Igreja de San Miguel – Ayllón

Em relação ao seu patrimônio religioso, Ayllón conta com duas igrejas românicas, as Igreja de San Juan (que veremos no próximo post) e a de San Miguel. Esta última preside a Plaza Mayor da cidade, junto ao Edifício do Ayuntamiento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde que foi construída no século XII, a Igreja de San Miguel foi a principal da vila. No século XVI, se colocou um grande pórtico com um balcão em sua fachada principal para que os clérigos pudessem presenciar as festividades e atos públicos que se realizavam na praça, como podemos ver na imagem acima. Esta igreja destaca-se por sua riqueza escultórica, presente nos capitéis que rematam as colunas do exterior do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo capitel acima, vemos motivos geométricos entrelaçados e um curioso detalhe em forma de um tabuleiro de xadrez, inspirado nas construções românicas das igrejas da Comunidade de Aragón. Também foram esculpidos motivos do denominado Bestiário Românico, composto por animais fantásticos de grande valor simbólico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o típico ábside semicircular da igreja, algo característico das construções românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior do ábside existem pequenas esculturas chamadas  Canecillos, onde também foram talhadas pequenas e curiosas figuras, como um homem trabalhando…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA porta de acesso ao templo ficou um pouco escondida depois da construção do pórtico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1902, a Igreja de San Miguel foi fechada para o culto. A partir de então, passou a sediar uma grande variedade de atividades culturais, como exposições, concertos, etc. Nos meses de verão, em seu interior funciona a Oficina de Turismo de Ayllón. Quando estive na cidade, havia uma interessante feira de artesanato local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o retábulo maior da igreja, junto com objetos produzidos na cidade, de estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO principal tesouro que alberga a igreja é o sepulcro plateresco de Don Pedro Gutiérrez e César e sua segunda esposa, Dona Juana Enríquez, Marqueses de Villena. Originalmente o sepulcro se encontrava na Igreja de San Juan, numa capela gótica construída por ordem dos marqueses para acolher sua sepultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com mais uma foto da Igreja de San Miguel

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Anúncios

Claustro Românico do Monastério de Silos

Estamos diante de uma obra prima do Românico Espanhol. O Claustro do Monastério de Silos é considerado um dos conjuntos mais belos de toda a Arte Românica, tanto por sua esbelta arquitetura, quanto pelo notável conjunto escultórico que possui.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComposto por dois níveis de galerias, o Claustro de Silos é um quadrilátero irregular, pois seus distintos lados possuem comprimentos diferentes. No centro, um belo jardim com um cipreste, louvado por poetas e escritores ao longo de sua história. O jardim do claustro é uma representação do paraíso, e sua forma quadrada está associada à Jerusalém Celestial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção iniciou-se durante a época de Santo Domingo e o Abade Fortunio, no final do séc. XI e princípio do XII. Felizmente, escapou da destruição da igreja românica no séc. XVIII, principalmente por falta de orçamento…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentro da estrutura do conjunto monacal, o claustro ocupa um lugar destacado, como espaço de recolhimento, reflexão íntima, leitura e reuniões coletivas,  esta última realizada na Sala Capitular, uma das dependências que o compõem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo total, as galerias do Claustro do Monastério de Silos estão formadas por 60 arcos semicirculares, também denominados de meio ponto, típicos da arquitetura românica, sustentados por colunas duplas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs 64 capitéis existentes, duplos em sua maioria, foram talhados com uma técnica refinada, de uma beleza insuperável, constituindo um dos melhores conjuntos da escultura românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA temática, rica e variada, abarca desde motivos florais e geométricos até cenas historiadas e animais fantásticos. Em relação a este último tema, podemos admirar a representação de um dos animais mais representados no Românico, que integram o chamado Bestiário Medieval, a sereia (sirena, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém denominadas de Harpia, estes seres estão formados por uma cabeça de mulher e um corpo de ave. Como todos os demais fantásticos que aparecem no românico, possuem uma conotação simbólica, representando a música enganadora e corrupta, em contraposição a harmonia purificadora das musas. Portanto, possuem um caráter negativo, estando relacionado à imoralidade. Neste outro capitel abaixo, vemos uma variante da sereia, com uma serpente que sai de sua boca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre as cenas historiadas que vemos representadas nos capitéis, podemos ver uma dedicada à Santa Ceia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs autores desta obra incomparável são anônimos, mas  atualmente se conhecem como o Primeiro e o Segundo Mestres de Silos. No próximo post, veremos o conjunto de cenas que realizaram, e que deram fama ao claustro do monastério. Ao lado do sepulcro de Santo Domingo, que vimos no post anterior, vemos um relevo policromado onde o santo foi representado como o libertador de cristãos nas masmorras muçulmanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1384, um incêndio assolou o monastério, afetando a cobertura original do claustro. Poucos anos depois, um grupo de muçulmanos residentes na Vila de Santo Domingo de Silos (os conhecidos mudéjares) levantaram uma nova cobertura feita de madeira, denominada Alfarje. Realizado com grande riqueza cromática e baseado nos vitrais góticos e nos livros iluminados, combinam a tradição islâmica e a católica. Suas 700 cenas refletem os costumes da sociedade de finais do séc. XIV, sendo considerado uma das melhores amostras de Artesanato Mudéjar de toda a comunidade castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça de San Lorenzo – Segóvia

Segóvia é uma cidade repleta de surpresas. Mesmo depois de visitá-la inúmeras vezes, ainda me surpreende com lugares que nao havia conhecido antes. Recentemente, estive no Bairro de San Lorenzo, um dos mais pitorescos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituado fora da muralha que rodeia o centro histórico de Segóvia, este bairro conserva de modo magistral sua atmosfera medieval e a praça dedicada a San Lorenzo é o centro de sua vida comunitária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATradicionalmente, seus habitantes dedicavam-se ao trabalho agrícola nas hortas e moinhos existentes nas margens de um dos dois rios que cortam a cidade, o Eresma. As casas que circundam a praça refletem em sua arquitetura tradicional, este modo de vida. Feitas de tijolos e com vigas de madeira, sua conservaçao é uma memória viva desta cidade à sua dilatada história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas casas tradicionais possuem dois andares, como podemos observar nas fotos, e muitas delas conservam sua porta composta por um arco de meio ponto. Na casa abaixo, vemos refletida em sua janela a torre da Igreja de San Lorenzo Mártir, que domina o centro da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima igreja românica possui uma cronologia indeterminada. No entanto, seus elementos estruturais a situam entre o séculos XII e XIII, ainda que alguns estudiosos afirmam que poderia ser mais antiga, talvez do séculos X ou mesmo do IX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua torre é um exemplo do denominado Românico Mudéjar. Destacam também em sua estrutura o triplo ábside e a galeria, típica do Românico Segoviano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA galeria está formada por colunas duplas, e nelas podemos apreciar a rica iconografia presente nos relevos de seus capitéis, com cenas históricas notáveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns dos numerosos elementos decorativos da Igreja de San Lorenzo sao tao arcaicos que dificultam a leitura de suas cenas. Outros, porém, estao muito bem preservados, como o que representa o Martírio de San Lorenzo. Este santo aragonês, que viveu entre 225 e 258 dC, foi queimado vivo numa fogeira, mais precisamente num assador e sua representaçao é uma das mais comuns associadas à iconografia deste santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cena impressionante é a que representa o Sacifício de Isaac, patriarca bíblico e único filho de Abraao com Sara, e pai de Esaú e Jacó. Isaac, no momento de seu sacrifício, foi substituído por um carneiro, e o episódio se refere à obediência de seu pai à Deus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos com uma das portas de acesso ao templo, que estava fechado para visitaçao…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts veremos outro local maravilhoso de Segóvia, o Monastério de San Antonio, nao percam…

Catedral de Ciudad Rodrigo – Parte 3

O claustro da Catedral de Ciudad Rodrigo me impressionou tanto que decidi dedicar-lhe um post especial. Este espaço, normalmente quadrado, é considerado o mais importante de um templo religioso depois da igreja, seja catedralício ou monacal (ou conventual).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe estilo gótico, o claustro da catedral foi levantado entre os séc. XIV e XVI. Ao seu redor foram construídos arcos de formato ojival, típicos da arquitetura gótica, por todo seu perímetro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASao lugares utilizados pela comunidade religiosa para a oraçao e o recolhimento. Também cumprem a funçao como local de sepultamento para os membros da comunidade.

DSC09796Normalmente se acede ao claustro por uma das portas que se encontram nas naves laterais da igreja. Nos monastérios mais importantes, servem de elo de comunicaçao às dependências constituintes do mesmo, como dormitório, refeitório, sala capitular, biblioteca, etc.

DSC09813A escultura, tanto no período românico, quanto no gótico, encontrou no claustro um lugar perfeito para manifestar sua rica simbologia, principalmente nos capitéis das colunas que sustentam os arcos.

DSC09806DSC09811O conjunto de capitéis está formado por cenas curiosíssimas. Vemos desde animais fantásticos, representaçoes religiosas, relacionamento humano, figuras amedrontadoras, etc.

DSC09812DSC09815As cenas mais erosionadas pertencem à época primitiva da construçao do claustro. As melhores conservadas foram esculpidas posteriormente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANao havia visto nunca representaçoes como estas, simbolizando o contato entre seres humanos, num claustro …

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de terem sido esculpidas séculos depois da construçao do claustro, e nao serem consideradas como parte integrante da mentalidade medieval, nao deixam de ser curiosas e de alta sensibilidade artística, em minha opiniao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Palácio da Salina – Salamanca

O Palácio da Salina, também conhecido como Palácio de Fonseca, é uma das mostras mais espetaculares da arquitetura civil renascentista que podemos encontrar em Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste palácio, de clara influência italiana, foi edificado em 1546 pelo arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón, cuja importância no Renascimento Espanhol vimos no post anterior. A fachada do edifício está composta por 4 belos arcos e por janelas que se transformaram em verdadeiros balcoes ao exterior. Também na fachada vemos os escudos da família dos Fonseca, ao ser a casa propriedade da sobrinha do famoso arçobispo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASe o exterior do palácio impressiona por sua bela construçao, o interior é ainda mais espetacular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por um amplo pátio com forma de um polígono irregular, resultado da readptaçao ao estilo plateresco de uma anterior casa gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO destaque do interior é a galeria de madeira do andar superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA suntuosa decoraçao está composta por atlantes em posturas retorcidas, um verdadeiro estudo da anatomia humana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADo lado oposto, situa-se uma galeria formada por arcos semicirculares, onde atualmente podemos ver exposiçoes temporais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs capitéis que compoem as colunas da galeria representam figuras grotescas, animais fantásticos, compondo um curioso mosaico decorativo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante uma época, o espaço ocupado pelo edifício funcionou como uma salineira, isto é, um depósito de sal, daí a explicaçao para o nome do palácio. Desde 1884, o Palácio da Salina é a sede da Deputaçao Provincial de Salamanca.

Mesquita de Bab Al-Mardum – Toledo

Das 10 mesquitas que haviam em Toledo no período islâmico, a Mesquita de Bab Al-Mardum é a mais importante conservada atualmente. Na época de sua construçao, era um pequeno oratório orientado à Meca, para uso daqueles que chegavam ou saiam da cidade. Trata-se de um dos monumentos mais complexos de toda Espanha, possuindo evidências que vao desde o assentamento romano até o período da reconquista de Toledo (séc. XI). Representa, também, uma das construçoes mais importantes da época de esplendor do Califato de Córdoba existente no país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mesquita foi construída em 999 dC, como comprova a inscriçao em caracteres cúficos no relevo de tijolos de uma de suas fachadas, considerada única no Islao Ocidental, por ter sido elaborada com fragmentos de tijolos ordinários. Nela aparece o nome do arquiteto construtor, Musa Ibn Ali.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte exterior está composta por 3 vaos de acesso e um corpo superior formado por arcos entrecruzados cegos. A fachada noroeste, que dá para o pátio ajardinado, está formada por Arcos de Ferradura e de Meio Ponto. O nível mais alto, por Arcos Polilobulados que marcam outros Arcos de Ferradura de estilo califal, estando decorados com tonalidades bicolores de tijolos, inspirados na Mesquita de Córdoba.

DSC09151O exterior, decorado com arquerias sobre muros de alvenaria e tijolos, contrasta com o interior, revestido de gesso. Possui planta quadrada com 8 metros quadrados, distribuídos mediante 4 colunas situadas em 3 naves paralelas e cruzadas por outras 3 naves transversais. Cada espaço está coberto por bôvedas diferentes entre si.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC09144Os capitéis, de origem visigoda, foram reaproveitados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a reconquista de Toledo, a mesquita foi adaptada ao culto cristao, quando o rei Alfonso VI cede o monumento aos Cavalheiros da Ordem de San Juan, que estabelecem uma ermita sob a titularidade de Santa Cruz. Passa, entao, a ser conhecida pelo nome Ermita del Cristo de la Luz, graças a um Cristo crucificado que foi colocado e substituído posteriormente por uma imagem da Virgem da Luz. Em 1187, se constrói um ábside complementer, que se tornaria famoso por ser considerado a mais antiga amostra de arquitetura mudéjar conhecida.

DSC09148Esta reforma serviu de base e inspiraçao para todas as outras construçoes do Mudéjar Toledano, o estilo arquitetônico por excelência da cidade. Do séc. XII sao as pinturas murais encontradas no interior, estando catalogadas como exemplos de Pinturas Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa imagem acima, vemos representado um dos motivos iconográficos mais importantes do Cristianismo, o chamado “Maiestas Domini”, ou Cristo em Majestade com atitude triunfante e rodeado pelos tetramorfos, a representaçao zoomórfica dos 4 evangelistas. Pena que nao se conservam todas as imagens. Podemos contemplar somente a águia, símbolo de Sao Joao, e o leao, símbolo de Sao Marcos. Além do mais, estao conservadas algumas pinturas de santos (as) numa de suas paredes.

DSC09143Escavaçoes arqueológicas realizadas encontraram vestígios  de épocas anteriores à construçao, bem como uma calçada romana de 5 me de largura, em excelente estado de conservaçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra imagem deste monumento impressionante.

DSC09150Com a desintegraçao do Califato de Córdoba, Toledo tornou-se um Reino de Taifa (taifa de Toledo), que ocupava a quase totalidade da atual superfície da Comunidade de Castilla-La Mancha. Eram como cidades autônomas, e sem poder centralizador, facilitaram sobremanera a tarefa dos Renos Cristaos, que reconquistaram Toledo em 1085, com a tomada  do rei Alfonso VI. Realizaremos ainda muitos posts sobre Toledo, porque existem vários lugares de interesse por conhecer…

Românico em Brihuega

Em Brihuega se conservam ainda hoje excelentes exemplares de Igrejas Românicas, entre as quais destacamos a de San Miguel, San Felipe e de Santa Maria. Todas elas foram construídas no séc. XIII, durante o período em que a vila se tornou possessao do Arcebispo de Toledo D. Rodrigo Ximénez de Rada. O conjunto arquitetônico românico de Brihuega é um produto do contexto histórico resultante do processo de reconquista e a posterior colonizaçao do território. Quando os cristaos conseguiram dominar a bacia do Rio Duero, as terras da Província de Guadalajara continuaram, entretanto, a sofrer períodos de inestabilidade, consequência de sua posiçao limítrofe com os Reinos Árabes. Com a pacificaçao da regiao, ocorreu um aumento demográfico que se traduz na construçao de inúmeras igrejas dentro do estilo próprio daquela época, o Românico. Todas as igrejas de Brihuega se classificam no período final do estilo, também chamado Românico Tardio, e sua fábrica está inspirada nos modelos da arquitetura cistercense. Este período é conhecido também como Românico de Transiçao, pois já se observam elementos que anunciam o Estilo Gótico. O primeiro templo que vamos conhecer é a Igreja de San Miguel.

DSC08225Nesta construçao aparecem elementos oriundos do Mudéjar Toledano, como podemos apreciar no ábside poligonal, feito de tijolo (ladrillo, em espanhol), e nos  contrafortes.

DSC08224A Igreja de San Miguel sofreu um incêndio entre os séc. XVI e XVII, e perdeu praticamente todas as obras de arte que possuía. Abaixo, vemos a fachada principal e a portada.

DSC08226Depois de finalizada a Guerra Civil Espanhola, a igreja ficou praticamente abandonada e, finalmente, seu teto e as naves derrubaram-se. Em 1979, foi restaurada pela Associaçao Amigos de Brihuega, e atualmente é utilizada para eventos culturais. Abaixo, vemos uma imagem da parte lateral da igreja, com uma porta mais simples que a da fachada.

DSC08228A Igreja de San Felipe é justamente considerada uma das mais belas de Brihuega.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua lindíssima fachada apresenta um conjunto de 3 rosetones admiráveis, e uma bela portada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACuriosamente, a torre de planta octogonal nao está unida ao templo, pois foi edificada aproveitando-se uma das torres da muralha da cidade, e posteriormente levantou-se o nível superior para os sinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na fachada, podemos apreciar curiosos e enigmáticos capitéis figurados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da Igreja de San Felipe está composto por 3 naves, algo habitual no Românico, separadas entre si por 5 arcos sustentados por colunas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o ábside semicircular, cuja aparente simplicidade construtiva revela sua própria beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1904, uma vela produziu um incêndio que se propagou pelo teto de madeira. O criterioso processo de restauraçao realizado devolveu, felizmente, o aspecto original que a igreja tinha quando foi construída. A seguir, vemos uma Pia Batismal, que no Românico foi decorada com maravilhosos relevos, com inúmeros exemplos por todo o território espanhol. A que vemos, no entanto, apresenta uma decoraçao mais austera e simples.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria veremos num post à parte, quando conheceremos o encantador local onde se localiza, o Prado de Santa Maria. Até lá…