Apóstolo Santiago – Parte 2

O Apóstolo Santiago, um dos 12 apóstolos de Jesus e Padroeiro da Espanha, foi chamado de Santiago Maior para diferenciá-lo de outro discípulo de mesmo nome, que passou a ser conhecido como Santiago Menor, por ser mais jovem. A origem do nome Tiago deriva indiretamente do latim Iacobus, por sua vez uma latinização do nome hebraico Yaakov, em português Jacó. Com o decorrer do tempo, o nome evoluiu em diversas denominações segundo os distintos idiomas:  Jakob em alemão, James em inglês, Giacomo em italiano e Jacques em francês. Na Catalunha é conhecido como Jaume ou Jaime.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do século XI, os peregrinos que realizavam o Caminho de Santiago, com destino final em Santiago de Compostela, se converteram num fenômeno de massa a nível europeu. Esta famosa rota de peregrinaçao foi impulsionada por monarcas, como o Rei Alfonso VI, e também pela importante Ordem Beneditina de Cluny (França), que introduziu na Península Ibérica a liturgia romana e fixou o traçado do Caminho de Santiago, que atravessa o norte da Espanha. Este fato foi fundamental para transformar a imagem do apóstolo em Santiago Peregrino, uma de suas principais manifestações no campo iconográfico e artístico. A influência do Caminho de Santiago na configuração das lendas associadas ao apóstolo é enorme. Um de seus principais atributos, que permitem identificá-lo, é a espada com a qual foi martirizado (decapitado) e o livro, símbolo da doutrina evangélica. Como Santiago Peregrino, normalmente aparece com um chapéu de aba larga, bastão de caminhante, e a Concha de Vieira, outro de seus símbolos principais. Acima e abaixo, vemos representaçoes de Santiago como Peregrino, em esculturas pertencentes ao Museu do Caminho de Astorga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté princípios do século XVI, o Apóstolo Santiago é representado com seus atributos de Peregrino, mas conservando suas características de apóstolo, como o livro, a vestimenta e os pés descalços. Outra faceta fundamental do apóstolo é como defensor da fé católica dentro do processo de Reconquista da Espanha, um santo guerreiro. Segundo a tradição, durante as batalhas entre os muçulmanos e os cristãos ao longo dos séculos em território espanhol, milagrosamente aparecia o Apóstolo Santiago num cavalo branco, com a espada na mão, auxiliando o exército cristão a derrotar o inimigo. Os mouros aparecem aplastados sob as patas do cavalo do apóstolo. Um exemplo é a Batalha de Clavijo, ocorrida na atual região da Rioja, no ano de 844. Abaixo, vemos um quadro que retrata a Batalha de Clavijo, situado na Igreja de Santiago de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesta forma, nasce a representação de Santiago Matamoros, uma das mais habituais relativas ao santo, sendo que é assim representado por primeira vez no ano 1230. Sempre segundo a tradição das lendas a ele associadas, o Apóstolo Santiago também interviu em outra batalha fundamental, a das Navas de Tolosa, ocorrida no século XIII. Abaixo, vemos uma escultura de Santiago Matamoros do século XVIII, presente na Catedral de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mesma cena aparece na fachada da Igreja de Santiago em Logroño, capital da Rioja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra cena constante é o transporte de seu sepulcro, puxado por bois. Na Capela de Santiago da Catedral de Segóvia, vemos um retábulo com esta representação. Na parte central vemos Santiago Peregrino e, na parte superior, Santiago Matamoros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde o século IX, os reis cristãos reconheceram o Apóstolo Santiago como Padroeiro da Espanha, e estabeleceram o Voto de Santiago, que consistia numa oferenda obrigatória que as terras reconquistadas deveriam realizar anualmente como bens à Catedral de Santiago de Compostela, graças ao auxílio recebido pelo apóstolo na reconquista. Sua figura teve também um papel inspirador na Conquista da América, onde foi declarado padroeiro de várias cidades latino americanas, como Santiago do Chile, Santiago de Cuba e Caracas, entre muitas outras. Abaixo, vemos a Igreja de Santiago de Medina de Rioseco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1630, durante o reinado de Felipe IV, o Papa Urbano VII declarou o Apóstolo Santiago como o único Padroeiro da Espanha. Abaixo, vemos a estátua equestre do monarca, situada na Plaza del Oriente de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos símbolos mais famosos associados ao Caminho de Santiago e ao apóstolo é a Concha de Vieira, um molusco abundante na Galícia. Sua origem é duvidosa, mas uma lenda conta que o apóstolo salvou um cavalheiro que caiu no mar, sendo coberto por conchas. O que se sabe com certeza é que os peregrinos que chegavam à Santiago de Compostela recebiam, como prova da realização do caminho, um diploma feito de pergaminho que comprovava a façanha, e colocavam no seu sombreiro uma Concha de Vieira. Portar a concha passou a ser considerado um tributo ao apóstolo. Na capital galega e por todo o Caminho de Santiago, é habitual ver a concha,  que vemos representada na arquitetura, junto a Catedral de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Concha de Vieira marca também a rota do caminho, como vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XII, com o intuito de proteger os peregrinos e também para colaborar no processo de Reconquista, foi criada a Ordem Militar de Santiago. Seu símbolo é uma cruz vermelha simulando uma espada, uma referência ao seu caráter guerreiro e ao seu martírio. Às vezes, o Apóstolo é representado como um cavalheiro, com a espada e um estandarte branco, com a Cruz da Ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cruz de Santiago aparece, de forma curiosa, numa das sobremesas tradicionais da Galícia, que podemos provar por todo o país, a Torta de Santiago. Sua origem é remota, provavelmente do século XVI. Feita de amêndoas e ovos, em 1924 uma confeitaria de Santiago de Compostela decidiu enfeitar o dôce com a Cruz de Santiago

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria sobre o Apóstolo Santiago com outra igreja dedicada ao santo, em Ávila..

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Igreja de Santiago – Madrid

No post de hoje conheceremos a história da Igreja de Santiago de Madrid. Na realidade, trata-se da continuação do post anterior, não só pela localização da igreja, situada na Plaza de Santiago, que se encontra ao lado da Plaza de Ramales, mas também devido a mesma circunstância histórica, pois como sucedeu com a Igreja de San Juan Bautista, o antigo templo dedicado ao Apóstolo Santiago também foi derrubado durante o reinado de José Bonaparte em 1810.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago era uma das mais antigas da cidade, pois se encontra documentada no Foro de Madrid, outorgado pelo rei Alfonso VIII em 1202. José Bonaparte mandou derrubar boa parte das edificações situadas na fachada oriental do Palácio Real para a construção da Plaza del Oriente, condenando ambos templos, situados próximos um do outro. No entanto, a diferença da Igreja de San Juan Bautista, o rei francês ordenou a construção de uma nova igreja dedicada ao Padroeiro da Espanha. Para tanto, encarregou ao arquiteto Juan Antonio Cuervo um projeto arquitetônico, cujo resultado podemos apreciar hoje em dia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção da Igreja de Santiago foi inspirada no classicismo do arquiteto Juan de Villanueva, autor do projeto do Museu do Prado, entre outros edifícios emblemáticos da capital. Apresenta uma fachada sóbria, composta por pilares feitos de granito e o resto de sua estrutura em tijolo. No centro da fachada vemos um relevo em que aparece o Apóstolo Santiago auxiliando o exército cristão do rei asturiano Ramiro I na Batalha de Clavijo, travada contra os muçulmanos no ano de 844 ( ocorrida no atual território da Comunidade da Rioja). Dentro da iconografia do apóstolo, esta intervenção milagrosa nas batalhas da reconquista, quando Santiago aparecia montado num cavalo branco para derrotar o exército inimigo, é conhecida como Santiago Matamouros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo possui uma planta de cruz grega. O altar maior está presidido por um quadro que também representa a Santiago Matamouros. Realizado por Francisco Ricci, esta obra fazia parte da antiga igreja desaparecida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre as colunas do retábulo foram colocadas esculturas dos denominados 4 Padres da Igreja Católica: Santo Agostinho (356/430), São Jerônimo (347/420), São Gregório Magno (540/604) e São Ambrósio (340/397).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Santiago é o início do chamado Caminho de Santiago Madrilenho, que parte em sentido norte até a cidade de Sahagún (Castilla y León), quando então se une com o tradicional Caminho Francês. Na placa indicativa da praça, aparece o emblema desta histórica rota de peregrinação, bem como a indicação ao Convento de Uclés, situado na Província de Cuenca. Historicamente, este convento foi fundamental para a Ordem de Santiago, pois nele instalou sua sede central, e onde atualmente se guarda o importante arquivo desta ordem militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada do templo observamos elementos associados ao apóstolo, como a Cruz de Santiago e a Concha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo curiosidade, o arquiteto Juan Antonio Cuervo e seu sobrinho Tiburcio Pérrez Cuervo foram retratados pelo genial pintor Francisco de Goya, cujos quadros podem ser vistos no Museu de Arte de Cleveland e no Metropolitan de Nova York.

