Concatedral de Cáceres

O principal templo religioso de Cáceres, a Concatedral de Santa María La Mayor, situa-se logo depois de cruzarmos o Arco da Estrela, porta de entrada ao Centro Histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá situada na Plaza de Santa María, uma das mais belas da cidade, junto com vários palácios antigos conservados, que veremos no próximo post. Um dos símbolos de Cáceres, a Concatedral de Santa  María foi erguida provavelmente sobre uma anterior mesquita, algo habitual em muitas cidades da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre os séculos XV e XVI sobre uma anterior edificação do século XIII, combinando o estilo de transição do românico ao gótico com elementos renascentistas, como sua torre. Acima, vemos uma das duas portas góticas do templo. A seguir, vemos outra das características da arquitetura gótica, a presença das gárgulas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica da igreja tirada do alto da Igreja de San Francisco, que em breve será o tema de outra matéria sobre Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte externa foi colocada uma escultura de um dos santos mais venerados de Extremadura, San Pedro de Alcántara, realizada pelo escultor contemporâneo Enrique Pérez Comendador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por três naves cobertas com bôvedas de crucería, algo habitual das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central vemos um magnífico retábulo maior plateresco, talhado por Guillén Ferrant e Roque Balduque. Possui a cor própria da madeira sem que fosse policromada, pino de Flandes e cedro. Suas cenas retratam episódios da vida da Virgem Maria e de Jesus Cristo. No centro do retábulo vemos a Assunção da Virgem

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma grande quantidade de obras de arte, como a imagem gótica de um Cristo Negro, uma das mais veneradas da cidade, que sai em procissao durante a Semana Santa. A capela que o acolhe pertence aos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um curioso púlpito gótico feito em ferro forjado no século XV, procedente de um convento desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo solo da igreja vemos os sepulcros de importantes famílias nobres da cidade….

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas capelas adornam o interior da igreja, como a Capela da Virgem de las Dolores, do século XVI. O retábulo é barroco, de 1743. No centro aparece a Virgen de las Dolores. Nas laterais, São Vicente de Paula e São Pedro Alcântara. Fora do retábulo, as imagens de Santo Antônio de Pádua e Santa Rita de Cássia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Pia Batismal construída em 1552, ao lado de dois sepulcros góticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro objeto impressionante é a Custódia, realizada em 1643 pelo artista nascido na cidade Diego Rodríguez de Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o belo órgão da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1957, a antiga Igreja Paroquial de Santa María La Mayor recebeu o título de Concatedral, passando a dividir a sede episcopal com outro templo, a Catedral de Coria. Abaixo, vemos a bula papal concedida pelo Papa Pio XII ao templo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe interessante é que está permitido subir à torre….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Concatedral de Cáceres recebeu a designação de Monumento Histórico-Artístico por sua importância religiosa e histórica, e conhecê-la é um passeio obrigatório numa visita à cidade.

 

Anúncios

Outras Fontes de Madrid

Neste penúltimo post sobre as Fontes Históricas de Madrid, conheceremos outras obras dedicadas a vários peronagens da vida cultural e política da cidade. Na Praça de Espanha, situa-se o famoso Monumento a Miguel de Cervantes, erigido para celebrar o terceiro centenário de sua morte (1916) e da publicaçao da segunda parte de sua obra universal, D.Quixote de La Mancha (1915). Na parte posterior do grande monumento, foi colocada uma bela fonte, que também homenageia o escritor espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada  próxima da Praça de Espanha, vemos a Fonte de Cristino Martos, realizada para homenagear este orador e político espanhol (1830/1893), que participou ativamente da política do país no séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte situa-se na parte inferior de uma bela escada, que permite o acesso à Praça de Cristino Martos. Por este motivo, a fonte é conhecida também pelo nome de Fonte da Escalinata, e foi realizada para integrar o plano de remodelaçao da zona, depois dos danos causados pela Guerra Civil Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIX, os habitantes que viviam próximo à Porta do Sol solicitaram à prefeitura de Madrid um ponto de abastecimento de água, escasso na regiao depois que a famosa Fonte de Mariblanca foi derrubada. Assim nasceu a Fonte do Marquês de Pontejos, inaugurada em 1849 em homenagem a este que foi corregidor de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte foi realizada em granito, pedra branca de Colmenar e bronze, e numa de suas laterais vemos o Escudo de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nosso itinerário pelas Fontes Históricas de Madrid na denominada Praça de Gabriel Miró, conhecida também pelo nome de Vistillas. A praça oferece uma bela panorâmica da cidade e no centro se alça a fonte dedicada ao escritor madrilenho Ramón Gomez de la Serna (1888/1963).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte foi criada em 1972 pelo artista Enrique Pérez Comendador, e tornou-se conhecida pela figura central, uma mulher com os braços levantados em direçao ao céu. Em sua parte inferior, vemos diversos elementos relacionados à vida do escritor , as musas que o inspiraram e um busto do literato.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO próximo e último post sobre as Fontes Históricas de Madrid estará dedicado a um conjunto de modestas fontes utilitárias espalhadas pela cidade, mas ricas em história, chamadas Caños de Vecindad.