Museu Catedralício – Murcia

Uma visita à Catedral de Murcia não estaria completa sem o Museu Catedralício, situado no primitivo claustro da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAChegamos ao museu através de um espaço coberto por vidro no solo que conservam restos arqueológicos de época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo de arte sacra deste museu é incrível, com obras representativas de vários estilos, tanto de pinturas, quanto de esculturas e objetos litúrgicos. Abaixo, vemos um Cristo Crucificado feito de marfim, do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1516, vemos este quadro com a Adoração dos Pastores, pintado por Fernando de Llanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo museu se conservam as capelas mais antigas da catedral, onde se celebravam liturgias, sendo que algumas delas exerciam uma função funerária, pois foram locais de enterramento para aqueles que ostentavam sua propriedade, que se estendiam aos seus descendentes. Abaixo, o retábulo gótico de Santa Lúcia, realizado em 1380 pelo artista Bernabé de Módena. OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste artista italiano tinha seu atelier em Gênova, fato que demonstra os fortes laços existentes entre esta cidade e Murcia. De 1374, Bernabé de Modena realizou esta obra com a representação da Virgem da Leite.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Capela do Sarcófago se expõe o retábulo, também do período gótico, de São Miguel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nome desta capela é uma referência a um excepcional sarcófago romano de finais do séc. III ou começo do séc. IV dC.  Realizado em mármore e ornamentado com as musas, mestres e sábios, foi reutilizado no séc. XVI como uma peça sepulcral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO acervo do museu conta com peças litúrgicas utilizadas durante as procissões de Corpus Christi, e são realmente impressionantes, como esta custódia barroca, uma das mais belas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas obras, apesar de anônimas, mantêm o alto nível artístico da peças expostas, como este busto de São Paulo, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Pinturas Murais de época medieval foram descobertas depois da reforma do museu em 2005, como a que representa a Coroação da Virgem da Misericórdia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre o Museu Catedralício com uma foto geral do claustro, transformado em museu…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Anúncios

Catedral de Murcia – Parte 2

O interior da Catedral de Murcia possui a mesma riqueza estilística que em seu aspecto exterior. Belas obras de arte enriquecem e adornam o templo, das quais veremos as principais. Está composto por 3 naves, a central e duas laterais, e a girola, como se conhece a prolongação das naves laterais que rodeiam o Altar Maior. O Retábulo Maior é do séc. XIX, que substituiu o original renascentista do séc. XVI, destruído num incêndio em 1854. O Altar maior é considerado uma Capela Real por acolher o sepulcro com o coração do rei Alfonso X “El Sábio”, que passou longas temporadas na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um detalhe da Virgem que preside o Retábulo Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Altar Maior situa-se o Coro, exemplo da Arte Plateresca, que foi trazido à catedral pela rainha Isabel II procedente do Monastério de San Martín de Valdeiglesias (Comunidade de Madrid), depois que o anterior coro e os órgãos nele situados ardessem no mesmo incêndio relatado acima. O órgão atual é de 1855.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte traseira do coro, por este motivo denominado Trascoro, vemos a Capela da Imaculada Conceição, realmente muito bonita. Construída no séc. XVII, é considerada uma das primeiras capelas de toda  Europa dedicada a ela. De estilo barroco, está ornamentada com abundantes mármores coloridos e uma imagem da Virgem do séc. XVIII, pertencente à escola madrilenha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Capela do Nazareno, construída em 1479 e fundada pelo canônico D.Diego Rodríguez de Almeida, que nela está enterrado. Uma escultura de Jesus Nazareno do séc. XVIII preside a capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Capela de San Fernando foi fundada em 1477 e está adornada com um retábulo rococó do séc. XVIII, presidido por uma imagem do santo de autor desconhecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra bela capela é a do Socorro, construída no estilo renascentista em 1541 por Giovanni de Lugano. Tanto a capela quanto a imagem de N.Sra do Socorro foram realizados em mármore de Carrara.Famosa também é sua Pia Batismal, executada por Jacobo Florentino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA gótica Capela de San Bartolomé acolhe um quadro do santo de começo do séc. XIX, atribuído a Manuel Lázaro Meroño, uma cópia do grande pintor espanhol José de Ribera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, apesar da beleza e importância de cada uma destas capelas, a mais famosa é a Capela dos Vélez, situada na parte de trás do Altar Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta maravilhosa capela foi construída durante o reinado dos Reis Católicos. Sua construção foi encomendada por Juan de Chacón, Adelantado de Murcia, em 1490 e finalizada em 1507 por seu filho D. Pedro Fajardo, Marquês de Vélez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO autor do projeto é desconhecido, e sua exuberante decoração lhe valeu o título de Monumento Nacional em 1928. Fiquei um bom tempo contemplando esta joia da catedral, uma das obras mais destacadas do Gótico Espanhol. A seguir, vemos sua bôveda de crucería em forma de estrela de oito pontas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma das pinturas murais que se conservam no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcluímos a matéria com a imagem de um dos vitrais da catedral, com a representação de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo e último post sobre a Catedral de Murcia, veremos o interessantíssimo Museu Catedralício, que complementa a visita ao templo.

Catedral de Murcia

A Catedral de Murcia é considerada o monumento mais emblemático da cidade. Realmente, é uma verdadeira joia situada no coração da Murcia Medieval. Sua impressionante fachada principal preside a Praça do Cardeal Belluga, um dos principais pontos de encontro de seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída no mesmo local onde anteriormente se erguia a Mesquita Maior de Murcia. Dedicada à Virgem Maria, o primeiro que chama a atenção ao contemplá-la é sua impressionante combinação de estilos, fruto de sua prolongada construção e das distintas fases em que foi edificada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs obras da Catedral de Murcia se iniciaram em 1394 no estilo gótico e se prolongaram até 1751, quando foi terminada no estilo barroco. No entanto, sua consagração se deu muito antes, em 1467. A denominada Porta dos Apóstolos é um magnífico exemplo da Arte Gótica, construída em 1463. Seu nome se deve à representação dos apóstolos em sua parte lateral. Abaixo, vemos uma imagem geral da porta e as esculturas de São Pedro e São Paulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da Porta dos Apóstolos vemos o exterior da maravilhosa Capela dos Vélez, de finais do séc. XV, que veremos no próximo post.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das portas monumentais da catedral, denominada Porta das Cadenas, está localizada na Praça da Cruz, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta das Cadenas pertence ao estilo renascentista, e foi construída no séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Fachada Principal do templo possui merecidamente o título de uma das melhores amostras do Barroco Espanhol. Foi realizada pelo arquiteto Jaime Bert, no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi idealizada como se fosse um retábulo, com numerosas esculturas que a decoram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá dividida em dois corpos horizontais e três verticais, e a magnífica execução de suas esculturas a torna ainda mais bela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre as muitas que podem ser admiradas, sobressai o grupo escultórico da Coroação da Virgem Maria, situado na parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento de destaque no exterior da catedral é sua esbelta e imponente torre. Com 95m de altura, representa um dos símbolos da cidade e domina a paisagem urbana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira parte da torre foi levantada no estilo renascentista entre 1521 e 1555, por Jacobo Florentino, amigo de Miquelângelo, e Jerónimo Quijano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPorém, as obras tiveram que ser interrompidas até o séc. XVIII, momento em que o barroco era a corrente artística predominante. Por este motivo, o segundo corpo da torre, que compreende o relógio e as campanas, foi erguido neste estilo pelo arquiteto José López. Finalmente, Ventura Rodríguez rematou a torre com uma linterna neoclássica. A torre finalizou-se completamente em 1792, e possui 20 campanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa próxima matéria, descobriremos o interior da Catedral de Murcia