Fábrica Nacional de Moneda y Timbre – Madrid

Desde o ano passado, uma instituição espanhola situada em Madrid transformou-se num dos locais mais famosos da cidade, graças a uma série da Netflix que a colocou em evidência. Este post está dedicado à Fábrica Nacional de Moneda y Timbre, que foi o cenário para a trama da série “La Casa de Papel”, cujo roteiro  relata um assalto de um grupo de pessoas à instituição. Esta excelente série, dirigida pelo espanhol Álex Pina e protagonizada por capazes atores e atrizes converteu-se na série de idioma não inglês mais vista da história da Netflix.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, haviam Casas de Moedas estatais e privadas, mas o Rei Felipe V decidiu que todas elas deveriam ser controladas pelo estado. No século XIX, existiam 7 empresas de fabricação, e cada qual possuía um modelo diferente de siglas e signos. Todas elas, menos a de Madrid, desapareceram depois que a Peseta passou a ser considerada a moeda nacional. A Fábrica Nacional de Moneda y Timbre foi criada em 1893, com a fusão de dois organismos, a Casa da Moeda e a Fábrica de Selo. Antigamente, estava situada na Plaza de Colón, mas tornou-se obsoleta com o tempo, sendo levada para outro edifício que foi inaugurado em 1964, sua atual sede. Quando foi derrubada, o local foi transformado nos Jardins do Descobrimento em 1970. Conta com um Centro Cultural e com esculturas que simulam as caravelas comandadas por Cristóvão Colombo durante sua viagem de descobrimento do continente americano. Além do mais, o jardim está presidido pela maior Bandeira da Espanha que existe no mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVinculada ao Ministério da Fazenda e Administração Pública, a Fábrica Nacional de Monedas y Timbre é uma empresa que fabrica moedas, dinheiro, timbres e documentos oficiais. A empresa dedica-se à fabricaçao de dinheiro desde 1937 e depois que foi levada à sede atual, começou a produzir os Documentos Nacionais de Identidade (DNI) e o Passaporte, além de cartões de bingo e loterias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma parte do edifício é visitável, pois acolhe o Museu Casa da Moeda, com a maior coleção de numismática da Espanha e considerada uma das mais completas da Europa. Tive a oportunidade de visitá-la uma vez e fiquei impressionado com a quantidade e qualidade das moedas expostas. Uma pena que as fotos não estão permitidas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício alberga também uma fundação, dedicada à divulgação cultural. Inicialmente, a série “La Casa de Papel” foi emitida pelo canal espanhol Antena 3, mas os direitos de distribuição foram adquiridos pela Netflix, e a série passou a ser vista internacionalmente, transformando-se num fenômeno mundial, com um êxito enorme no Brasil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, por motivos de segurança, o edifício que aparece na série não é a sede da Fábrica Nacional de Monedas y Timbre, cujas fotos estamos vendo na matéria, e sim o edifício do Conselho Superior de Investigação Científica (CSIC), a maior entidade dedicada à pesquisa do país, que vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara a realização das filmagens, o local deveria ser o mais parecido possível à original Fábrica de Moneda y Timbre. O amplo espaço exterior do CSIC preenchia este requisito, facilitando as filmagens. No local foram gravadas somente as cenas exteriores, sendo que os interiores foram filmados em sets de filmagens adaptados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  Na série, o processo de impressão do papel moeda foi filmado na máquina rotativa do centenário Diário ABC da Espanha, cuja antiga sede vemos abaixo, situada no famoso  Paseo de la Castellana, atualmente um Centro Comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAObviamente, não estava permitida a utilização das máquinas da Fábrica Nacional de Moneda y Timbre por motivos de segurança nacional. A série “La Casa de Papel” está composta por 15 capítulos, divididas em duas partes, e parece que vai ter uma continuação, a ser exibida em 2019. Vamos aguardar….

Anúncios

Apóstolo Santiago

Como complemento às matérias dedicadas a minha recente viagem realizada pela Galícia, decidi publicar uma pequena série de dois posts sobre o personagem fundamental destas terras, e motivo principal da existência de muitas das cidades que pertencem ao Caminho de Santiago, como a própria Santiago de Compostela. Refiro-me ao Apóstolo Santiago, o Santo Padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos 12 apóstolos de Jesus Cristo, Santiago (em português São Tiago) nasceu provavelmente na Galileia, e foi um dos filhos de Zebedeu e Salomé. Seu irmão, São João Evangelista, também fez parte do círculo íntimo de Jesus. Ambos o conheceram às margens do Mar da Galileia, quando pescavam junto com Simão Pedro e seu irmão André. Pedro, e os irmãos João e Tiago, formaram o trio de discípulos preferidos de Jesus e foram testemunhos diretos de alguns dos principais episódios da vida de Cristo. Depois da morte e ascensão de Jesus, Santiago começou a anunciar a nova fé e se encontrava em Jerusalém quando foi vítima da perseguição contra os cristãos promovida por Herodes Agripa, Rei da Judeia e neto de Herodes O Grande, que decapitou o santo pelas costas no ano 44. Santiago tornou-se, portanto, o primeiro apóstolo que foi martirizado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pequeno resumo de sua vida constitui o ciclo evangélico da vida do santo. Com seu martírio em Jerusalém e seu posterior sepultamento em terras galegas, iniciou-se uma das maiores devoções a um santo cristão graças aos milhares de peregrinos que, desde a Idade Média, realizam o Caminho de Santiago para venerar seu sepulcro na Catedral de Santiago de Compostela. A tradição de seu enterramento na Galícia se fundamenta em vários textos que adquirem sua forma definitiva no século XII, como a “História Compostelana”, escrito em 1139 por ordem do Bispo Diego Gelmírez de Santiago de Compostela, e o Códice Calixtino, onde se relata os acontecimentos mais importantes de sua vida. Depois de predicar na região da Judeia, veio a Espanha para seguir com seu papel evangelizador. O primeiro em admitir a evangelização do apóstolo na Península Ibérica foi o famoso Beato de Liébana em seus comentários sobre o Apocalipse, redatado em 776. Foi ele também o primeiro em referir-se ao Apóstolo Santiago como Padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos episódios mais importantes da vida de Santiago na Espanha ocorreu na cidade de Zaragoza, quando no ano 40 a Virgem Maria, em “carne mortal”, ou seja, em vida, apareceu ao apóstolo no alto de uma coluna feita de jaspe, conhecida como Pilar. Como testemunho de sua presença, o apóstolo ergueu uma pequena capela, que com o passar dos séculos originou a construção da Basílica do Pilar, um dos centros de devoção mariana mais antigos e importantes do mundo, onde ainda hoje se venera a Coluna do Pilar. A denominada Virgem do Pilar foi declarada a Santa Padroeira da Espanha e do mundo hispânico. Abaixo, vemos uma foto da bela Basílica do Pilar de Zaragoza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois do martírio do santo em Jerusalém, seus restos foram trazidos por dois de seus discípulos, Atanasio e Teodoro, num barco à Galícia. Então, ambos discípulos começaram a procurar um local santo para seu enterramento, e foram recebidos pela Rainha Lupa, perversa governante da Galícia, que os enviou a uma de suas propriedades, onde prometeu bois para o transporte do sepulcro. No entanto, ao chegarem ao local, viram que se tratava de touros bravos. Também encontraram com um feroz dragão que esculpia fogo. Os discípulos, em vez de se assustarem, fizeram o sinal da cruz e, milagrosamente, o dragão explodiu e os touros se transformaram em bois mansos. Retornaram ao palácio da Rainha Lupa que, arrependida, se converteu ao cristianismo e transformou seu palácio numa igreja. Este fato foi mencionado no livro “A Lenda Dourada”, escrito em 1264 por Jacobo de la Vorágine. Abaixo, vemos uma pintura que retrata o episódio, que faz parte do acervo do Museu do Caminho, sediado no magnífico Palácio Episcopal de Astorga, projetado pelo arquiteto modernista Antoni Gaudí.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO sepulcro do santo foi enterrado na cidade de Iria Flávia, atual Padrón, e abandonado no século III devido às perseguições religiosas na época em que o território formava uma província do Império Romano, conhecida como Hispania. Perdida a memória exata do local onde foi enterrado o santo, segundo a lenda uma luz misteriosa apareceu ao eremita Pelayo indicando o local do sepulcro. O Bispo Teodomiro de Iria Flávia foi comunicado e descobriu o sepulcro de mármore do santo e de seus dois discípulos numa antiga necrópole da cidade. Este local, indicado por uma estrela, recebeu o nome de “Campus Stellae“, ou “Campo da Estrela“, origem da cidade de Santiago de Compostela. Na época do Rei Alfonso II “El Casto” (791/842), se difunde por toda a península a notícia da descoberta do sepulcro do santo, fato que originou uma das maiores rotas de peregrinação de todo o mundo cristão, o Caminho de Santiago. Abaixo, vemos o Apóstolo Santiago na fachada da igreja a ele dedicado, em Medina de Rioseco, cidade da Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEvidentemente, na Espanha existem muitos templos dedicados ao seu santo padroeiro. Abaixo, vemos a Igreja de Santiago de Madrid

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A Igreja de Santiago de Málaga, onde foi batizado Pablo Picasso em 1881…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm muitas capelas existentes nas Catedrais da Espanha vemos sua figura, como na Capela Funerária de Santiago da Catedral de Toledo, em sua parte superior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu na Capela de Santiago, pertencente à Catedral de Segovia

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Martín Pinario

Depois da Catedral, o Monastério de San Martín Pinario é considerada a instituiçao religiosa mais importante de Santiago de Compostela e um de seus edifícios históricos mais relevantes. Situado na Plaza de la Inmaculada e bem próximo à Catedral, este monastério é um dos maiores de toda a Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Foi fundado no ano 900 pelo Bispo Sisnando, ao estabelecer uma pequena comunidade de monges beneditinos para que pudessem atender o culto relacionado ao Apóstolo Santiago. Escolheram uma zona denominada Pinario, assim chamada devido a grande quantidade de pinos no local. Desta época inicial, nada se conserva. No final do século XV, tornou-se o monastério mais rico de toda a Galícia, motivo pelo qual foi reedificado quase que completamente a partir do século XVI, sendo finalizado na segunda metade do século XVIII. Combina, devido ao tempo de construção, elementos renascentistas, barrocos e neoclássicos. Acima e abaixo, vemos a fachada principal do monastério, com destaque para as colunas gigantes de sua parte central. Na parte inferior, vemos uma imagem de San Benito (São Bento, em português). Na parte superior, o Escudo de Espanha e na parte mais alta uma imagem do santo titular, San Martín

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério possui dois grandes claustros, e somente pude conhecer um deles, o chamado Claustro das Oficinas, que vemos a seguir, que se caracteriza por sua simplicidade decorativa, sendo construído em 1660. No alto, vemos um singular campanário barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do Monastério de San Martín Pinario foi construída a partir de 1590, cujo projeto se deve ao arquiteto português Mateo López, que desenhou uma grande fachada a modo de um retábulo feito de pedra. Finalizou-se em 1652.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre decoradas colunas, vemos uma grande quantidade de personalidades, como os monarcas Carlos I e Felipe II, imagens de santos e profetas, a Virgem Maria, etc. Na parte superior, um frontón, como são conhecidas estas estruturas triangulares, acolhe uma imagem de San Martín a cavalo, oferecendo sua capa ao pobre, a representação mais difundida deste santo na história da arte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma planta de cruz latina, com uma cúpula semiesférica projetada por Bartolomé Fernández Lechuga e construída a partir de 1626.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA austeridade que até então predominava na arquitetura do monastério se transformou radicalmente quando Fernando de Casas y Novoa, em 1730, é encarregado para o projeto do impressionante retábulo maior barroco que contemplamos atualmente. Considerado uma das obras primas do Barroco Espanhol, sua exuberância decorativa inclui figuras de anjos, santos, estando coroado por outra imagem de San Martín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1742, os monges também encarregaram a Fernando de Casas y Novoa os retábulos situados no cruzeiro, dedicados à Virgem Maria e a San Benito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADetrás do retábulo maior, situa-se o Coro Baixo, realizado por Mateo de Prado em 1639.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Coro Alto, como o próprio nome indica, está localizado na parte superior da igreja, e foi trazido da Catedral de Santiago de Compostela, pertencente ao século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto com os dois órgãos barrocos da igreja do monastério e, depois, uma imagem de um deles (século XVIII).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom o processo de Desamortização de 1835, o monastério passou a exercer funções variadas, entre as quais de Seminário Maior, desde 1868. Uma parte foi habilitada como Museu de Arte Sacra. Abaixo, vemos uma série de anjos portando os instrumentos da Paixão de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAParte do conjunto monacal está dedicado à residência universitária e também como sede do Instituto Teológico Compostelano. Abaixo, vemos fotos do interior da igreja, ressaltando sua bela arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério possui uma grande quantidade de obras históricas, entre quadros, livros, etc, além de realizar interessantes exposições. Finalizamos com um livro sobre Anatomia, datado de 1745…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Universidade de Santiago de Compostela – Parte 2

Nesta última matéria sobre a Universidade de Santiago de Compostela, veremos outros edifícios relevantes da instituição, que integram as visitas guiadas que se realizam diariamente. O Colégio de San Jerónimo (San Xerome, no idioma galego) está unido ao Colégio de Fonseca, que vimos no post anterior. Também foi fundado pelo Arcebispo Alonso III de Fonseca para estudantes sem recursos, e sua fachada principal dá para a Plaza del Obradoiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente o colégio esteve situado num hospital situado próximo à catedral e desde 1652 encontra-se na atual localizaçao. O pórtico de entrada que vemos acima pertenceu a este antigo hospital, cuja riqueza decorativa inclui, no tímpano, a Virgem Maria como a Imaculada. Nas laterais, aparecem Santa Margarita e Santa Catalina. Nas colunas da parte inferior, diversos santos, entre os quais o Apóstolo Santiago, identificado pela concha, completam este belo conjunto escultórico do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio de San Jerónimo foi criado como um Colégio Maior, mas em 1840 perdeu esta condição. Atualmente sedia a Reitoria da Universidade de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a sala onde se reunem os membros da reitoria, local onde se discutem os assuntos pertinentes ao governo da instituição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita que realizei, tivemos a sorte de encontrar com o Reitor da Universidade num dos corredores do edifício, um senhor simpático que estava a ponto de deixar o cargo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o período conhecido como a Ilustração, na segunda metade do século XVIII, o Rei Carlos III concede o título de Real à Universidade, incorporando o escudo da coroa que, junto com as armas de Castilla, León e Galícia, além dos escudos dos fundadores, conformam o brasão da Universidade de Santiago de Compostela. Nesta época, a instituição distancia-se do poder eclesiástico e passa a constituir um centro secular. Os jesuítas foram expulsos do país durante o reinado do citado monarca, sendo que os antigos terrenos e edifícios pertencentes à Ordem foram cedidos à universidade. Abaixo, vemos a Igreja da Companhia de Jesus, também denominada Igreja da Universidade, cuja fachada caracteriza-se por seu classicismo (final do século XVIII).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAdossado à igreja, encontramos o antigo Colégio dos Jesuítas, edifício que também foi doado à Universidade após o decreto de expulsão da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante um tempo, o edifício acolheu a reitoria e diversas faculdades, das quais permanecem atualmente os cursos de História e Geografia. O interior organiza-se em torno a um grande pátio com uma fonte no centro…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATivemos o privilégio de conhecer o Paraninfo, situado numa das salas do edifício, e inaugurado no curso de 1906/1907 como local de importantes atos acadêmicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO maravilhoso espaço está ornamentado por pinturas no teto que representam figuras femininas e deusas da mitologia clássica como alegorias das artes, ciências e do conhecimento em geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARetratos de personalidades relevantes da história da universidade  complementam a decoração da sala, como o do Arcebispo Alonso III de Fonseca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo início do século XIX, os estudantes universitários comprovaram seu intenso patriotismo, formando o Batalhão Literário, que combateu contra as tropas francesas  durante a Guerra da Independência. A seguir, outro edifício pertencente ao campus universitário…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX houve um grande crescimento na quantidade de alunos matriculados e na oferta de títulos superiores concedidos, surgindo novas faculdades. Iniciam-se as relações com outras universidades estrangeiras, assim como o acesso às mulheres ao ensino superior da universidade, durante o curso de 1913/1914. Durante minha visita, meu orgulho patriótico irrompeu quando o guia mencionou a escritora brasileira Nélida Piñon como a única mulher que recebeu o título de Honoris Causa pela Universidade de Santiago de Compostela. Nascida no Rio de Janeiro em 1934, seus pais e avós foram emigrantes galegos e seu nome é um anagrama de seu avô, que se chamava Daniel. Membro da Academia Brasileira de Letras, tornou-se presidenta da associação, caso único em sua história. Recebeu inúmeros prêmios literários e um retrato da escritora carioca decora uma das salas da Universidade de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, a Universidade de Santiago de Compostela está incluída entre as 10 melhores de toda a Espanha, estando composta por cerca de 30 centros educativos, 80 departamentos e mais de 60 títulos superiores oferecidos.

Torre de Hércules – Patrimônio da Humanidade

Em maio de 2012 estive na cidade de La Coruña, uma das mais importantes da Galícia, e sobre ela publiquei um dos primeiros posts do blog, em 23/5/2012. Naquela oportunidade, comentei um pouco sobre a história da cidade, mencionando algumas de suas principais atrações. Retornei a La Coruña com o Marcelo e a Cristina para um passeio de um dia, partindo de Ferrol, e voltei a visitar a Torre de Hércules, um impressionante farol de origem romano que foi declarado Patrimônio da Humanidade em 2009.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO tempo não estava muito convidativo, com chuva, vento e um pouco de frio, mas não impediu que visitássemos o farol, situado numa colina a 60 metros sobre o nível do mar. A Torre de Hércules é considerado o único farol da antiguidade que segue em funcionamento. Foi construído pelos romanos, no século I dC, e sob a torre se encontram  restos arqueológicos e os cimentos originais da estrutura, além de construções que foram realizadas posteriormente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA lenda atribui ao herói grego Hércules sua construção, relatada pelo Rei Alfonso X “El Sábio” em 1270. Conta a história que Hércules venceu um gigante chamado Gerión, que ameaçava todos os habitantes da zona. Vitorioso, o herói enterrou a cabeça de seu inimigo e sobre ela ordenou que se edificasse uma torre. Em suas proximidades fundou uma cidade com o nome de Crunia, lembrança da primeira mulher que a habitou e da qual se apaixonou. Esta denominação latina evolucionou até o nome da cidade atual, La Coruña (em espanhol) ou A Coruña (em galhego). A origem lendária do farol podemos observar numa das portas da torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se do único farol romano de todo o mundo do qual se sabe o nome do arquiteto que o projetou, Caio Sevio Lupo, graças a uma inscrição conservada. A Torre de Hércules se iluminava com uma lâmpada de azeite, similar às de uso doméstico, mas de grande tamanho. Abaixo, vemos uma pedra circular que fazia parte do sistema de iluminação do farol, colocada sobre o recipiente que continha o azeite. Vemos na foto o orifício onde a mancha era acesa, projetando a luz sobre um espelho parabólico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente o farol era mais baixo, com 41.5 metros de altura e mais largo, porque contava com uma rampa exterior através da qual se transportava o combustível que o alimentava. Atualmente, possui 59m de altura e possui uma planta quadrada, sendo que sua luz alcança as 24 milhas náuticas. Da parte subterrânea, onde se encontram os restos arqueológicos, começa uma escada que nos conduz ao alto da torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACartazes advertem que a subida não é apta para pessoas com problemas cardiorrespiratórios ou claustrofobia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, em razão das medidas de segurança adotadas devido ao mau tempo, no dia em que estivemos no farol as visitas à parte mais alta da torre foram suspensas. De qualquer modo, pudemos admirar o núcleo interno desta maravilhosa obra de engenharia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua milenar história, o farol sofreu diversas modificações, sendo a mais importante realizada em 1788, durante o reinado de Carlos III, cuja estátua colocada em frente a torre celebra o fato.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA reforma recobriu a estrutura romana com fachada que vemos atualmente. Para recordar a antiga rampa existente, se introduziu na fachada uma faixa ascendente que percorre toda a altura da torre. Abaixo, vemos alguma imagens do farol tiradas em 2012, quando o sol embelezava este emblemático monumento da arquitetura romana na Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo o post com uma placa colocada na fachada que enaltece a importância da reforma de Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Arquitetura Típica de Ferrol

Um dos elementos mais notórios da cidade de Ferrol é a singular arquitetura de seus edifícios, motivo pelo qual decidi realizar duas matérias sobre ela e suas principais características. Uma delas constitui a grande quantidade de edifícios decorados com elementos modernistas, que veremos no próximo post. A outra, algo que comparte com outras cidades da Galícia, como La Coruña, por exemplo, correspondem as fachadas com os denominados miradores (traduzidos literalmente ao português como mirantes), como se conhecem as estruturas arquitetônicas que possibilitam a vista das ruas desde o interior das residências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de não constituir algo original da arquitetura da cidade, pois estes elementos se encontram em muitas das cidades da Espanha, os miradores são abundantes em Ferrol, constituindo um detalhe típico do espaço urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm alguns edifícios, os miradores praticamente foram colocados por toda a fachada do edifício. Em outros, estão restritos a privilegiados proprietários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA grande maioria foram construídos em madeira e vidro, enquanto outros destacam-se por sua composição feitas de ferro, com uma elaborada decoração…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIndependente das formas arquitetônicas, os miradores integram o aspecto geral das fachadas de muitos edifícios da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm um destes típicos edifícios de Ferrol, nasceu seu filho mais ilustre, considerado um dos personagens mais polêmicos da história espanhola e que exerceu um papel fundamental para a compreensão do século XX no país. Seu nome, Francisco Franco Bahamonde, militar e ditador espanhol, mais conhecido como General Franco e apelidado de “Caudillo da Espanha” ou “Generalíssimo“, nasceu na cidade em 1892 e faleceu em Madrid em 1975. Integrante da cúpula do exército que deu um golpe de estado contra o governo democrático da Segunda República em 1936, cujo fracasso provocou a eclosão da Guerra Civil Espanhola, que se estendeu até 1939, Franco foi nomeado durante o período como chefe supremo do bando nacionalista. Com a vitória na contenda, assumiu o posto como ditador, papel que desempenhou até sua morte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando soube que Ferrol havia sido sua terra natal e que a casa onde nasceu ainda existia, começei a perguntar aos habitantes da cidade sua localização, e muitos deles nem sequer sabiam quem havia sido Franco (principalmente os mais jovens). Outros sabiam que sua casa se encontrava na cidade, mas ignoravam onde se situava. Finalmente, um atencioso funcionário de uma loja, através de uma pesquisa na Internet, me forneceu o endereço da casa natal de Franco, que ostenta duas placas com inscrições de difícil identificação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 2007 está em vigor na Espanha a Lei da Memória Histórica. Um dos seus preceitos postula a retirada de nomes de ruas, praças e parques espalhados pelo país vinculados com o bando nacionalista e a posterior ditadura franquista. Por exemplo, desde 1967 até 2002, na conhecida Plaza de España de Ferrol, se erguia uma estátua equestre do Ditador, que foi removida num momento em que a praça foi oportunamente reformada. Abaixo, vemos uma foto da praça, com alguns de seus emblemáticos edifícios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monumento a Franco foi levado a um dos armazéns do Museu Naval da cidade e logo a um depósito, e atualmente não pode ser vista por ninguém…

Um Passeio por Mogarraz

A Comarca de la Sierra de Francia está formada por montanhas e vales, onde se assentaram uma série de pueblos de grande interesse histórico, como La Alberca, sua capital, San Martín del Castañar, que veremos no próximo post, e Mogarraz. Seus habitantes, desde tempos remotos, se dedicaram à agricultura e à pecuária, aproveitando todos os espaços disponíveis, criando áreas nas ladeiras das montanhas para o cultivo e o pasto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra característica que compartem estes povoados é sua arquitetura popular, cujas casas foram construídas com entramados de madeira, que vimos mais detalhadamente num post recém publicado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMogarraz é um pueblo com menos de 300 habitantes, cuja importância histórica foi reconhecida ao ser declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1986. Suas ruas estreitas seguem o urbanismo medieval, como podemos observar nas fotos desta matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fundação de Mogarraz se deve ao processo de repovoamento efetuado pelos reis castelhanos no século XII. Obteve o título de vila somente em 1656.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua economia sempre esteve baseada no cultivo da uva, da cereja e na exploração dos recursos naturais da zona, como a madeira, realizada de forma sustentável desde séculos. Neste sentido, Mogarraz situa-se num local privilegiado, dentro dos limites do Parque Natural de Las Batuecas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo contrário de La Alberca, em que muitas de suas típicas casas foram restauradas, em Mogarraz conservam seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém aqui encontramos as fachadas das residências ornamentadas com motivos religiosos esculpidos, a grande maioria talhados pela comunidade de judeus conversos que passaram a viver na comarca em épocas passadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO principal monumento do povoado é a Igreja Paroquial de N.Sra de las Nieves, construída no estilo renascentista. A torre campanário é posterior, erguida no século XVIII, cumprindo uma função de defesa e vigilância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu artesanato é famoso em toda a Espanha e no estrangeiro, principalmente as jóias feitas com fios de ouro e prata, além do bordado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros produtos de grande fama, extensivo à toda a Província de Salamanca, constituem os embutidos, derivados da criação de cerdos (porcos, em português), como o jamón, o chorizo, a morcilla, etc. Tivemos o prazer de realizar uma degustação maravilhosa destes produtos numa loja que comercializa alguns dos melhores embutidos da zona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhamos sem pressa pelo povoado, principalmente quando a chuva dava uma trégua, sob o olhar atento dos retratos, admirando sua bela, rústica e peculiar arquitetura popular

OLYMPUS DIGITAL CAMERA