Concatedral de Cáceres

O principal templo religioso de Cáceres, a Concatedral de Santa María La Mayor, situa-se logo depois de cruzarmos o Arco da Estrela, porta de entrada ao Centro Histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá situada na Plaza de Santa María, uma das mais belas da cidade, junto com vários palácios antigos conservados, que veremos no próximo post. Um dos símbolos de Cáceres, a Concatedral de Santa  María foi erguida provavelmente sobre uma anterior mesquita, algo habitual em muitas cidades da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída entre os séculos XV e XVI sobre uma anterior edificação do século XIII, combinando o estilo de transição do românico ao gótico com elementos renascentistas, como sua torre. Acima, vemos uma das duas portas góticas do templo. A seguir, vemos outra das características da arquitetura gótica, a presença das gárgulas

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica da igreja tirada do alto da Igreja de San Francisco, que em breve será o tema de outra matéria sobre Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte externa foi colocada uma escultura de um dos santos mais venerados de Extremadura, San Pedro de Alcántara, realizada pelo escultor contemporâneo Enrique Pérez Comendador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por três naves cobertas com bôvedas de crucería, algo habitual das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central vemos um magnífico retábulo maior plateresco, talhado por Guillén Ferrant e Roque Balduque. Possui a cor própria da madeira sem que fosse policromada, pino de Flandes e cedro. Suas cenas retratam episódios da vida da Virgem Maria e de Jesus Cristo. No centro do retábulo vemos a Assunção da Virgem

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma grande quantidade de obras de arte, como a imagem gótica de um Cristo Negro, uma das mais veneradas da cidade, que sai em procissao durante a Semana Santa. A capela que o acolhe pertence aos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um curioso púlpito gótico feito em ferro forjado no século XV, procedente de um convento desaparecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo solo da igreja vemos os sepulcros de importantes famílias nobres da cidade….

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelas capelas adornam o interior da igreja, como a Capela da Virgem de las Dolores, do século XVI. O retábulo é barroco, de 1743. No centro aparece a Virgen de las Dolores. Nas laterais, São Vicente de Paula e São Pedro Alcântara. Fora do retábulo, as imagens de Santo Antônio de Pádua e Santa Rita de Cássia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Pia Batismal construída em 1552, ao lado de dois sepulcros góticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro objeto impressionante é a Custódia, realizada em 1643 pelo artista nascido na cidade Diego Rodríguez de Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o belo órgão da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1957, a antiga Igreja Paroquial de Santa María La Mayor recebeu o título de Concatedral, passando a dividir a sede episcopal com outro templo, a Catedral de Coria. Abaixo, vemos a bula papal concedida pelo Papa Pio XII ao templo de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro detalhe interessante é que está permitido subir à torre….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, a Concatedral de Cáceres recebeu a designação de Monumento Histórico-Artístico por sua importância religiosa e histórica, e conhecê-la é um passeio obrigatório numa visita à cidade.

 

Igreja de Santa Maria de Castro Urdiales

Durante a Idade Média, as atividades marítimas (pesca, caça de baleia, comércio marítimo) deram um grande impulso econômico à Castro Urdiales. Em 1163, o rei Alfonso VIII concedeu à cidade o título de vila através do Foro de Logroño (atual capital da Rioja), a primeira cidade da costa cantábrica em recebê-lo. A partir do século XIII iniciou-se a construção de uma grandiosa igreja, denominada pelos habitantes a Catedral de Castro Urdiales, a Igreja de Santa María de la Asunción.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima construção é considerada por muitos como o edifício gótico mais importante de toda a Cantábria. De fato, a igreja possui todos os elementos que constituem a arquitetura do gótico clássico, como os arbotantes, que transferem o peso dos muros da igreja para o exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs inúmeras e curiosas gárgulas existentes, com animais fantásticos, cabeças humanas, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria situa-se junto ao Castelo, em frente ao Mar Cantábrico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal segue o estilo normando, e caracteriza-se por seu aspecto  de fortaleza, pois a igreja integrava o sistema defensivo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por uma nave central de grande altura (quase 30m), algo típico das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns dos vitrais que embelezam o interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, foram construídas várias capelas para os comerciantes que ficaram ricos através do comércio marítimo, depois da descoberta do continente americano, e também com França, Inglaterra e Flandes. Em uma delas, vemos uma escultura de Cristo, realizada pela escola de Gregório Fernández, o mais famoso escultor barroco da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Altar Maior, o destaque é a imagem gótica (século XIII) da Virgem de Santa Maria “La Blanca”

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua importância histórica, a Igreja de Santa Maria recebeu a distinção de Bem de Interesse Cultural (BIC).

Museu Arqueológico Nacional: Reinos Cristãos (Parte 2)

No post de hoje veremos algumas obras expostas no Museu Arqueológico Nacional correspondente ao período gótico e também da Idade Moderna na Espanha.  Ao contrário do estilo precedente, o Românico, que se desenvolveu de maneira simultânea por todo o continente europeu, o estilo gótico nasce num país definido, a França, no séc. XIII. Na Espanha, o gótico prosperou até o séc. XVI, uma época em que na Itália as formas renascentistas já haviam se consolidado há muito tempo. Góticas são as catedrais de Burgos, León, Toledo, Sevilha, Segóvia, etc. Também se conservaram vários edifícios de caráter civil em todo o país deste estilo. Em relação à pintura, Espanha recebeu influências de vários países, a começar pela própria França em sua fase inicial, o chamado Gótico Lineal. Devido a ausência de grandes muros nas catedrais góticas, a pintura se restringe aos vitrais e às miniaturas nesta fase. As cores utilizadas são as primárias, de grande intensidade cromática (azul, amarelo e vermelho principalmente, sobre um fundo monocromático). Apresenta uma maior sensação de movimento em relação à pintura românica, com certas emoções representadas nos personagens. No séc. XIV aparece o Gótico Internacional, com uma grande influência da escola italiana e logo depois preponderante se torna a escola flamenca de pintura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma pintura gótica representando a Santa Lúcia, do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÀs vezes se utilizavam a pintura nos sepulcros, como no caso que vemos a seguir, pertencente a uma lauda sepulcral, também do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo plano escultório, o destaque é a estátua orante do monarca Pedro I de Castilla (1334/1369), chamado de O Cruel por seus inimigos, e de O Justiceiro por seus partidários. Feita de alabastro no séc. XV, esta é um exemplo de escultura funerária, e durante muito tempo esteve no desaparecido Convento de Santo Domingo El Real de Madrid. A estátua foi reconstruída na época dos Reis Católicos, quando adotou a postura orante, pois em sua origem o personagem real se encontrava deitado (jacente).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe importância também é a lauda sepulcral do Marques de las Navas, pelo material utilizado, o bronze. Este metal foi escassamente utilizado na Espanha do séc. XVI, exceto pelos escultores italianos. A família deste personagem exerceu cargos de confiança durante os reinados de Carlos I e seu filho, Felipe II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma medalha de ouro com a representação do Imperador Carlos I…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa Idade Moderna, selecionei algumas peças de cerâmica das mais conhecidas fabricadas na Espanha. O primeiro conjunto pertence à denominada Cerâmica de Manises, de Valencia. Inicialmente, este tipo de cerâmica era uma cópia das fabricadas na Andaluzia durante a época árabe. Depois, passou a incorporar elementos góticos. Atingiu o seu auge nos séculos XIV e XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro tipo de cerâmica muito apreciada e de merecida fama é a de Talavera de la Reina, um grande centro produtor de cerâmica decorativa. Sua grande variedade de formas recebeu influências italianas, flamencas e chinesas. Durante um bom tempo, seus elementos decorativos foram muito imitados em vários países.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADo séc. XVIII me chamou atenção esta cadeira de mãos, decorada no estilo rococó com temas mitológicos por Luís Paret, o melhor pintor do gênero durante o reinado de Carlos III. Desde o séc. XVI, estas peças de luxo estavam relacionados aos monarcas, nobres e ao clero, mas principalmente usadas por damas e rainhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo XIX, um simples objeto, mas com uma conotação simbólica excepcional. Trata-se de um esfriador de garrafas, provavelmente vinho, fabricado durante a Guerra da Independência contra os franceses. No interior, uma inscrição com o grito de guerra contra os invasores. Viva Espanha !!!!!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta série de posts teve como objetivo divulgar algumas das peças mais emblemáticas do Museu Arqueológico Nacional e mostrá-las segundo seu contexto histórico. Por este motivo, tentei transmitir de forma resumida as etapas históricas mais importantes do país, até o final do séc. XV, quando o território espanhol adquire suas fronteiras atuais. Mas a ampla coleção do museu não se restringe a obras relacionadas a sua história, possuindo um excelente acervo das grandes civilizações da antiguidade, como Mesopotâmia, Grécia e Egito. No próximo e último post sobre o Museu Arqueológico Nacional, veremos algumas delas…

Cartuja de Miraflores – Parte 2

Continuando a visita pela Cartuja de Miraflores, no post de hoje veremos seus lugares mais conhecidos e as obras mais destacadas do monastério. Na igreja, papel fundamental teve o artista Gil de Siloé, que realizou o maravilhoso Retábulo Maior entre 1496 e 1499.

20150726_133649OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cena principal corresponde à Crucificação de Cristo, como podemos ver acima e abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao retábulo e ocupando boa parte do presbitério, vemos o soberbo Sepulcro de Juan II e Isabel de Portugal, os pais de Isabel La Católica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste sepulcro é considerado uma das obras funerárias mais impressionantes da arte europeia. Também foi realizado por Gil de Siloé, entre 1489 e 1493.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui uma planta com forma de estrela de 8 pontas e foi feito em alabastro. O rei aparece com um cetro, símbolo do poder monárquico e a rainha, um livro de horas. Além do mais, foram representados em seu riquíssimo conjunto de esculturas personagens do Antigo Testamento, figuras de profetas, a imagem da Virgem com o Menino Jesus e os escudos reais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do sepulcro, foi colocada uma imagem do mesmo vista de cima, para que possamos ter uma ideia de sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral do presbitério, situa-se o Sepulcro do Infante D. Alonso (filho de Juan II e Isabel de Portugal), igualmente esculpido por Gil de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço da Cartuja de Miraflores nos mostra a elegância e sofisticação alcançadas na última fase da Arte Gótica em Burgos. De fato, trata-se de um dos mais notáveis conjuntos da Escultura Gótica de todo o continente. Em seguida, passamos para a Capela da Virgem de Miraflores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela nos surpreende por estar totalmente decorada com pinturas murais barrocas do séc. XVIII, tanto no teto, quanto nos muros. Representam cenas marianas, inspiradas no livro Flores de Miraflores, escrito pelo cartujo burgalês Fray Nicolás de la Iglesia.

20150726_135737OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério acolhe alguns dos quadros mais importantes da Arte Espanhola, como a Anunciação de Pedro Berruguete (1450/1503). O pintor foi um dos primeiros em refletir o Renascimento Italiano em suas obras no país. Este quadro foi por ele pintado em 1500.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cartuja de Miraflores está sob a advocaçao da Anunciação da Virgem. Esta cena do Evangelho de São Lucas foi frequentemente representada pelos pintores castelhanos, influenciados pela Pintura Flamenca. Berruguete consegue um excelente ponto de vista da perspectiva, graças a utilização de formas arquitetônicas e da luz. O rosto da Virgem foi realizado com extrema delicadeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada uma obra prima de Pedro de Berruguete, seu virtuosismo se manifesta nas roupas do Arcanjo Gabriel e na jarra de vidro com 3 lírios, uma homenagem a pureza da Virgem Maria. O quadro incorpora as formas góticas dentro de um âmbito espacial tipicamente renascentista.

Catedral de Burgos

A Catedral de Santa María de Burgos é, inegavelmente, uma das construções góticas mais espetaculares de todo o continente europeu. Não à toa, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade.

20150725_201445Sua construção iniciou-se em 1221, sobre um anterior templo românico erguido durante o reinado de Alfonso VI (1065/1109). As obras desta magnífica catedral começaram graças ao incentivo do monarca Fernando III e o Bispo Maurício. Seu estilo gótico foi inspirado nas catedrais francesas de Chartres, Amiens, Reims e na de Notre Dame de Paris.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte principal da igreja já estava finalizada no final do séc. XIII, e o primeiro arquiteto conhecido é o chamado Mestre Enrique, mencionado num documento em 1261 (também responsável por uma parte da construção de outra catedral gótica fundamental, a de León). As ampliações realizadas nos séc. XV e XVI coincidem com a época dourada da cidade de Burgos. Declarada Monumento Nacional em 1887, recebeu o título de Patrimônio da Humanidade em 1984, quando então foram realizados trabalhos de restauração na catedral.

IMG_2880A Catedral de Burgos sofreu irreparáveis danos durante a ocupação francesa de início do séc. XIX, quando perdeu boa parte de seus vitrais góticos. Abaixo, vemos a fachada principal, que dá para a Praça de Santa Maria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs três portas que a compõem foram realizadas e reformadas posteriormente. A central, por exemplo, denominada de Porta do Perdão, foi construída em 1790 no estilo neoclássico, e as laterais foram reformadas no séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte central da fachada, vemos a 8 estátuas que representam personagens do Antigo Testamento, esculpidas no séc. XIII. As agulhas foram colocadas a mediados do séc. XV, por Juan de Colonia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO melhor conjunto escultórico da parte exterior da catedral corresponde à Porta del Sarmental, considerado um dos melhores do estilo gótico em todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO rosetón (roseta, em português) que vemos acima da porta é o único conservado da etapa gótica da catedral. Na parte lateral da mencionada porta vemos a personagens bíblicos, como São Pedro, São Paulo, Aaron e Moisés. No centro, entre estes personagens, aparece a escultura do Bispo Maurício, fundador da catedral. A seguir, vemos uma imagem do tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa cena principal da porta se representa a imagem de Deus como rei do universo (pantocrátor). Ao lado, a representação animal dos apóstolos evangelistas (São Marcos, São João, São Mateus e São Lucas), conhecida como Tetramorfos. Abaixo, no dintel, as esculturas dos 12 apóstolos. Nas arquivoltas (parte superior), foram representados anjos,arcanjos e os anciões do apocalipse. Outra porta de grande importância é a denominada da Coronería, também chamada Porta dos Apóstolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs esculturas dos apóstolos foram colocadas nas partes laterais ( 6 de cada lado). No tímpano, vemos a cena da Virgem e São João ante Cristo, acompanhados de anjos que portam os símbolos da paixão (cruz, coroa de espinhos, lança e cravos). No dintel, São Miguel aparece pesando a alma dos defuntos. Todas estas esculturas também são góticas do séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos as estruturas arquitetônicas chamadas de Arbotantes, que permitiram o avanço da arquitetura gótica, possibilitando a construção de catedrais cada vez mais altas, ao deslocar o peso da mesma para sua parte exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, veremos o interior da Catedral de Burgos, tão maravilhoso quanto sua parte exterior.

Monastério de Silos – Parte 2

O Monastério de Silos desenvolveu na Idade Média, principalmente quando esteve sob a direção de dois de seus principais personagens, Santo Domingo e o Abade Fortunio, uma grande atividade literária em seu scriptorium. Infelizmente, as principais obras realizadas no período encontram-se fora da Espanha. Um exemplo é o famoso “Beato de Silos“, uma cópia iluminada do conhecido “Comentários do Apocalipse”, escrito pelo Beato de Liébana. Este códice foi realizado logo depois da morte de Santo Domingo, e finalizado durante o governo do Abade Fortunio, em 1109. Atualmente, encontra-se no British Museum, de Londres. Abaixo, vemos um facsímil, ou seja, uma cópia exata do Beato de Silos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos a atual Biblioteca de Silos, um local de estudos, onde podemos conhecer profundamente a história do monastério.

20150802_125203Ao longo de sua história, a curiosidade científica despertou grande interesse dentro da comunidade religiosa do monastério. Este fato pode ser comprovado no interessante laboratório que ainda se conserva, bem como na Botica ou farmácia, construída no séc. XVIII e que gozou de grande reputação. Em seu arquivo, se contabilizam cerca de 50 livros do séc. XVI sobre medicina, botânica e história natural.

20150802_12484720150802_125034Da antiga igreja românica desaparecida no séc. XVIII, o único elemento conservado, além de seu magistral claustro, é a Porta das Virgens, que comunicava a igreja com o claustro. Realizada entre 1120/1130, destaca-se por seu arco de ferradura e os capitéis talhados em suas colunas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da arquitetura e esculturas românicas presentes no claustro, que veremos no próximo post, podemos admirar o maravilhoso trabalho de metal realizado no período, verdadeiras obras primas do românico espanhol. Um exemplo, entre muitos outros conservados no monastério, é o Cálice de Santo Domingo, feito de prata dourada no próprio local no terceiro quarto do séc. XI, e utilizado pelo santo nas liturgias.

20150802_124546Na Sala Capitular, que também possui acesso através do claustro, os monges de Silos liam os capítulos da Regra de São Bento, escolhiam os novos membros da comunidade e discutiam temas relacionados à vida do monastério. Em 1503, transformou-se numa capela funerária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Algumas imagens chamam nossa atenção durante a visita ao Monastério de Silos. Uma delas, é a escultura gótica de N.Sra de Março, realizada entre os séc. XIII e XIV, que também se encontra no claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra imagem gótica preciosa é a da Imaculada de Silos, talhada em madeira policromada entre 1440 e 1450.

20150802_124422As próximas matérias estarão dedicadas ao imperdível Claustro Românico de Silos. Até lá…

obs: durante a visita ao Monastério de Silos, alguns lugares, como o claustro, por exemplo, as fotos estão permitidas. Em outros, porém, estão proibidas, como a biblioteca, a botica, o laboratório, e a sala onde encontramos os maravilhosos objetos litúrgicos do período românico. Para realizar esta matéria, foram copiadas as fotos do livro “Real Abadia de Silos”, que comprei no próprio monastério, cujo texto realizado por Clemente Serna González e Raúl Fernández González foram de ajuda inestimável para a obtenção de informações relativas à história do monastério. As fotos copiadas do livro são de autoria de Manuel Labrado. As demais fotos deste post são de minha autoria.

Catedral de Ciudad Rodrigo

Um dos monumentos mais destacáveis da cidade, a Catedral de Ciudad Rodrigo está dedicada a Santa Maria. Já no séc. XIX, precisamente em 1899, foi declarada Monumento Nacional, por sua importância histórica e pelas obras de arte que guarda em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Santa Maria de Ciudad Rodrigo foi construída a partir do séc. XII, durante o reinado de Fernando II de León, inserindo-se dentro do contexto estético do denominado estilo românico, em sua fase final (Românico tardio). No entanto, o aspecto que vemos atualmente é fruto de diversas reformas e ampliaçoes realizadas ao longo dos séculos. A parte externa do templo conserva, em grande medida, sua construçao original, com exceçao de uma de suas fachadas, levantada no séc. XVI, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs outras duas portas de acesso ao templo foram levantadas durante a fase inicial da construçao da igreja. A Porta de Amayuelas, por exemplo, foi construída no séc. XIII. No século seguinte foi colocado o rosetón que vemos acima da porta, sobre um tipo de arco chamado Conopial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta das Cadenas é a mais importante sob o ponto de vista artístico, graças a uma série de esculturas que a adornam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da porta, vemos 5 esculturas construídas em torno ao ano 1200. No centro, o Salvador, franqueado por Sao Joao, Sao Pedro, Sao Paulo e Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos a Sao Pedro no lado esquerdo (com um de seus principais atributos, as chaves) e Sao Paulo na direita ( com a Bíblia que o identifica com um dos principais evangelizadores do cristianismo). No centro, Cristo Salvador. Um pouco mais acima, vemos um conjunto escultórico gótico, esculpido aproximadamente em 1230, representando a 12 personagens do Antigo Testamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa lateral da Porta das Cadenas foi talhada uma escultura da Virgem Maria, segurando o Menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre foi erguida séculos depois do início da construçao (séc. XVIII), pelo arquiteto Juan de Sagarbinaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma foto geral da catedral, a partir do ábside.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, veremos o interior desta belíssima catedral….