Castells – Torres Humanas da Catalunha

Dentro das festividades religiosas ocorridas durante minha estadia em Tarragona, tive a oportunidade e o privilégio de presenciar uma das manifestações culturais mais impressionantes da Catalunha, os denominados Castells, ou torres humanas de vários andares de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo idioma catalão, Castells significa “Castelos“, e pessoas de idades variadas de ambos sexos e constituição física participam em sua realização, gerando paixões e interesse equiparáveis aos esportes tradicionais. Constituem uma parte integrante da identidade da Catalunha, que se transmite de geração em geração, proporcionando aos seus membros um sentido de continuidade, coesão social e sentido de solidariedade. Além do mais, em 2010 foi declarado pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Normalmente, os Castells se formam nas praças principais, como na praça da sede da prefeitura (Ayuntamiento) ou diante da Catedral, como sucedeu em Tarragona ( que nao aparece nas fotos por minha posição lateral em relação à praça onde se situa). Antes de começar o espetáculo, uma multidão se aglutinou para ver e aplaudir os Castells.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANormalmente, centenas de pessoas participam em sua formação, e denomina-se Castellers as pessoas que integram as Colles Castellers, uma associação que organiza os Castells. Seus membros treinam durante todo o ano para que as apresentações nas várias cidades da comunidade sejam coroadas com êxito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente os membros de um Castell se comprimem no solo formando um círculo, que serve de base para que a estrutura possa ganhar altura, chamada Pinya. Quando alcança uma altura determinada, crianças de entre 7 e 8 anos sobem pelas costas dos demais até chegarem na parte mais alta, levantando a mão e realizando uma Aleta, sinal que o Castell foi concluído. O público aplaude forma entusiasta…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seguida, as crianças devem baixar, realizando o caminho inverso. Quando todos seus membros encontram-se novamente no solo, o público aplaude uma vez mais, sinal que o Castell foi definitivamente completado e não caiu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExiste uma máxima popular que diz que “Os Castells são feitos pelas crianças“, os verdadeiros heróis em sua realização, exigindo agilidade e valentia. Atualmente, participam homens e mulheres, mas até a década de 80 do século passado, os Castells constituíam uma atividade exclusivamente masculina. Para algumas posições, as mulheres oferecem vantagens físicas em relação aos homens (com uma mesma envergadura, geralmente o peso da mulher é inferior, sendo ideais para ocuparem as partes mais elevadas da estrutura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARealizados há cerca de 200 anos, existem referências de Castells já no século XVIII na cidade de Valls, considerada o berço dos Castells. Estreitamente relacionados com as festas populares, progressivamente estendeu-se por toda a Catalunha. A explicação mais aceita sobre sua origem diz que na segunda metade do século XVIII realizavam-se pequenas construções humanas que faziam parte de uma dança chamada “Baile dos Valencianos“, que eram realizadas em torno às procissões religiosas, criando uma certa rivalidade entre os grupos que as praticavam. Com o tempo, estas construções em forma de torre ganharam uma grande importância, tornando-se independentes do baile propriamente dito.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro Castell documentado data de 1770 e em 1790 já se utilizava a palavra para diferenciar do baile. O principal lema dos Castellers, “Força, Equilíbrio, Valor e Cordura (Sensatez)”, está relacionado às virtudes que seus membros devem possuir. Além delas, são fundamentais outras qualidades sociais como o trabalho e treinamento constantes, o esforço geral, a confiança no grupo, etc. Ainda que se recomende um bom preparo físico para participar num Castell, atualmente se valoriza mais a técnica que a força bruta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO vestuário de um Casteller está composto por uma calça branca e uma camisa com a cor de sua agremiação. Um lenço tradicionalmente vermelho e uma faixa de algodão que se enrola ao redor da cintura (pode chegar a ter 5 metros), com a finalidade de dar consistência à escalada e proteger a zona lombar, completam a roupa tradicional. Muitos utilizam um lenço ao redor da cabeça para evitar que o suor atrapalhe a vista. Todos os membros sobem descalços.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA temporada de Castells inicia-se durante as festividades em honra a São Jorge (Sant Jordi, em catalão), Santo Padroeiro da Catalunha, no dia 23 de abril, e finaliza em novembro. Existe uma associação representativa, a CCCC (Coordinadora de Colles Castellers de Catalunha) que divulga as atuações em toda a comunidade (http://www.cccc.cat). Outra página interessante é a http://www.webcasteller.com

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda matéria sobre estas incríveis torre humanas, comentando sobre os diferentes tipos de Castells, curiosidades históricas, o impressionante concurso que se realiza a cada dois anos, etc.

O Encierro de Pamplona

Um dos espetáculos taurinos mais conhecidos dentro e fora da Espanha, o Encierro de Pamplona é uma das festas mais populares do país, reconhecida como de Interesse Turístico Internacional. Os chamados Encierros constituem uma festa em que os touros correm pelas ruas das cidades e dos povoados do país, acompanhados por uma multidão de corajosos e, muitas vezes, inconsequentes cidadãos. Normalmente, finalizam o trajeto dentro da praça de touros da localidade. Abaixo, vemos uma foto antiga de um encierro realizado num povoado da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Encierro de Pamplona, capital e maior cidade da Comunidade de Navarra, realiza-se dentro do conjunto de festividades em honra ao padroeiro de Navarra, San Fermín, motivo pelo qual são também denominados Sanfermines. As festas começam com o lançamento de um pequeno foguete chamado chupinazo, que se organiza desde o balcão do edifício sede da Prefeitura de Navarra, às 12:00hs do dia 6 de julho. A multidão que se concentra na praça situada em frente ao Ayuntamiento aguarda ansiosa e com muito ruído o começo da festa. Abaixo, vemos o belo edifício do Ayuntamiento de Pamplona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO encierro propriamente dito realiza-se pelas ruas do centro histórico da cidade, num trajeto de 849m, e os touros e os milhares de acompanhantes finalizam o percurso na Plaza de Toros de Pamplona, onde depois se organiza uma corrida de touros com os animais que participaram do encierro. Apesar de ser um espetáculo antigo, sua fama mundial é recente, divulgada ao mundo graças ao escritor americano Ernest Hemingway depois do lançamento de seu primeiro  livro de importância em 1926, intitulado “Fiesta” em espanhol e “The Sun Also Rises“, no original em inglês. Abaixo, vemos um monumento em Pamplona que homenageia o esperado acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua origem é medieval, estando relacionada com três fatos, os atos religiosos em honra a San Fermín, realizados antes do século XII, as feiras comerciais e as touradas, documentadas em Pamplona desde o século XIV. Na Idade Média, os pastores navarros traziam os touros dos campos até a Plaza Mayor de Pamplona, que servia de coso taurino, ao não existir então um local apropriado para as touradas. Na noite anterior à tourada, acampavam próximo à cidade e, ao amanhecer, os touros eram levados e acompanhados por gente que montados a cavalo ou à pé, ajudavam a que os animais fossem colocados nos currais (foto abaixo de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do século XIX, as pessoas começaram a correr dos touros pela parte dianteira, ao invés de atrás, como habitualmente se realizava antes, transformando-se num costume popular. Antigamente a tradição se chamava “Entrada” e em 1856 passou a denominar-se “Encierro“. Durante a festa, a população da cidade, de aproximadamente 200 mil habitantes, se multiplica por 5 com a chegada de turistas estrangeiros. Muitos deles, depois de criar coragem com uma boa quantidade de cerveja, decidem correr junto aos touros, e os acidentes são inevitáveis…(foto de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde que existem registros oficiais, a partir de 1924, se contabilizam o falecimento de 15 pessoas no Encierro de Pamplona. Os touros realizam o trajeto em cerca de 4 minutos aproximadamente, estando proibido maltratar o touro durante o percurso, como puxar o rabo, subir em cima dele, etc. Os 6 touros participantes são acompanhados por outros 6 animais mansos que servem de guias para os demais e também para tranquilizar os touros bravos (foto abaixo de Jim Hollander).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo filme “Dia e Noite“, de 2010, protagonizado por Tom Cruise e Cameron Díaz, aparecem cenas do Encierro de Pamplona, mas que foram filmados em Sevilha (???)….No dia 14 de julho, às 24:00hs, realiza-se o encerramento das festividades. No Youtube existe uma grande quantidade de vídeos das Festas de San Fermín de Pamplona. Escolhi um para que possam ver a inauguração da festa…

Las Hogueras de San Juan – Alicante

Antigamente, no dia 23 de junho, os habitantes de Alicante saíam ao campo, jantavam em grupo e quando chegava a meia noite celebravam o solstício de verão, o dia mais longo do ano para as colheitas, fazendo fogueiras e dançando ao seu redor. Depois, lançavam foguetes e finalmente se banhavam no mar. Esta tradição perdurou numa festa organizada, denominada Las Hogueras de San Juan (As Fogueiras de São João), considerada as festas oficiais da cidade e declaradas de Interesse Turístico Internacional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão pude ver pessoalmente estas famosas festas, pois estive na cidade em agosto, e as festas já tinham sido realizadas mais de um mês antes. No entanto, tive uma ideia de como se desenvolve e um pouco de sua história ao visitar o Museu de Las Hogueras de San Juan, cujas fotos da presente matéria foram tiradas no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima, vemos os cartazes publicitários de vários anos da festa. A primeira vez que foi realizada de forma oficial foi em 1928, por iniciativa de José María Py que, inspirado nas Fallas de Valencia, introduziu as festividades em Alicante para fomentar o turismo. Como o próprio nome indica, são festejos dedicados ao fogo, com uma ampla programação de eventos. Os protagonistas das festas são verdadeiras obras de arte efêmeras, Las Hogueras, figuras feitas de madeira e cartão que são queimadas numa enorme fogueira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs hogueras representam tanto as figuras feitas como também as várias comissões da cidade encarregadas de fabricá-las. Digamos que cada bairro possui sua própria comissão, e atualmente existem mais de 90. As figuras possuem um caráter satírico e de crítica social.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesde 1932, as comissões criaram um concurso chamado “La Belleza del Fuego” onde cada uma delas escolhe sua representante. Atualmente o concurso se realiza um pouco antes das festas, no mês de maio, e a vencedora é apresentada junto com suas “hogueras” em trajes típicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACada comissão contrata também uma banda de música e se realizam oferendas de flores à Virgem do Remédio, Padroeira de Alicante, que são consideradas as mais antigas da Espanha, colocadas na Praça da Catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA programação inclui desfiles folclóricos de várias partes do mundo e, claro, fogos de artifícios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABarracas são instaladas para que as pessoas possam provar os pratos típicos da ocasião, como as tradicionais empanadas de atum. Espero, algum dia, poder ver estas festas ao vivo, como também Las Fallas de Valencia, e contar um pouco mais para vocês destas curiosas festas espanholas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA