Castelos Reais da Espanha

A partir deste post veremos alguns exemplos de Castelos que pertenceram aos monarcas dos diversos reinos que formavam a Espanha de épocas passadas. Na Ilha de Mallorca, uma das quatro que compõem a Comunidade Marítima das Ilhas Baleares, um de seus principais destaques é o Castelo de Bellver, situado em sua capital e maior cidade, Palma de Mallorca. Possui um inusual formato circular, único na Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta fortaleza foi construída pelo Rei Jaime II de Mallorca no século XIV, combinando as funções defensivas e residenciais, e utilizando-o como sede da corte durante seu reinado. Foi também utilizado como refúgio por Pedro IV de Aragón no mesmo século, durante uma epidemia de peste que assolou o continente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm de seus principais elementos é a Torre de Homenaje, de forma circular, como vemos nas imagens acima. O Castelo de Bellver foi usado também como prisão…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Aragón, o Castelo de Loarre constitui uma de suas principais fortalezas. Localizado na Província de Huesca, foi construído por ordem do Rei Sancho III El Mayor no século XI.

DSC05328Este magnífico castelo foi edificado na rocha onde se assenta, e conserva toda sua estrutura original.

DSC05317De fato, o Castelo de Loarre é considerado um dos castelos de estilo românico melhor conservado de toda a Europa, e foi cenário de várias produções cinematográficas, como o filme “Reino dos Céus“, dirigido por Ridley Scott em 2005. No final do século XIII se construiu sua muralha defensiva.

DSC05288Na Comunidade de Castilla y León, Província de Ávila, o Castelo de Arévalos é um exemplo de castelo nobre que passou com o tempo a ser propriedade real. Sua construção foi ordenada pelo Duque de Béjar, Don Álvaro de Zuñiga, no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois o Castelo de Arévalos tornou-se uma propriedade dos Reis Católicos, sendo que Isabel la Católica passou sua infância nesta fortaleza. No século XVI transformou-se em penitenciária, e nele esteve detido o Príncipe de Nassau, Guilherme de Orange. Posteriormente foi utilizado como cemitério…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Peñafiel é um dos mais impressionantes da Província de Valladolid (Comunidade de Castilla y León) e considerado uma das maiores fortalezas medievais da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua forma estreita e alongada lhe confere um aspecto semelhante à proa de um grande barco. Foi edificado a partir do século X, ainda que seu aspecto atual se deve às reformas realizadas no século XV por Don Pedro Girón, mestre da Ordem de Calatrava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANele nasceu o Príncipe de Viana, filho do Rei Juan II de Aragón e da Rainha Blanca de Navarra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Castelo de Peñafiel é a sede do Museu Provincial do Vinho

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra fortaleza cuja construção foi ordenada por um nobre e que transformou-se em Castelo Real podemos ver na Comunidade de Madrid, o Castelo de Villaviciosa de Odón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XV pelos Condes de Chinchón, no século XVIII foi adquirido pelo Rei Felipe V, que o entregou a seu filho, o Infante Luís. Depois foi a residência do Rei Fernando VI, que habitou o castelo após a morte de sua esposa Bárbara de Bragança, e nele veio a falecer em 1759. Hoje em dia, o Castelo de Villaviciosa de Odón é a sede de uma arquivo histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos Senhoriais da Espanha – Parte 3

Neste último post sobre os Castelos Senhoriais da Espanha veremos outros exemplos de palácios construídos como fortalezas para os nobres, que ainda hoje impressionam por sua esbelta silueta na paisagem espanhola. O Castelo de Almansa é um dos mais importantes da Província de Albacete (Comunidade de Castilla La Mancha), situado no alto de uma colina que domina a cidade, conhecida como “Cerro del Águila“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente foi uma fortaleza muçulmana e nos séculos posteriores passou a pertencer a nobreza. Seua aspecto atual se deve às reformas realizadas pelo II Marquês de Villena, Don Juan Pacheco, no século XV. Este castelo foi cenário de um conflito histórico, a Batalha de Almansa, que possibilitou o ascenso de Felipe de Anjou como Rei da Espanha, durante a Guerra da Sucessão Espanhola, no início do século XVIII. Proclamado Rei com o nome de Felipe V, foi o primeiro monarca da dinastia bourbônica a ocupar o trono da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém localizado na Província de Albacete, e edificado sobre uma fortaleza árabe anterior, o Castelo de Chinchilla de Monte Aragón foi outra das fortalezas que pertenceram ao II Marquês de Villena, Don Juan Pacheco, que da mesma forma que o anterior, foi igualmente restaurado por ele no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO castelo está formado por um fosso de grandes proporções, como vemos abaixo. Como elemento decorativo destaca o escudo do proprietário, algo habitual nas Fortalezas e Castelos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO bom aspecto que conserva atualmente se deve a que foi utilizado como prisão durante muito tempo. Um dos prisioneiros mais famosos foi César Borjia, filho de Rodrigo Borjia, eleito Papa em 1492 com o nome de Alexandre VI. O filho foi acusado de cometer um assassinato contra seu irmão, o I Duque de Gandía.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos dos Castelos da Espanha estão localizados em lindos povoados que conservam sua arquitetura medieval, caso de Pedraza, localizado na Província de Segóvia (Comunidade de Castilla y León). Foi construído sobre os restos de fortalezas anteriores, sobretudo romana e muçulmana. No século XV passou a pertencer à família dos Herrera, época que data sua Torre de Homenaje. No século XVI, tornou-se propriedade de Fernández de Velasco, Duque de Frías e Condestable de Castilla, cuja reforma lhe proporcionou o aspecto que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1926, o pintor Ignacio de Zuloaga (1870/1945), um dos principais pintores espanhóis do final do século XIX e início do XX, adquiriu o castelo e o restaurou, instalando em seu interior um atelier. Parte de sua obra pode ser vista no interior do castelo, e ainda hoje permanece pertencendo aos herdeiros do pintor, que o utilizam como residência e museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XVI como um suntuoso palácio fortificado para o Conde de Albuquerque, o Castelo de Cuéllar é um dos grandes atrativos deste povoado castelhano, situado também na Província de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeus hóspedes mais ilustres foram o Rei Juan I de Castilla e sua esposa Leonor, que faleceu no castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1938, durante a Guerra Civil Espanhola, funcionou como penitenciária para presos políticos. Depois, passou a ser usado como um sanatório para tuberculosos. Atualmente,  seu interior alberga um instituto de educação secundária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro povoado maravilhoso de Castilla y León que conserva seu imponente castelo é Peñaranda del Duero, situado na Província de Burgos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XI com a finalidade de deter o avanço muçulmano, foi reconstruído no século XV pelo I Duque de Miranda. De forma alargada, o castelo adapta-se perfeitamente ao grande rochedo sobre o qual se assenta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma grande muralha serve de elemento protetor, e a Torre de Homenaje eleva-se no centro da fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fábrica Nacional de Moneda y Timbre – Madrid

Desde o ano passado, uma instituição espanhola situada em Madrid transformou-se num dos locais mais famosos da cidade, graças a uma série da Netflix que a colocou em evidência. Este post está dedicado à Fábrica Nacional de Moneda y Timbre, que foi o cenário para a trama da série “La Casa de Papel”, cujo roteiro  relata um assalto de um grupo de pessoas à instituição. Esta excelente série, dirigida pelo espanhol Álex Pina e protagonizada por capazes atores e atrizes converteu-se na série de idioma não inglês mais vista da história da Netflix.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, haviam Casas de Moedas estatais e privadas, mas o Rei Felipe V decidiu que todas elas deveriam ser controladas pelo estado. No século XIX, existiam 7 empresas de fabricação, e cada qual possuía um modelo diferente de siglas e signos. Todas elas, menos a de Madrid, desapareceram depois que a Peseta passou a ser considerada a moeda nacional. A Fábrica Nacional de Moneda y Timbre foi criada em 1893, com a fusão de dois organismos, a Casa da Moeda e a Fábrica de Selo. Antigamente, estava situada na Plaza de Colón, mas tornou-se obsoleta com o tempo, sendo levada para outro edifício que foi inaugurado em 1964, sua atual sede. Quando foi derrubada, o local foi transformado nos Jardins do Descobrimento em 1970. Conta com um Centro Cultural e com esculturas que simulam as caravelas comandadas por Cristóvão Colombo durante sua viagem de descobrimento do continente americano. Além do mais, o jardim está presidido pela maior Bandeira da Espanha que existe no mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVinculada ao Ministério da Fazenda e Administração Pública, a Fábrica Nacional de Monedas y Timbre é uma empresa que fabrica moedas, dinheiro, timbres e documentos oficiais. A empresa dedica-se à fabricaçao de dinheiro desde 1937 e depois que foi levada à sede atual, começou a produzir os Documentos Nacionais de Identidade (DNI) e o Passaporte, além de cartões de bingo e loterias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma parte do edifício é visitável, pois acolhe o Museu Casa da Moeda, com a maior coleção de numismática da Espanha e considerada uma das mais completas da Europa. Tive a oportunidade de visitá-la uma vez e fiquei impressionado com a quantidade e qualidade das moedas expostas. Uma pena que as fotos não estão permitidas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício alberga também uma fundação, dedicada à divulgação cultural. Inicialmente, a série “La Casa de Papel” foi emitida pelo canal espanhol Antena 3, mas os direitos de distribuição foram adquiridos pela Netflix, e a série passou a ser vista internacionalmente, transformando-se num fenômeno mundial, com um êxito enorme no Brasil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, por motivos de segurança, o edifício que aparece na série não é a sede da Fábrica Nacional de Monedas y Timbre, cujas fotos estamos vendo na matéria, e sim o edifício do Conselho Superior de Investigação Científica (CSIC), a maior entidade dedicada à pesquisa do país, que vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara a realização das filmagens, o local deveria ser o mais parecido possível à original Fábrica de Moneda y Timbre. O amplo espaço exterior do CSIC preenchia este requisito, facilitando as filmagens. No local foram gravadas somente as cenas exteriores, sendo que os interiores foram filmados em sets de filmagens adaptados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  Na série, o processo de impressão do papel moeda foi filmado na máquina rotativa do centenário Diário ABC da Espanha, cuja antiga sede vemos abaixo, situada no famoso  Paseo de la Castellana, atualmente um Centro Comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAObviamente, não estava permitida a utilização das máquinas da Fábrica Nacional de Moneda y Timbre por motivos de segurança nacional. A série “La Casa de Papel” está composta por 15 capítulos, divididas em duas partes, e parece que vai ter uma continuação, a ser exibida em 2019. Vamos aguardar….

Museu da Construção Naval – Ferrol

A tradição marítima de Ferrol pode ser melhor conhecida nos dois museus da cidade, situados um do lado do outro, o Museu Naval e o Museu da Construção Naval, sediados em edifícios pertencentes ao Arsenal de Ferrol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu Naval foi inaugurado em 1986 com a finalidade de proteger, conservar e exibir o patrimônio naval da cidade. A exposição permanente abarca dois andares do edifício, abrangendo todas as facetas da história naval: mapas, maquetes, modelos de barcos, instrumentos de navegação, artilharia e mergulho, objetos relacionados às guerras marítimas, entre outros aspectos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs duas instituições são consideradas museus de referência na temática naval. Conheci de forma mais abrangente o Museu da Construção Naval, situado no antigo Edifício de Herrerías do Arsenal de Ferrol, destinado ao trabalho com o ferro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste edifício data de 1760 e por si só constitui uma grande atração para o visitante. Possui uma planta em forma de U, com três grandes naves separadas por arcos semicirculares sustentados por pilares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 2008, é considerado o mais importante museu da Espanha dedicado à construção naval. Possui uma grande variedade de maquetes de barcos e navios de todas as épocas, tanto relacionado à Marinha de Guerra, quanto comerciais. Algumas delas possuem um corte longitudinal que possibilita a observação de sua estrutura interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm aspecto que me impressionou é a grande quantidade de faróis exibidos, dos mais variados tamanhos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos conhecer a fundo as antigas máquinas de construção naval, os diferentes tipos de barcos, motores antigos e modernos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA criação de um Arsenal e um centro de construção naval em Ferrol foi uma decisão política que buscava organizar a Marinha de Guerra Espanhola, praticamente inexistente no começo do século XVIII. Nela estiveram implicados os reis Felipe V, Fernando VI e Carlos III, além do Marquês de la Ensenada. O arsenal propriamente dito foi construído entre 1750 e 1771, sob a supervisao geral do engenheiro naval e cientista espanhol Jorge Juan y Santacilia (1713/1773), que causou grande admiração no continente europeu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro barco construído foi o “El Fernando“, em 1751. Em 1881, se fabricou a primeira embarcação com casco metálico e, em 1912, o primeiro encouraçado. Em 1988, se construiu o porta-avioes “Príncipe de Asturias“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO recinto continua sendo utilizado como Base Naval da Armada Espanhola, estando vigiado por militares. Por sua importância histórica, foi declarado Bem de Interesse Cultural.

Olmedo – Província de Valladolid

Na Semana Santa deste ano aproveitei para conhecer a bela cidade de Olmedo, situada ao sul da Província de Valladolid, uma das províncias que integram a Comunidade de Castilla y León. Apesar de seu reduzido tamanho, pois conta apenas com cerca de 3.500 habitantes, Olmedo possui um importante patrimônio histórico, principalmente religioso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome se deve à abundância de olmos, uma árvore de porte elevado e robusto, que pode chegar a 40 metros de altura, e que faz parte de seu escudo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlguns historiadores dizem que foi fundada pelos Vacceos, um povo pré-romano (celtíberos). Na realidade, nada se sabe de sua existência até o ano 1085, quando aparece como um dos povoados reconquistados pelo monarca Alfonso VI aos árabes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOlmedo foi palco de acontecimentos históricos relevantes, como a Batalha de Olmedo, travada em 1445 entre as Coroas de Castilla e Aragón. No século XVIII, o Rei Felipe V concede privilégios à vila e no começo do século XIX é visitada por José Bonaparte, irmão do imperador francês que assumiu o trono espanhol durante a Guerra da Independência Espanhola (1808/1814).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs principais festividades da cidade possuem um caráter religioso, como a celebrada no dia 29 de setembro, data em que se comemora as festas em honra ao Arcanjo São Miguel, padroeiro da cidade. Durante a Semana Santa se realizam várias procissões pelo centro de Olmedo, e tive a oportunidade de presenciar uma delas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs pessoas esperam ansiosas a saída das imagens veneradas colocadas no interior das igrejas para o início da procissão, que percorre as ruas do centro histórico de Olmedo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPoder acompanhar a procissão foi um verdadeiro privilégio, ao mesmo tempo em que pude constatar a fé de seus habitantes neste país eminentemente católico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro da cidade está constituído pela Plaza Mayor, como acontece normalmente nos povoados e cidades do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela se realizava como um privilégio real, o mercado semanal, estando presidida pela Casa Consistorial de Olmedo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa porta principal do edifício vemos uma inscrição feita na pedra com a data de sua construção (1692), apesar das reformas realizadas posteriormente. Em sua parte inferior, o edifício está composto por uma interessante galeria de arcos, que sustentam o edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do próximo post, publicarei matérias onde vocês poderão conhecer um pouco mais sobre esta típica vila castelhana, e seus principais monumentos históricos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Medina de Rioseco – Prov. Valladolid

A Comunidade de Castilla y León é um verdadeiro museu a céu aberto, com uma quantidade enorme de lugares históricos de grande interesse para o visitante. Recentemente, estive três dias viajando pela Província de Valladolid com o objetivo de conhecer algumas das cidades da região. Minha primeira parada foi a cidade de Medina de Rioseco, que conta com apenas 5 mil habitantes, mas que possui um patrimônio histórico extremamente rico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco é conhecida como a Cidade dos Almirantes desde o século XV, quando Don Alfonso Enríquez recebeu do Rei Enrique III o título de Almirante de Castilla em 1405. Em 1423, outro monarca, Juan II, lhe concedeu o senhorio desta vila. Sua importância aumenta quando os reis castelhanos concedem à cidade um mercado semanal e uma feira anual. O auge econômico de Medina de Rioseco ocorre no século XVI, quando são construídos os templos mais importantes. O município se converte no centro mundial de distribuição de prata que chegava do continente americano através do porto de Sevilha. Uma placa colocada numa das ruas da cidade homenageia os habitantes da cidade que participaram da conquista do novo continente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco faz parte do Caminho de Santiago que começa em Madrid e termina em Sahagún, no norte da Espanha, quando se une com o tradicional Caminho Francês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1632, o Rei Felipe IV concede o título de cidade a Medina de Rioseco e, em 1725, Felipe V suprime o título de Almirante que ostentavam os senhores da vila. A cidade teve uma participação fundamental na Guerra da Independência contra os franceses em 1808, momento em que foi travada nos campos de Medina de Rioseco a Batalha de Moclín, uma das mais importantes da guerra. A terrível derrota do exército espanhol, que contabilizou mais de mil mortos nesta batalha, propiciou o avance das tropas de Napoleão a Madrid. Antes, porém, o exército francês saqueou e incendiou a cidade. O próprio imperador francês ordenou que o nome desta batalha fosse gravada no Arco do Triunfo de Paris. Segundo o próprio Napoleão, a vitória nos campos de Medina de Rioseco possibilitou a chegada ao trono espanhol de seu irmão, José Bonaparte. Em 1908, em homenagem ao centenário da batalha, foi esculpido um monumento, que podemos apreciar atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco possui um dos maiores legados culturais da Província de Valladolid, motivo pelo qual recebeu o título de Conjunto Histórico-Artístico. A tranquila cidade se transforma durante a Semana Santa, a principal festividade de seu calendário, com belíssimas procissões realizadas pelas 16 cofradías existentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA paixão de seus habitantes pela Semana Santa é herdeira de tradições antigas que se remontam ao século XVI, quando foi criada a primeira cofradía da cidade, a de Vera Cruz. Devido à sua antiguidade e importância, a Semana Santa de Medina de Rioseco foi declarada Festa de Interesse Turístico Internacional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de Santa Cruz é a sede do Museu da Semana Santa, que vale a pena ser visitado pelas impresionantes imagens que contém e que participam das procissões. A igreja foi construída em 1549 sobre um anterior templo gótico, e foi afetada pelo Terremoto de Lisboa de 1755.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada da igreja foi inspirada na Igreja dos Jesuítas de Getsu, em Roma. Sua decoração representa a exaltação de Santa Cruz e seus milagres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade possui também lugares de grande beleza natural, como o Canal de Castilla, que veremos num post especial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFiz minha viagem de Madrid a Medina de Rioseco em ônibus, num trajeto de um pouco mais de 3 horas. Até 1969, a cidade esteve comunicada por uma ferrovia de via estreita que realizava o percurso de Valladolid a Medina, inaugurada em 1884. O serviço foi suprimido e atualmente somente podemos ver uma locomotiva que realizou o trajeto entre 1911 e 1930.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA antiga estação ferroviária foi transformada num Mercado, cuja estrutura principal vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arenas de San Pedro – Parte 2

No século XVIII, o pequeno município de Arenas de San Pedro converteu-se num local importante graças à presença de um membro da família real espanhola da época, o Infante Don Luis de Borbón y Farnésio (1717/1785), que estabeleceu  sua residência na cidade. Filho do Rei Felipe V (o primeiro monarca da dinastia bourbônica da Espanha) e de sua segunda esposa, Isabel de Farnésio, e irmão do Rei Carlos III, o infante Don Luis encarregou ao arquiteto Ventura Rodríguez (1717/1785), um dos mais renomados arquitetos do século XVIII no país, um grande palácio que ainda hoje podemos ver na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO infante havia sido desterrado da corte de Madrid depois de casar-se com Maria Teresa Vallabriga, considerado um matrimônio morganático, isto é, aquele que estabelece a união entre duas pessoas de classes sociais diferentes, impedindo que os filhos obtivessem títulos, privilégios e propriedades nobres. Anteriormente, o infante havia vivido num outro palácio, também construído por Ventura Rodríguez, numa cidade próxima a Madrid, Boadilla del Monte (ver post publicado em 19/3/2015), e posteriormente se mudou para Arenas de San Pedro. O palácio foi finalizado em 1783, mas a obra permaneceu inacabada, sendo que se construiu apenas a metade do projeto original, devido a sua grande envergadura e a avançada idade do infante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEdificado no estilo neoclássico, destacam em sua arquitetura a simetria e proporção de suas linhas, além da sobriedade decorativa, elementos característicos do estilo. O infante Don Luis viveu poucos anos no palácio, coincidindo com uma época de grande prosperidade para a vila, e nele veio a falecer em 1785. Amante das artes e das ciências, o infante formou no palácio uma rica coleção de pintura e escultura, convocando diversos artistas famosos da época, como o grande pintor Francisco de Goya, que realizou um retrato do infante, sendo homenageado com o nome de uma praça situada ao lado do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO infante criou também um Gabinete de História Natural e uma esplêndida biblioteca. Depois de seu falecimento, o palácio começou a ser esvaziado, processo que terminou em 1796. Em 1809, durante a Guerra da Independência Espanhola, o palácio foi ocupado pelas tropas francesas e transformado num seminário a partir de 1868, sendo destinado a este fim até 1972. Abaixo, vemos o esbelto pórtico de entrada do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1988 o palácio foi adquirido pela prefeitura de Arenas de San Pedro, e passou a ser utilizado como local de exposições e, inclusive, para desfiles de moda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos muros de um colégio da cidade, me chamou a atenção uma pintura, na qual foi representado o arquiteto Ventura Rodríguez, realizando o projeto do palácio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar o exterior do palácio, continuei minha caminhada em busca de outros lugares históricos, como o antigo Hospital de San Bartolomé, que acolheu a pobres e viajantes entre os séculos XVI e XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANuma das praças principais da cidade, vemos a Igreja de San Juan Bautista, que pertenceu ao desaparecido monastério carmelita fundado por Santa Teresa de Ávila no século XVI. Depois, passou a fazer parte de outro convento, pertencente à comunidade de religiosas da Ordem de Santo Agostinho, desde sua fundação em 1623 até o abandono do mesmo, provocado pela destruição do convento durante a ocupação francesa de 1809.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma geral da praça, com uma das inúmeras fontes históricas existentes na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara conhecer o patrimônio histórico da cidade, convém dar uma chegada em sua Oficina de Turismo, situada no edifício do Mercado de Abastos de Arenas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post sobre Arenas de San Pedro, vocês conhecerão um dos principais monumentos da cidade, seu imponente castelo…