Plaza de Ramales – Madrid

Situada próximo ao Palácio Real e de frente para a Plaza del Oriente, a Plaza de Ramales é um tranquilo lugar para se tomar um bom copo de vinho e admirar sossegadamente a beleza de seu entorno. O local é cheio de história, e surgiu durante o governo de José Bonaparte, em 1810. Não foi por acaso que este monarca francês recebeu o apelido de “Rei Plazuelas“, pois uma de suas maiores preocupações consistia em derrubar edifícios e conventos ou igrejas antigas para a construção de espaços públicos, como praças.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente se chamava Plaza de San Juan, já que no lugar se erguia a Igreja de San Juan Bautista, uma das mais antigas de Madrid, erguida no início do séc. XIII. Em 1999, realizaram-se obras para um estacionamento subterrâneo na praça, e foram encontrados os restos arqueológicos da igreja, bem como objetos de cerâmica, provavelmente da época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2005, foram colocados bancos na praça. O interessante é que estão colocados simulando o formato e a localização da antiga igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do local onde foram descobertos os achados arqueológicos, foi colocada uma placa com a planta original da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vocês podem ver na primeira foto publicada com o nome da praça, aparece como referência da mesma o universal pintor sevilhano Diego Velázquez. Na placa vemos que está  retratado com a Cruz de Santiago, pois antes de falecer foi nomeado cavalheiro desta ordem pelo rei Felipe IV graças aos serviços prestados durante seu reinado, pois Velázquez foi o pintor real do referido monarca. E que tem a ver o pintor com a praça ? O fato é que ele foi enterrado na desaparecida Igreja de San Juan Bautista. Com a sua demolição, seus restos se perderam. Incrível que na época ninguém alertou para que seu sepulcro fosse levado para outro lugar…Ou seja, os restos do artista podem estar situados em qualquer parte do subsolo da praça, mas ninguém sabe aonde !!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm memória ao genial pintor de “As Meninas” levantou-se uma coluna de pedra rematada com uma cruz. No pedestal, o nome do pintor com suas datas de nascimento e falecimento, e inscrições alusivas ao seu enterramento na igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Ramales recebeu este nome em homenagem ao povoado de Ramales, situado na Cantábria. Nesta localidade foram travadas batalhas em 1839 entre os fiéis a rainha Isabel II e os adeptos de Carlos V, que almejava o trono. Este episódio relaciona-se com a denominada Primeira Guerra Carlista. Na praça, podemos contemplar algumas residências emblemáticas de algumas épocas históricas de Madrid. Do séc. XVIII, por exemplo, destaca a Casa Palácio de Domingo Trespalacios, construída por Andréz Diaz Carnicero em 1768, um exemplo da arquitetura residencial aristocrática do período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Casa Palácio de Ricardo Angustias foi construída na década de 20 do século passado. O imóvel foi projetado pelo arquiteto Cayo Redón y Tapiz, que reformou um edifício pré-existente, colocando dois novos andares e conferindo ao edifício um aspecto medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma das esquinas da praça vemos algo raro atualmente em Madrid, embora comum em outros locais da Espanha. Trata-se de uma imagem da Virgem conhecida como Rinconeras, tradicionalmente colocadas nas esquinas das ruas como objeto de devoção ou como agradecimento aos pedidos atendidos. Neste caso em particular, esta virgem é chamada “La Dolorosa“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem nesta esquina, um atentado do ETA lamentavelmente custou a vida de 3 pessoas em 1994. A imagem da Virgem não sofreu nenhum dano, apenas os vidros que a protegem se racharam, mas prontamente foram substituídos pelos vizinhos da zona. Do lado da praça encontramos a Calle de Santiago, cuja igreja dedicada ao apóstolo também desapareceu na época de José Bonaparte, sendo substituída pela atual. Sua história será o tema do próximo post…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA