Museu Ferroviário de Gijón

No meu último dia em Gijón pude conhecer um museu excepcional, onde fui recebido com muita cordialidade e cuja visita realmente valeu muito a pena. No post de hoje, vocês conhecerão o Museu Ferroviário de Gijón, considerado um dos melhores da Europa.

20150724_194451Inaugurado em 1998, o museu se encontra na antiga Estaçao del Norte, a mais importante da cidade na época de sua construção. Está formado por um grande complexo de mais de 14 mil metros quadrados, e sua coleção de máquinas, locomotivas, vagões, etc, é uma das melhores de todo o continente.

20150724_19583120150724_195947Durante minha visita, tive muita sorte, pois justo neste dia se celebrava uma jornada fotográfica no museu. As fotos não somente estavam permitidas em todo o recinto, como também eram estimuladas. Veremos, então, algumas das peças referentes do museu, como por exemplo, a antigo bonde (em espanhol, tranvía) que circulou por Gijón até 1964.

20150724_200836O primeiro bonde asturiano foi inaugurado em 1890 em Gijón. Em 1909, sua rede possuía 3 linhas, quando então foi eletrificada. Além dos veículos elétricos tradicionais, funcionavam também bondes interurbanos a vapor.

20150724_200917Podemos admirar locomotivas nacionais e estrangeiras, todas elas em um excelente estado de conservação. Construída em 1910, esta locomotiva a vapor belga esteve em funcionamento até 1975.

20150724_194730Uma locomotiva  a diesel fabricada na Alemanha em 1956…

20150724_200133Esta outra locomotiva, também a diesel, é de fabricação francesa. Construída em 1965, esteve operativa até 2003.

20150724_195045Em 1963, foram comprados algumas locomotivas americanas de segunda mão para modernizar o serviço aos viajantes, complementando os antigos vagões de madeira existentes. Fabricado em 1954, esta unidade funcionou como trem leve de segunda classe até 1983.

20150724_194958Abaixo, vemos um vagão de primeira e segunda classe, construído em 1912. Funcionou até 1977, e ignoro sua procedência.

20150724_194907Já este outro vagão foi construído na Espanha em 1928. Utilizado como vagão de terceira classe para viagens de longas distâncias, possuía inclusive calefação, um luxo para a época. Nos anos 50, passou a ser usado em trens para as localidades próximas (trem de cercanías).

20150724_195405O vagão abaixo foi fabricado em Bilbao em 1958, com o objetivo de substituir os modelos antigos.

20150724_200239Um vagão destinado ao serviço de correios…

20150724_195135Na sequência, vemos um veículo para o serviço de manutenção das linhas, usados em toda a Espanha e fabricado em 1965.

20150724_195723A máquina de fabricação espanhola mais antiga em funcionamento é este guindaste construído em Asturias em 1890, com um sistema de auto propulsão a vapor.

20150724_200419No museu podemos conhecer e apreciar objetos antigos que compõem uma estação ferroviária tradicional, como relógios, sistemas de comunicação, enfim tudo o que vocês podem imaginar associado ao mundo ferroviário. Abaixo, vemos os sistemas de vias existentes na Espanha.

20150724_201147Com esta pequena matéria sobre este museu exemplar, finalizo os posts sobre a cidade de Gijón. No entanto, a viagem ao Principado de Asturias prossegue, pois meu próximo destino, Avilés, é uma cidade encantadora e de especial interesse para nós brasileiros, pois nela se encontra a única obra realizada pelo arquiteto Oscar Niemeyer na Espanha.

Edifícios Art Decô – Gijón

Na primeira metade do séc. XX, graças ao desenvolvimento econômico de que foi protagonista, Gijón foi o centro, em Asturias, das chamadas correntes vanguardistas arquitetônicas que assolaram o continente europeu. A Art Decô foi uma das mais importantes, deixando uma grande quantidade de edifícios na cidade, que foram realizados neste estilo eminentemente decorativo, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO movimento Art Decô desenvolveu-se principalmente entre os anos 20 e 40 do século passado, tendo a sofisticação exterior e interior como um elemento referente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO arquiteto Manuel del Busto e seu filho Juan Manuel foram os pioneiros desta estética na cidade. Em 1929, por ex., realizou este edifício, marcado por uma concepção racionalista em voga na Europa, provocando uma mudança de seu estilo, anteriormente regionalista, para um conceito moderno, através da Art Decô. Destaca o geometrismo da composição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro edifício, de caráter modernista, foi projetado pelo arquiteto em 1913…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo começo do séc. XX, a repercussão da arquitetura modernista catalã provocou um grande impacto e Gijón acabou brindada com alguns belos edifícios, como o de abaixo, construído em 1902 pelo arquiteto José Craner Prat, situado ao lado do edifício acima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira etapa de Manuel del  Busto esteve marcada por uma arquitetura regionalista, como dissemos acima. Um exemplo vemos a seguir, onde a decoração de azulejos foi encomendada a Daniel Zuloaga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO conhecido Café Dindurra, o mais antigo da cidade (1901), foi alvo de uma reforma nos anos 30, cujo teto e colunas foram inspirados na Art Decô, encargo que Manuel del Busto e o escultor Pepín Morán assumiram com grande competência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20150721_221849Também neste período projetou a Estação Rodoviária da cidade, obra pertencente a última fase do Movimento Art Decô, que passa a incorporar critérios racionalistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estilo foi adaptado a muitos outros tipos de construção, que proporcionaram glamour antigamente e mesmo hoje em dia, como neste bar à beira da praia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao bar vemos o Hotel Alcomar, cuja fachada apresenta uma decoração tipicamente Art Decô

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO mesmo podemos dizer do Clube Náutico de Gijón

OLYMPUS DIGITAL CAMERANossa visita a cidade de Gijón está chegando ao fim. Antes, porém, de sua conclusão, veremos no próximo post um museu exemplar, que me impressionou muito, tanto pelo seu conteúdo, quanto pela amabilidade e simpatia de seus funcionários, o Museu Ferroviário de Gijón…até lá !!!

Jardim Botânico de Gijón

Depois de visitar a Universidade Laboral, um complemento perfeito para o passeio é o Jardim Botânico Atlântico, localizado praticamente ao lado.

20150722_152857Este Jardim Botânico é o único existente em Asturias, e caminhar por suas várias zonas é um delícia, pela beleza de seu entorno e por estar hiper bem cuidado.

20150722_15315120150722_153355Inaugurado em 2003, possui cerca de 30 mil plantas de 2 mil espécies diferentes, espalhadas numa área de 16 hectares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANum primeiro momento, foi criado para o estudo, conservação e divulgação dos recursos vegetais dos territórios banhados pelo Mar Cantábrico, do qual o Principado de Asturias faz parte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das áreas mais belas é o chamado Jardim de la Isla, um jardim histórico de caráter romântico criado em 1870.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado de plantas de todo o mundo, belas estátuas configuram um precioso espaço para a contemplação e o relaxamento mental.

20150722_15365220150722_153933Podemos admirar algumas fontes de grande valor estético, como a Fonte de Talavera, cuja cerâmica foi realizada na famosa cidade de Talavera de la Reina, uma das principais cidades espanholas em sua fabricação, que foi tema de uma série de posts publicados entre 30/9/2013 e 4/10/2013.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Jardim Botânico de Gijón organiza uma grande variedade de atividades educativas, exposições diversas e possui uma página web excelente. Abaixo, transcrevo esta página que vale a pena conhecer, uma forma de aprofundar-se nesta instituição exemplar:

https://botanico.gijon.es/

Voltando para a cidade, o tempo abriu, e pude dar uma chegadinha na praia, um final fenomenal para um dia incrível….

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Universidade Laboral de Gijón – Parte 2

A primeira visão que temos ao entrar na Universidade Laboral de Gijón é estarrecedora, o seu pátio central descoberto com dimensões extraordinárias (150m de comprimento por 50 de largura). Exerce a função de Plaza Mayor do recinto, onde todas as dependências se organizam ao redor dele.

20150722_113712No centro situa-se a igreja, o edifício mais espetacular da universidade. É considerada a maior igreja de planta elíptica de todo o mundo. Na fachada vemos, em sua parte central, a Virgem de Covadonga, franqueada pelas imagens de São José, São Ignácio, São Pedro e São Paulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA imagem de São José carece de cabeça, como consequência do desprendimento da esfera metálica situada sobre a porta da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior, vemos o Apóstolo Santiago a cavalo com dois anjos, que adoram uma reprodução da chamada Cruz da Vitória, elemento simbólico de Asturias (que podemos ver na terceira foto, de cima para baixo). Nas laterais, foram realizados vários mosaicos, com santos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a igreja está dessacralizada, sendo utilizada somente como local de exposições. Não tive a oportunidade de conhecê-la por dentro. Na parte lateral do grande pátio, localiza-se o Teatro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInspirado na arquitetura clássica grega, o teatro está presidido por um grande escudo de Espanha em sua parte superior. Possui uma acústica impressionante, mas infelizmente as fotos não estavam permitidas em seu interior, que visitamos durante a visita guiada ao conjunto. Outro lugar de destaque é a torre. Com 130m de altura, foi inspirada na La Giralda, a torre da Catedral de Sevilha. É considerada a estrutura mais alta de Asturias e também a mais elevada construção em pedra de todo o país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm elevador nos conduz ao topo da torre. Do alto, as vistas da cidade de Gijón são maravilhosas, apesar do tempo nublado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma panorâmica geral da Universidade Laboral de Gijón.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos ver também um curioso edifício circular, o antigo Convento das Clarissas, quando a ordem era responsável pela direção da universidade. Atualmente, é a sede da Rádio e Televisão do Principado de Asturias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATodas as dependências da Universidade Laboral foram pensadas e executadas com esmero. Abaixo, vemos uma imagem da entrada a um dos banheiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA grandiosidade e monumentalidade da Universidade Laboral lhe confere um espaço cinematográfico. De fato, o edifício foi utilizado como cenário de vários filmes…

Universidade Laboral de Gijón

Um dia, enquanto esperava a chegada do metrô em Madrid, observei um cartaz publicitário sobre Gijón, no qual aparecia estampada um foto que me impressionou por sua grandiosidade, como um cartão postal da cidade que merecia a pena visitar. O edifício em questão era a Univeridade Laboral de Gijón, e no cartaz aparecia um letreiro comparativo do local com o Monastério del Escorial, indicando a monumentalidade do lugar. A partir de então, a cidade passou a ser meu destino principal de viagem, para poder ver de perto esta magnífica construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, as grandes expectativas que tinha em relação ao lugar foram amplamente superadas, pois a Universidade Laboral de Gijón é realmente um local único. Situada a apenas 3km do centro da cidade, é considerada o maior edifício construído na Espanha, com 270 mil metros quadrados, além de ser a obra arquitetônica mais importante realizada em Asturias no séc. XX.

20150722_120537Sua construção levou 10 anos, de 1946 a 1956, e a origem de sua criação se deve a um fato trágico nos anos 40, quando ocorreu um grave acidente numa mina, provocando várias mortes. Foi então quando o subsecretário do Ministério do Trabalho, Carlos Pinilla Turiño, que esteve no funeral das vítimas, se reuniu em Gijón com um grupo de personalidades famosas da cidade com o objetivo de criar um orfanato mineiro com a intenção de ajudar as famílias afetadas no acidente, principalmente as crianças órfãs que perderam os pais em acidentes laborais nas minas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara alcançar este objetivo educacional, foi projetado um edifício que pudesse atender a 1000 alunos, contando com todas as dependências necessárias para a vida estudantil, como escola, residência para os alunos, oficinas industriais de aprendizagem, instalações esportivas e campos de cultivos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO responsável pelo projeto foi o arquiteto madrilenho Luis Moya Blanco. Durante o transcurso das obras, decidiu-se também pela fundação de uma Universidade Laboral, destinada a formação profissional dos jovens.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO ensino e a direção do centro ficaram a cargo dos jesuítas, enquanto a responsabilidade da intendência recaiu sobre a Ordem das Clarissas. Em 1978, a situação mudou, quando os próprios professores da universidade substituíram os jesuítas, finalizando-se também o convênio com as freiras. Nesta época, o centro tornou-se o maior instituto de educação secundária do país, com capacidade para mais de 3 mil alunos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante os anos 80, a tarefa para a qual foi criada deixou de realizar-se e o complexo ficou praticamente abandonado. Posteriormente, o Governo do Principado de Asturias reabilitou o edifício, recuperando algumas de suas funções originais, e constituindo a Fundação Cidade da Cultura em 2007. Atualmente, conta com uma ampla oferta de atividades culturais e várias instituições possuem sua sede no local, como a Faculdade de Comércio, Turismo e Ciências Sociais da Universidade de Oviedo. Abaixo, vemos a fachada do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA porta de entrada com a Águia de São João e os símbolos dos Reis Católicos….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALogo depois da entrada, situa-se o átrio, um belíssimo pátio retangular composto por 10 colunas de granito, com 10m de altura cada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA20150722_113118A seguir, vemos a cafeteria da Universidade Laboral….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPara se conhecer as dependências que conformam o conjunto são realizadas visitas guiadas, que recomendo sem dúvida nenhuma. No próximo post, veremos algumas das principais…não percam !!!

Museu do Pueblo de Asturias – Gijón

Gijón oferece, além de seu patrimônio monumental, alguns museus de grande interesse. Um dos mais importantes é o Museu do Pueblo de Asturias, criado em 1968 e inspirado nos museus etnográficos ao ar livre existentes em Europa. Em 1994, o museu foi levado ao Pavilhão de Asturias, que foi apresentado na Expo de Sevilha em 1992.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu objetivo principal consiste em conservar e difundir a memória dos costumes, folclore e as tradições do povo asturiano. Para alcançá-lo, conta com uma ampla coleção de etnografia, fotografia, instrumentos musicais, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício principal acolhe uma grande variedade de objetos de uso cotidiano, relacionado aos diferentes âmbitos domésticos da vida tradicional da comunidade. Alguns são verdadeiramente curiosos, como esta ducha feita de zinco, utilizada no final do séc. XIX nos povoados de Asturias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo passado, um simples objeto de madeira se transformava num utensílio para lavar as roupas na beira dos rios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA quantidade de coisas interessantes é enorme, sendo impossível registrá-las na matéria, por isso escolhi algumas que me chamaram mais a atenção. Dentro da área do museu, foram colocadas casas antigas, pertencentes às famílias acomodadas da região, como a Casa González de la Vega. Procedente do povoado de Serín, data de 1757.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1992 foi  instalado na residência uma fabulosa coleção de gaitas, de diversos lugares da Europa, com especial ênfase na denominada Gaita Asturiana, que desde muito tempo faz parte da cultura de sua gente.

20150722_173338OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Casa Valdéz procede do povoado de Candás, e foi construída no séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da casa podemos admirar uma grande coleção de fotos antigas, que nos mostram a forma de vida tradicional do povo asturiano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu conta também com um importante arquivo documental referente às lendas, mitos, contos e canções populares, que eram transmitidos de forma oral de geração a geração. Espalhados pelo perímetro do museu encontramos curiosas construções que integram o modo de vida rural do Principado de Asturias. Estão destinadas ao armazenamento de alimentos (batatas,, milho, frutas, etc) e são feitos de madeira, estando levantados do solo mediante pilares de pedra ou madeira denominados pegoyos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas estruturas tem por finalidade a proteção dos alimentos contra os roedores e a umidade, e são de dois tipos, os chamados Hórreos e as Paneras. Ambos se diferenciam em relação ao número de pegoyos utilizados. Nos Hórreos, são 4 (planta quadrada), e nas Paneras, 6 (retangulares).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Paneras possuem evidentemente maior capacidade de armazenamento e costumam estar adornadas com pinturas em seus balcões. Estas construções, abundantes em todo o norte espanhol, são indispensáveis como elementos auxiliares no meio rural, especialmente porque chove muito. Em Portugal, são conhecidos como Espigueiros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA grande maioria destas construções expostas no museu datam do séc. XVII ao XIX. Outras edificações representam as antigas casas dos moradores primitivos de Asturias, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPassei uma belíssima tarde conhecendo o Museu do Pueblo de Asturias, e creio que consegui mostrar apenas uma pequena parte de seu conteúdo, mas espero que proporcione uma ideia do modo de vida e dos costumes populares dos asturianos.

Gijón Monumental – Parte 2

Hoje veremos outros lugares emblemáticos de Gijón, uma cidade que, turisticamente, oferece várias atrações para o visitante. No final do séc. XIX e começo do XX, Gijón foi o epicentro, em Asturias, de novas tendências artísticas que possibilitaram o aparecimento de vários edifícios vanguardistas, entre os quais merece destacar a Basílica do Sagrado Coração, cuja estátua no alto da igreja pode ser vista de vários pontos da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGraças às suas grandes proporções, é conhecida como La Iglesiona (a grande igreja). Foi construída para os jesuítas entre 1918 /1922 pelo arquiteto catalão Juan Rubió y Bellver, discípulo e colaborador de Gaudí. Por isso mesmo, foi projetada segundo uma concepção modernista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja é belíssimo, principalmente por estar decorada por pinturas murais em sua cobertura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs vitrais foram magistralmente realizados pela famosa Casa Maumejeán, seguindo a estética modernista. Abaixo, vemos a imagem do Sagrado Coração e o Batismo de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minhas “andanças” adoro perder-me voluntariamente e descobrir locais interessantes e propícios para a fotografia…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPasseando pela cidade encontrei-me com monumentos que homenageiam verdadeiros símbolos asturianos, como esta curiosa árvore feita com garrafas de Sidra reciclada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Sidra não é apenas uma bebida em Asturias, mas uma parte fundamental de sua cultura e folclore, sendo a primeira região produtora do país, responsável por 80% da produção nacional. Esta bebida alcoólica de baixa graduação (de 3 a 8%), é preparada com sumo fermentado da maçã. Seu nome provêm do latim, “Sicera“, que significa bebida embriagadora. Produzida em vários países da Europa, em Asturias e no norte da Espanha se consome a sidra natural. Nos demais lugares, se utiliza a sidra gasificada. Existe constância da produção no principado desde o séc. VIII, e são usadas somente variedades autóctonas, regulada pela Denominação de Origem Sidra de Asturias. Depois de fabricada, são armazenadas em tonéis, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra instituição de fundamental importância da cidade é o principal time de futebol local, o  Real Sporting de Gijón. Recentemente, a equipe subiu novamente para a Primeira Divisão da Liga Espanhola, e a cidade virou uma festa. O Sporting é o clube asturiano que mais temporadas disputou na máxima categoria do Futebol Espanhol, com 6 participações na Copa da UEFA, duas finais da Copa del Rey e um vice campeonato da Liga Espanhola (temporada 1978/1979). Seu estádio, El Molinón, foi fundado em 1905, sendo considerado o mais antigo de toda a Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntes da construção do estádio, existia um grande moinho no terreno, que acabou dando  nome à sede do clube. Com capacidade para 30 mil espectadores, foi reformado há poucos anos atrás. Bem perto do estádio situa-se o Parque de Isabel La Católica, uma das principais áreas verdes de Gijón.

20150722_182043O parque, projetado pelo arquiteto Ramón Ortiz em 1941, é uma das principais zonas de ócio da cidade,  e conta com várias e belas esculturas, entre as quais da própria rainha homenageada com seu nome.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do dia, fui conhecer o Mercado de Gijón, um exemplo da denominada Arquitetura de Ferro de finais do séc. XIX, e aproveitar para beliscar alguma coisa….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1899, o Mercado de Gijón foi objeto de uma restauração que o converteu num centro comercial, além da tradicional função para a qual foi criado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizando a matéria, acabei me esquecendo de comentar que Gijón é o destino final da denominada Vía de la Plata, como é conhecida a calçada romana construída no séc I aC pelo Imperador Augusto. Uma das rotas mais importantes da Península Ibérica, interliga o sul e o norte da Espanha, entre Sevilha e a própria Gijón, sendo um elemento difusor da cultura romana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA