Almagro – Parte 2

O primeiro monumento que conheci em Almagro, pela proximidade do hotel onde me hospedei, foi a Igreja de San Bartolomé, construída com tijolo e pedra. Antiga igreja da Ordem dos Jesuítas, sua construção iniciou-se em 1625, mas as obras somente prosseguiram, por motivos econômicos, em 1733, sendo concluída na segunda metade do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu interior possui a típica planta das igrejas jesuítas, com apenas uma nave e compostas por capelas comunicadas entre si a ambos lados da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais, vemos tribunas entre pilastras com balcões decorados no estilo rococó a base de elementos vegetais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA titularidade do templo foi dada ao santo padroeiro da cidade, San Bartolomé (São Bartolomeu, em português), um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo. Apesar de ter sido um dos testemunhos da Ascensão de Cristo, não desempenhou um papel destacado nos evangelhos. Divulgou o evangelho na Índia e foi o fundador do Cristianismo na Armênia, sendo considerado o santo padroeiro da Igreja Apostólica deste país, junto com São Judas Tadeu. Sua representação mais habitual é a de seu martírio por esfolamento, a remoção da pele do corpo. São Bartolomeu foi martirizado por Astiages, Rei da Armênia. Na época barroca, é comum vê-lo representado como apóstolo com a escritura sagrada e mostrando uma navalha, como vemos nesta escultura situada no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE também na fachada da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo altar maior, vemos uma reprodução do famoso quadro do pintor espanhol José de Ribera (1591/1652), intitulado “O Martírio de San Felipe“, cujo original se encontra no Museu do Prado de Madrid. Durante muito tempo se pensou que se tratava do Martírio de San Bartolomé, mas São Felipe foi crucificado, e não esfolado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da igreja, a Ordem Jesuíta construiu um grande colégio, situado ao seu lado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlmagro é uma cidade em que os chamados Ofícios Tradicionais ainda sobrevivem, como os belíssimos objetos feitos de metal, que eram expostos próximos à Plaza Mayor numa interessante feira de final de semana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro ofício de grande destaque, pela qualidade de suas peças, é o Encaje, parecido ao bordado..

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A tradição em sua fabricação pode ser vista no Museu do Encaje, situado junto à Plaza Mayor

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Encajeras, as mulheres responsáveis por sua elaboração, foram homenageadas com uma merecida estátua.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlmagro também demonstra sua riqueza cultural na gastronomia. Seu prato mais famoso são as berinjelas fritas (berenjenas, em espanhol), cuja origem está relacionada à cozinha árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de saborear as delícias gastronômicas da cidade num edifício de finais do século XVI, a Posada de Almagro, antigamente conhecida como Posada de San Bartolomé. O ambiente rústico do local com sua galerias de madeira constituem o ambiente perfeito para saborear os pratos da gastronomia da Comunidade de Castilla La Mancha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitei para provar um Menu de fim de semana que custou 18 euros. De primeiro prato, comi um delicioso Calabacín relleno de carne picada (Abobrinha recheada com carne moida).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe segundo prato, bacalhau

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara completar, vinho tinto e melão, de sobremesa…

Anúncios

Último Passeio por Santiago de Compostela

Finalmente, depois de mais de 40 posts e dois meses de publicações, finalizo minha recente viagem pela Galícia (que terá um complemento especial sobre o Apóstolo Santiago). Neste último post sobre Santiago de Compostela, veremos alguns lugares e atrações da cidade que não foram incluídos nas matérias anteriores. A capital galega possui inúmeras casas nobres de importância histórica, como o Palácio de Fonseca, que pertenceu a Alonso III de Fonseca, um dos principais impulsores da prestigiosa e histórica Universidade de Santiago de Compostela. O palácio foi construído na primeira metade do século XVI e foi projetada pelo famoso arquiteto Rodrigo Gil de Hontañón. Em sua fachada, vemos o escudo da família dos Fonseca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm belo exemplo da Arquitetura Civil do período barroco é o Palácio de Fondevila, construído em 1760. Situa-se na chamada Calle de las Casas Reales, assim denominada pelos palácios que ainda conserva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu nome é uma referência a D.Pedro Varela Fondevila, que foi o proprietário do imóvel e prefeito da cidade. Também destaca o escudo situado na fachada da construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo seu lado, um outro palácio, datado de 1500, conserva um portal composto por um Arco Conopial, algo raro na arquitetura civil…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra casa nobre, cuja história ignoro….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das ruas mais representativas do Centro Histórico, declarado Patrimônio da Humanidade, é a Rua del Villar, com abundantes casas dos séculos XVI, XVII e XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe todas as fontes da cidade a mais famosa é, sem dúvida, a Fonte dos Cavalos, situada na Plaza de las Platerías, em frente à famosa fachada românica da Catedral Compostelana. Nesta praça situava-se o grêmio que representava os artesãos que trabalham com a prata, em cujas lojas ainda podemos comprar objetos feitos de metal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela os visitantes jogam uma moeda com o desejo de retornar à cidade. A fonte foi construída em 1825. Atrás da fonte, vemos a Casa do Cabildo, um edifício pertencente à segunda metade do século XVIII, também barroco. No lado esquerdo, o antigo Edifício do Banco de Espanha, que atualmente é uma das sedes do Museu das Peregrinações, que possui uma interessante coleção de objetos artísticos e arqueológicos encontrados na Catedral, enaltecendo a importância das rotas de peregrinações ao redor do mundo, especialmente o Caminho de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um detalhe da Fonte dos Cavalos

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu das Peregrinações possui uma outra sede, situada numa casa gótica do século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor sua vez, o denominado Museu Casa de la Troya recria o ambiente de uma pensão de estudantes do final do século XIX, no qual se inspirou o escritor Alejandro Pérez Lugín (1870/1926) para escrever sua célebre novela “La Casa de la Troya“, em 1915. Este autor espanhol frequentou a Universidade de Santiago de Compostela e muitas de suas obras retratam temas e ambientes galegos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo aspecto gastronômico, a Comunidade da Galícia destaca-se principalmente por seus pescados, como o Pulpo à Gallega, polvo feito ao modo tradicional da região. Outro prato de referência é o Caldo Gallego, uma deliciosa sopa feita com legumes, batatas, muito parecido ao Caldo Verde português. No Caminho de Santiago, os peregrinos reforçam a dieta com esta sopa, principalmente nos frios dias do inverno.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAinda tive tempo de conhecer a Ponte sobre o Rio Sar, que cruza a parte baixa da cidade, construída provavelmente no século XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo, vemos juntos dois símbolos da comunidade, o cruzeiro e o hórreo, presentes na grande maioria das cidades e pueblos da Galícia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveito uma vez mais para agradecer aos meus queridos amigos Marcelo e Cristina, que me convidaram novamente para participar desta viagem por terras da Galícia. Amantes incondicionais desta região espanhola, ambos possuem uma autêntica alma de peregrinos, e caminhar pelas cidades e povoados da comunidade junto a eles foi um verdadeiro prazer, repleto de momentos que somente as inesquecíveis viagens podem produzir…

Um Passeio por Mogarraz

A Comarca de la Sierra de Francia está formada por montanhas e vales, onde se assentaram uma série de pueblos de grande interesse histórico, como La Alberca, sua capital, San Martín del Castañar, que veremos no próximo post, e Mogarraz. Seus habitantes, desde tempos remotos, se dedicaram à agricultura e à pecuária, aproveitando todos os espaços disponíveis, criando áreas nas ladeiras das montanhas para o cultivo e o pasto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra característica que compartem estes povoados é sua arquitetura popular, cujas casas foram construídas com entramados de madeira, que vimos mais detalhadamente num post recém publicado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMogarraz é um pueblo com menos de 300 habitantes, cuja importância histórica foi reconhecida ao ser declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1986. Suas ruas estreitas seguem o urbanismo medieval, como podemos observar nas fotos desta matéria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fundação de Mogarraz se deve ao processo de repovoamento efetuado pelos reis castelhanos no século XII. Obteve o título de vila somente em 1656.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua economia sempre esteve baseada no cultivo da uva, da cereja e na exploração dos recursos naturais da zona, como a madeira, realizada de forma sustentável desde séculos. Neste sentido, Mogarraz situa-se num local privilegiado, dentro dos limites do Parque Natural de Las Batuecas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo contrário de La Alberca, em que muitas de suas típicas casas foram restauradas, em Mogarraz conservam seu aspecto original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém aqui encontramos as fachadas das residências ornamentadas com motivos religiosos esculpidos, a grande maioria talhados pela comunidade de judeus conversos que passaram a viver na comarca em épocas passadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO principal monumento do povoado é a Igreja Paroquial de N.Sra de las Nieves, construída no estilo renascentista. A torre campanário é posterior, erguida no século XVIII, cumprindo uma função de defesa e vigilância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu artesanato é famoso em toda a Espanha e no estrangeiro, principalmente as jóias feitas com fios de ouro e prata, além do bordado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutros produtos de grande fama, extensivo à toda a Província de Salamanca, constituem os embutidos, derivados da criação de cerdos (porcos, em português), como o jamón, o chorizo, a morcilla, etc. Tivemos o prazer de realizar uma degustação maravilhosa destes produtos numa loja que comercializa alguns dos melhores embutidos da zona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhamos sem pressa pelo povoado, principalmente quando a chuva dava uma trégua, sob o olhar atento dos retratos, admirando sua bela, rústica e peculiar arquitetura popular

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

La Alberca – Pueblo Medieval

O povoado de La Alberca conserva costumes e tradições que se remontam a um passado distante, como pude comprovar em meus passeios pela cidade. Um deles está associado a uma pequena capela situada junto ao muro exterior da igreja paroquial, chamada Capela de las Ánimas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste singular oratório está relacionado a um costume que ainda perdura no povoado, o da “Moça das Ánimas“, em que uma moça do povoado, nem sempre a mesma, realiza um ritual para os defuntos da localidade. Percorre as ruas do povoado no anoitecer de cada dia, com uma espécie de pequeno sino pendurado no pescoço, implorando orações às almas do purgatório com a seguinte frase: “Fiéis cristãos, recordemos as benditas almas do purgatório com um Pai Nosso e uma Ave Maria, por amor de Deus.” Uma lenda local conta que certa vez, numa fria noite de inverno, a encarregada de realizar o ritual deixou-se dominar pelo medo e nao saiu de sua casa para realizar a tradição. Ante sua falta de coragem, o próprio sino saltou sozinho pelas ruas, acompanhado pelos lamentos das almas em pena. Desde este dia, nunca mais o ritual deixou de ser realizado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA agropecuária sempre constituiu o motor econômico da região, e toda a Província de Salamanca é famosa pela produção de embutidos, incluindo Jamón, chorizo, morcillas, etc. Ao lado das típicas lojas de souvenirs existentes no povoado, encontramos locais de venda destes produtos deveras apreciados da gastronomia espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra tradição local está relacionada justamente com o porco (cerdo, em espanhol), representado por uma escultura situada ao lado da igreja, conhecido como “Cerdo de San Antón“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodos os anos, no dia 13 de junho, em que se celebram as festividades de Santo Antônio de Pádua, um porco é solto nas ruas, depois de ser benzido previamente. O animal permanecerá solto pelo povoado até o dia 17 de janeiro, quando então é sorteado entre os habitantes. Neste período, o porco é alimentado pelos próprios cidadãos. O dinheiro arrecadado no sorteio é destinado a obras sociais realizadas por uma ONG. Este costume tradicional está associado ao período em que o Tribunal da Inquisição perseguiam os denominados Judeus Conversos, ou seja, os judeus que, para não terem que deixar o país após a expulsão de 1492, foram obrigados à conversão ao catolicismo (cabe recordar aqui que o consumo de porco na religião judaica é proibido), mas que na intimidade de seus lares seguiam com seus ritos religiosos tradicionais. Naquela época muitos judeus conversos saíam às ruas do povoado comendo toucinho de porco, demonstrando que haviam aderido à fé católica. Em muitas casas de La Alberca vemos símbolos religiosos esculpidos na fachada das casas, e outros bem curiosos como o que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Alberca acolheu em época medieval uma grande quantidade de judeus conversos, devido ao isolamento do povoado e pela proximidade com o país vizinho, Portugal, onde podiam refugiar-se no caso de serem perseguidos pelo Tribunal do Santo Ofício da Inquisição. Devido à amplitude dos territórios e a escassez de funcionários, normalmente as sedes do tribunal encontravam-se nas grandes cidades, obrigando-o a buscar ajuda nos pequenos povoados através dos denominados Familiares do Santo Ofício, nome que recebiam determinados membros de menor nível cuja função era servir de informantes. O escudo acima representa que nesta casa vivia um destes membros, e que podemos encontrar em várias casas de La Alberca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Tribunal da Inquisição estava composto por uma organizada rede de espionagem e um complexo serviço de informação, sendo que os familiares exerciam um papel fundamental. Nomeado pelos inquisidores de cada distrito, os familiares recebiam certos privilégios, como isenção de impostos e a possibilidade de portar armas. Para ser um familiar, não era necessário nenhum tipo de voto monástico ou que estivessem integrados ao clero. Além do mais, ser familiar da Inquisição constituia uma verdadeira honra e representava um símbolo de status social, supondo um reconhecimento público pelo critério de limpeza de sangue, segundo o qual para ser membro do tribunal se exigia que o nomeado e seus antepassados fossem todos cristãos velhos. Sua principal função consistia em denunciar, perseguir e deter a presuntos hereges, mas não de julgá-los, missão realizada pelo próprio tribunal. Os familiares beneficiavam-se economicamente das pessoas delatadas e em caso de represália por parte destas, estavam protegidos pelo tribunal. O nome dos delatores não eram conhecidos pelos acusados, já que não se tornavam públicos, tornando-os ainda mais temíveis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vimos no primeiro post sobre o povoado, o nome La Alberca significa “lugar das águas”, sendo que a região  é atravessada por vários cursos de água que descem pela montanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs águas correm pelo povoado através de canais que se encontram tapados por uma comprida estrutura de pedra, como vemos abaixo, situada na praça da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa próxima e última matéria sobre La Alberca, veremos sua singular arquitetura popular, uma de suas principais atrações…

Um Passeio por Córdoba – Parte 2

No post de hoje veremos outros lugares de interesse em Córdoba, alguns deles mais afastados do centro histórico da cidade, como o Palácio de la Merced, cuja belíssima fachada me impressionou deveras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta construção pertenceu ao Convento da Ordem Mercedária, fundado no século XIII. No século XVIII (1757) sofreu uma remodelação que o transformou num dos conjuntos arquitetônicos mais importantes da cidade. Com a desamortizaçao de 1834, o convento foi abolido, e depois transformou-se num hospital para idosos. As pinturas que decoram a fachada imitam o mármore, uma das características do barroco em Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA antiga igreja conventual ainda se conserva, e ocupa o centro da fachada principal….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Palácio de la Merced é a sede da Diputación Provincial de Córdoba. Outro lugar interessante, já em pleno Centro Histórico da cidade, é a Torre de San Juan, o único vestígio conservado de uma mesquita muçulmana. O monarca Fernando III doou a mesquita à Ordem dos Cavaleiros de San Juan de Jerusalém, que transformou a mesquita numa igreja paroquial, função que ocupou até 1880. A partir de então, transformou-se na Igreja Conventual das Escravas do Sagrado Coração de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituada bem próximo ao antigo Fórum Romano, a Plaza de las Tendillas constitui hoje em dia o principal centro comercial da cidade. O centro da praça está presidida pelo monumento em homenagem a Gonzalo Fernández de Córdoba, mais conhecido como “El Gran Capitán“. Este genial militar, considerado um dos mais importantes de toda a história espanhola, prestou seus serviços aos Reis Católicos, participando em batalhas decisivas que proporcionaram a incorporação de novas terras ao Império Espanhol, principalmente na Itália. Sua capacidade como estrategista possibilitou a formação dos futuros “Tercios“, a unidade de elite do exército a serviço dos Reis da Dinastia dos Habsburgos, e se tornaram famosos por sua resistência nos campos de batalha. Combinou à perfeição a artilharia, cavalaria e infantaria, além do apoio naval. O monumento, uma estátua equestre em bronze (com exceção da cabeça, realizada em mármore branco) foi realizado em 1923, e o modelo para a figura do homenageado foi um organista da Igreja de San Nicolás, templo que vimos na matéria sobre as Igrejas Históricas de Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos vários dias em que estive em Córdoba, percorri praticamente toda a extensão da cidade, buscando lugares de interesse histórico, além de locais de uma singela beleza…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitei também para saborear a gastronomia espanhola, como no dia em que provei uma deliciosa salada com pimientos (pimentão, em português) de primeiro prato e um suculento bacalhau de segundo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos pratos mais tradicionais da cozinha cordobesa é o Salmorejo, um tipo de sopa feita à base de tomate, mas com um aspecto mais denso. Este prato se popularizou fora da Andaluzia, e atualmente pode ser encontrado em todo o país. Abaixo, vemos a receita do Salmorejo, que encontrei em minhas andanças pela cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Calle Mayor – Medina de Rioseco

Em muitas cidades e povoados da Espanha é comum encontrarmos uma rua denominada Calle Mayor, normalmente a mais importante da localidade. Em Medina de Rioseco ocorre o mesmo, e a Calle Mayor da cidade representa o coração do centro urbano e ponto de encontro de seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAReduto social de Medina de Rioseco, a Calle Mayor constitui por si só uma atração turística, já que conserva sua estrutura a base de colunas que sustentam os prédios de dois andares. Embaixo dos edifícios se desenvolve a vida comercial, com uma ampla variedade de lojas. As fotos foram tiradas entre as 14 e 17 hs, momento em que os proprietários das lojas fecham seus estabelecimentos para a popular “Siesta“…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA rua conserva um dos principais conjuntos de arquitetura popular da província, combinado edifícios antigos, construídos com vigas de madeiras, e outros de realização mais recente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA Os materiais construtivos das colunas são de pedra, em sua maioria, mas também podemos encontrar as feitas de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa primeira vez que atravessei a Calle Mayor de Medina de Rioseco, notei algo estranho em um dos edifícios. Quando me aproximei, percebi que se tratava de um crocodilo ameaçador, prestes a devorar os caminhantes…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa realidade, este réptil é uma referência a uma lenda (das muitas existentes) que explica o motivo pelo qual existe uma pele de crocodilo no interior da Igreja de Santa Maria (templo que veremos no próximo post). Conta a tradição que, durante a construção da igreja, um crocodilo que apareceu no Rio Sequillo, que banha a cidade, se aproveitava da escuridão noturna para destruir tudo aquilo que havia sido construído durante o dia. Depois de várias tentativas em capturá-lo, um preso que trabalhava na construção se ofereceu como voluntário. Os soldados da vila, certos de que não escaparia com vida, lhe ofereceram uma lança e o deixaram sozinho em sua audaz missão. O esperto preso escondeu-se entre umas pedras e situou-se detrás de um grande espelho, que colocou em frente ao crocodilo. O animal, ao ver sua imagem refletida, ficou paralizado de terror, momento em que o preso aproveitou para atacar com sua lança, matando o réptil no ato. Ao tomar conhecimento do fato, o Almirante de Castilla, senhor do povoado, concedeu a liberdade ao corajoso preso e sua façanha chegou a todos os lugares do reino. A construção da igreja finalizou-se e a pele do crocodilo foi oferecida à Virgem Maria, em sinal de agradecimento. Desde entao se encontra pendurada sobre a porta de entrada do templo. Lendas à parte, parece que foi trazida pelos denominados “indianos“, como são conhecidos os espanhóis que se aventuraram no continente americano e fizeram fortuna, retornando ao seu local de origem. Existem outras igrejas espalhadas pelo país que também ostentam peles de crocodilo, mas creio que em cada lugar existirá uma lenda diferente…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodos os dias em que estive na cidade realizava minhas refeições no mesmo lugar, o Restaurante Pasos, situado na Calle Mayor. Sua bela decoração interior, adornado com motivos medievais, é um convite a saborear a deliciosa gastronomia local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADiariamente provava o “Menú del Día“, opçao existente na maioria dos restaurantes espanhóis, que consta de dois pratos, pão, sobremesa e uma bebida (no caso de escolher vinho tinto, colocam uma garrafa para ser tomada à vontade). Tudo isso por apenas 12 euros. Abaixo, um dos menus que degustei, cozido montanhês de primeiro prato, pescado de segundo, e uma espécie de pudim de sobremesa…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de terminar o almoço, me dirigia ao Bar Cubero, também localizado na Calle Mayor e um dos mais famosos da cidade, para saborear um doce tradicional chamado “Abisinios“, realmente delicioso. O melhor de tudo é que te ofereciam gratuitamente, ao pedir um cafézinho. Eu que sou um grande apreciador da bebida, tomava vários cafés durante o dia no bar, uma desculpa para comer o doce…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

Parque Quinta de los Molinos: Madrid

Na Europa, o inverno se desenvolve nos meses finais do ano e nos primeiros meses do ano seguinte. Enquanto no Brasil as praias lotadas constituem o lugar comum nos meses de verão, no continente europeu os protagonistas são as estações de esqui. Nesta época, as árvores perdem suas folhas, e a maior parte da vegetação carece de sua beleza e cromatismo essenciais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, existe uma espécie que florece justamente no final do inverno, anunciando a primavera (final de fevereiro e começo de março). Me refiro à Amendoeira (Almendros, em espanhol), cujo fruto, a amêndoa, é muito apreciado na Gastronomia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espetáculo de sua floração é outro presente da natureza e existe um lugar de Madrid onde podemos admirá-la em todo seu esplendor, o Parque da Quinta de los Molinos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Parque situa-se em plena Calle de Alcalá, a avenida mais comprida da cidade e de grande importância histórica, que acolhe também a área verde mais famosa da capital, o maravilhoso Parque do Retiro, muito mais conhecido e frequentado. Talvez por este motivo, a Quinta de los Molinos é um parque seleto, e desconhecido para a grande maioria do público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo parque se contabilizam aproximadamente 1500 amendoeiras, e vê-las em sua plenitude é uma verdadeira experiência sensorial. Pertence à família das rosáceas (Prunus Dulcis), e sua altura pode alcançar entre os 3 e os 5 metros.Quando jovem, possui uma cor amarelada, substituída pela cor rosa, quando chega à idade adulta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta espécie vegetal é originária das regiões montanhosas da Ásia central e  cultivada na Espanha há mais de 2 mil anos. Provavelmente introduzida pelos fenícios, a árvore propagou-se pelo país durante a época romana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs amêndoas sao utilizadas no ramo da perfumaria e, principalmente, na culinária. É muito usada na elaboração de sobremesas tradicionais, como os Turrones (consumido preferencialmente nas festas de finais de ano) e o Mazapán (doce típico da cidade de Toledo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs amêndoas possuem um alto valor energético. Cada 100g da fruta produz 579 kcal, com grandes quantidades de carboidratos, gordura, proteínas e fibra, além de ser rico em minerais essenciais e vitaminas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO parque possui muitas outras espécies vegetais, como as oliveiras, eucaliptos e pinos, embora a Amendoeira seja a rainha inquestionável…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, contarei um pouco da história deste belo parque de Madrid, pois além do belo espetáculo das Amendoeiras, existem muitos outros locais para serem visitados.