A Concatedral de Guadalajara

No plano religioso, Guadalajara conta com vários conventos e igrejas, que em breve veremos no blog. Seu principal templo é a Concatedral de Santa Maria, uma das mais peculiares do território espanhol. O termo concatedral designa um templo com nível de catedral, mas que divide a diocese local com outra catedral. Abaixo, vemos um plano geral da Concatedral de Guadalajara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo acontece em muitos casos no país (Toledo, Zaragoza, etc) a igreja foi construída sobre a antiga mesquita da cidade. Originária do séc. XIII, foi edificada no estilo mudéjar, como podemos observar em sua sóbria torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua característica principal é a combinaçao de estilos artísticos, devido às reformas e ampliaçoes realizadas durante os séculos posteriores à sua construçao. O pórtico, por exemplo, rodeia todo o átrio e foi incorporado ao templo apenas no séc. XVI, dentro da estética renascentista.

DSC07862Um dos principais aspectos que chamam a atençao da Concatedral de Guadalajara sao as 3 portadas formadas por Arcos de Ferradura, que lhe conferem uma personalidade própria e um aspecto exótico. Cada uma delas comunica com as 3 naves do interior do templo.

DSC07857DSC07859Atualmente, o interior encontra-se bastante modificado em relaçao ao aspecto original que possuía no séc. XIV, quando foi finalizada sua construçao. Ainda assim, nos revela belas perspectivas, com um belo conjunto dde retábulos barrocos.

DSC07950DSC07959A seguir vemos um dos retábulos que decoram as naves laterais da igreja, com uma interessante estátua do papa Joao Paulo II.

DSC07955O Retábulo Maior foi realizado em 1624 pelo frade Francisco Mir no estilo barroco.

DSC07951Na sequência, vemos uma imagem da parte superior do Retábulo Maior.

DSC07958

Cáceres – Extremadura

A cidade antiga de Cáceres constitui um excepcional conjunto monumental. Seu recinto amuralhado contém um dos mais significativos centros renascentistas de arquitetura civil e religiosa de todo o país. Devido à sua importância e grau de conservação, a cidade foi declarada Monumento Nacional em 1949 e Patrimônio da Humanidade em 1986.

Os primeiros vestígios datam da etapa romana. O núcleo primitivo da cidade atual surgiu a partir da colônia Norba Caesarina, fundada pelo cônsul Lucio Cornélio Balbo em 25 aC. Desta época conservam-se alguns fragmentos da muralha, construída entre os séculos III e IV dC. Depois do abandono da cidade com a queda do império, volta a retomar seu crescimento com a chegada dos árabes, que reedificam suas muralhas. Seus restos construtivos correspondem a muralha do antigo Alcázar desaparecido e o notável Aljibe, situado no Palácio Veletas (séc. XV). É considerado o segundo maior de todo o mundo, sendo superado apenas pelo Aljibe de Istambul. O Aljibe é um depósito destinado a guardar água potável procedente das chuvas.

A torre de Bujaco, levantada no séc. XII, é outro exemplo de construção desta época. De planta quadrada, possui 25m e do alto se vislumbra uma bela panorâmica da cidade.

Com a reconquista efetuada em 1129, Cáceres se converte numa cidade real, condição que permanecerá até 1882.O Palácio gótico de Carvajal (séc. XV) possui uma torre circular do séc. XII.

Durante os séculos XIII e XIV, diversas famílias do norte da península começam a construir solares, proporcionando sua característica arquitetura, com edificações austeras e de forte caráter defensivo.

A parte mais antiga do Palácio Episcopal é do séc. XIII, embora sua harmoniosa fachada seja renascentista (XVI).

A maior parte dos edifícios, porém, pertencem ao final do séc. XIV, além das reformas e ampliações realizadas nos séc. XV e XVI, fatos que comprovam o intenso impulso econômico que viveu a cidade neste momento. Alguns dos principais monumentos deste período são:

A Praça Maior, ligeiramente inclinada, possui planta retangular e está quase totalmente porticada (séc. XVI). A Ermita da Paz também é do séc. XVI, embora tenha sufrido reformas nos séc. XVIII e XX. Abaixo, vemos uma foto da ermita, com a Torre de Bujaco ao fundo.

A Concatedral de Santa Maria é um templo de transição do estilo românico ao gótico e foi levantado entre os séc. XV e XVI, sobre uma edificação anterior do séc. XIII. No interior, o destaque é o retábulo plateresco feito de madeira de cedro, de 1551.

Abaixo, uma imagem do órgao da concatedral.

O séc. XVII representou um período de crise, somente superado no século seguinte, quando são realizadas reformas urbanísticas, como a entrada ao bairro antigo, o denominado Arco da Estrela. Foi levantado para possibilitar o acesso de caruagens ao centro histórico.

A Igreja da Companhia de Jesus foi terminada em 1755, 12 anos antes que a Ordem dos Jesuítas fosse expulsa do país. No exterior destaca suas dois torres gêmeas.

A Torre das Cegonhas foi a única que se conservou da época dos Reis Católicos, que mandaram derrubar todas (1476) para evitar que algum senhor feudal se atrevesse a desafiar a coroa, amparando-se em suas seguras muralhas. Somente esta foi perdoada, a do capitão Diego de Cáceres Ovando, devido a amizade que tinha com os reis. Seu filho, Nicolás Ovando tornou-se o primeiro governados das ilhas Espanholas, hoje República Dominicana e Haiti, e o primeiro estremenho em chegar à América.

Um dos principais acontecimentos festivos que ocorrem na cidade sao realizados na Semana Santa. As procissoes sao muito populares, ocasiao onde se venera as imagens dos santos de devoçao, como se pode ver abaixo, na Praça Maior.

Atualmente, Cáceres é uma cidade universitária e de serviços, com uma grande oferta cultural, incrementada depois do título outorgado pela Unesco.