Um Passeio por La Alberca

Devido ao fato de ser um pueblo, um povoado pequeno, é muito fácil conhecer La Alberca, preferencialmente caminhando. Todos os caminhos levam à Plaza Mayor, considerada o centro do povoado, lugar de encontro de seus habitantes e das principais festividades do calendário anual da localidade, que inclui corridas de touros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANela se encontra o Edifício do Ayuntamiento, como se conhece a prefeitura, identificada pelo escudo do município em sua fachada principal. Em épocas passadas, o edifício também acolheu a prisão do povoado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos extremos da praça situa-se um belíssimo cruzeiro, um dos mais interessantes de toda a Província de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAProvavelmente construído no século XVIII, seu pedestal está formado por uma fonte de água. A cruz, feita de pedra, está decorada com os símbolos da Paixão de Cristo (cravo, martelo, escada, lança, corda, etc). Cristo crucificado está representado no alto da coluna, ainda vivo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs casas que rodeiam a praça foram construídas ao longo de uma galeria sustentadas por colunas de granito. Um exemplo é a residência pertencente à Casa de Alba, cujos membros foram os senhores da vila durante séculos. A construção modesta difere das outras propriedades desta família nobre espalhadas por outras cidades da Espanha, mesmo porque raramente vinham ao povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local de grande importância em La Alberca é a Plaza de la Iglesia, presidida pela igreja paroquial, que impressiona por seu tamanho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi edificada no século XVIII no estilo barroco, estando desprovida de qualquer elemento decorativo. A estrutura da igreja foi afetada pelo Terremoto de Lisboa, sucedido em 1755.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a torre da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por 3 naves. Um de seus maiores destaques é o maravilhoso Púlpito, provavelmente do século XVI, feito de pedra e belamente decorado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, uma foto geral do interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro lugar de interesse no interior da igreja é a Capela de N.Sra das Dores, presidida por uma imagem de Nossa Senhora que foi trazida do continente americano pelo fundador da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

La Alberca – Província de Salamanca

Viajar pelo interior da Espanha é uma experiência inesquecível, pois possibilita conhecer lugares encantadores, como os pequenos povoados, aqui denominados Pueblos, abundantes por todo o país. Alguns destes povoados, apesar de seu reduzido tamanho, possuem uma valioso patrimônio histórico-artístico. Outros se caracterizam por suas peculiaridades e por serem lugares realmente pitorescos, como o povoado de La Alberca, situado numa região serrana ao sul da Província de Salamanca, uma das províncias que formam a Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada numa região de grande beleza natural, a denominada Sierra de Francia, neste povoado não veremos castelos, palácios ou belas igrejas, pois La Alberca é conhecida principalmente por sua interessantíssima arquitetura popular tradicional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom pouco mais de mil habitantes, La Alberca foi o primeiro povoado da Espanha em receber o título de Monumento Nacional, em 1940. A partir deste momento, o povoado, antes conhecido apenas por curiosos viajantes, alcançou grande popularidade e prestígio, sendo frequentado por milhares de turistas que a visitam anualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA beleza e a singularidade deste pueblo foi divulgada por personalidades do mundo artístico como o cineasta Luis Buñuel (1900/1983) e por intelectuais famosos, como o escritor e filósofo espanhol Miguel de Unamuno (1864/1936), cujo retrato aparece decorando uma das casas do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive o privilégio de conhecer La Alberca num passeio de fim de semana organizado pelos professores de história Rafael (conhecido como “Rafa”) e Fernando, cujas aulas sobre a história de Madrid pude presenciar durante dois anos em cursos que realizei na capital espanhola. Rafa foi nosso guia na excursão, brindando as cerca de 40 pessoas que faziam parte do passeio com seus amplos e profundos conhecimentos sobre história, arte e arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado de La Alberca localiza-se numa das zonas mais úmidas do país, e seu nome procede do artigo árabe “Al” com o termo de origem hebraico “Bereka”, significando “lugar das águas”. Foi habitada desde tempos remotos por tribos pré-romanas, os celtíberos, como demonstram os restos de um antigo castro, como são conhecidos os assentamentos deste povo, sobre o qual se construiu o povoado de La Alberca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os séculos XII e XIII, o local foi repovoado por ordens do Rei Alfonso IX de León, principalmente por franceses, justificando desta forma a presença de inúmeras palavras na região de origem francesa ou relacionadas ao país vizinho (Sierra de Francia, por exemplo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, o monarca Juan II concedeu o povoado à Casa de Alba, transformando-se num senhorio. Esta condição permaneceu até 1834, quando  finalmente os senhorios foram abolidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Alberca foi edificada sem nenhum tipo de planificação urbana, e suas ruas, praças e casas se adaptaram às condições geográficas do local, uma montanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos consideram La Alberca como o Pueblo mais belo da Espanha, e razões não faltam para tanto. De fato, aparece sempre nas listas dos povoados mais bonitos do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo post, faremos um passeio pelo pueblo, e vocês terão a oportunidade de conhecê-lo com mais profundidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Loeches – Comunidade de Madrid

Depois de publicar as matérias sobre os principais monastérios de Madrid, considerei oportuno este post sobre a cidade de Loeches, onde a influência destes históricos conventos é notória. Situada na parte leste da Comunidade de Madrid, Loeches encontra-se a apenas 40 km da capital. Sua existência está documentada desde o séc. XII, e seu nome é de origem vasco, devido a repovoaçao realizada com pastores do País Vasco depois da reconquista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALoeches recebeu o título de cidade em 1555, outorgado pelo rei Carlos I. A vila pertenceu ao senhorio da família Cárdenas, que fundou o Convento das Carmelitas em 1596. Ao falecer os membros da família, o senhorio foi adquirido pelo Conde Duque de Olivares, válido (primeiro ministro) do rei Felipe IV, em 1633. Até o nome da escola pública da cidade recebeu seu nome…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Conde Duque de Olivares foi o responsável pela construçao do monumento mais importante de Loeches, o Monastério de la Inmaculada Concepción.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlonso Carbonel foi o arquiteto encarregado de realizar a obra, finalizada em 1640. O edifício barroco foi totalmente inspirado no Monastério de la Encarnación de Madrid, que vimos recentemente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté mesmo o material principal utilizado, o granito, visível na fachada, é o mesmo do convento da capital. O Monastério de la Inmaculada Concepción é conhecido como Monastério Grande, para diferenciar de outros existentes na cidade, e está habitado por freiras da Ordem Dominicana. O Conde Duque de Olivares, personagem fundamental da política espanhola do séc. XVII, nele está enterrado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém do mais, em 1909, Jacobo Fitz-James Stuart y Falcó, membro da famosa Casa de Alba, fundou um panteao agregado a uma capela do monastério. A partir de entao, todos os membros da família foram sepultados no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO panteao foi realizado por Juan Bautista Lázaro, que se inspirou no panteao real do Monastério de El Escorial. Os sepulcros foram feitos com mármore negro, exceçao feita ao que acolhe os restos de Francisca de Sales y Portocarrero, irma da Imperatriz da França Eugenia de Montijo, esposa de Napoleao III, feito com mármore branco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta tradiçao dos membros da Casa de Alba de serem sepultados na capela foi quebrada, com o recente falecimento de Cayetana, a última Duquesa de Alba, cujo desejo expresso de ser enterrada em Sevilha foi devidamente atendido. Abaixo, vemos uma foto da igreja do monastério e de sua cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento de importância da cidade de Loeches é a Igreja de N.Sra de la Asunción, um templo renascentista levantado a partir de 1560. Sua torre de 30m de altura é um de seus destaques.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Palácio de Líria e Casa das 7 Chaminés

No post de hoje, conheceremos um dos palácios mais representativos da nobreza na capital espanhola, bem como uma de suas construçoes mais singulares. Situado na Calle Princesa, o Palácio de Líria é a residência madrilenha da Duquesa de Alba, recentemente falecida. Trata-se de um dos escassos exemplos de palácio, cujo proprietário (a) permanece o mesmo desde o séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA origem da Casa de Alba se remonta ao ano de 1429, quando o rei Juan II de Castilla concede o título de Senhor de Alba de Tormes ao Arçobispo de Sevilha e Toledo Gutierre Álvarez de Toledo. O projeto do palácio foi realizado pelo arquiteto Ventura Rodríguez e finalizado em 1779, inspirado no Palácio Real de Madrid. O arquiteto foi encarregado da construçao pelo Duque de Berwick (um dos títulos da Casa de Alba).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de sua origem escocesa, o Duque de Berwick nasceu e foi criado na França. Tinha um grande talento militar, tornando-se chefe supremo do exército franco-espanhol que defendia o direito de Felipe V ao trono de Espanha, durante a denominada Guerra da Sucessao Espanhola. Com a vitória de Felipe V, o monarca lhe concede o título de Ducado de Líria, entre outros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABombardeado na Guerra Civil, o Palácio de Líria ficou arrasado, ficando em pé somente a fachada. Por sorte, boa parte da coleçao de quadros da família foi removida a tempo. No entanto, se perdeu uma grande quantidade de peças artísticas e livros de sua impressionante biblioteca. O palácio foi reconstruído após a guerra e concluído em 1956.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio de Liria é visitável, mas a lista de espera é enorme….

A outra construçao que veremos é uma das mais antigas de Madrid. Sua história está repleta de intrigas, personagens famosos e inclusive apariçao de fantasmas. Porém, faremos apenas um breve resumo da chamada Casa das 7 Chaminés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA explicaçao de seu nome está clara, vendo a foto acima, pois o palácio possui sete chaminés, que podem ser vistas desde o exterior. Seu documento mais antigo conservado data de 1567. Habitado por inúmeros personagens da nobreza e do corpo diplomático de Madrid, foi a residência do Marquês de Esquilache, homem de confiança e ministro do rei Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1776, um decreto de Esquilache proibiu o uso do sombrero e da capa larga, ambas peças tradicionais do povo madrilenho (a medida visava impedir que os cidadaos levassem armas e ocultá-las debaixo das capas). O povo, passando fome, se revoltou, e uma multidao formada por cerca de mil pessoas invadiu a Casa das 7 Chaminés, destruindo seu interior, mas nao encontraram o marquês, que afinal foi destituído de seu cargo pelo rei Carlos III, que o enviou ao estrangeiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1984, é a sede do Ministério da Cultura e declarado Monumento Histórico Artístico em 1948. Cabe ressaltar a beleza da praça onde se localiza, denominado Plaza del Rey, que vemos abaixo. À direita da foto, vemos o Palácio de Fontagud, situado quase em frente da Casa das 7 Chaminés, e que vimos há pouco tempo no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Palácio de Buenavista – Madrid

Um dos mais antigos e importantes de Madrid, o Palácio de Buenavista ergue-se soberano na Calle de Alcalá. Ao longo de sua longa história, foi habitado tanto pelos monarcas, quanto pela nobreza. Já estava construído na época de Felipe II (séc. XVI), sendo utilizado pelo rei durante o período de reformas do antigo Alcázar.

DSC09415 O Palácio de Buenavista está situado num terreno elevado, com amplas vistas à Praça de Cibeles e ao Paseo del Prado, daí seu nome. Abaixo, vemos uma foto panorâmica da praça, com os jardins do palácio no lado direito da imagem. À esquerda, o Banco de España e o início do Paseo del Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma foto da famosa Fonte de Cibeles, também com os jardins do palácio de fundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de ter sido a residência temporária de Felipe III (filho de Felipe II), no séc. XVII o palácio  pasou a ser propriedade da nobreza.

DSC09423No séc. XVIII, novamente a corte adquire o imóvel, quando a esposa de Felipe V, Isabel de Farnésio, compra o palácio em 1759 e o transforma num verdadeiro museu, com uma grande coleçao de obras de arte adquirida em sua vida. Abaixo, vemos um quadro realizado em 1836 por José María Avrial y Flores, intitulado “Vistas de Cibeles e o Palácio de Buenavista”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o falecimento de Isabel de Farnésio, o edifício passa a ser propriedade da Casa de Alba, que derruba o palácio e constrói um novo, no estilo neoclássico. A partir de 1816, torna-se sede do Real Museu de Artilharia e depois, do Ministério da Guerra. O palácio é  entao ampliado para exercer suas novas funçoes militares.

DSC09425Na fachada do palácio vemos as estátuas de dois heróis do país, Rodrigo Díaz de Vivar, mais conhecido como El Cid Campeador (1043/1099) e Gonzalo Fernández de Cordoba, um militar a serviço dos Reis Católicos que obteve várias vitórias militares na Itália, passando à história com o título de El Gran Capitán (1453/1515).

DSC09418DSC09419Abaixo, uma foto de princípios do séc. XX do Palácio de Buenavista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o palácio é a sede do Quartel Geral do Exército, e os jardins podem ser visitados, quando é utilizado como local de exposiçoes.

DSC09432

Salamanca Renascentista

Salamanca é uma cidade renascentista por excelência. Junto com as localidades de Úbeda e Baeza, situadas na Andaluzia, a cidade castelhana possui um riquíssimo patrimônio histórico vinculado a esta corrente artística. No final do séc. XV e todo o séc. XVI, Salamanca viveu seu período de máximo esplendor, que se refletiu na construçao de  vários de seus monumentos mais conhecidos. O papel da Universidade neste processo foi fundamental, tanto no aspecto cultural, na qual se formaram os altos funcionários, tanto do clero, quanto do estado, quanto na difusao do Renascimento. A chegada a mediados do séc. XV de mestres italianos que ensinaram as novas teorias filosóficas baseadas no Humanismo e na cultura proveniente da Itália facilitaram a propagaçao do estilo. No entanto, a estética renascentista tardou em chegar no país. Isso ocorreu, em parte, graças ao gosto, principalmente do clero, das anteriores formas góticas. Um dos lugares onde podemos apreciar a combinaçao da arquitetura gótica com os novos elementos renascentistas é na famosa Casa das Conchas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta emblemática construçao de Salamanca foi edificada entre 1493 e 1517, sendo considerada um palácio representativo da nobreza do séc. XVI. Monumento Nacional desde 1929, sua construçao foi encarregada por Rodrigo Maldonado de Talavera, cavalheiro da Ordem de Santiago e catedrático em direiro na Universidade de Salamanca, da qual também foi reitor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras prosseguiram com seu filho, casado com Juana de Pimentel. A concha representava o símbolo de sua família, enquanto a flor de lis adornava o escudo dos Maldonado. Ambos podem ser vistos na fachada da casa, decorada com mais de 300 conchas e brasoes de ambas famílias. Além do mais, vemos excepcionais janelas realizadas no estilo gótico. Outra explicaçao para a presença das conchas é o fato dos Maldonados pertencerem à Ordem de Santiago, sendo que um dos símbolos principais associados ao Apóstolo Santiago é precisamente a concha. A figura do leao decora algumas estâncias do palácio, principalmente no belíssimo claustro interior, representando o poder e a influência de seus proprietários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas lendas enriquecem ainda mais esta bela construçao. Uma delas diz que debaixo de uma das conchas existe uma moeda de ouro. Nada raro, já que era costume colocar moedas nos cimentos das construçoes para atrair boa sorte. Outra lenda diz que a família escondeu suas jóias debaixo de uma concha, deixando documentada a quantidade exata escondida, mas nao a concha onde se encontrava o tesouro. Quem quisesse encontrá-lo, deveria pagar uma quantidade de dinheiro como fiança. Caso encontrasse, ficava com o tesouro e recuperaria a quantia investida. Caso contrário, perderia tudo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Casa das Conchas é uma biblioteca e pode ser visitada. Outro monumento emblemático, construído no estilo renascentista, é a denominada Casa das Mortes, levantada em 1500 e projetada pelo arquiteto Juan de Álava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa das Mortes é um representante do Estilo Plateresco, assim chamado pela semelhança de seus elementos com o minucioso trabalho executado no ofício da platería, ou seja, os artesoes que trabalhavam com a prata. A característica ornamentaçao da casa, composta por caveiras e figuras grotescas, e o assassinato de 4 habitantes na casa no séc. XIX propiciaram  esta sinistra  denominaçao ao edifício. Na fachada destaca a figura esculpida do Arçobispo Fonseca, um dos mais relevantes na história da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos personagens mais importantes do Renascimento Espanhol foi o arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón (1500/1577), que deixou um grande legado construtivo por Salamanca. A partir de 1538, participou na construçao da Catedral Nova, além de palácios que serviram de exemplo arquitetônico. Este é o caso do conhecido Palácio de Monterrey, um dos máximos expoentes do Estilo Plateresco e da Arte Renascentista no país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Monumento Nacional desde 1929, sua construçao foi ordenada pelo III Conde de Monterrey a partir de 1539. Atualmente, pertence à Casa de Alba, e seu valioso patrimônio artístico pode ser visto, mediante uma larga lista de espera…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA importância histórica e artística do edifício fez com que fosse muito imitado, principalmente no final do séc. XIX, com o advento do neoplateresco, tendência arquitetônica que se insere dentro da Arquitetura Historicista, que visava recuperar nas construçoes os antigos estilos nacionais encontrados no país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém atribuído a Rodrigo Gil de Hontañón é o Palácio Figueroa, atualmente o Cassino de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm amável funcionário me permitiu entrar no edifício e admirar sua bela escada renascentista, além do salao principal, utilizado hoje em dia para festas e comemoraçoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA