Convento de San José: Ávila

O Convento de San José foi fundado por Santa Teresa em 1562, o primeiro da Ordem das Carmelitas Descalças em toda a Espanha. Nele, estabeleceu a regra primitiva do Carmelo (século XIII), materializando a reforma carmelita, baseada na austeridade, contemplação, oração e penitência.Sua fundação é narrada pela própria santa no “Livro de la Vida“, sendo também o local onde escreveu grande parte de sua obra mística e literária. No início, o convento foi constituído por um conjunto de casas que foram sendo adquiridas mediante doações, e a igreja situava-se num pequeno dormitório, dada as pequenas dimensões do convento. Com o tempo, foi sendo ampliado, chegando a haver 4 igrejas anteriores à atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída por Francisco de Mora no século XVII, sua arquitetura tornou-se o modelo do que se conhece como Igreja Carmelitana, um retângulo vertical formado por 3 espaços distintos, rematado por um Frontón (estrutura triangular) em sua parte superior. Na parte inferior, vemos uma arcada composta por 3 arcos. No nível intermediário se colocou uma imagem do santo titular da igreja, San José. No terceiro nível, uma janela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO objetivo de Santa Teresa era construir uma clausura em que se pudesse viver a regra primitiva da Ordem das Carmelitas como se fosse uma grande família, dentro dos preceitos da pobreza, obediência e penitência. Por este motivo, em Ávila é conhecido como “Convento de las Madres“. Apesar da precaução com que a santa organizou sua construção no mais absoluto sigilo, não pôde fazer nada com que as pessoas tomassem consciência do fato, sendo duramente perseguida até que recebeu a autorização do Papa Pio IV para sua fundação. Teresa estipulou o número máximo de religiosas do convento em 13, 1 priora e 12 freiras. Com o tempo, a própria santa aumentou para 20. Depois de sua morte, se fixa em 21 o número de religiosas do convento, pois o desejo das freiras era que Santa Teresa ocupasse esta vaga, de forma simbólica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da regra primitiva da Ordem do Carmelo ter sido aprovada em 1247, Santa Teresa se inspirava numa época anterior, quando os eremitas que viviam no Monte Carmelo desenvolveram um modelo de vida austero e dedicado à oração. As freiras começaram a tratar-se como irmãs e mães, e Teresa passou a ser chamada Teresa de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASanta Teresa viveu 5 anos no Convento de San José, berço de sua reforma e que serviu de plataforma para a fundaçao de outros conventos pelo país. Ainda hoje o convento conserva o espírito de sua fundadora. Uma pena as fotos estarem proibidas em seu interior, pois conserva muitas lembranças de sua vida na clausura. Junto à igreja, situa-se o Museu Teresiano, fundado em 1970 com uma coleção de obras de arte e relíquias da santa, objetos pessoais, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Santa Teresa de Ávila: Parte 2

Em 1542, Santa Teresa sofreu uma grave doença, fato que a obrigou deixar o Convento de N.Sra de Gracia. Os médicos aconselharam a D.Alonso, seu pai, que a levassem ao campo para que se recuperasse, e durante os meses seguintes descansou na casa de familiares que tiveram uma grande importância em sua vida, como seu tio Pedro, que lhe ajudou em sua vocação religiosa, mostrando-lhe diversas obras literárias que repercutiram na sobrinha, como “As Epístolas de San Jerónimo“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecuperada da doença, regressa à casa de seu pai em Ávila. Depois de um período de reflexão, decide seguir a vida religiosa, tornando-se freira. Ingressa, contra a vontade paterna, no Monastério de la Encarnación, local decisivo para o desenvolvimento de sua vida (o próximo post estará dedicado a ele), que vemos abaixo numa foto geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor esta porta, Santa Teresa entrou por primeira vez no monastério, e nele permaneceu um total de 30 anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando cumpriu um ano depois de ingressar no monastério, finalmente seu pai aceitou seu destino como religiosa, entregando à instituição alguns bens familiares. A partir de então, sua filha passou a viver numa cela própria. Naquela época, a clausura se observava de forma distinta aos dias atuais. Havia permissividade em relação às visitas, sendo constante o contato com pessoas do mundo exterior, além do fato que as freiras saíam do convento. O motivo principal era a alimentação, pois o monastério encontrava-se em dificuldades financeiras, e as freiras tinham que ir à casa de seus familiares para comer.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro problema existente na clausura do Monastério de la Encarnación era de natureza social, a diferença de classes entre as próprias freiras. Enquanto algumas delas viviam em celas exclusivas, com uma certa comodidade, outras dividiam um dormitório com demais freiras. Pouco tempo depois de sua entrada, a doença golpeou novamente a santa, que mais uma vez teve que recuperar-se fora do convento. Em 15 de agosto de 1539 sofreu um colapso que a deixou 4 dias inconsciente.  Recuperou-se somente na primavera de 1542, e sempre considerou que sua cura se deveu a um milagre de São José. Abaixo, vemos outras imagens do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASanta Teresa passa a experimentar experiências místicas de união com Cristo, a Virgem Maria e os Santos, graça que lhe acompanhará pelo resto de sua vida. Em seus escritos, narra com detalhes algumas delas, como a Paixão de Cristo, em que Ele permaneceu preso a uma coluna.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA experiência mais famosa é a conhecida “Transverberación“, que se produziu na intimidade de sua cela, onde sentiu como fogo divino lhe “golpeava” o coração e ampliava sua capacidade de união mística. Abaixo, vemos uma representação do fato num quadro anônimo do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido aos problemas vivenciados durante sua longa estadia no monastério, que distanciavam as religiosas de sua vocação e de uma vida dedicada a Deus, Santa Teresa pouco a pouco, inspirada pelas experiências místicas, decidiu reformar a Ordem das Carmelitas. Segundo ela, o Carmelo deveria retornar aos princípios básicos de pobreza e oração com os quais havia sido criado originalmente. Mesmo com a resistência da igreja e depois de muitas dificuldades, fundou em Ávila o primeiro Convento da nova Ordem das Carmelitas Descalças, o Convento de San José.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Padre Geral da Ordem Carmelita da Espanha, Fray Juan Bautista Rubeo, ficou encantado com o que viu no Convento de San José. Depois da autorização papal, Santa Teresa recebeu a ordem de fundar por todo o país tantos conventos quanto possível, tarefa a qual a santa se entregou até o final de sua vida. Fundou 17 monastérios segundo a nova ordem carmelita, mas a árdua missao de percorrer o país sem descanso lhe custou a vida, vindo a falecer na cidade de Alba de Tormes (Província de Salamanca) em 1582, local onde permanece enterrada.