Tarragona Romana – Patrimônio da Humanidade

O Conjunto Arqueológico de Tarragona, referente ao seu passado romano, é considerado um dos mais importantes de toda a Hispania, razão pelo qual foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2000. Representa o assentamento romano mais antigo de toda a Península Ibérica, com muitos monumentos conservados.

DSC02067Dois foram os critérios estabelecidos pela Unesco para que a Tarragona Romana recebesse esse almejado título. O primeiro deles: “Os restos romanos de Tarraco são de uma importância excepcional no desenvolvimento do planejamento urbano romano, servindo de modelo para as capitais provinciais do Império Romano“. Em segundo lugar: “Proporcionam um testemunho eloquente e incomparável de uma etapa significativa na história das terras mediterrâneas da antiguidade”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua muralha é a construção mais antiga de toda a Tarraco Romana. Foi construída no final do século III aC, e ampliada no século II aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, a muralha romana tinha 3500m de perímetro, dos quais se conservam 1100m, que rodeia o Centro Histórico de Tarragona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das torres originais foram preservadas, como a chamada Torre de Minerva e a do Arcebispo. A muralha pode ser conhecida em sua totalidade num Paseo Arqueológico, cuja entrada vemos abaixo:

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma das portas da muralha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma foto da parte interior da muralha, junto ao centro histórico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha romana sofreu diversas modificações ao longo da história…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1368, se construiu uma nova muralha medieval denominada “La Muralleta“, cuja construção mais emblemática é a Torre de les Monges.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta torre de formato octogonal estava situada num dos extremos da Muralleta. Em 1530, diante do medo de um ataque marítimo, a torre transformou-se num ponto de vigilância costeira. Esta torre encontrava-se junto ao Circo Romano, que em breve veremos no blog, e sua fachada converteu-se no muro interno desta fortificaçao do século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralleta estava composta por 4 torres, e esta é a única conservada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra modificação se realizou no século XVIII, em 1737, durante o reinado de Fernando VI. Uma antiga porta medieval, o chamado Portal de Sant Antoni, foi reformado no estilo barroco, adquirindo um aspecto de Arco de Triunfo. Em sua parte superior, foi colocado o escudo do monarca, que atualmente encontra-se bastante desgastado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Castelos Reais da Espanha

A partir deste post veremos alguns exemplos de Castelos que pertenceram aos monarcas dos diversos reinos que formavam a Espanha de épocas passadas. Na Ilha de Mallorca, uma das quatro que compõem a Comunidade Marítima das Ilhas Baleares, um de seus principais destaques é o Castelo de Bellver, situado em sua capital e maior cidade, Palma de Mallorca. Possui um inusual formato circular, único na Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta fortaleza foi construída pelo Rei Jaime II de Mallorca no século XIV, combinando as funções defensivas e residenciais, e utilizando-o como sede da corte durante seu reinado. Foi também utilizado como refúgio por Pedro IV de Aragón no mesmo século, durante uma epidemia de peste que assolou o continente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm de seus principais elementos é a Torre de Homenaje, de forma circular, como vemos nas imagens acima. O Castelo de Bellver foi usado também como prisão…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa Comunidade de Aragón, o Castelo de Loarre constitui uma de suas principais fortalezas. Localizado na Província de Huesca, foi construído por ordem do Rei Sancho III El Mayor no século XI.

DSC05328Este magnífico castelo foi edificado na rocha onde se assenta, e conserva toda sua estrutura original.

DSC05317De fato, o Castelo de Loarre é considerado um dos castelos de estilo românico melhor conservado de toda a Europa, e foi cenário de várias produções cinematográficas, como o filme “Reino dos Céus“, dirigido por Ridley Scott em 2005. No final do século XIII se construiu sua muralha defensiva.

DSC05288Na Comunidade de Castilla y León, Província de Ávila, o Castelo de Arévalos é um exemplo de castelo nobre que passou com o tempo a ser propriedade real. Sua construção foi ordenada pelo Duque de Béjar, Don Álvaro de Zuñiga, no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois o Castelo de Arévalos tornou-se uma propriedade dos Reis Católicos, sendo que Isabel la Católica passou sua infância nesta fortaleza. No século XVI transformou-se em penitenciária, e nele esteve detido o Príncipe de Nassau, Guilherme de Orange. Posteriormente foi utilizado como cemitério…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Castelo de Peñafiel é um dos mais impressionantes da Província de Valladolid (Comunidade de Castilla y León) e considerado uma das maiores fortalezas medievais da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua forma estreita e alongada lhe confere um aspecto semelhante à proa de um grande barco. Foi edificado a partir do século X, ainda que seu aspecto atual se deve às reformas realizadas no século XV por Don Pedro Girón, mestre da Ordem de Calatrava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANele nasceu o Príncipe de Viana, filho do Rei Juan II de Aragón e da Rainha Blanca de Navarra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Castelo de Peñafiel é a sede do Museu Provincial do Vinho

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra fortaleza cuja construção foi ordenada por um nobre e que transformou-se em Castelo Real podemos ver na Comunidade de Madrid, o Castelo de Villaviciosa de Odón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no século XV pelos Condes de Chinchón, no século XVIII foi adquirido pelo Rei Felipe V, que o entregou a seu filho, o Infante Luís. Depois foi a residência do Rei Fernando VI, que habitou o castelo após a morte de sua esposa Bárbara de Bragança, e nele veio a falecer em 1759. Hoje em dia, o Castelo de Villaviciosa de Odón é a sede de uma arquivo histórico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plazas de Toros de Madrid

Madrid é a capital mundial das touradas, e a Plaza de Toros de Las Ventas é considerada a mais importante do mundo (matéria publicada em 21/5/2012). Esta foi a terceira Plaza de Toros permanente que teve Madrid, e no post de hoje veremos as antigas Plazas de Toros que existiram na capital espanhola, além de imagens da atual Plaza de Toros de Las Ventas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente, as Plazas de Toros foram construídas em madeira e eram desmontáveis. Não se sabe com certeza onde esteve localizada a primeira Praça de Touros de Madrid. Segundo alguns autores, foi projetada pelo renomado arquiteto espanhol Pedro de Ribera em 1737, cuja enorme contribuição para o urbanismo da capital espanhola foi o tema de dois posts publicados em 23 e 24/6/2015. Esta primeira Praça de Touros tinha um caráter provisório e estava situada junto ao Rio Manzanares. Possuía uma capacidade para receber 11 mil espectadores e foi a base construtiva para as demais Praças de Touros de formato circular. Foi utilizada apenas durante 12 anos, já que em 1749, com o apoio do Rei Fernando VI, se construiu a primeira praça estável de Madrid,  situada junto à emblemática Porta de Alcalá, como vemos abaixo na imagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça carecia de qualquer interesse arquitetônico, pois sua construção foi puramente funcional. Se manteve em atividade até 1874, quando as corridas de touros foram levadas a uma nova Praça de Touros. Foi derrubada dentro do processo de ampliação urbana da cidade e da construção do novo Bairro de Salamanca. A seguir vemos uma maquete da Praça de Touros da Porta de Alcalá, que podemos ver no Museu de História de Madrid, e uma placa comemorativa em sua localização original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA segunda Plaza de Toros permanente de Madrid chamava-se “Plaza de Toros de la Fuente del Berro“, e se encontrava no espaço atualmente ocupado pelo Palácio de Deportes da Comunidade de Madrid, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta nova praça tinha capacidade para acolher a 13 mil espectadores e inaugurou o estilo neomudéjar para as Praças de Touros. O denominado estilo mudéjar desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI, e se considera um estilo artístico autóctono e exclusivo do país. Foi utilizado nos edifícios religiosos (igrejas), na arquitetura civil (palácios) e também militar (muralhas). Suas construções utilizavam o tijolo como elemento construtivo e decorativo, incorporando características da arquitetura muçulmana, como o denominado Arco de Ferradura. A partir do século XIX, dentro do processo histórico da arquitetura, se realizou uma interpretação deste estilo (neomudéjar), originando diversas construções que ainda podemos admirar pela Espanha, como em muitas das praças de touros ainda existentes. Abaixo, vemos uma foto desta segunda praça permanente que teve Madrid, construída em 1874.

DSC07969A última tourada realizada nesta praça ocorreu em 1934. Com o grande aumento populacional verificado na primeira metade do século XX, surgiu a necessidade de se construir uma nova e maior Plaza de Toros, a atual Plaza de Toros de Las Ventas.

20190130_084854Esta praça, a mais importante e de maior prestígio do mundo, recebeu este nome por estar situada no Bairro de “Las Ventas del Espíritu Santo“. Com capacidade para acolher a 23 mil espectadores, é a maior de toda a Espanha, e nela atuaram e continuam apresentando-se os toureiros mais famosos do país. Apesar disso, a maior de todo o mundo é a Plaza de Toros Monumental da Cidade do México, com capacidade para 41 mil espectadores, construída em 1946. Abaixo, vemos uma foto do interior da Plaza de Las Ventas, com destaque para o Palco Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetada no estilo neomudéjar pelo arquiteto José Espeliú e finalizada por Manuel Muñoz Monasterio, depois do falecimento do primeiro arquiteto em 1928. Abaixo, vemos uma foto antiga tirada logo depois de finalizadas as obras, em 1929.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à falta de infraestrutura urbana desta parte da cidade, a primeira corrida de touros foi realizada em 1931, mas a praça somente foi oficialmente inaugurada em 1934.

IMG_3450No exterior da Plaza de Las Ventas vemos diversas esculturas que homenageiam toureiros famosos, como o toureiro francês de origem espanhol José Cubero Sánchez (1964/1985), conhecido como “El Yiyo“. Com apenas 21 anos, e no auge de sua carreira e popularidade, foi morto por um touro na Plaza de Toros de Colmenar Viejo, um município da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu da Construção Naval – Ferrol

A tradição marítima de Ferrol pode ser melhor conhecida nos dois museus da cidade, situados um do lado do outro, o Museu Naval e o Museu da Construção Naval, sediados em edifícios pertencentes ao Arsenal de Ferrol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu Naval foi inaugurado em 1986 com a finalidade de proteger, conservar e exibir o patrimônio naval da cidade. A exposição permanente abarca dois andares do edifício, abrangendo todas as facetas da história naval: mapas, maquetes, modelos de barcos, instrumentos de navegação, artilharia e mergulho, objetos relacionados às guerras marítimas, entre outros aspectos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs duas instituições são consideradas museus de referência na temática naval. Conheci de forma mais abrangente o Museu da Construção Naval, situado no antigo Edifício de Herrerías do Arsenal de Ferrol, destinado ao trabalho com o ferro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste edifício data de 1760 e por si só constitui uma grande atração para o visitante. Possui uma planta em forma de U, com três grandes naves separadas por arcos semicirculares sustentados por pilares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 2008, é considerado o mais importante museu da Espanha dedicado à construção naval. Possui uma grande variedade de maquetes de barcos e navios de todas as épocas, tanto relacionado à Marinha de Guerra, quanto comerciais. Algumas delas possuem um corte longitudinal que possibilita a observação de sua estrutura interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm aspecto que me impressionou é a grande quantidade de faróis exibidos, dos mais variados tamanhos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos conhecer a fundo as antigas máquinas de construção naval, os diferentes tipos de barcos, motores antigos e modernos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA criação de um Arsenal e um centro de construção naval em Ferrol foi uma decisão política que buscava organizar a Marinha de Guerra Espanhola, praticamente inexistente no começo do século XVIII. Nela estiveram implicados os reis Felipe V, Fernando VI e Carlos III, além do Marquês de la Ensenada. O arsenal propriamente dito foi construído entre 1750 e 1771, sob a supervisao geral do engenheiro naval e cientista espanhol Jorge Juan y Santacilia (1713/1773), que causou grande admiração no continente europeu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro barco construído foi o “El Fernando“, em 1751. Em 1881, se fabricou a primeira embarcação com casco metálico e, em 1912, o primeiro encouraçado. Em 1988, se construiu o porta-avioes “Príncipe de Asturias“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO recinto continua sendo utilizado como Base Naval da Armada Espanhola, estando vigiado por militares. Por sua importância histórica, foi declarado Bem de Interesse Cultural.

Ferrol – Galícia

Depois de passar uns dias em Lugo, fomos à cidade de Ferrol, situada ao norte da Província de La Coruña. Com aproximadamente 70 mil habitantes, esta cidade esteve tradicionalmente ligada às atividades marítimas e militares, tanto por seu porto pesqueiro, como por sua base naval e os edifícios relacionados ao seu importante Arsenal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs habitantes locais dizem que seu nome provém da palavra Farol, que faz parte do escudo da cidade desde 1778.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa chamada Fonte de San Roque vemos o escudo mais antigo que se conserva em Ferrol, de 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos a cidade foi um pequeno porto pesqueiro, sendo que sua economia se completava com a agricultura. No início do século XIII, recebeu privilégios reais que a converteram numa vila de senhorio. Em 1371, o Rei Enrique II entregou a vila à Fernán Pérez de Andrade e poucos anos depois foi incendiada pelos portugueses. Na segunda metade do século XVI, com a organização da Armada Invencível em 1588, Ferrol se converte numa importante base naval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara proteger a base foram construídos três fortes, o de San Martín, de La Palma, e o de San Felipe, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído durante o reinado de Felipe II, na segunda metade do século XVI, o Castelo de San Felipe (apesar do nome, trata-se de um forte…) foi reformado no século XVIII, sendo considerado uma das melhores fortificações da Espanha deste período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1726 foi criado o Departamento Marítimo de Ferrol e sete anos depois passa a ter jurisdiçao real. Em 1743, o Marqués de la Encenada, ministro do Rei Fernando VI, encarrega a construção de um novo Arsenal na cidade. Devido a esta condição  de base naval, a população da cidade alcança os 25 mil habitantes na metade do século XVIII. A chegada massiva de imigrantes para trabalhar na construção naval deu origem ao primeiro bairro obreiro do país. Abaixo, vemos a Porta do Dique, uma das principais portas do Arsenal, de 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1769 e 1774, sob a ameaça de um ataque inglês, que realmente se produziria em 1800, se rodeia a cidade com uma muralha formada por baluartes, como o de San Juan (San Xoán, no idioma galhego).

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o motivo da visita da Rainha Isabel II em 1858, Ferrol recebeu o título de cidade. Abaixo, vemos o elegante edifício da Prefeitura de Ferrol, inaugurado em 1953 e situado na Plaza de la Constitución.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das variantes do Caminho de Santiago, o denominado Caminho Inglês se inicia em  La Coruña ou em Ferrol. Antigo caminho secundário, foi assim batizado porque de seu porto chegam os peregrinos procedentes do norte da Europa. Para chegar à Santiago de Compostela, devem percorrer 118 Km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens da cidade relacionadas à sua tradição naval e militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Canal de Castilla – Medina de Rioseco

Além de seus importantes monumentos religiosos, Medina de Rioseco possui uma interessante construção hidráulica de grande relevância não só para a cidade, mas também para toda a comunidade castelhana, o chamado Canal de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta enorme obra de engenharia hidráulica foi realizada entre 1753 e 1849 com um grande esforço humano e técnico, e sua construção foi patrocinada pelo Rei Fernando VI e o Marquês de la Ensenada, que ocupou um cargo de prestígio durante o reinado do mencionado monarca. Surgiu da necessidade de escoar a produção de lã e do excedente de cereais através do Porto de Santander, situado na Comunidade de Cantabria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara sua construção foi utilizada mão de obra de penitenciários e muitos trabalhadores pereceram devido as duras condições de trabalho, além de sofrerem doenças decorrentes da água estancada. Em seus 207 km de comprimento, o canal conta com 49 eclusas, salvando um desnível de 150 metros.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla chegou à cidade de Medina de Rioseco em 1849, correspondendo ao final do trajeto em um de seus três ramais. Seu apogeu ocorreu entre 1860 e 1880, desenvolvendo a agricultura e a indústria, ao facilitar o transporte de matérias primas e produtos manufaturados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO avance tecnológico proporcionado pela construção do canal foi inquestionável, pois um barco transportava uma quantidade de grãos equivalente a 30 carros puxados por bois da época. Ao longo de seu trajeto, podemos observar distintas obras para vencer os obstáculos, como eclusas e aquedutos, assim como edifícios que foram construídos para satisfazer a atividade econômica local, como centrais elétricas, indústrias siderúrgicas e  moinhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma desta fábricas pode ser visitada, pois foi transformada num museu, a antiga Fábrica de farinha San Antonio. As máquinas, apesar de já não funcionarem, se conservam totalmente. A fábrica fechou em 1991.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla perdeu parte de sua função original com a chegada do transporte ferroviário. Em relação à navegação, o canal prestou seus serviços até 1959, recuperando esta finalidade na atualidade, mas somente para fins turísticos. Também se utiliza para regar a agricultura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Canal de Castilla foi declarado Bem de Interesse Cultural (BIC) em 1991.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com outras imagens do canal, esperando que algum dia possa conhecer outros lugares que fazem parte de seu trajeto…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Santander

Esta foi a segunda vez que estive em Santander, capital da Comunidade da Cantábria. A primeira vez foi em 2012, e na época publiquei três matérias sobre a cidade: Pela Costa de Santander (26/4/2012), A Catedral de Santander (22/8/2012) e Belas Igrejas de Santander (1/7/2013). A partir de hoje, realizarei vários outros posts sobre esta que é uma das cidades mais importantes do norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom cerca de 170 mil habitantes, Santander é a cidade mais populosa da Cantábria. Possui um clima ameno durante todo o ano, longe dos extremos de temperaturas que se observam em outras regiões. É também uma das zonas mais chuvosas do país. Santander é considerada uma das cidades mais seguras da Espanha, com uma das taxas mais baixas de delitos entre todas as cidades espanholas. Mais de 70% da população ativa trabalha no setor de serviços, especialmente relacionados ao turismo, provocando uma forte dependência econômica do comércio e das atividades turísticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século IX, o rei Alfonso II fundou a Abadia dos Corpos Santos, edificada sobre o relicário que continha as cabeças dos Santos Emeterio e Caledonio, que foram parar no local vindo de Calahora (cidade da atual Comunidade da Rioja). Estes santos foram decapitados no século III durante a época romana, e as relíquias foram levadas à então vila para protegê-las da invasão muçulmana, ocorrida a partir de 711 dC. Ainda hoje podemos ver o relicário de prata na Igreja de Cristo, que também conserva um braço de San German.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1187, o rei Alfonso VIII nomeou o abade proprietário da zona e concedeu a vila um foro. Em 1248, Santander participou, junto com outras vilas situadas na costa do Mar Cantábrico, da batalha pela reconquista de Sevilha, recebendo como recompensa um escudo de armas com as imagens da Torre do Ouro e do Rio Guadalquivir, dois símbolos da cidade andaluza. No final do século XIII, as vilas costeiras de Cantábria fundaram a Hermandade das Vilas da Marinha de Castilla, com o objetivo de fortalecer o comércio marítimo com ingleses e flamencos. Em 1372, Santander se converte na Base Naval do Atlântico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1497, a peste matou 6 mil pessoas, de um total de 8 mil que viviam na cidade. No final do século XVI, novamente foi vítima de outra peste, que reduziu a população a somente 800 habitantes, de um total de 2500.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVIII, Santander tornou-se uma diocese, e a igreja principal foi elevada à categoria de Catedral, fato que colaborou para a recuperação da cidade. Em 1755, Fernando VI concede o título de cidade. No princípio do século XIX, encabeça a lista dos portos mais importantes do norte da Espanha, registrando um intenso comércio com o continente americano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa segunda metade do século XIX, se introduziu na Europa um novo conceito de ócio associado à saúde. Desta forma, surgiram várias cidades-balneário para o desfrute da classe aristocrática européia. Santander foi uma delas, com a criação do Balneário de El Sardinero, até hoje uma de suas zonas turísticas mais famosas. Santander se transforma na cidade predileta da corte para os meses mais quentes do ano, principalmente durante o reinado de Alfonso XIIIOLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, até 1900, seu desenvolvimento econômico esteve relacionado com as atividades comerciais com as colônias espanholas, favorecendo o aparecimento de uma burguesia mercantil que impulsionou o crescimento urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de estar situada na costa, seu relevo está formado por morros que pouco a pouco começaram a serem habitados. Por este motivo, existem escadas rolantes e elevadores para alcançar as partes mais altas da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o turismo é uma das principais fontes de renda do município, e muitos  estrangeiros e turistas nacionais chegam à cidade em busca de suas praias e monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEspero que vocês apreciem as matérias desta bela cidade espanhola, e que algum dia possam visitá-la…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA