Art Déco e Arquitetura Racionalista – Parte 2

Neste segundo post sobre  Art Déco e Arquitetura Racionalista, veremos dois aspectos fundamentais no desenvolvimento de ambas, as vidreiras e a influência do cinema. Na capital espanhola existem muitas vidreiras artísticas que representam aspectos relacionados à evoluçao da Art Déco. Muitas delas foram fabricadas pela prestigiosa Maumejean, empresa fundada em 1860 por Jules Pierre Maumejean, e que ainda existe. Uma das mais famosas decora o edifício da Facudade de Letras e Filosofia da Universidade Complutense de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste enorme painel de vitrais adorna a entrada da faculdade. Destruída na Guerra Civil, quando no campus da universidade foi travada uma das batalhas mais sangrentas da guerra, foi reconstruída para celebrar o septuagésimo quinto aniversário da faculdade. Para tanto, utilizaram-se documentos gráficos existentes da época, e sua reconstruçao coube a vários vitralistas de renome da cidade de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das artes mais associadas ao estilo Déco é o cinema. Nas décadas de 20 e 30 do séc. XX,  a sétima arte transforma-se num fenômeno de massas, principalmente depois da estréia do filme “O Cantor de Jazz”, quando se inauguram os filmes sonoros (1927). Alguns títulos produzidos na época refletem perfeitamente a atmosfera Art Déco, como a produçao alema “Metrópolis”, de Fritz Lang (também realizada em 1927). De fato, este filme expressionista tornou-se um paradigma da Art Déco, e seu ambiente futurista foi inspirado na Arquitetura de Chicago. As salas de cinema converteram-se no espaço perfeito para a difusao da nova arte e seus edifícios tornaram-se referências arquitetônicas. Em Madrid, embora alguns dos antigos edifícios que abrigavam salas de cinema foram totalmente reformados para usos completamente diferentes de sua concepçao original, ainda podemos contemplar algumas de suas características da época de sua construçao. Abaixo, por ex., vemos o antigo Cinema Europa.

DSC08411Connsiderado um dos expoentes do Racionalismo Madrilenho, o Cine Europa foi construído pelo arquiteto Luis Gutiérrez Soto, autor de inúmeras salas de cinemas pela cidade, em 1928. O edifício foi influenciado pelo expressionismo alemao, em particular pelas obras criadas por Erich Mendelsohn. Uma de suas principais características é a fachada aerodinâmica, rematada na esquina por um formato semicircular, a modo de uma quilha de barco.

DSC08414Outro aspecto desenvolvido a partir dos anos 30 na arquitetura racionalista foi o emprego de grandes janelas situadas na fachada e ao longo das escadas interiores, como vemos no Cine Europa.

DSC08415Também realizado por Luis Gutiérrez Soto, o Cine Barceló é considerado sua obra prima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1931, o Cine Barceló é justamente reconhecido como um dos melhores exemplos da Arquitetura Racionalista de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior, observamos a horizontalidade de suas linhas combinadas com a curva, além de vários elementos derivados da arquitetura náutica, como as escotilhas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor último, vemos o antigo Cine Salamanca, que apresenta características simlilares aos anteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Cine Salamanca foi inaugurado em 1935, e projetado pelo arquiteto Francisco Alonso Martos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Cines Históricos – Madrid

Além da Gran Vía, em muitos outros lugares da cidade existiam locais de projeçoes cinematográficas, pois houve uma época em que qualquer local era idôneo para a instalação de um cinematógrafo. Em alguns casos, antigos armazéns se transformavam em salas de filmes. A partir dos anos 40, os grandes cines instalados em edifícios estavam situados no térreo, possibilitando a utilização do imóvel para o aluguel residencial. Algumas pequenas ruas possuíam vários estabelecimentos, como a Calle Doctor Cortezo, próxima à Porta do Sol. Nela conviveram, a partir do primeiro terço do séc. XX, o Cine Ideal, o Teatro Calderón, o teatro-cine Fígaro e o grande Frontón de Madrid, lamentavelmente desaparecido. Veremos nest post, e no próximo, alguns dos cines históricos da capital espanhola.

O Cine Doré é considerado o mais antigo da cidade, ainda em funcionamento. Recebeu este nome de Gustav Doré, um desenhista que se tornou famoso por ter ilustrado a bíblia. Outra explicação para o nome, é que em muitas ocasiões o local era conhecido como Cine Do-Ré, em referência às notas musicais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O primeiro cine com tal nome foi levantado em 1912. Anos depois, foi reforçado o salão existente e dotado de melhores medidas de segurança, além da original fachada de inspiração Art Noveau. Já o interior foi decorado com elementos modernistas. Nos anos 30, era conhecido como o “cine dos melhores programas”, e logo depois foi colocada a palavra sonoro, ao término da frase…

Com a Guerra Civil, o bairro de Lavapiés, onde situa-se o cine, foi duramente castigado, e o cine entrou em decadência. Outros cines próximos, como o Monumental, constituíram, também, uma complicada concorrência para o Doré. Durante uma época, ganhou apelidos depreciativos, e transformou-se num local de segunda categoria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Dessa forma, fechou em 1963, depois de meio século de projeções. Em 1978, foi adquirido pela prefeitura, que quis construir uma zona verde no local, projeto que foi abandonado devido à histórica arquitetura do edifício. Um grupo de artistas, jornalistas, políticos e a própria opinião pública exigiram a reabilitação do cine, que finalmente foi transformado na sede da Filmoteca Nacional, tarefa que coube ao Ministério da Cultura. Uma grande reforma foi realizada devido aos 20 anos de abandono do edifício, reabrindo em 1989, com suas alegres pinturas e sua fachada original. Longa vida para o Cine Doré…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1923, o Cine Monumental era um dos maiores e modernos da capital,e também um dos mais freqüentados. Foi construído por Teodoro Anasagasti que, junto com Luis Gutiérrez Soto, são considerados os arquitetos mais importantes dos cines madrilenhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No início, funcionou apenas como cinema, e depois foi adaptado para representações teatrais. A partir dos anos 80, dedicou-se somente ao teatro, e atualmente se conhece como Teatro Monumental, sendo também a sede da Orquestra e Coro da Rádio e Televisão Espanhola. Abaixo, vemos uma de suas entradas laterais, e uma placa comemorativa, da época auge do estabelecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Construído como local teatral e cinematográfico, o Fígaro é um representante da denominada arquitetura racionalista, por sua simplicidade e funcionalidade. Inaugurado em 1931 como teatro, a partir do ano seguinte passou a projetar filmes, função que desempenhou até 1969. Em 2009, foi reformado, devolvendo-lhe boa parte de sua fachada original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro representante de edifício racionalista, o antigo Cine Salamanca exemplifica também a triste realidade dos cinemas que deixaram de existir e transformaram-se em lojas de roupas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1935 e fechado em 1987, menos mal que o exterior se conserva, apesar de que o interior foi adaptado à sua nova função.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O caso do Cine Madrid revela uma situação igualmente desalentadora. Localizado num edifício construído em 1898, fechou as portas em 2002 e, desde então, permanece esquecido e abandonado. Suas laterais conservam a decoração, reminiscências de glórias passadas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO antigo Cine Bilbao, situado na Calle Fuencarral, também foi golpeado por um trágico destino. Em 1993, sua cobertura externa, em mau estado, não suportou o peso excessivo do cartaz publicitário de um filme, e caiu sobre as pessoas que formavam uma fila para entrar no cine, causando várias vítimas mortais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO cinema foi fechado e no ano seguinte foi objeto de reformas, entre as quais uma sólida cobertura. Em 1995 foi reaberto com o nome de Cine Bristol, mas o estrago causado deixou sua marca, e o cinema foi fechado definitivamente anos depois. Neste caso, não foi suficiente a desesperada situação dos cines históricos urbanos para fechar mais um estabelecimento. A negligência humana se encarregou de realizá-lo, com conseqüências ainda mais graves.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post conheceremos outros cines históricos, e como vimos neste, o abandono e a esperança caminham lado a lado…