Museu da Cultura Visigoda: Parte 2

Uma boa forma de conhecer os diferentes aspectos relacionados à época visigoda em Espanha, e particularmente em Toledo, é visitando o Museu dos Concílios e da Cultura Visigoda, situado na Igreja de San Román de Toledo. O principal recurso econômico do período visigodo foi a exploração da terra. Por este motivo, as cidades deixaram de ter o protagonismo da atividade comercial, e as grandes vilas rurais adquiriram importância. Poucas indústrias da época romana seguiram sendo produtivas a partir do século V dC. A especialidade artesanal mais conhecida dos visigodos foi a elaboração de peças de metal e jóias de grande beleza, nas quais se utilizaram pedras preciosas e semipreciosas. Uma destas peças, emblemáticas da cultura visigoda, foram os broches de cinto, usados na vestimenta habitual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm tipo de broche que se tornou marca registrada deste período foram as fíbulas, que serviam para fixar a roupa, pois os botões somente apareceram em época posterior. Possuíam também uma função ornamental. Entre as mais belas destacam as fíbulas aquiliformes, em forma de águia. A grande maioria delas apareceram em necrópoles, isto é, locais de enterramento. O fato de que a tradição funerária implicava na deposição do cadáver vestido, permitiu que estes objetos cotidianos fossem conservados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas delas constituem verdadeiras obras de arte, e refletiam a posição social do proprietário. As primeiras moedas visigodas foram fabricadas em 418, seguindo o modelo romano. No entanto, a primeira genuinamente visigoda apareceu durante o reinado de Leovigildo. Estas moedas eram de ouro, e denominavam-se Tremís, sendo considerada a oficial do reino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO gosto pelos objetos de ouro e incrustações de vidro ou pedras preciosas era algo típico relacionado aos povos godos. Para sua fabricação, se combinavam técnicas romanas e bizantinas, adquirindo o auge nos séculos VII e VIII. Muitas destas peças eram usadas como elementos decorativos e com finalidade religiosa. De importância fundamental é o famoso Tesouro de Guarrazar, descobertos de forma casual em 1858 numa sepultura situada na Província de Toledo. O enorme conjunto de peças está formado por coroas reais, cruzes e colgantes feitos de ouro e pedras preciosas. Muitas delas foram parar na França e atualmente se encontram no Museu de Cluny de Paris. Outra parte se encontra no Museu Arqueológico Nacional, em Madrid. No Museu da Cultura Visigoda vemos  réplicas do tesouro, como a Coroa de Recesvinto.

DSC09619As coroas visigodas não foram realizadas para se colocar na cabeça, mas para serem expostas. Denominam-se Coroas Votivas, isto é, oferecidas pelos reis ou membros da nobreza e se penduravam no altar de uma igreja durante as celebrações litúrgicas. A Coroa de Recesvinto, por exemplo, foi fabricada na segunda metade do século VII, seguindo a tradição bizantina. Feita de ouro, está composta também por uma cruz em sua parte inferior, e provavelmente foi uma oferenda do rei para alguma das basílicas visigodas de Toledo. O objeto recordava o vínculo entre a monarquia, simbolizada pela coroa, e a divindade, representada pela cruz e o altar onde era colocada. Desta forma, se legitimava o poder terrenal do monarca. Abaixo, vemos a Coroa original de Recesvinto, exposta no Museu Arqueológico Nacional de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO primeiro rei visigodo da Hispania foi Ataúlfo, proclamado em 409. Num primeiro momento, os reis visigodos não eram eleitos de forma hereditária, e eram escolhidos pelos altos cargos da nobreza (sistema gentilício). No século VII, Isidoro de Sevilha deu um caráter sagrado à monarquia com a prática da Unção Régia ou sacralização real realizada pelos bispos, estabelecendo-se a sucessão hereditária e a institucionalização dos concílios. O poder real baseava-se no poder administrativo e fiscal. As instituições principais estavam formadas pela Aula Régia, destinada ao assessoramento e consulta dos reis, e os Concílios, órgão de legislação eclesiástica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEncontradas em cemitérios públicos, as lápides funerárias constituíram uma fonte primordial para o conhecimento do período visigodo, como a que vemos a seguir, feita de mármore em 562 dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesavenças e conflitos entre o poder real e a nobreza facilitaram o avanço das tropas árabes na Península Ibérica a partir do começo do século VIII. O último Rei Visigodo, Rodrigo, pereceu na Batalha de Guadalete, permitindo a conquista do território pelos árabes em muito pouco tempo. A partir de entao, inicia-se o período muçulmano na Espanha, mas esta já é outra história…

Anúncios

Museu da Cultura Visigoda: Toledo

Além de sua beleza e dilatada história, no interior da Igreja de San Román de Toledo podemos conhecer o Museu dos Concílios e da Cultura Visigoda, que nos permite apreciar a trajetória do antigo Reino Visigodo, cuja capital foi precisamente a cidade de Toledo.

DSC09657As peças expostas referentes ao período visigodo facilitam a compreensão deste período histórico da Espanha, que vai do século V, quando uma variedade de povos godos invadiram a Península Ibérica logo após a queda do Império Romano, até o século VIII, quando os muçulmanos invadem o território e conquistam o Reino Visigodo, já decadente. Num primeiro momento, os povos que se assentaram na península estavam formados pelos suevos, vândalos, bizantinos e outros grupos, que acabaram sendo submetidos pelos visigodos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 567 dC, durante o reinado do monarca visigodo Atanagildo, Toledo se converteu na capital do Reino, que passa a ostentar uma perfeita organização política e administrativa, graças a unificação religiosa e jurídica entre o povo godo e a população hispano romana, que ocupava o território antes da conquista visigoda. Grande parte deste êxito se deve aos 18 concílios que foram realizados na cidade. Apesar que a celebração dos concílios em Toledo se inicia sob dominação romana, em 397, será com a consolidação do Reino Visigodo quando recebem seu verdadeiro impulso. Do ponto de vista histórico, destaca o III Concílio de Toledo (589), em que o Rei Recaredo oficializou sua conversão e do povo godo ao catolicismo, abandonando a doutrina considerada herética do Arrianismo, que negava a natureza divina de Jesus Cristo. A partir deste momento, os hispanos romanos se integram ao estado visigodo, já que o catolicismo era a religião maioritária da população. Como resultado, a igreja assumiu um enorme poder como autoridade religiosa, exercendo uma grande influência no poder público através dos concílios, assembléias que contavam com a presença dos nobres e bispos godos e presidido pelo rei. Os testemunhos mais antigos do catolicismo em território espanhol datam do século II, durante o período em que foi uma província do Império Romano, com o nome de Hispania (cujo nome significa terra de coelhos…). Abaixo, vemos um Crismón, antigo símbolo que representa o monograma do nome de Cristo, com as letras alfa e ômega, como princípio e fim de todas as coisas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos um sarcófago do período romano datado de finais do século IV dC, um dos poucos exemplos da escultura funerária da época, que pertenceu a personagens da alta aristocracia provincial (encontrado na vila romana de Carrenque, situada na Província de Toledo)

DSC09613No VIII Concílio de Toledo se produz a fusão entre as leis godas e as hispanos romanas num único código, conhecido como Lex Visigothorium, durante o reinado de Recesvinto. Graças ao respaldo estatal e das elites sociais, a igreja se converteu na principal impulsora da atividade cultural da época. Como figuras de importância, destacam San Ildelfonso, Bispo de Toledo e padroeiro da cidade, San Bráulio, Bispo de Zaragoza e principalmente San Isidoro de Sevilha, cuja obra literária tornou-se um referente para toda a Europa Medieval. Abaixo, vemos um relevo com a representação de São Lucas datado entre os séculos VI e VII, um touro alado segurando o livro de seu evangelho ( o touro é o animal associado ao apóstolo).

DSC09594Muitos poucos monumentos da época visigoda resistiram ao tempo. Atualmente, podemos encontrar algumas igrejas localizadas no âmbito rural, que possibilitam o conhecimento de sua arquitetura e elementos artísticos. A Arquitetura Religiosa Visigoda estava inspirada nos modelos romanos e orientais, especialmente em relação às basílicas. No museu podemos ver alguns dos elementos arquitetônicos relacionados aos templos religiosos do período visigodo, caracterizados por desenhos geométricos ou vegetais, inspirados na decoração dos mosaicos romanos, e por seu simbolismo.

DSC09604Abaixo, uma coluna decorada com uvas, símbolo da eucaristia

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas destas colunas ou pilastras que formavam parte dos templos visigodos ainda podem ser vistas em Toledo, como esta peça exposta no museu. Sua decoração recebeu uma forte influência do mundo bizantino, e mostra cenas relacionadas à vida de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte sobre o Museu dos Concílios e da Cultura Visigoda, onde poderemos ver outros aspectos relacionados ao Reino Visigodo.

Toledo Visigoda

Antes de iniciar o post sobre a época visigoda de Toledo, adiciono uma foto de Leonardo e Márcio, dois cariocas hiper legais, que estiveram em Madrid conhecendo a cidade. Abaixo, vemos a ambos em frente ao Palácio Real.

DSC09436Um dos motivos principais para a queda do Império Romano foi a invasao dos povos bárbaros provenientes do centro e leste europeu. No caso espanhol, estes povos eram conhecidos como Visigodos. Antes, porém, de dominar o território conhecido como Hispania, foram derrotados pelos Francos, fato que lhes obrigou a refugiarem-se no atual território espanhol. A partir de entao, fundaram o Reino Visigodo, e instalaram sua capital em Toledo. O chamado Rei Atanagildo (monarca que reinou entre 554 e 567 dC) foi o primeiro em estabelecer-se em Toledo, mas foi com Leovigildo que a cidade tornou-se a capital do reino, em 573 dC. Abaixo, vemos uma das estátuas que foram realizadas no séc. XVIII para a decoraçao do Palácio Real de Madrid e que atualmente se encontram na Praça do Oriente, representando dito monarca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir deste moento, Toledo converte-se no centro cultural e político do reino, difundindo sua cultura para o resto da península. Apesar desta importância, Toledo manteve quase a mesma superfície que possuía durante a época romana. No princípio, os reis visigodos professavam a doutrina religiosas do Arianismo, considerada herética pela Igreja Católica, já que predicava que Jesus, apesar de ser filho de Deus, nao era o próprio Deus. Ou seja, negavam um dos principais dogmas do catolicismo, a Trindade. Esta situaçao se modifica com a conversao ao catolicismo do Rei Recaredo, em 589 dC. A seguir, vemos duas estátuas localizadas na parte superior do Palácio Real de Madrid, representando aos dois monarcas mencionados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém dos visigodos, de origem germânica, a sociedade da época (séc. VI e VII, principalmente) estava formada pelos hispanorromanos (católicos e a maioria da populaçao) e os judeus que viviam num bairro próprio, germe da famosa Juderia Toledana. Entre eles, nao havia coesao, pois cada grupo era regido por suas próprias leis, estando proibido os casamentos mixtos. Esta situaçao transforma-se com a conversao católica de Recaredo, possibilitando uma maior uniao entre os cristaos, em detrimento dos judeus, aos quais foram impostas severas restriçoes legais. O rei Égica (687/700), por ex., submeteu os judeus à escravidao, dando-lhe como alternativa forçada a conversao. Por isso, em muitas ocasioes, os judeus aparecem como aliados naturais dos árabes, auxiliando-os na rápida conquista da Península Ibérica a parir de 711 dC. No Museu de Santa Cruz, podemos ver restos arqueológicos da Época Visigoda de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos um relevo com representaçao humana do séc. VI dC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde este período de sua história, Toledo ostentava a condiçao de capital religiosa do reino, bem como cidade real. A atual Catedral Primada foi edificada sobre uma mesquita que, por sua vez, havia sido construída sobre a anterior Basílica Visigoda. Nesta última, foram realizados diversos Concílios, alguns fundamentais para a Igreja Espanhola, como o celebrado em 633 dC, quando foi sistematizada a denominada liturgia Mozárabe, que esteve oficializada durante boa parte da Idade Média. A cidade possuía também conventos de grande importância, responsáveis pela formaçao de vários bispos toledanos, como San Eugênio, San Julián e San Ildelfonso. No plano artístico e arquitetônico, uma das principis contribuiçoes dos Visigodos foram os chamados Arcos de Ferradura, difundido por eles e amplamente utilizado em época árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInfelizmente, pouquíssimos sao os restos visigodos que podemos encontar atualmente na cidade. Uma pequena parte da muralha data desta época. Na Igreja de El Salvador, vemos uma grande concentraçao de Arcos de Ferradura e uma impressionante coluna visigoda, decorada com cenas referentes aos milagres de Cristo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Román é de origem visigoda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANela está sediado o Museu dos Concílios de Toledo e da Cultura Visigoda. Atualmente, encontra-se em reformas, e fechado ao público. Posteriormente, pretendo realizar um post sobre o local, que deve ser incrível, baseado na única foto que consegui tirar à distância do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Reino Visigodo chega ao final com a invasao árabe no princípio do séc. VIII. A partir de entao, Toledo permanece como grande centro gerador de cultura e as inúmeras influências do período sao visíveis na arte, arquitetura e urbanismo da capital da Comunidade de Castilla- La Mancha. Histórias para o próximo post….