Oña – Província de Burgos

Depois de visitar Poza de la Sal, fomos ao povoado de Oña, situado a poucos quilômetros de distância. Este pequeno município nos serviu de base para explorar a região de Las Merindades, localizada ao norte da Província de Burgos. Este belo pueblo também foi declarado Conjunto Histórico-Artístico pela importância de seu patrimônio histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar dos restos paleolíticos encontrados, a história da vila se remonta ao século VIII, quando surge como um baluarte fortificado para os cristãos refugiados diante da pressão militar dos muçulmanos do sul do território espanhol. No ano de 950, Fernán González, o primeiro conde do Reino de Castilla, lhe concede seus primeiros privilégios. Seu neto, o Conde Sancho García, eleva a vila ao status de condado, fundando o poderoso Monastério de San Salvador, que veremos na próxima matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs privilégios concedidos pelo Rei Alfonso VIII contribuíram significamente para seu desenvolvimento e o assentamento de uma importante comunidade judaica. Abaixo, vemos a Plaza del Ayuntamiento, onde encontramos o Edifício da Prefeitura e a Igreja de San Juan, construída entre os séculos XII e XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa fachada da prefeitura foi colocada uma faixa contra os recortes destinados à saúde (com a saúde não se brinca…). Ao lado, vemos a românica Torre de San Juan, que pode ser visitada, pois alberga um pequeno museu relacionado à história de Oña.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada principal da igreja foi construída já no período gótico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOña desempenhou um importante papel na criação do antigo Reino de Castilla, através de seu monastério. Abaixo, vemos uma das praças da cidade, com uma antiga e bela fonte no centro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado possui um albergue municipal destinado aos visitantes…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém se conserva o antigo lavadeiro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOña está situada junto ao Parque Natural dos Montes Obarenes, uma reserva criada em 2006 com uma superfície de 33 mil hectares. Possui uma grande diversidade biológica, servindo de refúgio para diversas espécies animais ameaçadas. Nos Jardins do Monastério foi construída uma oficina em que podemos descobrir a importância do parque, além das diversas opções de senderismo existentes (o parque possui 22 rotas diferentes, cuja percurso varia dos 4 aos 15 km).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEu e meu irmão Marcelo decidimos realizar um passeio pelo Desfiladeiro do Rio Oca, um afluente do Rio Ebro,  que atravessa a cidade. Aproveito para agradecer a simpatia do funcionário do parque, que nos recebeu da melhor forma possível e comentou que os últimos brasileiros que tinham visitado a cidade foi há dois anos atrás…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Maderuelo – Província de Segóvia

Depois de deixar Ayllón, nosso próximo destino foi outro povoado encantador, a vila de Maderuelo, localizada a poucos quilometros de Ayllón. Tal como esta, Maderuelo também figura entre os Pueblos Mais Belos da Espanha, e foi declarado Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mais impressionante da vila é sua localização geográfica, no alto de uma colina e rodeada pelo Embalse de Linares, um lago artificial com 690 hectares que foi declarado Reserva Natural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMaderuelo foi construída num cerro rochoso com um recinto de muralhas que se adapta perfeitamente à forma do relevo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo alto de seu centro histórico, as vistas do lago impressionam…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar das poucas informações sobre sua história, se sabe que foi repovoada pelo Conde castelhano Fernán González no século X e posteriormente saqueada pelo exército do comandante árabe Almanzor. No século seguinte se construiu a muralha junto com o castelo e no século XII foi anexionada ao Bispado de Segóvia. Posteriormente, tornou-se um senhorio pertencente à família dos Luna e depois aos Marqueses de Villena (a partir do século XVI), como sucedeu com Ayllón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha defensiva estava constituída por 4 portas e um castelo integrado, que infelizmente desapareceu. A única porta sobrevivente é o chamado Arco da Vila.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMaderuelo possui somente 120 habitantes. A estrutura de suas casas se caracterizam pela irregularidade, predominantemente estreitas e com quarteirões alargados, adossados à muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seu período de máximo esplendor, na Idade Média, Maderuelo chegou a ter 10 paróquias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, se conservam duas, ambas envoltas em mistério, pois se acredita que faziam parte de uma estrutura defensiva mais antiga. A Igreja de San Miguel é de origem românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Igreja de Santa María del Castillo destaca-se pela diversidade de estilos que apresenta. Preserva elementos da arquitetura califal, algo único na Província de Segóvia, pois parece que foi construída sobre a mesquita local. Parcialmente destruída por um incêndio no século XVI, foi reconstruída com materiais de outras construções da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao Embalse de Linares, situa-se a Ermita de Vera Cruz, catalogada como Monumento Nacional em 1924.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta singela, mas famosa construção, foi erguida pelos templários sobre uma outra ermita de época visigoda. Seu interior estava totalmente decorado com Pinturas Românicas. Com a construção do Embalse, as pinturas foram levadas ao Museu do Prado, e hoje podem ser vistas na seção dedicada às pinturas de Estilo Românico do museu. Em seu local original,  as pinturas foram substituídas por cópias. Uma pena que a ermita estava fechada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Turégano – Província de Segóvia

O último passeio que fizemos pela Província de Segóvia nos levou a um de seus povoados mais famosos, Turégano. Este pueblo segoviano possui um pouco mais de mil habitantes, mas conserva um grande patrimônio de arte medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATurégano está situada a cerca de 25 km da capital da província, Segóvia, e seus campos estão ocupados pelo cultivo de cereais, demonstrando o forte predomínio do setor primário em sua economia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA origem deste belo povoado se remonta ao período pré-romano, quando existiu um assentamento onde atualmente se levanta o castelo, que veremos em breve no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Todos acontecimentos importantes da vila tiveram lugar em sua magnífica Plaza Mayor, que teve vários nomes ao longo da história, e que atualmente é conhecida como Plaza de España.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela foram e ainda são celebradas as festas do povoado, que incluem corridas de touros em seu perímetro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos sábados, acontece o mercado de Turégano, e também tornou-se o local perfeito onde se organizam concertos e eventos culturais. Está presidida pelo edifício da prefeitura, o Ayuntamiento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitas das casas de Turégano estão decoradas com esgrafiados, elementos comuns na província e, principalmente, na cidade de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA vila de Turégano foi reconquistada no final do século XI, sendo fortificada por Fernán González, primeiro rei de Castilla.Em 1123, Dona Urraca, filha do monarca Alfonso VI, entregou a comarca onde está localizada ao Bispado de Segóvia. Por este motivo, sua história foi condicionada pelo fato de ter sido um senhorio episcopal. Abaixo, vemos uma fonte construída no século XVIII, durante o reinado de Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATurégano possui duas igrejas românicas, uma delas situada dentro do castelo (Igreja de San Miguel), e a Igreja de Santiago, que veremos no próximo post. Finalizamos esta matéria introdutória sobre Turégano com uma escultura que representa os touros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Caminho de Santiago em Burgos

A cidade de Burgos adquiriu importância quando se tornou capital do incipiente Reino de Castilla no séc. X, durante o governo de Fernán González. Sua localização em pleno Caminho de Santiago lhe converteu num centro comercial e religioso fundamental na rota de peregrinos. O auge do caminho na Idade Média ocorreu entre os séculos XI e XIV, e os peregrinos traziam novas ideias que se propagavam pelo resto do continente. Muitos deles permaneceram na Espanha, como por exemplo os francos, que impulsionaram as atividades comerciais e artesanais em Burgos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANaquela época, Burgos era a primeira grande cidade que um peregrino alcançava depois de atravessar os Pirineus, por sua população e importância política, além da grande infraestrutura que possuía para receber aqueles que realizavam o Caminho de Santiago. Este potencial urbano incluía tanto os edifícios públicos, quanto assistenciais. Neste período, Burgos já contava com sua Catedral, 15 igrejas paroquiais, e mais de 30 hospitais que haviam sido abertos até o final do séc. XV para receber os peregrinos. Dentre os mais importantes, destacavam o Hospital del Rey e o de San Juan.  O peregrino que chegava à cidade nela entrava pela Porta de San Juan, construída no séc. XIV no estilo mudéjar, mas refeita em 1563. Restaurações posteriores modificaram totalmente seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a peregrinação, os (as) caminhantes se deparam, por todo o trajeto, e com Burgos não é diferente, com símbolos associados ao Caminho de Santiago, que identificam a rota que deve ser percorrida. Um deles é a denominada Concha de Vieira, também conhecida como Venera. Na realidade, trata-se da concha de um molusco comum que se encontra em muitos locais do continente, inclusive na costa da Galícia. Na Idade Média, o caminho finalizava em Finestere, considerado na época o fim do mundo. Ali, os peregrinos pegavam uma concha como prova indiscutível de que tinham realizado o Caminho de Santiago. Depois acabou tornando-se um símbolo do mesmo e um dos atributos distintivos do Apóstolo Santiago. Atualmente é um dos logotipos associados à rota de peregrinação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, Burgos oferece muitas opções de hospedagem para os peregrinos, como o Albergue de Santiago e Santa Catalina, que vemos abaixo, com a representação de ambos em sua fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos a representação de Santiago Peregrino que decora a fachada do albergue. Em seu trajeto entre a Porta de San Juan e a de San Martín ( cerca de 1350m), pela qual os peregrinos saíam da cidade, algumas visitas eram obrigatórias, já que estavam relacionadas ao próprio caminho, bem como a personagens que colaboraram em seu desenvolvimento. Um dos principais na cidade é San Lesmes, um monge francês que se instalou em Burgos no séc. XI, junto com outros 12 religiosos. Sua ideia principal era criar um complexo assistencial para os peregrinos, o Monastério de San Juan.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Lesmes faleceu em 1097, sendo aclamado como santo logo depois de sua morte. Em 1511, foi proclamado Padroeiro de Burgos. O edifício que hoje contemplamos não tem nada a ver com sua construção românica original. A fachada de estilo clássico foi reconstruída no final do séc. XVI ou começo do XVII. Depois da Desamortização de Mendizábal de 1836, o monastério foi abandonado e boa parte dele se converteu em ruínas. Atualmente, se conserva apenas o claustro do séc. XVI e a sala capitular. No entanto, nele são realizadas uma intensa atividade cultural, com conferências, exposições, etc. Outro monumento associado ao santo é a Igreja de San Lesmes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo foi construído na fase final do estilo gótico, nos séculos XV e XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da Igreja de San Lesmes é rico em obras de arte, com destaque para o Retábulo Maior Barroco, executado no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da igreja foi construído com as típicas Bôvedas de Crucería da Arquitetura Gótica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central foi colocado o Sepulcro de San Lesmes, realizado pelo Mestre de Covarrubias no final do séc. XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro destaque da Igreja de San Lesmes é a Capela dos Salamanca, com um belíssimo retábulo flamenco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Covarrubias – Província de Burgos

Não muito distante de Peñafiel nos encontramos com Covarrubias, um dos pueblos mais encantadores da Província de Burgos (Comunidade de Castilla y León). Antes, porém, de chegar ao povoado, passamos pela Bodega de Carmelo Rodero, cujo vinho considerei um dos top em meus quase 10 anos de Espanha (Denominação de Origem Ribera del Duero).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA produção vinícola é um dos motores da economia local, e sua importância pode ser comprovada nesta singela estátua, situada na praça principal de um povoado, que não recordo o nome…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá em Covarrubias, descobri porque este pueblo sempre aparece nas listas dos mais belos da Espanha

OLYMPUS DIGITAL CAMERACovarrubias é conhecida como o “Berço de Castilla“, pois no séc.X o Conde de Castilla Fernán González e seu filho García Fernández converteram a cidade na capital de um dos mais importantes senhorios monásticos da região. Ainda se conserva, desta época, o Torreón de Fernán González, o único resto de uma fortaleza castelhana anterior ao séc. XI existente atualmente. A torre estava unida à muralha e se sustentava por um muro de 4 metros de grossura, dando-lhe o aspecto robusto que vemos hoje em dia. Conta a lenda que a filha de Fernán González, D.Urraca, nela foi aprisionada, por apaixonar-se por um pastor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA García Fernández se deve a expansão da vila, quando a mesma foi comprada dos monges que se haviam estabelecido no local, fundando o Infantado de Covarrubias no ano 978, quando a vila tornou-se a capital de um extenso território.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAComo seus domínios se dispersaram por uma zona muito ampla, seus habitantes circulavam livremente por toda a Castilla. Posteriormente, Covarrubias pertenceu a Felipe de Castilla, Abade de Covarrubias, que acabou casando com a Princesa Cristina da Noruega em 1258. A princesa foi enterrada na Colegiata de Covarrubias, num belo sepulcro gótico, que veremos no próximo post.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto histórico relacionado à vila é porque nela passou o herói castelhano El Cid Campeador. A partir do séc. XVIII, com o desaparecimento da Abadia, os privilégios da cidade foram suspensos. Atualmente, dedica-se ao turismo, graças ao grande patrimônio que possui.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm Covarrubias, podemos admirar inúmeros edifícios de arquitetura popular castelhana, que inspiraram a curiosos e belos lixos municipais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Covarrubias está situada a 40 Km ao sudeste da cidade de Burgos, a capital da província. Seu nome se originou das inúmeras covas de tonalidade avermelhada que existem nas proximidades. A entrada principal da vila, também denominada Porta Real, foi construída no séc. XVI durante o governo de Felipe II, cujo escudo decora a fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante um bom tempo, nesta porta funcionou o Centro de Documentação de toda a Castilla, razão pela qual é conhecida também pelo nome de Porta do Arquivo de Castilla. No séc. XVIII, o arquivo foi transferido para a cidade de Simancas, onde permanece até hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, nela funciona a Oficina de Turismo de Covarrubias, que nos fornece todos os dados indispensáveis para uma boa visita à vila. Em 1965, foi declarada Conjunto Histórico-Artístico e no próximo post veremos a segunda parte da matéria a ela dedicada…