Plaza de Ramales – Madrid

Situada próximo ao Palácio Real e de frente para a Plaza del Oriente, a Plaza de Ramales é um tranquilo lugar para se tomar um bom copo de vinho e admirar sossegadamente a beleza de seu entorno. O local é cheio de história, e surgiu durante o governo de José Bonaparte, em 1810. Não foi por acaso que este monarca francês recebeu o apelido de “Rei Plazuelas“, pois uma de suas maiores preocupações consistia em derrubar edifícios e conventos ou igrejas antigas para a construção de espaços públicos, como praças.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente se chamava Plaza de San Juan, já que no lugar se erguia a Igreja de San Juan Bautista, uma das mais antigas de Madrid, erguida no início do séc. XIII. Em 1999, realizaram-se obras para um estacionamento subterrâneo na praça, e foram encontrados os restos arqueológicos da igreja, bem como objetos de cerâmica, provavelmente da época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2005, foram colocados bancos na praça. O interessante é que estão colocados simulando o formato e a localização da antiga igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do local onde foram descobertos os achados arqueológicos, foi colocada uma placa com a planta original da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vocês podem ver na primeira foto publicada com o nome da praça, aparece como referência da mesma o universal pintor sevilhano Diego Velázquez. Na placa vemos que está  retratado com a Cruz de Santiago, pois antes de falecer foi nomeado cavalheiro desta ordem pelo rei Felipe IV graças aos serviços prestados durante seu reinado, pois Velázquez foi o pintor real do referido monarca. E que tem a ver o pintor com a praça ? O fato é que ele foi enterrado na desaparecida Igreja de San Juan Bautista. Com a sua demolição, seus restos se perderam. Incrível que na época ninguém alertou para que seu sepulcro fosse levado para outro lugar…Ou seja, os restos do artista podem estar situados em qualquer parte do subsolo da praça, mas ninguém sabe aonde !!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm memória ao genial pintor de “As Meninas” levantou-se uma coluna de pedra rematada com uma cruz. No pedestal, o nome do pintor com suas datas de nascimento e falecimento, e inscrições alusivas ao seu enterramento na igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Plaza de Ramales recebeu este nome em homenagem ao povoado de Ramales, situado na Cantábria. Nesta localidade foram travadas batalhas em 1839 entre os fiéis a rainha Isabel II e os adeptos de Carlos V, que almejava o trono. Este episódio relaciona-se com a denominada Primeira Guerra Carlista. Na praça, podemos contemplar algumas residências emblemáticas de algumas épocas históricas de Madrid. Do séc. XVIII, por exemplo, destaca a Casa Palácio de Domingo Trespalacios, construída por Andréz Diaz Carnicero em 1768, um exemplo da arquitetura residencial aristocrática do período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Casa Palácio de Ricardo Angustias foi construída na década de 20 do século passado. O imóvel foi projetado pelo arquiteto Cayo Redón y Tapiz, que reformou um edifício pré-existente, colocando dois novos andares e conferindo ao edifício um aspecto medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma das esquinas da praça vemos algo raro atualmente em Madrid, embora comum em outros locais da Espanha. Trata-se de uma imagem da Virgem conhecida como Rinconeras, tradicionalmente colocadas nas esquinas das ruas como objeto de devoção ou como agradecimento aos pedidos atendidos. Neste caso em particular, esta virgem é chamada “La Dolorosa“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem nesta esquina, um atentado do ETA lamentavelmente custou a vida de 3 pessoas em 1994. A imagem da Virgem não sofreu nenhum dano, apenas os vidros que a protegem se racharam, mas prontamente foram substituídos pelos vizinhos da zona. Do lado da praça encontramos a Calle de Santiago, cuja igreja dedicada ao apóstolo também desapareceu na época de José Bonaparte, sendo substituída pela atual. Sua história será o tema do próximo post…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

El Toboso – Província de Toledo

Localizado na Província de Toledo (Comunidade de Castilla-La Mancha), o povoado de El Toboso é um dos pueblos de maior vínculo com a universal obra de Miguel de Cervantes, “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha”. Um dos principais motivos para isso é que no pueblo encontramos a casa natal de Dulcinea, a amada idealizada de Don Quixote.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar se ser uma reconstruçao do séc. XX, a casa conserva parte de sua estrutura original do séc. XVI, e pode ser visitada, já que funciona como museu. Pertencia a uma das famílias ilustres de El Toboso (Martínez Zarco de Morales) e, segundo a tradiçao, na época em que viveu Cervantes, foi habitada por D.Estebán e Dona Ana, sua irma, que inspirou o personagem de Dulcinea. Na fachada, podemos ver os escudos dos proprietários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu reconstrói uma residência típica manchega do séc. XVI, mas quando estive no povoado já tinha fechado para visitas. Também podemos ver outro museu dedicado a Miguel de Cervantes, com uma exposiçao que contém uma enorme coleçao de ediçoes da novela, nos mais variados idiomas. Entre as mais de 200 ediçoes contabilizadas, destacam a primeira realizada no idioma euskera (País Vasco) e outra escrita em caracteres celtas, proveniente da Irlanda. Abaixo, vemos uma escultura que preside a praça central do pueblo, com Don Quixote reverenciando sua amada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o desejo de difundir a obra de Cervantes e popularizar o município, as autoridades locais realizaram uma rota literária composta por várias placas espalhadas pela cidade, nas quais estao citadas frases tiradas da novela. Foram colocadas de tal maneira que, circulando pelo local, se pode seguir os passos de Don Quixote e Sancho Panza por El Toboso. Em todos os lugares, existem referências a obra do escritor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Convento das Clarissas, construído no séc. XVI, as freiras dedicam uma parte de seu tempo para a  elaboraçao de um doce chamado “Caprichos de Dulcinea”. Abaixo, vemos uma foto deste templo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA religiosidade é marcante em El Toboso. Seu principal monumento religioso é a Igreja de San Antonio Abad, que impressiona por suas dimensoes, apesar do tamanho reduzido do pueblo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA construçao foi realizada a partir de 1511, e desde sua criaçao foi administrada pela Ordem de Santiago. Posteriormente, foi incorporada à Arquidiocese de Toledo. A seguir, vemos a denominada Cruz de Santiago esculpida no templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1993, a igreja sofreu um terível incêndio, sendo que seu processo de restauraçao finalizou-se três anos depois, quando foi reaberta ao público. Abaixo, vemos a portada renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais festas da localidade está dedicada ao Santo Cristo da Humildade, o padroeiro da vila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a minha visita a igreja onde se encontra a imagem do santo, um habitante me contou que presenciou vários milagres relacionados com ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA imagem sai em procissao durante as festas em sua homenagem, como podemos ver acima. Finalizamos com uma foto da igreja onde ela se encontra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Caminho de Santiago em Logroño

O Caminho de Santiago está intimamente ligado à história de Logroño, constituindo um dos motivos fundamentais para o seu desenvolvimento. O peregrino que chega a cidade proveniente da Comunidade de Navarra é recebido pelo Arco do Caminho, uma escultura realizada em 2005, que celebra a passagem da rota jacobea por Logroño.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seguida, cruza a Ponte de Pedra, aproximando-se do centro histórico da capital riojana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes, porém, poderá refrescar os pés cansados numa fonte situada no Parque del Pozo Cubillas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte está decorada com um dos símbolos associados ao caminho e também ao Apóstolo Santiago, a Concha. Pertence à espécie conhecida como Vieira, uma palavra do idioma galego, pois sao abundantes na regiao da Galícia. Existem muitas interpretaçoes acerca de seu significado e o simbolismo vinculado ao apóstolo. Passou, com o tempo, a denominar-se Concha de Santiago, pois os peregrinos que chegavam a Santiago de Compostela recebiam um pergaminho que confirmavam a finalizaçao do caminho, bem como uma concha, colocada no sombrero ou na capa que vestiam, demonstrando sua estância na cidade. Dessa forma, quando regressavam ao seu pueblo de origem, as pessoas podiam certificar-se que o peregrino havia sido capaz de completar a rota. Atualmente, a concha integra a idumentária daqueles que realizam o caminho, e se diz que protege o peregrino, sendo um amuleto contra os maus espíritos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro histórico, muitos lugares de interesse esperam o peregrino, como vimos nos posts anteriores. Existem, no entanto, outros de visita obrigatória, graças ao vínculo que possuem com o famoso caminho. Um deles é a Fonte do Peregrino, construída em 1675, situada ao lado da Igreja de Santiago El Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da fonte, aprecia-se no solo uma série de locais que integram o caminho, que representam um jogo elaborado com referências ao mesmo, denominado Jogo da Oca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago é o templo com a maior vinculaçao histórica da cidade. Foi construída a partir de 1513 sobre uma antiga igreja românica, destruída por um incêndio. Conta a tradiçao que o templo primitivo foi levantado pelo rei Ramiro I, logo depois do desenlace da Batalha de Clavijo, localidade próxima à Logroño. Na mencionada disputa, os cristaos venceram os mouros graças à intervençao do próprio apóstolo, que apareceu no campo de batalha montado num cavalo branco, dando origem a lenda de Santiago Matamouros. Na fachada renascentista da igreja, realizada a modo de arco triunfal (séc. XVII), vemos a duas esculturas do apóstolo, representado como peregrino e como guerreiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja está formada por uma única nave de grandes dimensoes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela, destaca o Retábulo Maior, construído em 1649, com cenas representativas da vida do apóstolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro, vemos uma escultura de Santiago Peregrino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro dos símbolos associados ao apóstolo é a Cruz. Sua origem poderia estar relacionada com a época das Cruzadas, mas a hipótese mais aceita refere-se ao ano 844, quando sucedeu a Batalha de Clavijo. A Cruz de Santiago é facilmente reconhecida pela espada, adornada com  flores de Lis. Na igreja, podemos contemplá-la em vários locais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde o séc. XII, representa o emblema da Ordem dos Cavalheiros de Santiago, estando associada à sua condiçao cavalheiresca, bem como ao seu martírio, pois foi decapitado por uma espada. A concha também é visível em muitos pontos da igreja, inclusive como forma da Pia Batismal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da dura jornada, o peregrino poderá tranquilamente encontrar repouso no Albergue a eles destinados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA próxima etapa do caminho, saindo de Logroño, é a cidade de Nájera, situada a 26km. Um curioso mural, situado próxima à Igreja de Santa Maria de Palácio, combina a reconhecida fama gastronômica da cidade com as etapas do caminho, dando adeus ao peregrino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA