Palácio de la Generalidad – Valência

Durante nossa estadia em Valência, eu e meu irmão Marcelo tivemos a sorte de poder conhecer um edifício que normalmente se encontra fechado ao público, mas que abriu suas portas com o motivo da celebração do dia da Comunidade Valenciana, no início de outubro. O denominado Palácio de la Generalidad (Palau de la Generalitat, no idioma valenciano) é a sede do governo da Comunidade Valenciana, e situa-se em pleno centro histórico da cidade.

20181004_161945Considerado um símbolo das instituições políticas da comunidade, o Palácio de la Generalidad é um excelente exemplo da arquitetura gótica civil que podemos apreciar na cidade. Foi construído no século XV (1421) como residência nobre, e reformado no século XVI, quando incorpora também o estilo renascentista em sua fachada, com a construção de uma grande torre.

20181004_160500Formam parte da Generalidad as Cortes Valencianas, o Presidente da Comunidade e o Conselho. Seu antecedente histórico, do qual procede seu nome, foi a Deputação Geral, que surgiu na segunda metade do século XIV como uma comissao organizada pelas Cortes do antigo Reino de Valência, encarregada de cobrar o imposto chamado de generalidades.

20181004_161748Abaixo, vemos um detalhe da fachada…

20181004_160555O interior do edifício está formado por um belo pátio gótico, com uma escada construída em 1511.

20181004_160635Tivemos a oportunidade de conhecer as principais dependências do palácio, como a Sala Dourada, assim chamada pela cor do artesanato de estilo mudéjar que a decora.

20181004_16125720181004_161313A Sala dos Reis possui um interessante conjunto de retratos dos monarcas que governaram a Comunidade Valenciana. Também se conhece como a Sala da Capela devido ao pequeno espaço religioso que se situa em seu extremo.

20181004_16112220181004_161148O local mais interessante do palácio é a Sala Nova ou das Cortes, decorada em seu teto com um artesanato original de madeira do século XVI.

20181004_160811Além do mais, pinturas representativas dos diversos setores sociais (políticos, clero e classe militar) ornamentam suas paredes…

20181004_16085420181004_160837Ao longo de sua existência, o palácio foi a sede de várias instituições, como a Casa da Deputação do Reino de Valência (1421 a 1705), Real Audiência (1750 a 1923), Deputação Provincial (1923 a 1982) e finalmente sede da Generalidad a partir de 1982.

20181004_160714Em 1931, o Palácio de la Generalidad foi declarado Monumento Histórico-Artístico.

Anúncios

Igreja de San Nicolás – Valência

Em pleno Centro Histórico de Valência situa-se um dos templos mais belos da cidade, a Igreja de San Nicolás e de San Pedro Mártir. Recentemente, quando estive na cidade, tive a oportunidade de conhecê-la por primeira vez e admirá-la tanto sua parte exterior, quanto seu magnífico espaço interno.

20181004_144531O local onde a igreja se situa sempre foi, ao longo dos séculos, um espaço sagrado. Já em época romana, havia um templo, que foi substituído por uma mesquita durante a dominação muçulmana. Com a reconquista efetuada pelo Rei Jaime I no século XIII, a mesquita foi consagrada como uma paróquia cristã e entregue a Ordem Dominicana, que batizou o templo em homenagem a San Nicolás de Bari. Anos depois, a ordem decidiu incorporar a titularidade da igreja a San Pedro Mártir, considerado o primeiro santo mártir dos dominicanos.

20181004_144658No século XV, chamado de Século de Ouro Valenciano, a igreja foi reconstruída e ampliada, adquirindo o aspecto gótico que possui atualmente. Desta época, se conserva a portada exterior, que vemos nas imagens acima. Esta reforma ocorreu durante o governo eclesiástico do Bispo Alfonso de Borja, que se tornaria cardeal e posteriormente Papa com o nome de Calixto II.

20181004_144603Durante o período da Contrarreforma, no final do século XVII (entre 1697 e 1700), a igreja foi reformada no estilo barroco.

20181004_143337Todo o interior do templo foi coberto por um excepcional conjunto de pinturas (quase 2 mil metros quadrados), realizado pelo pintor Dionís Vidal, discípulo do grande Antonio Palomino (1653/1726), considerado um dos maiores teóricos da arte na Espanha, além de ter sido nomeado pintor de câmara do Rei Carlos II.

20181004_143349As pinturas foram realizadas na própria estrutura gótica do templo, e representam episódios das vidas dos santos titulares, San Nicolás e San Pedro Mártir. Conhecida como a Capela Sixtina Valenciana, a Igreja de San Nicolás é considerada um dos melhores exemplos da combinação do estilo gótico com a decoração barroca.

20181004_14383520181004_144022O interior da igreja possui nave única e 6 capelas de cada lado…

20181004_14430620181004_143555San Nicolás viveu no século IV, e foi Bispo de Mira, na atual Turquia. Devido às invasões otomanas, seus restos foram levados à cidade italiana de Bari, onde se encontra seu sepulcro. Protetor da infância e da família, também é invocado em momentos de dificuldades financeiras. Abaixo, vemos seu busto, situado junto ao altar maior da igreja.

20181004_143733San Pedro Mártir viveu no século XIII. Pertencente à Ordem Dominicana, nasceu em Verona, Itália, e faleceu em 1252. Abaixo, vemos o órgão da igreja…

20181004_143720A igreja conserva importantes obras artísticas, como este retábulo que representa o Calvário de Cristo, realizado pelo pintor Rodrigo de Osona em 1476, um exemplo da transição do gótico ao renascimento.

20181004_144211No século XIX, foram realizadas algumas reformas na parte exterior da igreja, no estilo neogótico

20181004_144612Finalmente, em 1981, a Igreja de San Nicolás de Valência recebeu, merecidamente, o título de Monumento Histórico-Artístico.

Um Passeio por Valencia: Parte 2

Valencia é uma cidade que impressiona pela grande quantidade de monumentos a visitar, englobando vários estilos artísticos, como vocês têm tido a oportunidade de observar nesta grande série de matérias. No post de hoje, veremos outros locais emblemáticos, caso da Praça de Touros de Valencia, construída entre 1850 e 1860 durante o reinado de Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetada pelo arquiteto Sebastián Monleón segundo critérios neoclássicos. Inspirada no anfiteatro romano de Nimes, França, possui capacidade para acolher 17 mil espectadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à praça vemos um monumento em homenagem ao toureiro valenciano Manolo Monteliu (1954/1992), que morreu durante uma corrida de touros celebrada na Praça de Touros de Sevilha (imagem acima). Antes da construção da praça, as corridas de touros em Valencia eram realizadas na Praça do Mercado. Devido à sua antiguidade, o coso taurino de Valencia, nome pelo qual também se conhecem as Praças de Touros, é considerado uma das praças históricas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAValencia conta com abundantes fontes urbanas que embelezam ainda mais a cidade. Abaixo, vemos a Fonte das Três Grácias, inaugurada em 1853.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das mais belas está situada na Praça da Virgem, ao lado da Basílica dos Desamparados. Simboliza o tradicional Tribunal das Águas, celebrado em frente da Porta dos Apóstolos da Catedral de Valencia e o Rio Turia, representado pela figura masculina da fonte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAValencia desempenhou um papel fundamental durante a Guerra Civil Espanhola, pois se converteu, entre novembro de 1936 e outubro de 1937, na capital do governo republicano. Durante o conflito, a cidade foi bombardeada por terra e ar, e mais de 200 refúgios foram construídos para proteger a populaçao dos ataques nacionalistas. Muitos dos mais importantes edifícios da cidade foram ocupados por organizações assistenciais. Em março de 1937, os nacionalistas entram vitoriosos na cidade, e em 1946 se ergue um monumento em homenagem aos caídos na guerra, realizado por Javier Goerlich Lléo. Na realidade, o monumento é uma reprodução da antiga Porta Real, um dos acessos da Muralha de Valencia, derrubada na segunda metade do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos locais mais interessantes do Centro Histórico é a singular Praça Redonda, situada próxima à Catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta curiosa praça representou uma das realizações urbanas mais originais do século XIX na cidade. Foi concebida para acolher os numerosos postos comerciais espalhados no bairro onde se localiza. Seu formato circular é realmente curioso, adornada por uma fonte central, também redonda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto aérea da Praça Redonda

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Valencia Barroca

O estilo barroco deixou um importante legado artístico em Valencia, da mesma forma que as correntes precedentes, o gótico e o renascimento. Prova disso constituem os vários templos realizados ou mesmo reformados dentro da estética barroca. Um exemplo é a Igreja de Santo Tomás e San Felipe Neri, situada na Praça de San Vicente Ferrer.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre 1732 e 1736 e formava parte do Convento da Congregação do Oratório de San Felipe Neri. O projeto de sua construção se deve ao arquiteto Tomás Vicente Tosca, que utilizou como material construtivo o tijolo. Se inspirou nos modelos barrocos da cidade de Roma. A Igreja de Santo Tomás, situada nas proximidades, encontrava-se em ruína em 1836, e sua titularidade foi unida à Igreja de San Felipe Neri. Em 1982, foi declarada Monumento Histórico-Artístico. Em frente ao templo, se colocou uma fonte em 1853, época em que os habitantes da cidade ainda tinham que recorrer às fontes para o abastecimento de água. Uma estátua feminina simboliza a Sociedade dos Amigos do País, promotora de sua construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra igreja construída no período barroco, apesar dos diversos estilos que a compõem, é a Basílica da Virgem dos Desamparados, uma das mais importantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocaliza-se na Praça da Virgem, a principal praça do Centro Histórico de Valencia, assentada sobre o antigo Foro Romano. Ao seu lado, situa-se a Porta dos Apóstolos da Catedral. A Basílica da Virgem dos Desamparados foi a primeira construção barroca erguida na cidade, entre 1652 e 1657, cujo projeto se deve ao arquiteto Diego Martínez Ponce de Urrana. Foi edificada para acolher a imagem da Virgem dos Desamparados,  Santa Padroeira de Valencia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O culto à Virgem dos Desamparados se remonta ao século XV, momento em que se fundou a Confradía de la Madre de Dios de los Inocentes y Desamparados, um patronato ligado a criação do primeiro hospital psiquiátrico que existiu no mundo, inaugurado em 1409, que prestou um grande auxílio aos indigentes, dementes e condenados. A fachada principal do templo responde ao período final da estética renascentista, dentro dos critérios de proporção, equilíbrio e simetria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja obteve o título de Basílica somente em 1948, outorgado pelo Papa Pio XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ no interior do templo onde podemos contemplar o magnífico edifício barroco. Sua planta oval foi a primeira que se construiu na cidade. A grande devoção dos valencianos a Virgem dos Desamparados e suas propriedades curativas influiu na escolha da planta oval do templo, pois na época existia uma relação entre este formato com o simbolismo mariano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExcepcional por sua grandiosidade, a cúpula se destaca tanto em seu aspecto exterior quanto interior, pois foi totalmente decorada com frescos pelo pintor espanhol Antonio Palomino (1655/1726) em 1701.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA imagem que se venera da Virgem é gótica, talhada em madeira no século XV. Abaixo, vemos o belo altar construído entre 1683 e 1694 para acolhê-la.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja é uma das preferidas dos habitantes da cidade para a celebração do casamento. Abaixo, vemos uma vista geral do interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA