do século XV, e apresenta elementos ornamentais de estilo gótico, como as três gárgulas que observamos na fachada (representam uma mulher enferma, um idoso e um jovem). Outro detalhe é o escudo pertencente ao proprietário, sustentado por dois felinos. Atualmente o palácio é uma biblioteca…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parador Nacional de Turismo de Cáceres encontra-se sediado em dois palácios antigos. Esta rede hoteleira caracteriza-se por aproveitar edifícios históricos e sempre recomendo conhecê-los, pelo bom gosto e conforto de suas dependências. Inclui o Palácio dos Paredes-Saavedra, que combina diversos estilos, como o gótico, renascentista e o mudéjar, sendo construído entre os séculos XV e XVI. A família dos Paredes chegou a Cáceres no século XIII e chegou a possuir três propriedades na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra construção que pertence ao Parador Nacional de Cáceres é o Palácio dos Marqueses de Torreorgaz, do século XIV e reformado nos séculos seguintes. Destaca por sua esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com o Palácio dos Ovando-Espadero, que também possui uma bela torre, além dos escudos nobiliários na fachada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA