Real Monastério de Santo Domingo – Caleruega

O povoado de Caleruega deve sua existência a que atualmente é sua principal atração turística, o Real Monastério de Santo Domingo. Sua história se remonta um pouco depois da morte de Santo Domingo, fundador da Ordem dos Dominicanos, em 1221, quando seu irmão, o Beato Manés, ordenou a construção de uma capela no local de nascimento do santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o monastério esteve habitado por freiras pertencentes à Ordem de Santo Agostinho. Com a canonização de Santo Domingo no século XIII, o Rei Alfonso X “El Sábio” ordenou o traslado de monjas dominicanas ao monastério, que tornaram-se as proprietárias do Senhorio de Caleruega a partir deste momento. Ou seja, a vila de Caleruega passa a pertencer à comunidade de religiosas dominicanas deste monastério, fato que se prolongou até o século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um facsímil do documento original feito de pergaminho, no qual o Rei Alfonso X outorga o Senhorio de Caleruega ao Real Monastério de Santo Domingo, em 1266.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALodo depois, o monarca ordenou a construção de uma igreja gótica no local da antiga capela. Deste edifício do século XIII se conservam algumas interessantes esculturas religiosas, ambas do século XIII, como a do Arcanjo Gabriel e da Virgem da Anunciação em estado de gestação, uma representação rara em sua iconografia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa igreja gótica também se conserva o coro, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se construiu uma nova igreja no estilo renascentista, que é a que vemos atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da nave vemos um belo Retábulo Maior de estilo renascentista, com cenas relativas à vida de Santo Domingo, cujas pinturas foram realizadas por Blas de Cervera (1584/1643). Em sua parte superior, vemos um calvário de madeira executado por integrantes da escola de Gregorio Fernández, um dos principais escultores barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro do Monastério de Santo Domingo é muito bonito. Composto por dois níveis, o primeiro foi construído em pedra entre os séculos XIII e XIV, e o segundo é posterior, edificado somente no século XVIII, e construído com tijolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a decoração dos capitéis do nível inferior do claustro….

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro se encontra o que restou do sepulcro da Infanta Leonor, filha do Rei Alfonso X “El Sabio”, além da roupa com que foi sepultada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX se construiu a cripta do monastério, presidido por um poço de água, em que a tradição o associa como o local exato de nascimento de Santo Domingo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita podemos apreciar várias obras artísticas, como esculturas de Santo Domingo e pinturas relacionadas com personagens relevantes da Ordem Dominicana, como a que vemos a seguir, um quadro do século XVII de Santo Tomás de Aquino, um dos mais importantes teólogos do cristianismo, e principal expoente da corrente denominada Escolástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1868, dentro dos processos desamortizadores do século XIX, o Real Monastério de Santo Domingo deixou de se a proprietária do povoado de Caleruega, que começa a se desenvolver como um núcleo urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo e último post sobre Caleruega, publicarei uma matéria sobre seu filho ilustre, Santo Domingo de Guzmán, e a Ordem dos Dominicanos por ele criada.

Um Passeio por Urueña

Permaneci na cidade de Urueña cerca de 6 horas, tempo quase que insuficiente para conhecer o povoado e seus interessantíssimos museus. Apesar de suas reduzidas dimensões, foi um verdadeiro prazer caminhar por suas ruas e descobrir o encanto desta vila medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas antigas casas com os escudos dos proprietários podem ser vistas num passeio pela cidade, como vemos na foto acima. A Igreja Paroquial de Santa María del Azougue é a única existente em Urueña.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído a partir do século XVI, combinado os estilos gótico e renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de modesto, seu interior guarda obras de interesse, como esta escultura de “Cristo preso à coluna” realizada pelo artista Andrés Solanes, discípulo do grande escultor barroco Gregorio Fernández.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior foi realizado em 1671…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma antiga Pia Batismal

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma imagem da cobertura do templo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhando pelo povoado, pude observar vários detalhes de sua arquitetura popular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos o Edifício da Prefeitura de Urueña, que também funciona como a sede da Oficina de Turismo, um bom ponto de partida para conhecer o pueblo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs muralhas medievais que cercam o povoado constituem uma presença constante num passeio pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANesta comarca da Província de Valladolid é muito comum a existência de Palomares, como são conhecidos os refúgios para as pombas (paloma, em espanhol). Possuem uma estrutura circular, e pude observar vários deles pelos campos da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas ruas possuem nomes verdadeiramente curiosos, como a que vemos a seguir, sobre aquelas pessoas que se dedicam à compra e venda de ovos (recoveros).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, realizarei matérias sobre os Museus de Urueña, que divulgam os costumes e tradições do povoado e da Província de Valladolid.

Igreja de Santa Maria de Castro Urdiales

Durante a Idade Média, as atividades marítimas (pesca, caça de baleia, comércio marítimo) deram um grande impulso econômico à Castro Urdiales. Em 1163, o rei Alfonso VIII concedeu à cidade o título de vila através do Foro de Logroño (atual capital da Rioja), a primeira cidade da costa cantábrica em recebê-lo. A partir do século XIII iniciou-se a construção de uma grandiosa igreja, denominada pelos habitantes a Catedral de Castro Urdiales, a Igreja de Santa María de la Asunción.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima construção é considerada por muitos como o edifício gótico mais importante de toda a Cantábria. De fato, a igreja possui todos os elementos que constituem a arquitetura do gótico clássico, como os arbotantes, que transferem o peso dos muros da igreja para o exterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs inúmeras e curiosas gárgulas existentes, com animais fantásticos, cabeças humanas, etc…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santa Maria situa-se junto ao Castelo, em frente ao Mar Cantábrico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal segue o estilo normando, e caracteriza-se por seu aspecto  de fortaleza, pois a igreja integrava o sistema defensivo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior está formado por uma nave central de grande altura (quase 30m), algo típico das igrejas góticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos alguns dos vitrais que embelezam o interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, foram construídas várias capelas para os comerciantes que ficaram ricos através do comércio marítimo, depois da descoberta do continente americano, e também com França, Inglaterra e Flandes. Em uma delas, vemos uma escultura de Cristo, realizada pela escola de Gregório Fernández, o mais famoso escultor barroco da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Altar Maior, o destaque é a imagem gótica (século XIII) da Virgem de Santa Maria “La Blanca”

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua importância histórica, a Igreja de Santa Maria recebeu a distinção de Bem de Interesse Cultural (BIC).

Convento de Santa Teresa: Ávila

Neste último post sobre a cidade de Ávila, veremos o Convento de Santa Teresa, outro lugar fundamental associado à sua vida. Foi levantado sobre a casa natal da santa no primeiro terço do século XVII, alguns anos após sua morte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento foi construído pelo Carmelita Descalço Fray Alonso de San José entre 1629 e 1636. Ambas datas sao simbólicas. A primeira pedra de sua construção foi colocada em 19/3/1629, dia de San José, e o convento foi consagrado em 15/10/1636, dia de Santa Teresa, que já tinha sido canonizada.

dsc00168Desde sua inauguração, foi severamente criticado, pois sua fachada ostentava uma riqueza decorativa que nao tinha nada que ver com a forma de vida levada pela santa. Na parte inferior da fachada se abriu uma galeria composta por 3 arcos de meio ponto. Logo acima, se colocou uma imagem da santa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm Ávila, o convento é conhecido como a “Igreja da Santa“, constituindo a residência das Carmelitas Descalças na cidade natal de sua fundadora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja está formado por 3 naves. O altar maior ocupa parte do espaço onde antes se encontrava sua casa. O pai de Santa Teresa, devido a problemas econômicos, decidiu vender a residência familiar. Tempos depois, a Ordem das Carmelitas Descalças adquiriu o imóvel, com a intenção de erguer um convento em homenagem à santa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um retábulo com freiras e frades carmelitas na parte inferior, e Santa Teresa escrevendo sua obra literária, em sua parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao Presbitério se encontra o local mais importante do conjunto, a Capela do Nascimento, que coincide com o local onde veio ao mundo Santa Teresa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço está presidido por um retábulo com uma imagem de Santa Teresa, esculpida pelo maior escultor do Barroco Espanhol, Gregório Fernández, que viveu nos anos imediatos à morte da santa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA imagem retrata a santa comovida ante o sofrimento de Cristo, reproduzindo a visão que ela teve num dos locutórios do Monastério de la Encarnación.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas partes laterais da capela, foram pintados quadros que representam os principais episódios de sua vida.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém encontramos um espaço onde se reproduz como deveria ter sido o quarto onde nasceu a santa, com uma inscrição em que D.Alonso, seu pai, comenta o nascimento da famosa filha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVestígios de sua casa podem ser vistos na cripta. A partir da década de 80 do século passado, seu enorme espaço foi transformado em outro museu dedicado à vida e obra de Santa Teresa. Lamentavelmente as fotos estão proibidas, e vale muito a pena conhecê-lo. Finalizamos a matéria com uma foto que mostra a entrada ao museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Real Monastério de la Encarnación – Madrid

O Real Monastério de la Encarnación é outro dos “sobreviventes” da cidade conventual que havia se transformado Madrid depois de tornar-se capital do Reino Espanhol e também um exemplo do costume tradicional da monarquia e da nobreza em patrocinar construçoes religiosas. Localiza-se no centro histórico de Madrid, na denominada Plaza de la Encarnación.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério foi fundado por Margarita de Áustria, esposa do rei Felipe III, no começo do séc. XVII e construído pelo arquiteto Fray Alberto de la Madre de Dios entre 1611 e 1616.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fachada, inspirada no modelo do estilo Herreriano (de Juan de Herrera, arquiteto construtor do Monastério de El Escorial), caracteriza-se pela austeridade decorativa e criou escola, sendo muito imitada ao longo dos séculos. Apresenta o escudo de Margarita de Áustria e um relevo da Anunciaçao, feito em mármore.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste monastério foi criado para as religiosas da Ordem de Agostinas Recoletas e acolheu, ao longo de sua história, muitas damas da alta nobreza espanhola, sendo fundado para celebrar a Expulsao dos Mouros em 1609. Devido a sua proximidade com o Real Alcázar, a família real podia entrar diretamente à igreja, através de uma construçao que ligava o antigo palácio real com o monastério, infelizmente desaparecida. Em 1611, a Rainha Margarita faleceu, sem que pudesse apreciar a obra finalizada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATal como o Monastério de las Descalzas Reales, o Monastério de la Encarnación possui uma rica coleçao artística, com obras do pintor Luca Jordán, dos escultores Gregório Fernández e Pedro de Mena, etc. Abaixo, vemos duas imagens do interior da igreja, reformada pelo arquiteto real Ventura Rodríguez no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Real Monastério de la Encarnación foi aberto ao público somente em 1965, e atualmente é considerado um dos melhores e mais importantes exemplos do Barroco em Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Arévalo – Cidade Mudéjar (Segunda Parte)

Apesar da existência de elementos comuns, o estilo Mudéjar não é unitário, apresentando peculiaridades em cada região onde se desenvolveu. Por isso, existem diferenças entre o Mudéjar Toledano, o Aragonês, o Castelhano, etc. No antigo Reino de Castilla, o êxito e a difusão desta corrente artística, num território dominado pelo estilo Românico (séc. XI ao XIII) e pelo Gótico (séc. XIII ao XVI), só foi possível devido à existência de uma população mudéjar na região, que conheciam as técnicas construtivas do ladrillo (tijolo). Exatamente isso foi o que ocorreu em Arévalo. O fator decisivo para seu desenvolvimento foi a rapidez e a economia do processo de construção, em relação à utilização da pedra, que tinha que ser talhada, transportada, etc. Além do mais, na Castilla y León da época as boas canteiras de pedra, necessárias para sua extração, eram escassas nos territórios onde o Mudéjar se desenvolveu. Depois desta breve introdução, veremos outros exemplos de templos mudéjares nesta cidade castelhana. Algumas delas foram reformadas em épocas posteriores, e ocultam em sua estrutura os elementos mudéjares originais. Tal é o caso da Igreja de San Miguel.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruída entre os séc. XII e o XVI, este templo conserva uma portada mudéjar intacta, erguida segundo as normas da arquitetura românica, como a incorporação do arco semicircular ou de meio ponto. Por isso, integra o denominado Românico de Ladrillo ou Româncico-Mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA combinação de estilos da Igreja de San Miguel é visível na outra porta, situada no lado oposto da vista acima, e levantada em época neoclássica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior possui uma nave única, presidida por um magnífico retábulo do arcanjo Miguel e realizado no séc. XVI pelo artista Marcos Pinilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, podemos ver também os denominados Passos da Semana Santa, formado em sua maioria por obras barrocas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja Paroquial de Santo Domingo de Silos foi originalmente uma construção mudéjar, mas foi transformada completamente no período renascentista e barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi no séc. XVI quando se construiu a porta principal e se realizou a ampliação do interior, formado por 3 naves.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta igreja são venerados os restos de San Vitorino, padroeiro de Arévalo, e a imagem da Virgem das Angústias, sua padroeira. No entanto, a obra mais importante sob o ponto de vista artístico, é a imagem de São Francisco de Assis, executada em madeira policromada pelo mais importante escultor barroco espanhol, Gregório Fernández, entre 1625/1630.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe finais do séc. XII e princípios do XIII é a Igreja de San Juan Bautista. Sua particularidade é que se encontra integrada à antiga muralha medieval da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAReformada no período barroco, é a única igreja, além da paroquial, que segue aberta para cultos. No seu interior, apreciamos duas peças excepcionais. Uma das mais importantes obras de toda a cidade é a escultura românica de San Zacarias, do séc. XII.  Além da maestria em sua execução, este santo foi pouco representado na  Arte Românica,daí sua importância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra imagem destacável é a de um Cristo crucificado, realizada no período Gótico (XIV).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem frontal do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria sobre Arévalo com a Igreja de El Salvador, documentada por primeira vez em 1230. A fachada principal foi reformada no estilo neoclássico (final do séc. XVI), mas conserva sua torre mudéjar, robusta e imponente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Pedro De Las Dueñas

Situado a 5km de Sahagun, o Monastério de San Pedro de Las Dueñas localiza-se no povoado homônimo e pertence à ordem beneditina. Habitado somente por monjas, foi fundado no final do séc. X e princípios do séc. XI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O atual edifício é do séc. XVIII, mas conserva intacta sua igreja primitiva, de estilo Românico-Mudéjar e erguida no séc. XII, sendo considerada a jóia mais valiosa de todo o conjunto monacal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério gozou ao longo de sua história do apreço da realeza, sendo incontáveis os privilégios que lhe foram concedidos. Seu nome pode ser explicado pela grande quantidade de damas da nobreza castelhana que nele tomaram hábito ou então ingressavam em suas dependências para receberem  educação. Abaixo, a entrada construída no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi iniciada em 1109, primeiro em pedra e posteriormente em tijolo. A planta é constituída por 3 naves, sendo a central com o dobro de largura que as laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, são célebres os capitéis, de notável qualidade escultórica, dos quais o que representa 7 monjas é o mais famoso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO simbolismo relacionado com a figura do leao aparece em vários de seus capitéis.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Outra de suas jóias é uma imagem do Cristo crucificado, do insigne escultor barroco Gregório Fernández.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo exterior, além da torre quadrada feita inteiramente de tijolos, que se eleva sobre o presbitério da nave central, como podemos observar nas primeiras fotos da matéria, os jardins também chamam a atençao do visitante, pelo cuidado com que sao tratados, transformando-se num local  em que se respira paz e tranquilidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVoltando para Sahagun, é possível conhecer diminutos pueblos, que nao obstante, preservam sua arquitetura tradicional e até mesmo seu imponente castelo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA