Monastério de San Esteban – Galícia

Uma vez mais um casal de grandes amigos de São Paulo, o Marcelo e a Cristina, vieram à Espanha com a finalidade de percorrer o país e conhecer suas cidades e lugares de interesse. No ano passado, tive a oportunidade de realizar uma pequena parte do Caminho do Norte, uma das variantes do Caminho de Santiago, com este casal apaixonado pelo país, cujas matérias foram publicadas entre 15/10/2017 e 11/11/2017. Desta vez eles fizeram um trajeto de carro, e me encontrei com eles em Valladolid para iniciar uma viagem pela Galícia, uma comunidade autônoma situada no noroeste da Espanha, fronteira com o norte de Portugal. Nossa primeira parada, a 4 horas de carro desde Valladolid, foi o incrível Monastério de San Esteban de Ribas de Sil (Santo Estevo, no idioma gallego), onde permanecemos durante 3 dias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste monastério é considerado um dos mais importantes de toda a Galícia, além de ser um dos mais bem conservados. Está situado numa região de grande beleza natural, a denominada Ribeira Sacra, cortada pelas águas do Rio Sil, uma importante via fluvial da comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta zona do país possui uma longa tradição religiosa, e esteve habitada por tribos célticas, como podemos comprovar nos restos arqueológicos existentes no bosque localizado ao lado do monastério (século I aC). Constituem vestígios da base de uma casa circular que integrava um castro, como se conhecem os povoados habitados por esta cultura. Procedentes do norte da Europa, os celtas chegaram a atual Galícia no ano 700 aC, e foram conquistados pelos romanos no ano 60 aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA história deste monastério remonta à época visigoda, período em que provavelmente existiu uma construção que foi abandonada depois que a comunidade de religiosos se dispersou para seguir uma vida de eremitas. No século X, um ermitão chamado Franquila reuniu todos os anacoretas que viviam na zona para formar uma nova comunidade. No ano 909, o Rei Ordoño II concedeu privilégios ao abade do monastério, quando se inicia sua reconstrução.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANove bispos  se retiraram ao monastério nesta época, e ficaram conhecidos por sua fama de santidade. As nove mitras que integram o escudo de armas do monastério recordam o legado destes monges.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o tempo, o Monastério de San Esteban acolheu a regra beneditina, recebendo novas doações e privilégios, como os outorgados pelo monarca Alfonso IX em 1220. Na fachada principal do conjunto monacal, vemos uma escultura de Sao Bento (San Benito, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1506, por decisão do Papa Julio II, foi anexionado à Congregaçao de Valladolid. Depois, se fundou no monastério um colégio de artes e filosofia, quando alcança novos tempos de prosperidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1835, o monastério é novamente abandonado durante a denominada Desamortizaçao de Mendizábal, que causou a desapropriaçao dos bens eclesiásticos. Abaixo, vemos a fachada do monastério, realizada no século XVIII. Ao lado, a igreja conventual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa esquina da construção se ergue uma robusta torre, composta por 3 níveis de altura, limitando com um extenso bosque de robles e castanheiras, por cujas trilhas podemos passear e admirar sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à antiguidade do monastério, podemos apreciar vários estilos artísticos, desde o românico até o barroco. Foi transformado em Parador Nacional em 2004, uma rede de hotéis da Espanha que se caracterizam pela instalação de sua rede hoteleira em locais históricos. Suas dependências, como de costume, são confortáveis e de bom gosto decorativo. Possui, inclusive, um spa para relaxar…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do monastério foram colocados dois dos símbolos da Galícia, um Cruzeiro (cruceiro, em gallhego e crucero, em espanhol)) e um Hórreo. Este último constitui uma típica construção para fins agrícolas, destinado a armazenar e a secar o milho e outros cereais. Conta com um espaço retangular e estreito para este objetivo, e separado do solo para evitar a entrada de animais e também da umidade. Em Portugal, estas estruturas se conhecem como Espigueiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá os Cruceiros, abundantes também no Brasil, constituem uma coluna de pedra situado sobre uma base e colocados em lugares estratégicos, como encruzilhadas de caminhos, locais elevados, diante de uma igreja etc. Em sua parte superior, normalmente aparece Cristo Crucificado de um lado, e a Virgem Maria ou um Santo do outro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte deste belo monastério….

Colegiata de San Isidro – Parte 2

Apesar das dificuldades atravessadas ao longo de seus quase 4 séculos, o interior da Colegiata de San Isidro guarda vários elementos de interesse. Abaixo, vemos uma imagem geral, com a nave central e o Retábulo Maior no fundo, obra de Ventura Rodríguez que, apesar de destruído na Guerra Civil, foi restaurado com uma réplica fiel do original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro do retábulo, vemos as arcas depositárias dos restos de San Isidro e de sua esposa, Santa Maria de la Cabeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASobre o crucero (ponto central de intersecçao entre a nave central e a nave transversal), levanta-se uma cúpula desenhada por Francisco Bautista. Trata-se do primeiro exemplo da chamada Cúpula Encamonada, um tipo falso de cúpula traçada sobre uma estrutura de madeira e recoberta de gesso. Devido ao pouco peso, facilita seu apoio sobre muros de pouca grossura. A fórmula representou um grande êxito arquitetônico, estendendo-se a outros templos madrilenhos do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos uma foto exterior da cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Colegiata de San Isidro está decorada por várias e belas capelas. Comheceremos algumas delas, como a de N.Sra do Bom Conselho, a maior da igreja. No centro da capela, vemos um retábulo barroco do séc. XVIII, com as imagens laterais de Sao Joaquim e Santa Ana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela das Duas Trindades possui um retábulo do séc. XVII, realizado por Sebastián Herrera Barnuevo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém barroca e do séc. XVIII é a Capela de Sao Cosme e Sao Damiao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA colegiata é a sede de duas hermandades, a de Jesus do Grande Poder e da Virgem da Macarena, e ambas possuem suas próprias capelas. Abaixo, vemos a da Virgem de Macarena, com uma belíssima imagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de Jesus do Grande Poder é considerada uma das mais belas capelas barrocas de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, uma talha impressionante de um Cristo muito verado pelos habitantes da cidade, obra de José Antonio R. Andés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas partes laterais da capela, vemos duas pinturas de Francisco Ricci realizadas no séc. XVII, uma delas representando o Calvário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcluimos o post sobre a Colegiata de San Isidro com uma maravilhosa escultura da Virgem, da escola madrilenha e executada no séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA