Carrión De Los Condes – Segunda Parte

Continuando a visita por Carrión de los Condes, o centro da cidade está presidido pela Praça Maior, na qual podemos ver os principais edifícios civis e religiosos da cidade. De um lado, está a Casa Consistorial, construída em 1868 e que substituiu a anterior, incendiada durante a Guerra da Independência em 1811.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado, localiza-se uma das obras primas do Românico Espanhol, a Igreja de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe finais do séc. XII, sua fachada principal é reconhecida como uma das mais belas do estilo, com uma decoração escultórica realmente maravilhosa. Realizada em 1160, é uma das poucas partes originais de todo o conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em sua parte superior, vemos a figura do pantocrátor (Cristo em majestade), encerrado numa mandorla mística e cercado pelos tetramorfos (representação animal referente aos 4 evangelistas: Leão/São Marcos, Águia/São João, Anjo/São Mateus e Toro/São Lucas).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A ambos lados do pantocrátor, estão representados um apostolário completo, com 6 estátuas de cada lado (as do lado sul estão praticamente sem cabeças).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A arquivolta central está composta por 24 figuras que representam um verdadeiro mostruário de ofícios medievais, além de mostrar com fidelidade e detalhe a indumentária que cada um utilizava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os capitéis que decoram as colunas representam a luta entre o bem e o mal, como neste de abaixo, em que cabeças demoníacas tentam arrebatar a alma dos personagens que estão ao seu lado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo conjunto, a portada é uma manifestação da visão apocalíptica de San Juan, evocando a Cristo como juiz dos mortos e com o livro da vida, rodeado pelos evangelistas e os apóstolos, que guardam as 12 portas da Jerusalém Celestial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Durante a Guerra da Independência, o templo foi quase praticamente destruído e, em 1849, a igreja teve que ser reconstruída. A torre é do séc. XVIII, de estilo neomudéjar. Desde 1993, o interior acolhe o Museu de Arte Sacra da cidade.

Construída para permitir a passagem do rio Carrión para peregrinos e mercadores, a denominada Ponte Maior foi erguida a finais do séc. XI, porém seu aspecto atual se deve a reformas feitas no final do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANela, obtêm-se uma bela vista do rio e da Igreja de N.Sra de Belém, construção gótica de finais do séc. XV, e que guarda a imagem da Virgem de Belém, padroeira da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ao lado da ponte, um agradável parque convida à contemplação e ao passeio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nossa visita no Monastério de Santa Clara. Este edifício conventual foi levantado em 1260, e pertence à Ordem das Clarissas, sendo um dos mais antigos de toda a Espanha referente a dita congregação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua história, o monastério caracterizou-se pela ininterrupçao de sua vida religiosa. A fachada da igreja é renascentista, construída entre 1614/1621.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, o retábulo maior é barroco (1620), presidido por uma imagem gótica da Virgem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANele vemos também o sepulcro de alabastro da Condesa de Castañeda, que em vida realizou várias doações ao monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Santa Clara nasceu em Assis em 1194 e foi uma fiel seguidora de São Francisco, com o qual fundou a Segunda Ordem Franciscana, também denominada das Irmãs Clarissas. Foi a primeira mulher em redigir uma regra conventual e ser aprovada por um papa. Faleceu em 1253, na mesma cidade onde veio ao mundo.

Carrión de los Condes, além de sua riqueza histórica e a importância  das construçoes que possui, foi também o berço de vários personagens de renome da história espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Carrión De Los Condes – Palencia

Situada em pleno Caminho de Santiago, a cidade de Carrión de los Condes pertence à Província de Palencia, Comunidade de Castilla-León. Tradicionalmente se afirma que seu nome faz referência aos condes Gómez Dias, que no séc. XI realizaram importantes construções na cidade, como o Monastério de San Zoilo, uma ponte sobre o rio Carrión e um hospital para peregrinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Durante a idade média, foi uma das cidades mais importantes dos reinos cristãos, e nela se celebraram cortes e sínodos. Seu rico patrimônio monumental engloba igrejas românicas e conventos de grande importância religiosa.

A mais antiga das igrejas é a de Santa Maria do Caminho, de estilo românico e edificada no séc. XII, e foi dedicada à Virgem das Vitórias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADiante de sua construção, se observam as ruínas da antiga muralha medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASuas dimensões permitem o acesso de um grande número de peregrinos e seu elemento mais notável é a Portada Sul, formada por 5 arquivoltas, sendo que a segunda de cima para baixo está profusamente decorada com personagens diversos, a primeira deste estilo realizada em Castilla-León. A igreja foi declarada Monumento Histórico-Artístico em 1931.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente dedicado a São João Batista quando foi levantado no séc. X, o Monastério de San Zoilo mudou sua advocaçao no séc. XI, com a chegada das relíquias do santo, procedentes de Córdoba, e também na mesma época reformado. Tornou-se famoso pela permissão concedida aos peregrinos de consumir pão e vinho, alimentos abundantes na cidade e que a ela se refere o Códix Calistinus, guia medieval para aqueles que realizavam a rota de Santiago. Abaixo, vemos a fachada do monastério, de estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1219, a princesa Beatriz de Suábia se casa com o rei Fernando III “El Santo” no monastério. Dos primeiros edifícios monásticos não se conserva praticamente nada, devido ao péssimo estado em que se encontravam nos séc. XIII e XIV. Por isso, foi reconstruído em 1392. Até o séc. XIV, dependeu da francesa Ordem de Cluny, mas a partir de 1531 se incorporou à congregação de Valladolid, momento em que iniciou-se outro período de esplendor do convento, que determinou a construção de seu famoso claustro e outras dependências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sua parte mais valiosa, o claustro, foi projetado por Juan Badajoz em 1537 e finalizado apenas em 1604. De estilo plateresco, são abundantes as estátuas referentes a personagens religiosos e também civis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Posteriomente, o monastério passou à Companhia de Jesus e em 1854 converteu-se em colégio. Em 1960, já parte da diocese de Palencia, transformou-se em seminário e finalmente, em 1992, foi reabilitado como hotel, função que exerce atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Por sua monumentalidade, a Igreja de San Andrés é conhecida como a “Catedral de Carrión de los Condes”, e é a atual paróquia da cidade. Foi construída segundo o projeto de Rodrigo Gil de Hontañón e concluída em 1574. A torre, sua estrutura mais chamativa no exterior, foi reconstruída depois de ter sido afetada pela Guerra da Independência, no séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, continuaremos a visita por Carrión de los Condes…