Guadalajara – Parte Final

Com o post de hoje, finalizamos a extensa série dedicada à cidade de Guadalajara. Devido a proximidade com a capital, Guadalajara converteu-se numa espécie de cidade-dormitório, em que muitos habitantes trabalham em Madrid, mas nela vivem. A boa qualidade de vida que apresenta é uma boa opçao para aqueles que buscam um local mais tranquilo para viver. Guadalajara possui uma enorme área verde para as atividades de ócio da populaçao, sendo considerada uma das cidades com a maior relaçao de metros quadrados por habitante de todo o continente europeu, em relaçao a este aspecto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInúmeros sao os parques existentes que podem ser aproveitados como local de lazer. Estes espaços começaram a ser utilizados pela populaçao na segunda metade do séc. XIX. Anteriormente, os parques eram propriedades reais ou pertencentes à nobreza, e sua utilizaçao era, portanto, muito restrita. A partir da Revoluçao Francesa, a populaçao adquire o direito de cidadania e o espaço urbano se transforma com a criaçao de jardins e parques. Abaixo, vemos algumas áreas verdes de Guadalajara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO mais popular e central é o Parque da Concórdia, o primeiro de caráter público e inaugurado em 1854. Durante os anos da Guerra Civil Espanhola, foi denominado de Paseo da Uniao Soviética.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO coraçao da cidade encontra-se na Praça Maior, desde que foi reconquistada pelos cristaos em 1085. Nela está situado o Edifício do Ayuntamiento (prefeitura).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício foi construído em 1906 no estilo eclético, com destaque para a torre do relógio. Abaixo, vemos fotos do interior, cujo privilégio da visita me foi concedido pelos amáveis funcionários da prefeitura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos o teto decorado e o escudo da cidade, que adorna suas estâncias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando estive conhecendo Guadalajara, ainda eram visíveis as marcas do recente carnaval pela Calle Mayor, uma das mais importantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABelos edifícios de arquitetura eclética podem ser admirados próximos à prefeitura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro monumento de interesse é o Forte de San Francisco, levantado no séc. XIX sobre um antigo convento dedicado ao santo, construído no séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANao podemos despedir-nos de Guadalajara sem mencionar uma de suas iguarias mais apreciadas, um típico doce da província chamado Bizcochos Borrachos (literalmente, Biscoitos Bêbados). Este curioso nome é facilmente explicado, já que é feito com vinho. Uma delícia…

DSC07931

Arquitetura Eclética em Guadalajara

A Arquitetura Eclética, também denominda de Ecleticismo, desenvolveu-se no final do séc. XIX e princípios do XX, inspirando-se nos modelos artísticos que o precederam, como o Barroco, o Gótico, o Românico, etc. Adota, pois, um caráter histórico, reinterpretando estas influências sob uma novo paradigma, e apoiando-se na utilizaçao de novos materiais construtivos, possíveis graças à Revoluçao Industrial. Na cidade de Guadalajara, existe um conjunto de edificaçoes de uma importância fundamental na compreensao desta nova linguagem arquitetônica. Este fato tornou-se possível graças à participaçao de dois personagens decisivos na vida social e artística da Espanha deste período. O primeiro foi Maria Diega Desmaissières y Sevillano (Madrid-1852/ Bordeaux-1916), conhecida pelo seus títulos nobiliários, a Condesa de la Vega del Pozo e Duquesa de Sevillano. Herdeira de uma das maiores fortunas do país, a Condesa realizou um extenso programa de construçoes e, para tanto, encarregou a execuçao das obras ao maior arquiteto eclético da história do país, Ricardo Velázquez Bosco (1843/1923). Inicialmente, o arquiteto realizou as reformas de um antigo palácio do séc. XVI para que se tornasse a residência da condesa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Em 1887, Velázquez Bosco combinou seu peculiar estilo historicista e aristocrático na reforma do palácio, anexando uma capela dedicada à Sao Sebastiao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio conserva, ainda hoje, o pátio do antigo edifício renascentista do séc. XVI,  atualmente transformado em colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Condesa de la Vega del Pozo dedicou-se a inúmeras obras assistenciais de ajuda aos mais necessitados. Por este motivo, foi nomeada filha adotiva de Guadalajara. Seu projeto mais ambicioso foi a construçao de um  enorme complexo assistencial,  encarregado a Ricardo Velázquez Bosco, que incluiu um centro educacional, asilo e uma igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm minha recente visita à cidade, tive  o privilégio de conhecer as dependências do colégio, que me contagiaram, tanto pela beleza da construçao, quanto pela amabilidade dos funcionários do mesmo. Abaixo, vemos algumas fotos do interior do colégio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPróximo a este belíssimo conjunto arquitetônico e assistencial, encontra-se um dos monumentos mais emblemáticos de Guadalajara, o Panteao de la Condesa de la Vega, também projetado por Velázquez Bosco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua chamativa cúpula de cerâmica vidriada vermelha dota o edifício de uma caráter bizantino, que se pode apreciar à distância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, o exterior caracteriza-se pela influência da arquitetura românica, uma das fontes do ecleticismo do séc. XIX, razao pela qual passou a denominar-se de neorromânico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do panteao possui um formato de cruz grega, e uma maravilhosa decoraçao repleta de influências bizantinas, como o grande mosaico da cúpula. Infelizmente, as fotos nao estao permitidas, uma pena…

Belas Igrejas de Guadalajara – Parte 2

Continuando nossa visita pelas igrejas mais belas e representativas de Guadalajara, no post de hoje conheceremos a de San Nicolás, a Igreja del Carmen e a Capela de Luis de Lucena. Considerada Monumento Histórico-Artístico Nacional desde 1981, a Igreja de San Nicolás ergue-se em pleno centro da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construçao foi iniciada em 1647 e finalizada em 1691, constituindo-se num belo exemplo do Barroco Espanhol. Em suas origens, integrava o Convento da Santíssima Trindade, fundado em 1619. Os elementos construtivos do exterior sao o tijolo, como matéria prima essencial, e a pedra, usada em sua parte decorativa. No centro da fachada, vemos um relevo da Santíssima Trindade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Nicolás foi construída pelos jesuítas, anexa ao colégio que possuiam. O interior do templo destaca-se pela grandeza e exuberância decorativa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formado por uma nave e seis capelas laterais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior, também barroco, está composto por colunas salomônicas, e se distingue por sua magistral ornamentaçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos detalhes referentes a cúpula e a estrutura interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela da Imaculada Conceiçao é uma das mais bonitas de toda a igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos últimos conventos construídos em Guadalajara foi o pertencente a Ordem dos Carmelitas Descalços, cuja Igreja del Carmen vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo foi construído em 1632 pelo frade e arquiteto Alberto de la Madre de Dios, sob os preceitos da austeridade  e com mínimos recursos decorativos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, a Igreja del Carmen está ocupada por uma comunidade de franciscanos. Na sequência, vemos fotos do interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com uma das construçoes mais interessantes da cidade, a Capela de Luis de Lucena, nome do projetor da construçao. A capela estava adossada à desaparecida Igreja de San Miguel, e seu aspecto exterior é parecido ao de uma fortaleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs cubos situados em suas esquinas proporcionam a capela um caráter defensivo, como podemos ver. Outra de suas características a relaciona com a tradiçao mudéjar, devido à utilizaçao do material mais amplamente empregado neste estilo, o tijolo, embora tenha sido construída em 1540. O interior está repleto de pinturas murais, mas quando fui visitá-la, encontrava-se fechada. Fico devendo, pois, uma foto.

Belas Igrejas de Guadalajara

Além da catedral e dos conventos, Guadalajara possui um variado conjunto de belas igrejas, espalhadas pelo seu centro histórico. No post de hoje e no próximo, conheceremos algumas delas. A Igreja dos Remédios, por exemplo, formava parte do antigo convento de N.Sra dos Remédios e foi edificada a partir de 1573.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe estilo renascentista, ressalta o átrio composto por 3 arcos. Atualmente, o edifício acolhe uma das dependências da Universidade de Alcalá de Henares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém construída no séc. XVI (1561), a Igreja de San Gines fazia parte de um convento desaparecido, o de Santo Domingo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior da fachada, vemos o escudo da Ordem Dominicana. No interior do templo, se encontram os sepulcros dos fundadores do convento, Don Hurtado de Mendoza e de sua esposa, D.Juana de Valencia, além de outro influente personagem da vida social da cidade, Don Iñigo López de Mendoza. Abaixo, vemos outra imagem da fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos uma foto do interior da Igreja de San Gines, formado por apenas uma nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGuadalajara possui algumas construçoes relacionadas  no estilo mudéjar, cujo maior exemplo é a própria catedral. A Igreja de Santiago surpreende todos aqueles que visitam seu interior, formado por uma combinaçao deste estilo com o gótico, denominado, portanto, de gótico-mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto da igreja está composto por uma magistral estrutura de madeira.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de Santiago integrava o Monastério de Santa Clara, igualmente desaparecido. A fachada é austera, ocultando seu maravilhoso interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos mais importantes restos arqueológicos de Guadalajara podem ser vistos no único elemento sobrevivente da antiga Igreja de San Gil, o ábside.

DSC07937É curioso notar mais este exemplo de Arte Mudéjar, situado no meio de construçoes modernas…

DSC07938

Conventos de Guadalajara

Um dos elementos mais característicos da paisagem urbana de Guadalajara sao os conventos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo post de hoje, conheceremos dois deles. O Convento de San José data de 1625, e está habitado por monjas de clausura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi construído pelo Frade Alberto de la Madre de Dios, e sua fachada caracteriza -se pela sobriedade decorativa, própria da Ordem das Carmelitas Descalças, a qual pertence.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando cheguei para visitar o convento, encontrava-se fechado, mas uma simpática e atenciosa freira me possibilitou o acesso à igreja, repleta de elementos barrocos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Retábulo Maior do Convento de San José.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá o Convento da Piedade está formado pela igreja e pelo Palácio de Antonio de Mendoza a ele adossado, além de um belo jardim.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio foi construído aproximadamente em 1510. Anos depois, Brenda de Mendoza estabeleceu uma comunidade de franciscanos, sob a advocaçao de N.Sra da Piedade. A igreja foi levantada a partir de 1525, segundo o projeto do renomado arquiteto Alonso de Covarrubias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA portada é um exemplo do chamado Estilo Plateresco, cuja característica principal é a abundante decoraçao. Abaixo, vemos o detalhe do tímpano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, a igreja estava fechada e nao pude conhecer seu interior. No entanto, o palácio estava aberto e pude apreciar uma das melhores mostras da arquitetura renascentista do período inicial realizadas em Espanha. A fachada foi concebida como um Arco Triunfal, com motivos ornamentais de caráter militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio está formado por um maravilhoso pátio renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO pátio está composto por dois níveis de galerias, suportadas por imponentes colunas. Abaixo, vemos a magistral escada de acesso ao nível superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua antiguidade, o palácio foi restaurado pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco entre 1902 e 1906, com um grande critério arquitetônico, algo que infelizmente nao sucede sempre…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Concatedral de Guadalajara

No plano religioso, Guadalajara conta com vários conventos e igrejas, que em breve veremos no blog. Seu principal templo é a Concatedral de Santa Maria, uma das mais peculiares do território espanhol. O termo concatedral designa um templo com nível de catedral, mas que divide a diocese local com outra catedral. Abaixo, vemos um plano geral da Concatedral de Guadalajara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo acontece em muitos casos no país (Toledo, Zaragoza, etc) a igreja foi construída sobre a antiga mesquita da cidade. Originária do séc. XIII, foi edificada no estilo mudéjar, como podemos observar em sua sóbria torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua característica principal é a combinaçao de estilos artísticos, devido às reformas e ampliaçoes realizadas durante os séculos posteriores à sua construçao. O pórtico, por exemplo, rodeia todo o átrio e foi incorporado ao templo apenas no séc. XVI, dentro da estética renascentista.

DSC07862Um dos principais aspectos que chamam a atençao da Concatedral de Guadalajara sao as 3 portadas formadas por Arcos de Ferradura, que lhe conferem uma personalidade própria e um aspecto exótico. Cada uma delas comunica com as 3 naves do interior do templo.

DSC07857DSC07859Atualmente, o interior encontra-se bastante modificado em relaçao ao aspecto original que possuía no séc. XIV, quando foi finalizada sua construçao. Ainda assim, nos revela belas perspectivas, com um belo conjunto dde retábulos barrocos.

DSC07950DSC07959A seguir vemos um dos retábulos que decoram as naves laterais da igreja, com uma interessante estátua do papa Joao Paulo II.

DSC07955O Retábulo Maior foi realizado em 1624 pelo frade Francisco Mir no estilo barroco.

DSC07951Na sequência, vemos uma imagem da parte superior do Retábulo Maior.

DSC07958

Palácios de Guadalajara

Além do famoso Palácio dos Duques do Infantado, em Guadalajara existem muitos outros dignos de visitar-se. Muitos adquiriram atualmente funçoes completamente diferentes às originalmente destinadas como residência de nobres, mas conservaram parte de sua estrutura primitiva. O Palácio de Dávalos é um deles.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste antigo palácio construído no séc. XVI sedia hoje em dia a Biblioteca Pública. O interior foi transformado e adaptado, mas conserva alguns elementos originais, como o teto de uma de suas salas, decorado com um belo artesanato de madeira do estilo mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos no detalhe, a beleza do trabalho e o requinte com que foi talhado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior do palácio estava formado por um grande pátio, ao redor do qual situavam-se as dependências do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADito pátio está composto por duas galerias superpostas, com colunas e capitéis de pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Biblioteca é completíssima, com grande quantidade e variedade de livros disponiveis para consulta, além de uma bela coleçao de música e uma pinacoteca. O local convida à investigaçao e ao estudo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto do pátio foi coberta por uma estrutura que permite a iluminaçao natural da sala.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFiquei impressionado com o criterioso processo de adaptaçao do palácio à sua funçao educacional, e se nao vivesse a 60 km do local, me matricularia na Biblioteca Pública de Guadalajara. Outro interessante lugar na cidade é o Palácio de la Cotilla, cuja simples fachada de tijolo oculta um interior surpreendente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATal como no Palácio de Dávalos, um pátio,  neste caso de menores proporçoes, liga as diversas salas do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO palácio recebeu esta denominaçao do nome de uma antiga proprietária, mas também é conhecido como Palácio dos Marqueses de Villamejor. O palácio foi construído no séc. XVII e reformado no séc. XIX, quando o Marquês de Villamejor tornou-se proprietário do imóvel. Entre as reformas realizadas, destaca o incrível Salao Chinês, decorado com papel de arroz e pintado à mao, com cenas representativas da China Medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExemplo da Dinastia Qing, este tipo de decoraçao é rara na Espanha, o que lhe confere um valor excepcional. Este toque oriental dado pelo Marques de Villamejor seguia a moda imperante na Europa, quando o denominado Orientalismo ganhou prestígio na cultura e sociedade do continente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, o Palácio de la Cotilla é a sede de uma escola municipal de artes, e vale muito a pena conhecê-la.