Na Torre da Catedral de Ávila

A Catedral de Ávila é outra das atrações históricas da cidade, e foi tema de uma série de 3 posts, publicados nos dias 21, 22 e 23/01/2017. Considerada a primeira catedral de estilo gótico na Espanha, foi edificada como templo e como fortaleza, já que o ábside da construção constitui um dos cubos da própria muralha de Ávila, algo inédito nos edifícios catedralícios, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão se sabe com precisão quando começou a ser levantada. A teoria mais aceita diz que data de mediados do século XII, cujo projeto foi realizado por um mestre francês chamado Fruchel, coincidindo com o processo de repovoamento de terras castelhanas por Raimundo de Borgoña, genro do Rei Alfonso VI. A parte construída por Fruchel, correspondente ao altar maior da catedral, se insere no estilo românico de transiçao ao gótico. Posteriormente, outros mestres finalizaram as obras da catedral (naves, capelas e o remate das torres) já no estilo gótico. Abaixo, vemos a fachada principal da Catedral de Ávila e seu impressionante aspecto de fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vemos na imagem acima, se construiu apenas uma torre, a outra permaneceu inacabada. O primeiro corpo da torre campanário data do século XIII, assim como as naves da igreja. As bôvedas (teto) e o segundo corpo da torre campanário datam do século XIV. No século XV, finalmente se finaliza todas as obras da catedral. Abaixo, vemos uma foto de seu interior, destacando sua bôveda de crucería, característica da arquitetura gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta última vez que estive em Ávila com o Marcelo, a Cristina e o Ernesto, tivemos a oportunidade de subir no alto da torre campanário, um passeio imperdível que proporciona visitar lugares de uma catedral que normalmente estão fechados ao público. Antes de chegar na parte mais elevada da torre, pudemos contemplar umas excelentes vistas da nave central da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário possui 7 sinos (campanas, em espanhol), cada qual com seu nome de batismo, como “Maria Teresa”, “Platera”, devido à presença de prata em sua fabricação, ou “San Segundo”, em homenagem ao Santo Padroeiro de Ávila. Abaixo, vemos algumas delas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, uma foto da torre inacabada, que foi fechada com tijolos, mas que deixa à vista uma parte da construção de pedra…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita inclui um elemento que normalmente os visitantes não têm acesso, a estrutura de madeira construída como sustentação do telhado ou cobertura da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto curioso foi observar as diversas marcas de canteiros ao longo da construção. Estas marcas talhadas na pedra constituem uma espécie de assinatura dos trabalhadores que colaboraram na edificação da catedral. Cada um deles possuía uma marca diferente e, desta forma, podiam cobrar pelo trabalho realizado. As marcas de canteiros são habituais nas catedrais românicas e góticas. Abaixo, vemos algumas das que descobrimos no passeio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto que me surpreendeu está relacionado com o antigo ofício dos campaneiros. Na realidade, este termo se refere a dois ofícios tradicionais, designando aqueles responsáveis pela fabricação dos sinos (elaboração do molde e posterior fundição do metal) e também às pessoas que realizavam os toques das campanas. Sempre pensei de como seria a vida destes trabalhadores que executavam este trabalho de tocar os sinos e, na visita à torre, muitas perguntas foram respondidas. A primeira questionava onde viviam e o mais curioso, é que residiam na própria torre, ao nível dos próprios sinos. A torre da Catedral de Ávila conserva maravilhosamente a casa do campaneiro. De estilo castelhano humilde, parece incrível que se manteve intacta. Os campaneiros nela viveram até os anos 50 do século XX. A residência possuía sala, alcobas, cozinha com chaminé, banheiro, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA casa dos campaneiros foi construída aos pés da catedral, sobre a bôveda gótica. Para visitá-la, subimos os 113 degraus de uma escada em espiral, que salva a diferença entre o solo da catedral e sua cobertura. Nela se desenvolvia  a vida familiar dos campaneiros, sendo praticamente tarefa de todos seus membros realizar o toque das campanas, durante todo o dia. Frequentemente, o ofício passava de pai para filho, e as condições de vida eram extremamente duras, como nos explicou o guia que conduziu a visita. Em primeiro lugar, tinham que suportar um frio aterrador, numa cidade na qual as temperaturas normalmente atingem mínimas negativas, e muitos padeciam de doenças respiratórias. Além do mais, muitos campaneiros, depois de uma longa vida dedicada ao ofício, ficavam surdos com o forte som decorrente dos sinos. Em seus momentos de ócio, construíram pequenos jogos talhados nas pedras da torre (algo parecido com o atual jogo de damas), como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dificuldades de acesso a esta peculiar residência fizeram com que fossem criados mecanismos de abastecimento e comunicação com o mundo exterior. O sistema implantado na Catedral de Ávila se resume a uma corda atada a uma polea que se utilizava para para subir alimentos e água, além de outros objetos essenciais à vida, e para baixar tudo aquilo que já não servia. Abaixo, vemos o sistema desde o solo da catedral e em sua parte superior, junto à casa dos campaneiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos as campanas funcionaram como uma forma de comunicação social, anunciando festas, falecimentos e os atos litúrgicos, entre outros. O ofício de campaneiros data do período medieval em sua concepção atual. Atualmente, está em perigo de extinção com o desenvolvimento de métodos eletromecânicos para os toques de sinos e muitos aspiram que o toque manual seja declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. As campanas e seus variados sons constituem um maravilhoso universo, e seu estudo denomina-se Campanologia. Para saber mais sobre elas, ver as matérias publicadas em 6 e 7/3/2018, cujo tema foi o Museu das Campanas da belíssima cidade de Urueña, também situada na Comunidade de Castilla y León.

A Catedral de Ávila: Parte 3

Nesta última matéria sobre a Catedral de Ávila veremos os demais lugares de interesse que podemos encontrar numa visita ao templo. A Girola, sua parte mais antiga, foi construída na época de Girald Frunchel, o arquiteto francês responsável pelo projeto inicial da Catedral de Ávila. Um de seus elementos mais característicos foi a utilização da pedra de arenito como material construtivo. Composta de óxido de ferro, proporciona uma tonalidade avermelhada que diferencia este espaço dos demais, nos quais foi empregado o granito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Girola constitui a parte de uma catedral que rodeia o altar maior, junto ao ábside. Na Catedral de Ávila, foi belamente decorada com 5 painéis de relevos realizados por Lucas Giraldo e Vasco de la Zarza no estilo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuatros dos painéis foram  representados pelos apóstolos evangelistas, com seu respectivo animal simbólico, como o Apóstolo Marcos e o Leão, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO painel central é a jóia do conjunto, obra prima de Vasco de la Zarza, responsável pelo sepulcro do Bispo de Ávila, Alonso del Madrigal. Realizado em alabastro como se fosse um retábulo, é considerado uma das grandes obras da Escultura Renascentista Espanhola. Alonso del Madrigal ocupou a cátedra entre 1449 e 1455, destacando-se por sua santidade e por seu trabalho como teólogo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Girola foram abertas 9 capelas. A denominada Capela da Virgem da Piedade ou das Dores foi fundada no século XV no estilo renascentista por D.Rodrigo Dávila. A capela está presidida por uma cópia da magnífica Piedade de Miquelângelo, obra realizada por Juan Bautista Vázquez “El Viejo” em 1560.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta obra podemos apreciar uma das características do Renascimento Espanhol, menos apegado aos ideais de beleza clássicos do Renascimento Italiano. Esta capela também tornou-se famosa pela imagem da Virgem da Caridade, uma escultura do século XV especialmente venerada por Santa Teresa de Jesus. Abaixo vemos uma imagem geral da capela e da referida imagem, além de outra que representa a própria santa de Ávila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita à Catedral de Ávila finaliza com o Museu Catedralício, imprescindível pelo conjunto de pinturas e esculturas de sua coleçao. Uma de suas salas corresponde à Sacristia, conhecida como Capela de San Bernabé, decorada com esculturas referentes à Paixao de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço também exerceu a função de Sala Capitular. Nela podemos admirar um magnífico retábulo feito de alabastro, realizado por Isidro de Villoldo e Juan Frías, com cenas relativas à Flagelaçao de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acesso à Sacristia é realizado por uma bela sala onde se situa outro impressionante retábulo, este do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala principal do Museu situa-se na denominada Capela del Cardenal, cuja construção foi ordenada pelo Arcebispo Quiroga em 1490, no  estilo gótico. Trata-se de uma capela funerária, onde foram enterrados personagens ilustres da história eclesiástica de Ávila, como o Cardeal Francisco Dávila Mújica. Em cima do túmulo, vemos um retrato anônimo do cardeal, do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do sepulcro do cardeal situa-se o túmulo de D.Garcibáñez de Mújica, presidido por um retrato pintado por El Greco entre 1604 e 1614.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da sala contemplamos  uma excepcional obra de arte, uma custódia realizada por Juan de Arfe em 1571. Com 1.70m e 70 kg de peso, foi feita totalmente em prata, e sai às ruas de Ávila durante as procissões da Semana Santa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma Sagrada Família pintada no atelier do famoso pintor italiano Rafael

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu exibe uma belíssima coleção de esculturas românicas, como este Cristo feito em marfim, no século XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre a Catedral de Ávila com uma foto da Sala de los Cantorales, onde se expõem livros de cânticos do século XV, fabricados em pergaminho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral de Ávila: Parte 2

Nesta segunda parte sobre a Catedral de Ávila veremos o interior do espaço sagrado, e algumas de suas obras mais importantes. A Capela Maior, por exemplo, acolhe um maravilhoso retábulo realizado no último período construtivo da catedral, no final do século XV e começo do XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte inferior do retábulo foi executada por Pedro Berruguete, que combina a tradiçao hispano-flamenca com o novo estilo renascentista proveniente da Itália. O artista buscou a individualização dos personagens representados e um grande realismo, conseguidos através de um intenso naturalismo. Com sua morte, a execução do retábulo foi realizada, entre outros, por Juan de Borgoña, que retratou as cenas da Anunciação, Nascimento de Cristo, Transfiguração e Apresentação ao Templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Capela Maior, foram colocadas duas esculturas dedicadas a Santa Catalina e San Segundo, ambas realizadas em alabastro por Vasco de la Zarza na primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a Santa Catalina…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA tradição diz que San Segundo foi um dos sete enviados por São Pedro e São Paulo com a missão de evangelizar Espanha. Foi o primeiro Bispo de Ávila, sendo considerado o padroeiro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave principal foi colocado o Coro, algo característico das Catedrais Espanholas. Inicialmente ele se encontrava junto a Capela Maior, ao modo das catedrais francesas. Durante o período renascentista, acabou sendo deslocado para o centro da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído na primeira metade do século XVI por Cornelis de Holanda, que contou com a participação de Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, entre outros. Elaborado com madeira de nogal, destaca-se por sua rica iconografía, onde foram representados uma grande quantidade de santos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais do coro, dois belíssimos órgãos, um barroco e outro de data posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro da catedral foi inicialmente construído no século XIV no estilo gótico e apenas finalizado no XVI, já dentro da estética renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por 3 capelas, e constituiu sempre um local de enterramento, acolhendo os restos de personagens ilustres da História da Espanha, como Adolfo Suárez (1932/2014), o primeiro presidente do período democrático do país, iniciado depois da morte do General Franco. Abaixo, vemos uma lista que comprova a milenar tradiçao episcopal de Ávila, onde podemos ver todos os bispos da cidade, começando por San Segundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA San Segundo foi dedicado também uma das principais capelas das muitas existentes na catedral. O acesso a ela se dá tanto pelo interior, quanto pelo exterior do templo, cuja fachada austera vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída para acolher os restos de San Segundo para sua conservação, que foram trazidos da igreja românica a ele dedicado, prova da grande devoção de seus habitantes ao primeiro bispo de Ávila. Para que pudesse ser construída, tiveram que derrubar um cubo da muralha, prévia permissão concedida pelo rei Felipe II, pois a fachada da capela está adossada à mesma, como vemos acima. Abaixo, vemos o interior da capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Capela de San Segundo foi iniciada por Francisco de Mora em 1602, e finalizada por seu sobrinho Juan Gómez de Mora em 1615. O retábulo em forma de baldaquino acolhe uma urna com as relíquias do santo, e foi realizado em 1715 por José Benito de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Catedral de Ávila

A Catedral de San Salvador de Ávila é considerada um dos primeiros templos góticos da Espanha. Seu aspecto de fortaleza impressiona, quando a contemplamos por primeira vez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua história se remonta às origens da sede episcopal de Ávila, durante o período romano, e com a chegada do primeiro Bispo da cidade, San Segundo, no ano 63 dC. Durante a época visigoda, Ávila permaneceu como sede episcopal, mas com a conquista muçulmana foi abandonada. Com a reconquista de Alfonso VI e o repovoamento promovido por seu genro Raimundo de Borgonha, a cidade foi fortificada, construindo-se um primeiro templo dedicado a San Salvador. Este templo de estilo românico não chegou a ser finalizado, pois foi substituído pela atual igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA teoria exposta acima é a mais aceita no que diz respeito à construção do templo. Foi projetada por Girald Frunchel, reconhecido arquiteto francês já em sua época, que trouxe as primitivas formas do gótico da França. A primeira parte edificada corresponde, na realidade, ao estilo de transição do românico ao gótico, a partir do ano 1170. Desta época inicial corresponde o ábside da catedral, que integra as Muralhas de Ávila, um fato curioso e único entre as Catedrais da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras da catedral duraram cerca de 300 anos. Com a morte de Frunchel, o projeto original foi modificado, realizando-se um templo com 3 naves no estilo gótico pleno, a partir do século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém das naves, no século XIII se realizou o primeiro corpo das torres, das quais se construiu apenas uma. No século XIV se construiu o claustro, e as últimas intervenções na Catedral de Ávila foram efetuadas no século XV até mediados do XVI, quando finalizaram-se as obras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a porta de entrada ao templo, composta por um arco circular decorado com medalhões e motivos florais. Nas laterais, vemos a presença de dois selvagens, que protegem a entrada do recinto sagrado, conhecidos como Gog e Magog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da igreja encontramos a Porta dos Apóstolos, que inicialmente esteve situada entre as torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da porta vemos os apóstolos. A cena principal representa o Juízo Final, com Cristo como rei dentro de uma mandorla, rodeado por anjos. Realizada aproximadamente em 1300, no ano 1470 foi removida pelo arquiteto Juan Guas à sua localização atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da catedral destacam inúmeras obras de arte, como o Trascoro, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADecorado de forma magistral por Lucas Giraldo e Juan Rodríguez, seus relevos foram realizados com um grande naturalismo. Representam episódios da infância de Cristo, entre os quais a Epifania, onde o Rei Baltazar aparece de negro. Este conjunto escultórico renascentista pertence à última fase construtiva da catedral, sendo iniciado a partir de 1527.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Catedral de Ávila se conservam belíssimos vitrais dos séculos XV e XVI, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns deles foram destruídos durante o Terremoto de Lisboa de 1755. No século XX, foram restaurados, com tonalidades claras e formas geométricas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a segunda parte dedicada à Catedral de San Salvador de Ávila

OLYMPUS DIGITAL CAMERA