Turégano – Província de Segóvia

O último passeio que fizemos pela Província de Segóvia nos levou a um de seus povoados mais famosos, Turégano. Este pueblo segoviano possui um pouco mais de mil habitantes, mas conserva um grande patrimônio de arte medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATurégano está situada a cerca de 25 km da capital da província, Segóvia, e seus campos estão ocupados pelo cultivo de cereais, demonstrando o forte predomínio do setor primário em sua economia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA origem deste belo povoado se remonta ao período pré-romano, quando existiu um assentamento onde atualmente se levanta o castelo, que veremos em breve no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Todos acontecimentos importantes da vila tiveram lugar em sua magnífica Plaza Mayor, que teve vários nomes ao longo da história, e que atualmente é conhecida como Plaza de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela foram e ainda são celebradas as festas do povoado, que incluem corridas de touros em seu perímetro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos sábados, acontece o mercado de Turégano, e também tornou-se o local perfeito onde se organizam concertos e eventos culturais. Está presidida pelo edifício da prefeitura, o Ayuntamiento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das casas de Turégano estão decoradas com esgrafiados, elementos comuns na província e, principalmente, na cidade de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vila de Turégano foi reconquistada no final do século XI, sendo fortificada por Fernán González, primeiro rei de Castilla.Em 1123, Dona Urraca, filha do monarca Alfonso VI, entregou a comarca onde está localizada ao Bispado de Segóvia. Por este motivo, sua história foi condicionada pelo fato de ter sido um senhorio episcopal. Abaixo, vemos uma fonte construída no século XVIII, durante o reinado de Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATurégano possui duas igrejas românicas, uma delas situada dentro do castelo (Igreja de San Miguel), e a Igreja de Santiago, que veremos no próximo post. Finalizamos esta matéria introdutória sobre Turégano com uma escultura que representa os touros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Casa Amatller – Barcelona

O post de hoje está dedicado a um dos edifícios modernistas mais famosos do Modernismo Catalão, a Casa Amatller. Situado no Paseo de Gracia, é considerada uma das obras mais conhecidas do arquiteto Puig i Cadafalch (1867/1956).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPuig i Cadafalch reformou em 1900 um edifício preexistente construído em 1875 por Antoni Robert, processo em que transformou a fachada, o saguão, o pátio interior e a escada de acesso às dependências superiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício passou a ser propriedade de um rico industrial de Barcelona, Antoni Amatller, que encarregou a reforma ao famoso arquiteto. Sua insólita fachada escalonada foi inspirada nos modelos residenciais encontrados nos Países Baixos (Holanda e Bélgica), dentro do contexto da arquitetura neogótica. Foi decorada com esgrafiados (realizados por Juan Paradís) de uma cor sutil, como vemos nas fotos acima. O trabalho de ferro forjado (Esteve Andorrà e Manuel Ballarín) foi empregado nos balcões e nas portas do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros materiais usados foram a cerâmica e a pedra. O responsável das esculturas pétreas foi o grande artista Eusebi Arnau.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa Amatller situa-se ao lado de uma emblemática e extraordinária obra de Gaudí, a Casa Battló, e bem próxima à Casa Lléo Morera, de Lluís Domènech i Montaner. Devido à rivalidade profissional entre os três arquitetos, este trecho do Paseo de Gracia ficou conhecido como La Manzana de la Discordia (O Quarteirão da Discórdia, em português).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente existem visitas guiadas para se conhecer o interior da Casa Amatller. Não pude participar das visitas por absoluta falta de tempo, mas conheci a portaria principal da residência, cuja construção foi projetada para a entrada de carruagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo andar térreo existe um estabelecimento comercial, com belos vitrais coloridos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos a esplêndida escada de acesso aos pisos principais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1960, o edifício depende do Instituto Amatller de Arte Hispânico. Em 1976, a Casa Amatller foi declarada Monumento Histórico-Artístico por sua beleza e singularidade arquitetônica. Finalizamos com uma das belas luminárias modernistas existente em seu interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praças Alta e de San José – Badajoz

Na matéria de hoje, veremos dois lugares emblemáticos de Badajoz. Dentre todas as praças da cidade, as denominadas Praça de  San José e Praça Alta são consideradas as mais importantes, do ponto de vista histórico. Ambas estão situadas ao lado da Alcazaba e formam um espaço contínuo. A origem da Praça de San José se remonta ao período em que a Alcazaba ficou pequena para acolher uma população em aumento, que começou a mudar-se para a zona adjacente.OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça recebeu este nome graças a Ermita de San José, construída no século XIII depois da reconquista da cidade, ocorrida no dia de São José. Com a Guerra de Independência no início do século XIX, o templo foi bombardeado e saqueado pelos franceses, provocando sua deterioração progressiva. Em 1917, a ermita foi substituída pela construção atual,o Convento de San José, projetada pelo arquiteto Francisco Franco Pineda no estilo neogótico. Em frente a igreja podemos observar uma cruz de ferro colocada em 1632.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral da praça, se conservam casas construídas no estilo mudéjar. Se desconhece a época exata de sua construção. Sua fachada está composto por arcos sobre colunas, cujos capitéis são de origem visigodos, que foram reutilizados. Atualmente, acolhem um Centro de Informação Turística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Alta passou a existir depois que casas da época árabe foram derrubadas, quando então funcionava o mercado de animais da cidade. Em 1458, iniciou-se uma reforma que modificou seu aspecto, com a construção de portais formados por um conjunto de arcos feitos de tijolo e pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO objetivo principal desta reforma era transformar o local para que voltasse a cumprir sua função original de mercado. Ainda hoje podemos ver exemplos de rótulos escritos em seus muros, que delimitavam os espaços reservados para as distintas classes de comerciantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA praça também passou a ser um local de espetáculos diversos. Nela se celebraram corridas de cavalos e de touros, autos sacramentais, representações teatrais e execuções públicas. O local apresenta duas partes bem diferenciadas. Na mais antiga situava-se a antiga Casa Consistorial, de finais do século XV. Este edifício exerceu a função de prefeitura da cidade até 1799. Destaca sua fachada com elementos mudéjares. Atualmente o edifício é utilizado para a celebração de atos institucionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto acima, vemos duas das torres que compõem o recinto da Alcazaba, situadas detrás da antiga Casas Consistorial. Ao lado dela, vemos a fachada do Edifício do Conselho de Ferias e Festas, considerada a mais antiga da cidade (1450).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Alta possui um caráter renascentista, com amplos espaços abertos. É considerada a primeira praça pública construída em Badajoz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA finais do século XVII, o bispo da cidade Juan Marin de Rodezno realizou uma nova reforma na praça, finalizada abruptamente em 1703 devido à Guerra da Sucessão Espanhola. Se completou apenas um terço do planejamento previsto, e a praça também é conhecida pelo nome deste bispo. No costado da praça, vemos um monumento em sua homenagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar da reforma não ter sido completada integralmente, podemos admirar a decoração barroca dos edifícios desta parte da praça, que em conjunto foram denominadas Casas Coloradas, composta por esgrafiados com motivos geométricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem da praça tirada da Alcazaba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo foi dito no começo da matéria, antigamente as Praças de San José e Alta estavam unidas, até que a mediados do século XVI se construiu o Arco del Peso, que acabou separando as mesmas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Praça Alta está sendo reabilitada e é um dos principais pontos de encontro dos habitantes de Badajoz. Um lugar único, sem dúvida nenhuma.

 

O Modernismo em Madrid – Parte 4

O arquiteto Benito González del Valle Fernández-Galán foi um dos autores que mais contribuiu para o enriquecimento do Ecleticismo, ao incorporar detalhes modernistas em seus edifícios, criando um estilo próprio que culminaria na denominada Casa dos Lagartos, realizada entre 1911 e 1912.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste surpreendente edifício representou a culminaçao de seu trabalho artístico. O enorme comprimento de sua fachada contrasta enormemente com sua mínima largura, de apenas 5m. Este detalhe chamativo obrigou a colocaçao da escada principal no centro da construçao e com apenas dois apartamentos por andar, todos eles com suas dependências abertas ao exterior. Sua decoraçao baseou-se no emprego de esgrafiados dourados e elementos figurativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua curiosa denominaçao, Casa dos Lagartos, representa um erro de nomenclatura, pois o animal que a simboliza é, na realidade, uma salamandra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs esgrafiados foram utilizados em muitos outros edifícios da capital como um detalhe modernista, como vemos no exemplo a seguir, projetado por Vicente García Cabrera em 1912.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOu entao neste outro edifício, de autoria desconhecida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituado numa das esquinas da Praça de Espanha de Madrid, a Casa Gallardo representa um dos melhores exemplos da Arquitetura Eclética adornada com formas modernistas de toda a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada, uma das mais belas da capital, foi realizada com uma grande dose de luxo e elegância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi projetado por Federico de Arias Rey, entre outros colaboradores, para as irmas Asunción e Esperanza Gallardo, cuja letra inicial do sobrenome aparece no alto da cúpula de pizarra (ardósia), num mosaico de cerâmica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Casa Gallardo foi construída como uma ampliaçao e remodelaçao de um anterior palácio, de autoria desconhecida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApresenta uma aparência muito parisiense, pois foi eleborada segundo os princípios estéticos do estilo francês em voga na época.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs elementos modernistas podem ser observados em vários aspectos de sua bela fachada, como os balcoes, portas, etc. Em 1914, a Casa Gallardo recebeu um prêmio da prefeitura como o melhor edifício construído no ano, e atualmente, o imóvel está protegido através de sua catalogaçao como Bem de Interesse Cultural (BIC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Salamanca Medieval

Como vimos no post anterior, a Diocese de Salamanca foi restaurada depois da reconquista da cidade pelos Reinos Cristaos na Idade Média, fato que provocou a construçao da Catedral Românica que podemos visitar atualmente. Além do mais, foram fundadas as chamadas escolas catedralícias, germe da futura Universidade de Salamanca. Em 1218, o rei Alfonso IX de León outorgou a estas escolas o título de Estudo Geral, que no ano de 1253 se transformarao num dos centros culturais mais importantes da história de Espanha.  Em 1311, nasce o único rei castelhano que deu a cidade, Alfonso XI. No séc. XV, as famílias nobres da cidade atuaram como um elemento fundamental na paisagem urbana de Salamanca, como patrocinadores de diversas construçoes que ainda resistem à passagem do tempo. Um exemplo é o Palácio de Almarza e Arias Convelle, decorado com belos esgrafiados. Desde 1999, é a sede do Centro Cultural Hispano-Japonês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs membros destas famílias, como os Maldonado e os Anaya, refletiram seu poder social e econômico na atividade construtiva, levantando inúmeros palácios como símbolo de sua influência. Durante a época dos Reis Católicos, no final do séc. XV, as lutas pelo poder realizadas pela aristocracia da cidade ao longo de séculos, chegam ao fim. Em troca de submissao à coroa, recebem importantes privilégios. Em alguns dos palácios construídos, observamos reminiscências dos antigos castelos rurais, como vemos abaixo, no Palácio de Villena.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA conhecida Torre del Aire é o único resto sobrevivente do Palácio de Fermoselle, levantado a partir de 1440.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMonumento Nacional desde 1931, a Torre del Clavero pertencia a uma casa palácio propriedade da Ordem Militar de Alcântara. Com 28m de altura, destaca-se por sua planta quadrada em sua parte inferior e octogonal, na superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos palácios, a nobreza, auxiliada pelo clero, foram responsáveis pela construçao de vários conventos, igrejas e capelas como lugares de enterramento, para que seu poder perdurasse mesmo depois da morte. O Convento das Úrsulas, também chamado da Anunciaçao, foi fundado no séc. XV por Sancha Maldonado, destinado às irmas da Ordem Terceira de Sao Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja, além da funçao de templo conventual, exerce também o papel de espaço funerário, albergando o sepulcro do bispo Alonso II de Fonseca, aos pés da Capella Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO retábulo foi construído no séc. XVIII pelo escultor Miguel Martínez. Abaixo, vemos uma escultura de Sao Miguel lutando contra o dragao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro recinto conventual de importância é o Convento de las Dueñas, também fundado no séc. XV para a Ordem dos Dominicanos. Nao pude conhecer seu interior, apenas o claustro, cuja imagem vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO séc. XVI representou a época de maior esplendor de Salamanca, graças à consolidaçao do prestígio de sua Universidade, gerando a maior parte dos monumentos mais conhecidos da cidade, levantados dentro da estética renascentista. Esta será a matéria dos próximos posts…

Casas Esgrafiadas de Segóvia – Parte 2

Os Esgrafiados pertencem a uma família de revestimento mural conhecidos como Revocos, confeccionados sobre um muro ou superfície preparatória denominado Enfoscado, constituído de duas ou mais camadas de argamassa na qual se misturam cal, gesso, cimento ou argila, além da areia e da água. Depois, diversos pigmentos complementares possibilitam o grande leque de cores que vemos nas fachadas das Casas de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA técnica do Esgrafiado é muito antiga, sendo utilizada por civilizaçoes no IV milênio a.c. Os romanos a usavam na decoraçao de desenhos simples, e os árabes tornaram-se verdadeiros mestres em sua elaboraçao. Empregada pelos mudéjares na Idade Média, foi recuperado no séc. XIX para embelezar e dignificar as fachadas de aspecto pobre, colaborando para oferecer outro aspecto da cidade, decadente nesta centúria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos muros, o Esgrafiado é empregado sobre objetos de cerâmica e, na Idade Média,  também sobre os manuscritos, talhados em ouro. Nets época, os habitantes com mais recursos demonstravam sua posiçao fazendo alarde dos desenhos mais espetaculares, tanto no exterior, quanto no interior de suas casas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Itália, o esgrafiado, graças  herança dos romanos, é muito usado como elemento decorativo. Na Espanha, nao é exclusivo de Segóvia, podendo ser encontrado igualmente na Catalunha e Extremadura. Sua presença em grande número na cidade se deve às diferentes culturas que a habitaram ao longo do tempo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAExistem duas correntes na Espanha no que se refere à elaboraçao e características do Esgrafiado: a Catala, de procedência italiana, que teve seu auge durante o barroco, e a Segoviana, de origem mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

As Casas Esgrafiadas de Segóvia

Nao poderia finalizar esta matéria sobre as Casas de Segóvia sem um post referente a um de seus aspectos mais interessantes, sua decoraçao mural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta técnica de revestimento dos muros e paredes que embelezam as residências e edifícios da cidade denomina-se Esgrafiado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO termo Esgrafiado originou-se do latim, derivando das palavras ex (fora) e grapheim (desenho). Esta técnica decorativa consiste na realizaçao de uma incisao sobre a parte superficial de um muro ou fachada de uma construçao, de maneira que a camada inferior fica descoberta, cobrindo-as com motivos geométricos que, na maioria das vezes, se repetem ao longo de sua superfície.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ difícil encontrar uma casa em Segóvia que nao esteja decorada com esta técnica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa cidade, existem mais de 300 desenhos diferentes, de tal modo que cada construçao é decorada com motivos geométricos diferentes. Abaixo, vemos alguns deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta forma de adorno reune vários elementos (matéria, cor, forma, textura) que, combinados, oferece múltiplas possibilidades de composiçao. O Esgrafiado , além das casas, decora também os edifícios que sediam entidades públicas e oficiais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAté o imponete e magnífico Alcázar de Segóvia foi decorado com o esgrafiado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInúmeras casa que pertenceram, na Idade Média, à nobreza, aproveitaram os recursos estéticos da técnica para ornamentar suas fachadas, ao lado dos escudos heráldicos de seus proprietários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANormalmente, o revestimento mural ocupa toda a fachada , mas existem casos em que o esgrafiado cobre apenas parcialmente a superfície do muro, ou entao, exalta um elemento qualquer do conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, conheceremos um pouco desta técnica milenária, bem como outras casas que a adotaram como um símbolo da cidade de Segóvia.