Colégio do Arcebispo Fonseca

Finalizando a matéria sobre a Universidade de Salamanca, no post de hoje veremos outro de seus edifícios históricos, o Colégio do Arcebispo Fonseca, também conhecido como o Colégio Maior de Santiago Zebedeo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste colégio foi um dos quatro colégios maiores pertencentes à Universidade de Salamanca, destinado em sua origem a jovens talentosos com poucos recursos econômicos. Foi fundado pelo Arcebispo de Santiago de Compostela Alonso de Fonseca em 1519, para os estudantes galegos que se matriculavam na instituição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seus projeto construtivo participaram arquitetos fundamentais do Renascimento Espanhol, como Diego de Siloé e Rodrigo Gil de Hontañón. De estilo plateresco, o edifício foi construído segundo os princípios dos conjuntos conventuais, cuja estrutura se organiza em torno a um claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a reforma universitária realizada pelo Rei Carlos III em 1780, o colégio foi fechado e um pouco depois, com a abolição dos Colégios Maiores, transformou-se num hospital em 1801. Abaixo, um detalhe decorativo do claustro, e uma das portas que se destaca por seu belo trabalho escultórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pátio é considerado um dos mais belos da Espanha do estilo renascentista. Abaixo, vemos a escada de acesso ao nível superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o restabelecimento de suas funções originais durante o reinado de Fernando VII, o edifício reabriu em 1817 mas voltou a fechar de forma definitiva em 1837. Acabou sendo ocupado pela comunidade de irlandeses que se estabeleceu em Salamanca, devido à perseguição inglesa aos católicos da Irlanda. Durante a Guerra da Independência, os franceses destruíram o antigo Colégio dos Irlandeses, e o antigo Colégio do Arcebispo Fonseca foi cedido a eles. Além do claustro, é possível visitar a antiga capela do colégio, uma verdadeira maravilha, com uma excepcional bôveda  de planta quadrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior da Capela foi realizado pelo escultor, pintor e arquiteto Alonso  de Berruguete (1490/1560), considerado um dos artistas mais importantes do Renascimento Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASe conserva também a antiga hospedaria construída no período barroco

OLYMPUS DIGITAL CAMERADeclarado Bem de Interesse Cultural em 1931, o antigo Colégio do Arcebispo Fonseca é utilizado hoje em dia como local de eventos culturais, bem como hospedagem para estudantes que realizam cursos de mestrado e doutorado na Universidade de Salamanca.

Real Colegiata de Santa María – Antequera

Depois da conquista de Antequera em 1410, a cidade se transformou num próspero centro urbano da Andalucía. No século XVI, uma grande expansão urbana e demográfica se produziu, e muitos monumentos foram construídos, com especial destaque para a Real Colegiata de Santa María La Mayor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA construção do templo foi ordenada pelo então Bispo de Málaga Diego Ramírez de Villaescusa. Para tanto, solicitou uma permissão ao Papa Julio II, que a concedeu mediante uma bula em 1503. A importância desta igreja reside no fato de que foi a primeira edificação  de estilo renascentista de toda a Comunidade de Andalucía, num momento em que ainda era vigente o gosto pela arquitetura gótica no país. Por este motivo, foram colocados os pináculos que vemos na fachada principal, um elemento característico do estilo gótico. Em frente à Real Colegiata, vemos a escultura do poeta Pedro Espinosa, uma referência à catedra de gramática que existiu no local, transformando a igreja num importante foco do humanismo na região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAImportantes e consagrados arquitetos participaram de sua construção. As obras se iniciaram somente em 1530, sob a direção do arquiteto Pedro López, que deixou concluída toda a cimentação do templo. Depois, o famoso arquiteto da Catedral de Granada (entre outras obras), Diego de Siloé, outorgou o aspecto renascentista que possui.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre, realizada com tijolo, foi edificada somente no séc. XVII, e não constava do projeto original. O acesso ao templo se dá depois de passar pelo Arco dos Gigantes, que vimos no post anterior. Abaixo, vemos imagens da torre, tiradas dos jardins da Alcazaba de Antequera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por um grande salão basilical, e constituído por 3 naves separadas por colunas de Ordem Jônico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da igreja, feito de madeira, é mudéjar do séc. XVI. Em 1692, a Real Colegiata foi levada à Igreja de San Sebastián, situada na parte baixa da cidade. Atualmente, o templo se encontra carente de elementos decorativos, pois não se dedica ao culto, sendo que seu espaço é utilizado para concertos e exposições. A Capela Maior foi realizada por Diego de Vergara entre 1545 e 1550, e sua bôveda é de crucería gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO elegante baldaquino que preside a Capela Maior foi construído em 2002, uma réplica fidedigna do original de 1578. Na época barroca, as procissões de Corpus Christi se realizavam com grande teatralidade, utilizando elementos profanos junto com as imagens religiosas. Um exemplo que podemos ver no interior da Real Colegiata é a Tarasca, uma representação de um monstro com forma de serpente ou dragão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASobre o monstro, vemos uma mulher, que normalmente simboliza a fé e o triunfo de Cristo sobre o pecado, representado pelo dragão, neste caso. A Tarasca da foto foi realizada em 1760, e está formada por 7 cabeças, uma referência aos sete pecados capitais. Em algumas cidades da Andalucía, ainda podemos observar as Tarascas pelas ruas, durante a semana de Corpus Christi…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Catedral de Burgos – Parte 3

Na segunda metade do séc. XV, chegaram a Burgos uma grande quantidade de artistas procedentes do norte da Europa, especialmente de Flandes, Alemanha e França. Muitos deles colaboraram com sua genialidade para a beleza da Catedral de Burgos, ao construírem muitas de suas partes mais famosas. Um desses artistas foi Simon de Colonia (falecido em 1511), filho de Juan de Colonia (falecido em 1481), que também deixou um legado importante na construção da catedral. Simon de Colonia foi o responsável pela maravilhosa Capela do Condestable, denominada também da Purificação. Abaixo, vemos seu aspecto exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela funerária foi finalizada por Simon de Colonia em 1494, a ele encarregada  por D.Pedro Fernández de Velasco (1425/1492), que possuía os títulos nobiliários de Conde de Haro, Senhor de Burgos e Condestable de Castilla, e por sua esposa, Doña Mencia de Mendoza (1422/1500), membro da poderosa linhagem dos Mendoza e irmã do Duque de Infantado. A Capela do Condestable é considerada uma das melhores obras construídas em Castilla neste período.

IMG_2851Simon de Colonia combina o estilo germânico com formas espanholas, criando nesta capela um grandioso espaço inspirado na arquitetura gótica alemã. A capela foi levantada sobre a antiga capela de São Pedro, situada na cabeceira do templo. Além dela, foram destruídas várias casas que se encontravam nas imediações da catedral. A capacidade deste artista pode ser comprovada na esbelta cúpula octogonal que realizou para esta capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos muros da Capela do Condestable podemos ver os escudos dos patrocinadores, a ambos lados do retábulo central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA capella possui 3 retábulos, sendo que o central representa a Purificação, concebido no estilo renascentista, provavelmente projetado pelo francês Felipe Vigarny e pelo burgalês Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da capela vemos o Sepulcro do Condestable de Castilla e de sua esposa, realizado por Felipe de Vigarny em 1525, com mármore genovês. Representa a ambos de forma idealizada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO título de Condestable foi criado pelo rei Juan I de Castilla para substituir o de Alferez Maior do reino. Aos nobres com tal denominação recaiam o comando supremo do exército, sendo considerados o maior representante do rei durante sua ausência. O monarca Enrique IV nomeou a Pedro Fernández de Velasco como Condestable de Castilla, a partir do qual o título se torna hereditário. Outra capela funerária de renome na Catedral de Burgos é a Capela da Concepção ou de Santa Ana, realizada por Juan de Colonia e seu filho, e terminada em 1483. Nela situa-se o magistral Retábulo Maior de Gil de Siloé, executado entre 1486 e 1492, que narra o mistério da Concepção Imaculada de Maria.

IMG_2848No centro do retábulo vemos o abraço de São Joaquim e Santa Ana diante da porta dourada de Jerusalém. Abaixo, o patriarca José aparece deitado e de seu peito nasce uma árvore que representa a descendência humana de Cristo. Gil de Siloé (nascido em Antuérpia, na Bélgica) é considerado o escultor mais importante da escola burgalesa do séc. XV e responsável por algumas das mais belas obras da arte hispano-flamenca, com um domínio técnico excepcional. Na Capela da Consolação ou de Sao José, vemos outra obra maravilhosa, uma bôveda octogonal e estrelada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos filhos de Gil de Siloé, conhecido como Diego de Siloé, nasceu em Burgos em 1495. Ficou tão famoso quanto o pai, e dele é uma das construções mais famosas de toda a catedral, a Escalera Dourada. Inicialmente trabalhou como escultor, e a Escalera Dourada foi sua primeira obra arquitetônica. Possui um caráter mais próprio das construções civis que religiosas, e para sua realização inspirou-se em modelos italianos, que conheceu pessoalmente durante uma viagem a Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sacristia da Catedral de Burgos apresenta uma bela cúpula oval repleta de uma decoração rococó, composta por cenas com motivos marianos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos outra imagem da Sacristia, com os retábulos nela existentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nossa visita a Catedral de Burgos com uma foto do Retábulo Maior (infelizmente um pouco desfocada…), executado pelos irmãos Rodrigo e Bartolomeu da Haya. As cenas que o compõem foram dedicadas à Virgem Maria, e sua representação foi feita para exaltar sua figura, através de episódios e personagens relacionados a sua vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero ter contribuído satisfatoriamente para mostrar um pouco desta belíssima catedral, e só por conhecê-la, uma visita a Burgos se torna amplamente recomendável.

Catedral de Burgos – Parte 2

A Catedral de Burgos é um desses lugares em que o olhar se perde diante de tanta beleza. Inumeráveis são suas obras de arte e sem fim os lugares que vale a pena comentar. Por isso, dividi a matéria em três parte, e ainda assim, não será suficiente para vê-la em toda sua dimensão. No post de hoje e no próximo, veremos alguns dos locais mais espetaculares desta construção emblemática do espírito humano e de sua capacidade para refletir o divino numa representação material. A Catedral de Burgos possui planta basilical de cruz latina, com três naves e girola, assim denominado o espaço sagrado que contorna o presbitério e o altar maior. Toda a nave está cercada por um trifório, um elemento tipicamente gótico, correspondente às galerias situadas entre as arquerías e os vitrais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO trifório foi construído no séc. XIII, durante a etapa inicial do erguimento da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Coro é um dos lugares mais importantes de qualquer catedral. Nele, os religiosos se sentam para realizar os cantos litúrgicos, e em muitos casos sua qualidade artística se manifesta pelo exímio trabalho dos melhores escultores, como no caso da catedral burgalense. Inicialmente, o coro situava-se na cabeceira do templo, mas no séc. XVI foi removido aos pés da nave central, uma solução construtiva tipicamente espanhola. Dessa forma, são criados espaços para os fiéis tanto em frente do altar maior, quanto na parte traseira do coro, denominada Trascoro. Nos assentos do coro foram talhadas imagens da vida dos santos e episódios do Antigo e Novo Testamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANormalmente, na lateral do coro são colocados os órgaos. A Catedral de Burgos possui dois deles, um de cada lado do coro. Abaixo, vemos o órgão mais antigo, de 1636, e depois vemos uma foto do outro, realizado em 1806.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem interna do maravilhoso Rosetón situado na parte superior da Porta de Sarmental, que vimos no post anterior,  o único que se conserva do período gótico na catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstes vitrais circulares são um símbolo da arquitetura gótica, e possuem um simbolismo relacionado à Virgem Maria, cuja devoção alcançou grande popularidade durante o período de construção das catedrais góticas europeias. Por isso mesmo, grande parte delas foram dedicadas à Virgem, como é o caso da Catedral de Santa Maria de Burgos. Outro elemento arquitetônico de destaque é o cimbório, uma estrutura que se sobressai na parte externa do templo, e situado na intersecção da nave central com a nave transversal, sobre a cúpula. O cimbório da catedral derrubou-se e em 1539 foi novamente erguido, composto de uma impressionante estrutura octogonal com reminiscências mudéjares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro foi construído no final do séc. XIII e princípio do XIV. Para chegar a ele, passamos por uma belíssima porta que conserva parte de sua policromia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA porta propriamente dita foi talhada provavelmente por Gil de Siloé, um dos grandes nomes do Renascimento Espanhol, no final do séc. XV, com cenas relativas à entrada de Jesus em Jerusalém e o Descenso ao Limbo, junto com as figuras de São Pedro e São Paulo na parte inferior. No tímpano, vemos a cena do Batismo de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGeralmente, o claustro é o local mais importante de um Convento, Monastério ou Catedral, depois da igreja. De planta quadrada ou retangular, nele a comunidade de religiosos percorriam seu perímetro lendo os episódios da Bíblia sendo, portanto, um local de recolhimento e meditação. Também utilizado como lugar de enterramento, o claustro possui um simbolismo ligado ao Paraíso Celestial, com um grande pátio central onde florescem árvores frutíferas e uma fonte de água no centro. Abaixo, vemos algumas imagens do claustro da Catedral de Burgos.

IMG_2857IMG_2866O claustro comunica com vários outros espaços religiosos, como capelas, por exemplo. A denominada Capela de Santa Catalina possui outra magnífica porta, com uma cena do Descendimento de Cristo realizada no séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sala Capitular recebe este nome porque nela os religiosos se reuniam para a leitura dos capítulos da ordem de cada comunidade, normalmente relacionados com a Regra Beneditina ou de Santo Agostinho. O mais interessante da sala capitular da catedral é o teto, decorado com um artesanato de estilo mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu Catedralício, cujo acesso se dá também a partir do claustro, possui uma grande quantidade de obras de arte, entre pinturas, esculturas e objetos litúrgicos. Uma das peças mais famosas é a escultura de Cristo preso à coluna, do grande escultor Diego de Siloé, filho do mencionado Gil de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Sacra Capela do Salvador do Mundo – Úbeda

A maravilhosa Plaza  Vázquez de Molina de Úbeda está presidida por um belíssimo templo, a Sacra Capela do Salvador do Mundo. Concebida como uma capela funerária para Francisco de los Cobos, é considerada uma das melhores obras do Renascimento Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO encarregado de sua construçao foi o grande arquiteto Diego de Siloé, que se inspirou no modelo da Catedral de Granada, que também estava sob sua responsabilidade. Por este motivo, teve que abandonar o projeto de construçao da Sacra Capela, sendo substituído por Andrés de Vandelvira e Alonso Ruiz, que prosseguiram com o plano original de Siloé. O templo foi concebido mediante princípios humanistas, através da combinaçao de formas geométricas puras, como o círculo e o retângulo. Sua fachada principal é uma das mais ricas do Renascimento em Espanha quanto ao conteúdo simbólico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARealizada pelo francês Esteban Jamete, apresenta uma complexa mensagem escultórica, associada a morte e a ressureiçao, combinando episódios do Velho e do Novo Testamento com elementos da tradiçao Clássica. A fachada está composta por 3 níveis, com uma estrutura triangular no topo, que vemos acima. Em sua parte inferior, vemos os Deuses Olímpicos no interior do arco e uma escultura de Cupido no centro. Ao lado, figuras humanas representam a Fé e a Justiça, acompanhadas por anjos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte central, um relevo representa a Transfiguraçao de Cristo e, nas laterais, as figuras de Sao Paulo e Santo André (que vemos melhor na primeira foto acima).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFrancisco de los Cobos é representado com seu escudo. Ao lado, aparece uma escultura de Hércules, referência ao Imperador Carlos I e à origem divina da Monarquia Espanhola. Na parte inferior do escudo aparecem defuntos saindo da tumba, lembrando o caráter funerário da construçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo terceiro corpo da fachada, janelas triplas foram colocadas como uma alusao à Santíssima Trindade. Abaixo, vemos a portada lateral, construída por Andrés de Vandelvira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da porta estao representados três figuras. A do lado esquerdo representa a Religiao Católica (com um homem segurando a cruz) e da direita a Tradiçao Judaica (uma figura com as Tábuas da Lei). No centro aparece o Menino da Ressureiçao. Justo embaixo, um frontao triangular composto por uma mae romana acompanhada de três crianças simbolizam a caridade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos retângulos, vemos as esculturas de Sao Marcos no centro, Sao Joao Batista (D) e Sao Joao Evangelista (E). Nas laterais, duas figuras humanas representando a Fortaleza (E) e a Moderaçao (D). Esta rica simbologia presente na parte externa da Sacra Capela do Salvador do Mundo é um convite à contemplaçao. O interior é magnífico, como podemos observar na Sacristia, realizada por Andrés de Vandelvira em 1540.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço é bem iluminado, graças aos vaos abertos na parte superior da sacristia. A decoraçao escultórica é igualmente impressionante, também realizada por Esteban Jamete. Nos suportes das colunas aparecem atlantes e cariátides.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos o deslumbrante interior da igreja, nao percam !!!!.

Catedral de Málaga

Santa Igreja Catedral Basílica da Encarnaçao. Este é o nome do principal templo católico da cidade de Málaga, sua Catedral. Abaixo, vemos uma imagem geral da igreja, com a Alcazaba em primeiro plano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada em frente à Praça do Bispo, a Catedral de Málaga é considerada  um dos monumentos renascentistas mais valiosos da Comunidade de Andaluzia.

DSC09513Em sua construçao, participaram os grandes mestres do Renascimento Andaluz, como Andrés de Vandelvira, Hernán Ruiz II, Diego de Vergara e o famoso Diego de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da Reconquista de Málaga, os Reis Católicos converteram a antiga mesquita em templo católico, passando a ser denominada Igreja Maior e posteriormente declarada Catedral, depois da restituiçao do Bispado da cidade. No entanto, em 1523 se decide pela construçao de uma nova igreja no estilo gótico. Problemas no projeto dificultaram a continuaçao das obras, que afinal foram realizadas a mediados do séc. XVI (1528), dentro do contexto da estética renascentista. Abaixo, vemos a singular Fachada de las Cadenas, composta por inusuais torres semicirculares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Málaga foi consagrada em 1588, mas o enorme templo teve várias interrupçoes ao longo dos séculos, sendo definitivamente concluída apenas no séc. XVIII. Por isso, a catedral conforma uma síntese de estlos, com predomínio dos elementos renascentistas e os barrocos complementários do séc. XVIII. A seguir, vemps a torre norte, finalizada em 1776. Com 93m de altura, está situada à esquerda da fachada principal. No alto de seu terceiro corpo, situam-se 14 sinos, 8 dos quais foram fundidos em 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre sul ficou inacabada, motivo pelo qual a Catedral de Málaga é conhecida carinhosamente como “La Manquita”. A fachada principal foi edificada no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua parte inferior está composta por uma tripla arquería, formada por colunas de mármore avermelhada. O arco central representa a Anunciaçao, obra do escultor barroco Antonio Ramos (1743).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA catedral possui jardins próprios, que recordam a antiga mesquita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da catedral, situa-se a Capela do Sagrário, um edifício independente mas que integra o conjunto catedralício. Sua portada foi construída em 1458 no estilo Gótico Isabelino, na base do antigo minarete da mesquita muçulmana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1855, a Catedral de Málaga foi declarada Basílica Menor pelo Papa Pio IX. A partir de 1931, lhe foi outorgado o título de Monumento Histórico-Artístico. No próximo post, conheceremos seu interior…nao percam !!!!.

Catedral de Albacete

A catedral  é o templo religioso mais importante de Albacete, e sua surpreendente beleza a torna um moumento de visita obrigatória num passeio pela cidade. Sua construçao iniciou-se em 1515, sendo edificada sobre um templo mudéjar anterior, e foi finalizada somente em 1959, quando foram concluídas as fachadas que vemos atualmente. A lateral foi erguida no estilo neoromâmico, e a principal é neogótica.

DSC09472OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo mudéjar começou a ser demolido pela cabeçeira, e no seu lugar, uma igreja gótica foi sendo paulatinamente levantada. No entanto, os pilares góticos construídos eram de má qualidade, e provocaram o derrubamento das bôvedas da catedral. O grande arquiteto Diego de Siloé aconselhou, entao, a substituiçao dos pilares góticos por grandes colunas renascentistas, que realizou com grande maestria. Esta transformaçao fez com que as obras se paralizassem, e as bôvedas foram terminadas somente em 1690, já no estilo barroco, pelo arquiteto Díaz Palacios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil, o templo foi saqueado, perdendo-se o grande retábulo maior barroco do séc. XVIII, numerosas pinturas do séc. XVI, etc. Em 1949, foi criada a Diocese de Albacete, e a catedral é dedicada a Sao Joao Batista. Na fachada principal, vemos o tema do batismo, esculpido no tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs três naves que compoem o interior da catedral possuem a mesma altura, proporcionando uma grande sensaçao espacial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo lugar ocupado pelo antigo retábulo que se perdeu, foram construídos três vitrais. O central representa o titular da catedral, Sao Joao Batista. O altar maior é o único lugar da igreja em que as antigas bôvedas góticas puderam ser conservadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 2007 e 2009, a Catedral de Albacete sofreu um processo de restauraçao que lhe devolveu a beleza de suas colunas e bôvedas. Abaixo, vemos algumas imagens que podemos admirar no interior da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém das impressionantes colunas renascentistas e da exuberância barroca de sua bôveda, destacamos o magistral conjunto de pinturas murais que decoram o interior da igreja. Este será o tema do próximo post, nao percam…