Centro de História de Zaragoza

No post de hoje veremos um local que foi transformado em um importante Centro Cultural, depois que perdeu suas funções religiosas originais. O Centro de História de Zaragoza situa-se no antigo Convento de San Agustín, sendo considerado uma das instituições culturais mais ativas da cidade.

20181113_124253O Convento de San Agustín foi fundado no século XIII pela Ordem dos Agostinhos. No princípio do século XVIII foi reformado no estilo barroco em uma de suas fachadas, fato que originou a criação  da Plaza de San Agustín, que vemos abaixo.

20181113_131143Deste período, se conservam a fachada da igreja e parte do convento. Esta instituição religiosa desempenhou um papel fundamental na defesa da cidade durante os chamados Sítios de Zaragoza, quando foi sitiada pelo exército francês de Napoleão Bonaparte, entre 1808 e 1809. Ao estar localizado na primeira linha defensiva da cidade, foi transformado em baluarte. No entanto, os franceses conseguiram abrir uma brecha através da qual penetraram na cidade, ocasionando a devastação do convento. Poucos anos depois, com o processo de desamortização dos bens religiosos, o convento foi finalmente abandonado e transformado em quartel.

20181113_130711Em 1978, o local foi adquirido pela Prefeitura de Zaragoza, que realizou vários projetos de recuperação, que culminaram na criação do Centro de História, aberto ao público em 2003.

20181113_13041420181113_130334Atualmente, o Centro de História de Zaragoza promove uma intensa atividade cultural, com exposições, conferências, debates, apresentações de livros, etc.

20181113_12505020181113_125818O centro acolhe também o Museu do Origami, considerado um dos melhores da Europa.

20181113_125636Quando lá estive, pude ver uma interessante exposição sobre as Festas do Pilar, celebradas anualmente no mês de outubro, em homenagem à Virgem do Pilar, Padroeira da Espanha.

20181113_13063820181113_130120Depois da visita, tomei um café em sua moderna cafeteria…

20181113_124640O Convento foi habilitado como biblioteca, que tive a oportunidade de visitar e fotografar um detalhe arquitetônico…

20181113_130910

Anúncios

Igreja de San Nicolás – Valência

Em pleno Centro Histórico de Valência situa-se um dos templos mais belos da cidade, a Igreja de San Nicolás e de San Pedro Mártir. Recentemente, quando estive na cidade, tive a oportunidade de conhecê-la por primeira vez e admirá-la tanto sua parte exterior, quanto seu magnífico espaço interno.

20181004_144531O local onde a igreja se situa sempre foi, ao longo dos séculos, um espaço sagrado. Já em época romana, havia um templo, que foi substituído por uma mesquita durante a dominação muçulmana. Com a reconquista efetuada pelo Rei Jaime I no século XIII, a mesquita foi consagrada como uma paróquia cristã e entregue a Ordem Dominicana, que batizou o templo em homenagem a San Nicolás de Bari. Anos depois, a ordem decidiu incorporar a titularidade da igreja a San Pedro Mártir, considerado o primeiro santo mártir dos dominicanos.

20181004_144658No século XV, chamado de Século de Ouro Valenciano, a igreja foi reconstruída e ampliada, adquirindo o aspecto gótico que possui atualmente. Desta época, se conserva a portada exterior, que vemos nas imagens acima. Esta reforma ocorreu durante o governo eclesiástico do Bispo Alfonso de Borja, que se tornaria cardeal e posteriormente Papa com o nome de Calixto II.

20181004_144603Durante o período da Contrarreforma, no final do século XVII (entre 1697 e 1700), a igreja foi reformada no estilo barroco.

20181004_143337Todo o interior do templo foi coberto por um excepcional conjunto de pinturas (quase 2 mil metros quadrados), realizado pelo pintor Dionís Vidal, discípulo do grande Antonio Palomino (1653/1726), considerado um dos maiores teóricos da arte na Espanha, além de ter sido nomeado pintor de câmara do Rei Carlos II.

20181004_143349As pinturas foram realizadas na própria estrutura gótica do templo, e representam episódios das vidas dos santos titulares, San Nicolás e San Pedro Mártir. Conhecida como a Capela Sixtina Valenciana, a Igreja de San Nicolás é considerada um dos melhores exemplos da combinação do estilo gótico com a decoração barroca.

20181004_14383520181004_144022O interior da igreja possui nave única e 6 capelas de cada lado…

20181004_14430620181004_143555San Nicolás viveu no século IV, e foi Bispo de Mira, na atual Turquia. Devido às invasões otomanas, seus restos foram levados à cidade italiana de Bari, onde se encontra seu sepulcro. Protetor da infância e da família, também é invocado em momentos de dificuldades financeiras. Abaixo, vemos seu busto, situado junto ao altar maior da igreja.

20181004_143733San Pedro Mártir viveu no século XIII. Pertencente à Ordem Dominicana, nasceu em Verona, Itália, e faleceu em 1252. Abaixo, vemos o órgão da igreja…

20181004_143720A igreja conserva importantes obras artísticas, como este retábulo que representa o Calvário de Cristo, realizado pelo pintor Rodrigo de Osona em 1476, um exemplo da transição do gótico ao renascimento.

20181004_144211No século XIX, foram realizadas algumas reformas na parte exterior da igreja, no estilo neogótico

20181004_144612Finalmente, em 1981, a Igreja de San Nicolás de Valência recebeu, merecidamente, o título de Monumento Histórico-Artístico.

Poza de la Sal – Província de Burgos

A Província de Burgos está repleta de pueblos de grande beleza e relevância histórica. O primeiro que visitamos foi Poza de la Sal, situado a 43 km ao norte da capital da província, a cidade de Burgos. Com apenas 340 habitantes, situa-se na Comarca de de la Bureba e sua localização na ladeira de uma serra lhe valeu o apelido de “Balcão de la Bureba“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à conservação de seu núcleo urbano, foi declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1982. Conhecida já em época romana devido à exploração de sal (no próximo post comentarei sobre a importância deste produto no desenrolar de sua história), foi na Idade Média que adquiriu novamente importância, graças ao foro real e o privilégio de realizar um mercado semanalmente e duas feiras anuais, concedido por Enrique II em 1371. Uma boa forma de conhecer o povoado é dirigindo-se à Oficina de Turismo, situada ao lado do Edifício do Ayuntamiento, construído no final do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua planificação e distribuição urbana reflete seu passado medieval, com inúmeras casas  construídas com vigas de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vila encontra-se rodeada por uma muralha medieval que se conserva em sua maior parte. Abaixo, vemos a chamada Plaza Nueva, construída no século XVII, e o Arco de la Concepción, a principal porta da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Cosme y San Damián ergue-se no centro do pueblo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construída a partir do final do século XIV no estilo gótico. No entanto, sua fachada foi reformada no estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1982, a igreja foi catalogada como Monumento Nacional. Abaixo, vemos imagens de sua esbelta torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhar tranquilamente pelas ruas de Poza de la Sal é um verdadeiro prazer para os sentidos, nos remetendo a um passado que sobrevive em seu urbanismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara a grande maioria dos espanhóis, a vila é conhecida como a cidade natal de um dos mais influentes naturalistas do mundo, Félix Rodríguez de la Fuente (1928/1980). Este médico e divulgador ambientalista contribuiu em grande medida ao desenvolvimento da consciência ecológica no país, numa época em que ainda não existiam movimentos dedicados à conservação da natureza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARealizou vários documentais ambientalistas para a Rádio e a Televisão Espanhola, como a série “El Hombre y la Tierra“, de grande êxito no país e vista por incontáveis espectadores entre os anos de 1974 a 1980. Entre os muitos estudos que realizou junto à natureza, destacou-se pela convivência com os lobos da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua merecida fama extrapolou os limites do país. Em 1980, sofreu um acidente aéreo no Alasca, quando realizava filmagens para um novo documentário, fato que lhe custou a vida. Durante minha visita ao povoado, conheci vários turistas espanhóis que se lembravam de terem assistido suas séries na TV quando crianças, e do quanto aprenderam com ele…

 

A Catedral Compostelana

Esta série de matérias sobre Santiago de Compostela estaria incompleta, caso não publicasse posts sobre seu edifício mais famoso e importante, a Catedral, que preside o Centro Histórico da cidade, declarado Patrimônio da Humanidade em 1985.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada um dos templos mais importantes de todo o mundo, a Catedral Compostelana está dedicada ao Apóstolo Santiago, cujos restos descansam em seu interior. Este fato a converteu num dos principais centros de peregrinação da Europa desde a Idade Média, através do Caminho de Santiago. O sepulcro do Apóstolo, nomeado Padroeiro da Espanha, foi descoberto no século IX por um eremita chamado Pelayo, que comunicou o achado ao Bispo Teodomiro de Iria Flávia, atual município galego de Padrón. O bispo, por su vez, avisou da notável descoberta ao Rei Asturiano Alfonso II, que posteriormente converteu-se no primeiro peregrino documentado do caminho. O monarca ordenou a construção de uma pequena capela no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADiante do crescente número de peregrinos e das reduzidas dimensões do templo, se construiu uma igreja maior no ano 829 e no final do século IX (899) uma outra igreja, de estilo pré-românico, construída pelo Rei Alfonso III, que se transformou gradualmente num importante local de peregrinaçao. Em 997, esta primitiva igreja foi destruída pelo General Almanzor, comandante do exército muçulmano do Califato de Córdoba, que respeitou, no entanto, o sepulcro do Apóstolo Santiago. Apesar disso, as portas e campanas da igreja foram levadas à Mesquita de Córdoba. Quando a cidade andaluza foi reconquistada pelo Rei Fernando III em 1236, foram transportadas por prisioneiros muçulmanos à cidade de Toledo, concretamente a sua notável catedral gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADestruída a igreja primitiva, durante o reinado de Alfonso VI e sob o patrocínio do Bispo Diego Peláez, se iniciou a construção da atual catedral, um dos edifícios de estilo românico de maior importância em toda Europa. Edificada basicamente com granito, as obras se detiveram em vários momentos, sendo finalizada em 1122 e consagrada por primeira vez seis anos depois. Seus principais arquitetos foram Bernardo El Viejo, seu discípulo Roberto e um grande arquiteto da Arquitetura Românica, o Mestre Esteban. A última etapa construtiva ocorreu a partir de 1168, quando o chamado Mestre Mateo realizou a cripta e o fabuloso Pórtico da Glória, considerado um dos expoentes máximos da Arte Românica. As obras finalizaram em 1211, ano em que a Catedral é definitivamente consagrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos o aspecto da fachada principal românica da catedral, antes da reforma barroca realizada no século XVIII, que dá para a Plaza del Obradoiro. Esta imponente e maravilhosa fachada, além de outras partes da Catedral, como o mencionado Pórtico da Glória, está sendo restaurada para solucionar o processo de deterioração em seus elementos estruturais e decorativos, causado principalmente pela humidade, além de intervenções realizadas no passado que resultaram problemáticas. Além do mais, a fachada recebeu um necessário tratamento de limpeza. Abaixo, vemos duas imagens da fachada, antes da reforma, e outra atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs primitivas torres da fachada principal eram românicas, mas forma substituídas pelas atuais durante a reforma barroca. Abaixo, vemos a Torre do Relógio, situada no lado direito da fachada. Foi realizada em 1680 por Domingo de Andrade. O relógio é de 1831, e os sinos são réplicas, cujos originais foram colocadas no claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior da catedral, a única fachada que conserva sua fábrica românica é a impressionante Fachada de las Platerías, construída pelo Mestre Esteban entre 1103 e 1117.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACaracteriza-se por sua riqueza escultórica, tanto nos capitéis, quanto nos tímpanos de suas duas portas. No tímpano da esquerda, vemos cenas relacionadas às tentaçoes de Cristo. No extremo direito aparece a representação de Eva com uma caveira, identificada como adúltera pelo Códice Calixtino (um pouco complicado de ver na foto…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo tímpano da direita, vemos outras cenas historiadas, como a Epifania em sua parte superior. Na parte inferior, a cura do cego e episódios da Paixão de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns elementos decorativos foram colocados posteriormente (final do século XIX), como estes 6 meninos que faziam parte do coro de pedra situado na nave central da igreja e realizado pelo Mestre Mateo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local destacável do exterior da catedral é a Porta Santa, cuja porta se abre somente nos denominados Anos Santos ou Jubilar, quando as festividades em honra ao Apóstolo Santiago (25 de julho) caem num domingo, algo que ocorre em intervalos de 5, 6 e 11 anos. Este privilégio foi concedido pelo Papa Calixto II em 1122.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais da porta, também foram colocadas, no século XVII, 24 figuras de personagens bíblicos, do Antigo e do Novo Testamento, que originalmente integravam o coro pétreo do Mestre Mateo. Em sua parte superior, vemos o Apóstolo Santiago, cuja imagem foi realizada em 1694 por Pedro del Campo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos esta primeira parte sobre a Catedral de Santiago de Compostela com a Fachada da la Azabachería, construída em 1758, substituindo a antiga Porta do Paraíso, pela qual entravam a maioria dos peregrinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Martín Pinario

Depois da Catedral, o Monastério de San Martín Pinario é considerada a instituiçao religiosa mais importante de Santiago de Compostela e um de seus edifícios históricos mais relevantes. Situado na Plaza de la Inmaculada e bem próximo à Catedral, este monastério é um dos maiores de toda a Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Foi fundado no ano 900 pelo Bispo Sisnando, ao estabelecer uma pequena comunidade de monges beneditinos para que pudessem atender o culto relacionado ao Apóstolo Santiago. Escolheram uma zona denominada Pinario, assim chamada devido a grande quantidade de pinos no local. Desta época inicial, nada se conserva. No final do século XV, tornou-se o monastério mais rico de toda a Galícia, motivo pelo qual foi reedificado quase que completamente a partir do século XVI, sendo finalizado na segunda metade do século XVIII. Combina, devido ao tempo de construção, elementos renascentistas, barrocos e neoclássicos. Acima e abaixo, vemos a fachada principal do monastério, com destaque para as colunas gigantes de sua parte central. Na parte inferior, vemos uma imagem de San Benito (São Bento, em português). Na parte superior, o Escudo de Espanha e na parte mais alta uma imagem do santo titular, San Martín

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério possui dois grandes claustros, e somente pude conhecer um deles, o chamado Claustro das Oficinas, que vemos a seguir, que se caracteriza por sua simplicidade decorativa, sendo construído em 1660. No alto, vemos um singular campanário barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do Monastério de San Martín Pinario foi construída a partir de 1590, cujo projeto se deve ao arquiteto português Mateo López, que desenhou uma grande fachada a modo de um retábulo feito de pedra. Finalizou-se em 1652.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre decoradas colunas, vemos uma grande quantidade de personalidades, como os monarcas Carlos I e Felipe II, imagens de santos e profetas, a Virgem Maria, etc. Na parte superior, um frontón, como são conhecidas estas estruturas triangulares, acolhe uma imagem de San Martín a cavalo, oferecendo sua capa ao pobre, a representação mais difundida deste santo na história da arte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma planta de cruz latina, com uma cúpula semiesférica projetada por Bartolomé Fernández Lechuga e construída a partir de 1626.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA austeridade que até então predominava na arquitetura do monastério se transformou radicalmente quando Fernando de Casas y Novoa, em 1730, é encarregado para o projeto do impressionante retábulo maior barroco que contemplamos atualmente. Considerado uma das obras primas do Barroco Espanhol, sua exuberância decorativa inclui figuras de anjos, santos, estando coroado por outra imagem de San Martín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1742, os monges também encarregaram a Fernando de Casas y Novoa os retábulos situados no cruzeiro, dedicados à Virgem Maria e a San Benito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADetrás do retábulo maior, situa-se o Coro Baixo, realizado por Mateo de Prado em 1639.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Coro Alto, como o próprio nome indica, está localizado na parte superior da igreja, e foi trazido da Catedral de Santiago de Compostela, pertencente ao século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto com os dois órgãos barrocos da igreja do monastério e, depois, uma imagem de um deles (século XVIII).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom o processo de Desamortização de 1835, o monastério passou a exercer funções variadas, entre as quais de Seminário Maior, desde 1868. Uma parte foi habilitada como Museu de Arte Sacra. Abaixo, vemos uma série de anjos portando os instrumentos da Paixão de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAParte do conjunto monacal está dedicado à residência universitária e também como sede do Instituto Teológico Compostelano. Abaixo, vemos fotos do interior da igreja, ressaltando sua bela arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério possui uma grande quantidade de obras históricas, entre quadros, livros, etc, além de realizar interessantes exposições. Finalizamos com um livro sobre Anatomia, datado de 1745…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Igrejas Históricas de S.Compostela

O patrimônio histórico religioso de Santiago de Compostela é invejável, compreendendo igrejas, conventos e monastérios, além de pequenas mas belas capelas. Neste post e no próximo, veremos alguns dos templos mais importantes da cidade galega, a parte daqueles já mostrados nesta recente série de matérias. Iniciamos com o Antigo Convento de Santo Domingo de Bonaval. Segundo conta a tradição foi fundado pelo próprio Santo Domingo de Gusmão (1170/1221) em 1220, santo espanhol fundador da Ordem Dominicana, durante uma peregrinação feita à Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste convento é considerado o primeiro desta ordem religiosa em toda a Galícia. A igreja atual do convento data do século XIV, realizada no estilo gótico, mas reformada no XVII. Em uma de suas capelas guarda os restos da poetisa e escritora galega Rosalía de Castro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento foi abandonado devido aos processos desamortizadores, e atualmente acolhe o Museu do Povo Galego. Do local onde se encontra, existem belíssimas vistas do centro histórico da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO período barroco, que compreende o século XVII e parte do XVIII, constituiu uma etapa de grande prosperidade para as instituições religiosas da cidade, sendo que muitas das igrejas existentes fazem parte desta corrente artística. Um exemplo é a pequena mas interessante Igreja de San Roque, que pertence ao século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja está situada junto a um antigo hospital, construído para dar assistência aos enfermos que foram contaminados por uma epidemia de peste no século XVI. Por este motivo, a igreja foi dedicada a São Roque, protetor dos doentes. Uma bela imagem do santo podemos contemplar dentro do templo, realizada por José Gambino (1719/1775), um artista procedente de Gênova e que tornou-se responsável por uma excelente escola de escultores na Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO retábulo principal da igreja foi realizado por Simón Rodríguez (1697/1752), um importante arquiteto barroco da Galícia que deixou um impressionante legado na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa porta de entrada da igreja vemos símbolos associados ao Apóstolo Santiago, como a cruz da Ordem de Santiago e a concha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe estilo neoclássico e construída a partir de 1750 é a Igreja de Santa María del Camino

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAIgualmente do século XVIII, a Capela das Ánimas também se insere no estilo neoclássico, principalmente em sua fachada, que contou com a participaçao do arquiteto Ventura Rodríguez. Na própria fachada vemos um relevo com as almas no purgatório…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da capela possui nave única, com destaque para os belos retábulos feitos de estuco policromado no início do século XX por Manuel de Prado. Os episódios da paixão de Cristo retratados pelo artista impressionam pelo realismo dos personagens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com imagens do interior da capela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza del Obradoiro – Santiago de Compostela

Em Santiago de Compostela, todos os caminhos levam à Plaza del Obradoiro, a praça mais importante, monumental e movimentada da cidade. Milhares de peregrinos, depois de muitos dias caminhando, finalmente se aproximam à praça para visitar a Catedral de Santiago de Compostela, cuja fachada principal dá para a praça, e finalizar o caminho abraçando a imagem do apóstolo que se encontra no interior do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO nome da praça está relacionada com o grêmios de obreiros que trabalharam na construção da catedral. No centro da praça encontra-se o “Km 0” do Caminho de Santiago e uma placa com a declaração do caminho de peregrinação como o “Primeiro Itinerário Cultural Europeu“. Abaixo, vemos uma panorâmica da praça.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal da Catedral preside este lugar maravilhoso da cidade. O templo foi construído a partir do século XI no estilo românico, mas a fachada foi alvo de várias reformas a partir do século XVI, com a intenção de proteger uma de suas partes mais famosas, o incrível Pórtico da Glória, além de suas duas torres. No século XVIII decidiu-se pela construção de uma nova fachada no estilo barroco, que acabou se transformando numa obra prima do estilo na Espanha e um símbolo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO projeto da fachada barroca da Catedral de Santiago de Compostela se deve ao arquiteto nascido e falecido na cidade Fernando de Casas Novoa. Destaca-se por sua riqueza decorativa, verticalidade e seu formato relativamente côncavo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre ambas torres, foram colocadas janelas acristalados que permitem a iluminaçao interna do interior. Toda a iconografia escultórica da fachada relaciona-se com o Apóstolo Santiago, cuja imagem vemos na parte superior do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, o arquiteto responsável não pôde ver finalizada a obra, terminada em 1750, um ano depois de seu falecimento. A escada de acesso foi construída no século XVII, no estilo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a fachada está sendo objeto de uma intensa restauração, com a finalidade de limpeza de sua estrutura. Em algumas fotos da presente matéria, vocês podem observar a fachada limpa e quase terminada, enquanto nas demais fotos, tiradas em 2012, podemos ver a sujeira acumulada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à Catedral encontra-se o Palácio de Raxoi (Rajoy, em espanhol), atual sede da Presidência da Junta de Galícia e do Centro de Cultura da Galícia, além de albergar a Prefeitura de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInspirado nos palácios franceses do século XVIII, o edifício foi projetado pelo engenheiro francês Charles Lemau no estilo neoclássico, e realizado na segunda metade do século XVIII. Inicialmente, foi construído como residência dos meninos que integravam o coro da catedral e também como seminário. Depois funcionou como prisao civil e eclesiástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior do palácio vemos um rico conjunto escultórico que representa a Batalha de Clavijo, a primeira em que o Apóstolo Santiago aparece como guerreiro para auxiliar o exército cristão na luta contra os árabes, ocorrida em 844 e considerada uma das mais célebres da denominada Reconquista. O próprio santo, representado como Padroeiro da Reconquista, remata a estrutura do palácio. A construção do palácio permitu o fechamento da Plaza del Obradoiro, antigamente denominada Plaza del Hospital, graças ao antigo hospital fundado pelos Reis Católicos que vemos em uma de suas laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste local será o tema da próxima matéria, onde vocês poderão conhecer com mais profundidade sua história e beleza. Do outro lado da praça localiza-se o  Colégio de San Jerónimo (em galhego, San Xerome), atual sede da Reitoria da Universidade de Santiago de Compostela. Sobre a Universidade também publicarei posts especiais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da catedral situa-se o Palácio de Xemírez, que foi a residência do primeiro arcebispo da cidade, Diego Xemírez. Ele ordenou a construção, a partir de 1120, de um novo palácio de estilo românico que substituiu o anterior, destruído durante uma revolta popular. O palácio é visitável, pois atualmente se realizam exposições no interior, mas as fotos não estão permitidas…