Castelos Senhoriais da Espanha – Parte 3

Neste último post sobre os Castelos Senhoriais da Espanha veremos outros exemplos de palácios construídos como fortalezas para os nobres, que ainda hoje impressionam por sua esbelta silueta na paisagem espanhola. O Castelo de Almansa é um dos mais importantes da Província de Albacete (Comunidade de Castilla La Mancha), situado no alto de uma colina que domina a cidade, conhecida como “Cerro del Águila“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente foi uma fortaleza muçulmana e nos séculos posteriores passou a pertencer a nobreza. Seua aspecto atual se deve às reformas realizadas pelo II Marquês de Villena, Don Juan Pacheco, no século XV. Este castelo foi cenário de um conflito histórico, a Batalha de Almansa, que possibilitou o ascenso de Felipe de Anjou como Rei da Espanha, durante a Guerra da Sucessão Espanhola, no início do século XVIII. Proclamado Rei com o nome de Felipe V, foi o primeiro monarca da dinastia bourbônica a ocupar o trono da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém localizado na Província de Albacete, e edificado sobre uma fortaleza árabe anterior, o Castelo de Chinchilla de Monte Aragón foi outra das fortalezas que pertenceram ao II Marquês de Villena, Don Juan Pacheco, que da mesma forma que o anterior, foi igualmente restaurado por ele no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO castelo está formado por um fosso de grandes proporções, como vemos abaixo. Como elemento decorativo destaca o escudo do proprietário, algo habitual nas Fortalezas e Castelos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO bom aspecto que conserva atualmente se deve a que foi utilizado como prisão durante muito tempo. Um dos prisioneiros mais famosos foi César Borjia, filho de Rodrigo Borjia, eleito Papa em 1492 com o nome de Alexandre VI. O filho foi acusado de cometer um assassinato contra seu irmão, o I Duque de Gandía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos Castelos da Espanha estão localizados em lindos povoados que conservam sua arquitetura medieval, caso de Pedraza, localizado na Província de Segóvia (Comunidade de Castilla y León). Foi construído sobre os restos de fortalezas anteriores, sobretudo romana e muçulmana. No século XV passou a pertencer à família dos Herrera, época que data sua Torre de Homenaje. No século XVI, tornou-se propriedade de Fernández de Velasco, Duque de Frías e Condestable de Castilla, cuja reforma lhe proporcionou o aspecto que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1926, o pintor Ignacio de Zuloaga (1870/1945), um dos principais pintores espanhóis do final do século XIX e início do XX, adquiriu o castelo e o restaurou, instalando em seu interior um atelier. Parte de sua obra pode ser vista no interior do castelo, e ainda hoje permanece pertencendo aos herdeiros do pintor, que o utilizam como residência e museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XVI como um suntuoso palácio fortificado para o Conde de Albuquerque, o Castelo de Cuéllar é um dos grandes atrativos deste povoado castelhano, situado também na Província de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeus hóspedes mais ilustres foram o Rei Juan I de Castilla e sua esposa Leonor, que faleceu no castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1938, durante a Guerra Civil Espanhola, funcionou como penitenciária para presos políticos. Depois, passou a ser usado como um sanatório para tuberculosos. Atualmente,  seu interior alberga um instituto de educação secundária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro povoado maravilhoso de Castilla y León que conserva seu imponente castelo é Peñaranda del Duero, situado na Província de Burgos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XI com a finalidade de deter o avanço muçulmano, foi reconstruído no século XV pelo I Duque de Miranda. De forma alargada, o castelo adapta-se perfeitamente ao grande rochedo sobre o qual se assenta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma grande muralha serve de elemento protetor, e a Torre de Homenaje eleva-se no centro da fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos Senhoriais da Espanha – Parte 2

Nesta segunda parte sobre os Castelos Senhoriais da Espanha , veremos outros exemplos de fortalezas construídas pela nobreza como residência particular e espalhados por todo o território do país. Na Comunidade de Castilla La Mancha se conservam muitos destes castelos nobres. O Castelo de Orgaz, município pertencente à Província de Toledo, foi construído por Alvar Pérez de Guzmán, Senhor de Orgaz, no século XIV. Sua planta retangular está presidida por sua Torre de Homenaje, com 20m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Cuenca localiza-se o Castelo de Belmonte, pertencente a esta bela cidade castelhana. Foi construído na segunda metade do século XV como um palácio fortificado por ordem do I Marquês de Villena, Don Juan Pacheco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de sua construção ter sido afetada em disputas como a Guerra Civil Espanhola, quando foi utilizado como quartel da guarda civil e como prisão, o Castelo de Belmonte encontra-se bem conservado. Seu interior é muito bonito, pois foi restaurado por um de seus personagens mais ilustres e descendente do marquesado de Villena, D. Eugenia de Montijo (1826/1920), que chegou a ser Imperatriz da França depois do matrimônio com Napoleão III. Abaixo, vemos o seu quarto…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos tetos das várias dependências que compõem o castelo foram decorados com estupendos artesanatos mudéjares, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o pátio interior do castelo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Belmonte foi o cenário para várias produções cinematográficas, como o filme “El Cid” (1961), protagonizado por Charlton Heston e Sofía Loren. Na Comunidade de Castilla y León, Província de Ávila, vemos o Castelo de Valdecorneja, localizado no povoado de El Barco de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste castelo, edificado no século XII e reconstruído no XV, foi a propriedade dos Senhores de Valdecorneja, que também possuíam os títulos de Condes e Duques de Alba de Tormes. Sua planta quadrada com 4 torres circulares nas esquinas e Torre de Homenaje também quadrada, se repete em outros palácios fortificados da Espanha. No século XIX tornou-se o cemitério do município, e atualmente pertence à Casa de Alba, que realiza eventos culturais em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Soria, o Castelo de Berlanga del Duero destaca-se no alto de uma colina próxima à cidade. Foi construído no século XV sobre uma anterior fortaleza muçulmana do século XII pela família dos Tovar, proprietários do Senhorio de Berlanga. Inicialmente residência nobre, no século XVI foi transformado numa fortaleza defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Berlanga del Duero sofreu graves prejuízos ao longo do tempo, como durante a Guerra da Independência no início do século XIX, quando foi incendiado. Atualmente encontra-se restaurado, conservando uma muralha do século XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Madrid, vemos dois outros castelos nobres. O chamado Castelo da Alameda situa-se atualmente na cidade de Madrid, no Distrito de Barajas, uma região que outrora constituiu um município autônomo que acabou sendo incorporado à capital espanhola. De pequeno tamanho, encontra-se num estado de semi-ruína. Foi construído no século XV por Diego Hurtado de Mendoza, I Duque del Infantado, para simbolizar seus domínios sobre a zona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste castelo sofreu muitos danos ao longo dos séculos. Em 1697 foi incendiado e no século XIX seus restos foram espoliados. Durante a Guerra Civil Espanhola do século XX também se viu prejudicado, com a instalação de um ninho de metralhadoras que integrava o sistema defensivo dos republicanos, ao lado da fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo belíssimo povoado de Chinchón, cenário de vários filmes, encontramos o Castelo de Chinchón, considerado um dos últimos Castelos Senhoriais da Espanha. Originalmente  construído no final do século XV, acabou sendo devastado em 1521 e substituído pelo atual, levantado no final do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcebido como residência privada dos Senhores de Chinchón, no século XX chegou a ser utilizado como fábrica de licores. Se conserva apenas sua estrutura inferior, pois a parte superior foi destruída pelos séculos de guerras e incêndios que ocorreram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos Senhoriais da Espanha

A grande maioria dos Castelos conservados em Espanha pertenciam aos nobres, que em séculos passados construíram suas residências fortificadas como símbolo de seu poder. Muitos deles foram construídos no século XV, e neste post veremos alguns deles. Na Comunidade de Madrid destaca o Castelo de Manzanares El Real, cuja construção foi ordenada pelo I Duque do Infantado, Diego Hurtado de Mendoza, no final do século XV. O projeto foi realizado pelo importante arquiteto Juan Guas, e atualmente o castelo encontra-se excelentemente conservado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa cidade de San Martín de Valdeiglesias está localizado o Castelo de Coracera, construído no século XV. Também encontra-se num ótimo estado de conservação graças às obras de restauração realizadas. Esta fortaleza foi construída como um pavilhão de caça para Don Álvaro de Luna (1390/1453), um nobre castelhano que chegou a ser Condestable de Castilla, Mestre da Ordem de Santiago e válido (cargo similar ao atual primeiro ministro) do Rei Juan II de Castilla. Inicialmente propriedade senhorial, posteriormente passou a ser uma possessão real, algo relativamente comum que sucedeu com muitos outros castelos originalmente pertencentes à nobreza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Pátio de Armas do Castelo de Coracera

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Castilla y León podemos visitar vários castelos senhoriais. A cidade de Arenas de San Pedro, que encontra-se na Província de Ávila, conserva um belo castelo situado em pleno centro urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído no estilo gótico pelo Condestable de Castilla Ruy López Dávalos para confirmar os domínios que tinha sobre este território, e forma parte do escudo da cidade. Depois passou a ser propriedade do II Conde de Benavente, Rodrigo Alonso Pimentel. Com o casamento de sua filha Juana Pimentel com Álvaro de Luna, o castelo foi entregue como dote matrimonial. Com a morte de Álvaro de Luna, executado na Praça Maior de Valladolid em 1453, a fortaleza ficou conhecida como “Castelo da Triste Condessa“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Arenas de San Pedro possui uma planta quadrada composta por 4 grandes torres circulares nas esquinas e uma Torre de Homenaje com 26 m de altura. Abaixo, vemos fotos do interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Província de Burgos, a cidade de Medina de Pomar conserva o imponente Castelo dos Condestables de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção no século XIV foi ordenada por Pedro Fernández de Velasco, camareiro maior do Rei Enrique II e posteriormente nomeado Condestable de Castilla, título que outorgava uma grande importância, pois representava a maior autoridade na ausência do rei, além de chefe do exército.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi utilizado tanto como estrutura defensiva quanto como palácio fortificado, estando composto por duas grandes torres quadradas unidas por um corpo central. Atualmente é a sede do Museu Histórico das Merindades, uma belíssima região da Província de Burgos, do qual Medina de Pomar faz parte como seu município mais populoso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos as obras de adaptação do castelo como sede do museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos e Fortalezas Árabes da Espanha – Parte 2

Além das Alcazabas que vimos no post anterior, várias outras fortificações espanholas que vemos hoje em dia tiveram sua origem no período árabe ou islâmico. Veremos algumas delas, como o impressionante Castelo de Frías, situado na Província de Burgos, Comunidade de Castilla y León. Sua origem se remonta ao século X, e no século XV foi cedido à família dos Fernández de Velasco, Duque de Frías.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizado na Província de Guadalajara (Comunidade de Castilla La Mancha), o Castelo de Molina de Aragón originou-se como um Alcázar muçulmano (palavra árabe que significa fortaleza), a residência dos governadores da Taifa de Guadalajara. Conquistado pelo Rei Alfonso I de Aragón em 1129, foi a partir deste momento reconstruído, dando-lhe o aspecto que vemos atualmente. Este belo castelo é considerado o maior de toda a Província de Guadalajara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Extremadura, Província de Cáceres, destaca o Castelo de Trujillo, construído entre os séculos IX e XII. Nele observamos detalhes arquitetônicos característicos  das construções islâmicas, como o Arco de Ferradura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma vista panorâmica da fortaleza de Trujillo e uma imagem de sua muralha defensiva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Aragón, gostaria de mencionar duas fortalezas relevantes do período islâmico. Na cidade de Calatayud, Província de Zaragoza, situa-se o Castelo de Ayyub, de origem muçulmano e construída no século IX. O nome da fortaleza é uma referência ao fundador da cidade Ayyub Ben Habib Al Lajmi, que fundou Calatayud no ano 716. Este castelo é uma das 5 fortalezas existentes nos cerros que delimitam a cidade, unidos por 4 km de muralhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs vistas da cidade desde o alto do castelo impressionam, destacando suas belas igrejas mudéjares, que integram a lista deste tipo de edifícios aragoneses declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa capital e maior cidade da Comunidade de Aragón, Zaragoza, se conserva uma fortaleza de grande importância histórica relacionada às fortificaçoes do período islâmico, o Palácio da Aljafería.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste belíssimo palácio fortificado foi construído na segunda metade do século XI e reflete o esplendor alcançado pela Taifa de Zaragoza. Se considera o único palácio muçulmano que se conserva de toda a Espanha, relacionado ao período de Taifas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua parte mais antiga é a chamada Torre do Trovador, que vemos na esquina do lado direito na imagem acima. Esta fortaleza era um palácio de recreio dos governadores da Taifa de Zaragoza, e sua tradução significa “Palácio da Alegria“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da reconquista de Zaragoza pelo Rei Alfonso I “El Batallador” em 1118, a Aljafería passou a ser a residência dos reis aragoneses, quando a partir deste momento foi reformado no estilo mudéjar.

DSC_0195DSC_0194DSC04832O Palácio da Aljafería conserva inclusive sua mesquita

DSC00187Posteriormente, foi reformado durante o reinado dos Reis Católicos e transformou-se na prisão do Tribunal da Inquisição em Aragón. Também foi utilizado como quartel militar em séculos posteriores. Atualmente é a sede das Cortes de Aragón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Castelos e Fortalezas da Espanha – Parte 5

Os quase oito séculos do que se denomina “Reconquista Espanhola“, que compreende os anos de 711 (invasão árabe da Península Ibérica) e o ano de 1492 (conquista da cidade de Granada, último reduto da presença muçulmana), mantiveram o território espanhol num constante estado de guerra, favorecendo o permanente processo construtivo de castelos pelo país. Abaixo, vemos as muralhas da fortaleza de Trujillo (Província de Cáceres, Comunidade da Extremadura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO período de maior construção de Castelos e Fortalezas na Espanha ocorreu entre os séculos XI e XIII, na fronteira entre os reinos cristãos do norte e as terras ocupadas pelos muçulmanos. A seguir, o Castelo de Morella, situado nesta belíssima cidade da Província de Castellón, Comunidade Valenciana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs conflitos internos entre a nobreza e a monarquia, que em muitas ocasiões deflagraram em verdadeiras guerras civis, também possibilitaram a construção de uma enorme quantidade de castelos na Espanha. Abaixo, vemos novamente o Castelo de Morella, em que apareço numa das portas da muralha da cidade, que começa no castelo, e seus elementos defensivos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas castelos foram edificados para contrarrestar uma grande variedade de necessidades, como proteger os territórios recém conquistados, defender zonas de cultivo e abastecimento de água, além de vias importantes de comunicação e a defesa de povoados e cidades. Abaixo, o Castelo de Ciudad Rodrigo (Província de Salamanca, Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEspanha possui ao redor de 2500 fortificações que seguem as características de um castelo, sem contar outras construções defensivas, como os fortes, por exemplo. A maior concentração de castelos situa-se na Província de Jaén, uma das que integram a Comunidade da Andalucía, considerada uma das regiões da Europa com a maior quantidade de castelos e fortalezas por quilômetro quadrado. Abaixo, o Castelo de Santa Catalina, situado na cidade de Jaén.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro núcleo de grande concentração de castelos corresponde às atuais comunidades de Castilla y León e Castilla La Mancha, como podemos imaginar pelo nome. Infelizmente, muitos dos Castelos da Espanha permanecem em estado de ruína, como podemos observar nos exemplos a seguir, ambos situados na Comunidade de Madrid. Abaixo, o Castelo de Buitrago de Lozoya..

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Torrejón de Velasco e sua Torre de Homenaje

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPara nossa alegria, muitos outros ainda se erguem imponentes e robustos, como o Castelo de Peñafiel (Província de Valladolid, Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu o Castelo de Arévalo (Província de Ávila, Comunidade de Castilla y León)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir da próximo post, vocês terão a oportunidade de conhecer muitos outros Castelos e Fortalezas da Espanha, não percam !!!!

Castelos e Fortalezas da Espanha – Parte 4

Neste post veremos outros elementos característicos dos Castelos e Fortalezas da Espanha, que integravam o sistema defensivo das fortificaçoes. A entrada era frequentemente sua parte mais débil. Para superar este problema foram colocadas torres a cado lado da porta, de forma que pudesse ser defendida com mais eficiência. Abaixo, vemos vários exemplos de portas fortificadas, como no Castelo de Manzanares, situado na Comunidade de Madrid

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Castelo de Chinchilla de Montearagón (Província de Albacete, Comunidade de Castilla La Mancha)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Castelo de la Mota, situado na cidade de Medina del Campo (Província de Valladolid, Comunidade de Castilla y León)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas vezes se construía uma fortaleza sobre um monte artificial plano denominado “Mota“. A escavação da terra para realizar o monte deixava uma vala ou fosso ao redor, que poderia ser preenchido com água. Abaixo, vemos novamente o Castelo de la Mota

OLYMPUS DIGITAL CAMERANormalmente os fossos rodeiam o perímetro da muralha defensiva exterior das fortalezas, dificultando a aproximação do inimigo. Para poder atravessar o fosso, foram construídas pontes levadiças, como vemos no Castelo de Chinchón, situado na Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o fosso do Palácio de la Aljafería de Zaragoza (Comunidade de Aragón).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Castelo de Chinchilla de Montearagón também se construiu um fosso defensivo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Castelo da Alameda de Osuna de Madrid um fosso rodeia boa parte seu perímetro, como vemos na foto a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o desenvolvimento da arquitetura militar, foram incorporadas aberturas nos muros das fortalezas para que os guardas pudessem disparar peças de artilharia ou armas leves, caso das troneras, como vemos no Castelo de Coca (Província de Segovia, Comunidade de Castilla y León). Neste caso, a tronera possui uma forma de cruz, situada em cima da abertura circular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm formato de tronera mais simples inclui apenas uma abertura vertical como as existentes no Castelo de Peñaranda del Duero (Província de Burgos, Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento característico das fortificações medievais eram os denominados Mata-cães (Matacán, em espanhol). Situavam-se na parte mais elevada das muralhas e ao redor das torres que constituíam o sistema defensivo. Através deles, se podía observar os inimigos situados na base da muralha para agredi-los com pedras, água quente, flechas, etc. Foram introduzidos na Europa através das Cruzadas, sendo utilizados na Síria já no século VIII. Inicialmente estavam construídos com madeira, e posteriormente passaram a ser construídos com pedras, tornando a estrutura mais duradoura e difícil de destruir. Abaixo, vemos um Matacán na Muralha de Ávila

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE no Castelo de Trujillo (Província de Cáceres, Comunidade de Extremadura), com uma imagem da Virgen de la Victoria, santa padroeira da localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm elemento imprescindível das fortalezas constituíam os chamados Pátios de Armas. Ao passar pela porta principal do castelo, nos encontramos nesta espécie de praça, que representava o espaço central onde se distribuíam as diversas dependências da fortaleza. Em muitos casos, possuíam um formato de claustro monástico. Abaixo, o Pátio de Armas do Castelo de Arenas de San Pedro (Província de Ávila, Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Pátio de Armas do Alcázar de Segovia

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente , em muitos pátios se realizam eventos culturais e exposições diversas, como vemos no Castelo de Arévalo, situado na Província de Ávila, Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Pátio de Armas do Alcázar de Toledo, uma belíssima escada conduz às dependências superiores da fortaleza…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos e Fortalezas da Espanha – Parte 3

Neste post e no seguinte veremos alguns dos principais elementos que caracterizam os Castelos e Fortalezas da Espanha. Um dos principais é a Torre, uma estrutura intimamente ligada às fortificações. Até o final do século XII, os castelos possuíam poucas torres. A partir deste momento, sua estrutura se torna mais complexa com a incorporação de várias delas, incrementando seu poder defensivo. Na Espanha é comum a presença de torres isoladas na paisagem e também em várias cidades do país. Abaixo, vemos a Torre de Valdenoceda, situada numa área rural da Província de Burgos (Castilla y León), numa belíssima região denominada “Las Merindades“. Foi construída no final do século XIII com uma planta retangular com cerca de 20m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, a Torre de Pinto, um município situado próximo a Madrid

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe grande importância na estrutura dos castelos, a denominada Torre del Homenaje (Torre de Menagem, em português) ergue-se de forma robusta e imponente na maioria das fortalezas. É considerada a torre principal, albergando as dependências mais importantes, já que frequentemente constitui a residência do proprietário. Geralmente é a torre mais alta do conjunto, podendo chegar a ter 40m de altura. Por este motivo, é a torre mais protegida e o último reduto de defesa da fortificação. Na sequência vemos algumas delas, como a Torre del Homenaje do Castelo de la Mota, em Medina del Campo (Província de Valladolid, Comunidade de Castilla y León)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo excepcional Alcázar de Segóvia (Comunidade de Castilla y león), a Torre del Homenaje destaca-se na silueta de seu maravilhoso castelo de contos de fada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma característica peculiar dos castelos muçulmanos na Península Ibérica foi a incorporação de torres isoladas chamadas Torres Albarranas, que formam parte do recinto defensivo da muralha a que está comunicada por um arco ou ponte. Um exemplo é  Torre de Espantaperros da Alcazaba de Badajoz (Comunidade de Extremadura), uma fortaleza de origem muçulmana do século XII. Possui um curioso formato octogonal.

20160516_183237OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento característico dos castelos e fortalezas são as muralhas ou cercas que rodeiam a fortificação. Elemento defensivo por natureza, constituem-se por torres ou cubos situados ao longo de seu perímetro, que permitiam diversificar os ângulos de tiros para sua defesa. Um exemplo é a muralha da fortaleza de Trujillo (Província de Cáceres, Comunidade de Extremadura)…

20181209_123522Ou a muralha do Castelo de Oropesa (Província de Toledo, Comunidade de Castilla La Mancha)

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm elemento típico da arquitetura militar medieval, as Almenas são pequenas estruturas salientes e verticais de formato retangular, dispostos a intervalos regulares da muralha ou mesmo da estrutura do castelo, para que os defensores pudessem resguardar-se e possibilitar um contra-ataque defensivo. Abaixo, vemos as Almenas do Castelo de Cuéllar, um palácio fortificado construído no século XV  e situado na Província de Segóvia (Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos as almenas situadas na parte superior da torre do Castelo de Medina de Pomar, localizado na Província de Burgos (Comunidade de Castilla y León).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara que o corpo de guardas da fortificação pudesse deslocar-se ao longo da muralha protetora, em sua parte superior situava-se um caminho de ronda estreito chamado Adarve. Abaixo, vemos o Adarve da muralha pertencente ao Real Alcázar de Córdoba (Comunidade de Andalucía).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém apreciamos um Adarve na Alcazaba de Antequera, situada na Província de Málaga (Comunidade de Andalucía).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA evolução na complexidade das fortalezas e castelos medievais se deve, em boa parte, ao advento das Cruzadas. Muitas delas foram construídas por Ordens Militares, algumas delas fundadas para proteger os lugares santos de Jerusalém, como a Ordem dos Templários, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das fortalezas templárias mais famosas da Espanha é o Castelo de Ponferrada (Província de León, Comunidade de Castilla y León), situado em pleno Caminho de Santiago. O castelo pertenceu à Ordem Templária até sua dissolução no século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA