Um Passeio por Urueña

Permaneci na cidade de Urueña cerca de 6 horas, tempo quase que insuficiente para conhecer o povoado e seus interessantíssimos museus. Apesar de suas reduzidas dimensões, foi um verdadeiro prazer caminhar por suas ruas e descobrir o encanto desta vila medieval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas antigas casas com os escudos dos proprietários podem ser vistas num passeio pela cidade, como vemos na foto acima. A Igreja Paroquial de Santa María del Azougue é a única existente em Urueña.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído a partir do século XVI, combinado os estilos gótico e renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de modesto, seu interior guarda obras de interesse, como esta escultura de “Cristo preso à coluna” realizada pelo artista Andrés Solanes, discípulo do grande escultor barroco Gregorio Fernández.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior foi realizado em 1671…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma antiga Pia Batismal

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma imagem da cobertura do templo….

OLYMPUS DIGITAL CAMERACaminhando pelo povoado, pude observar vários detalhes de sua arquitetura popular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir vemos o Edifício da Prefeitura de Urueña, que também funciona como a sede da Oficina de Turismo, um bom ponto de partida para conhecer o pueblo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs muralhas medievais que cercam o povoado constituem uma presença constante num passeio pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANesta comarca da Província de Valladolid é muito comum a existência de Palomares, como são conhecidos os refúgios para as pombas (paloma, em espanhol). Possuem uma estrutura circular, e pude observar vários deles pelos campos da região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas ruas possuem nomes verdadeiramente curiosos, como a que vemos a seguir, sobre aquelas pessoas que se dedicam à compra e venda de ovos (recoveros).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, realizarei matérias sobre os Museus de Urueña, que divulgam os costumes e tradições do povoado e da Província de Valladolid.

Igreja de Santa María del Azogue – Benavente

Benavente possui em seu importante patrimônio histórico-artístico duas belíssimas igrejas construídas originalmente no estilo românico, razão principal de minha visita à cidade. Ambas estão situadas no centro da cidade, e hoje veremos uma delas, a Igreja de Santa María del Azogue.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde que cheguei à Espanha em 2006, o estilo românico me cativou por vários motivos. O primeiro se deve a que é considerado o primeiro estilo arquitetônico europeu, anterior ao gótico. Desenvolveu-se entre os séculos XI e XIII, e ainda hoje podemos admirar a simplicidade de suas construções e seu forte simbolismo religioso. A Igreja de Santa María del Azogue  foi iniciada no século XII, durante o reinado de Fernando II, e sua parte românica finalizou no século seguinte, sofrendo algumas reformas no século XVI, quando se dá por acabada a construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum primeiro momento, o templo me impressionou por sua grandiosidade. Tanto a planta geral do edifício, quanto os 5 ábsides que compõem a cabeçeira, foram construídas no estilo românico. Abaixo, vemos os ábsides escalonados da estrutura, sendo o central maior que os demais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Estilo Românico foi assim designado por incorporar elementos arquitetônicos característicos próprios da arquitetura relacionada ao Império Romano. Um dos elementos principais é o arco semicircular, que podemos apreciar nas portas e nas janelas dos ábsides.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA escultura, esquecida durante um longo período histórico que se prolongou desde a queda do Império Romano até o século X, ressurge de forma maravilhosa no Românico, com um claro objetivo didático e pedagógico. Em suas representações, as mensagens eram “enviadas” a uma população analfabeta, com uma finalidade moral. Uma característica importante do românico é que os conjuntos escultóricos foram incorporados à arquitetura. Podemos observar sua beleza e singularidade em várias partes do templo religioso. Uma das esculturas habituais denominam-se, em espanhol, Canecillos, e normalmente situam-se na parte superior do ábside. Representam estranhas figuras humanas, animais reais e fantásticos, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local em que a escultura românica desenvolveu-se nas igrejas foram nas portas de acesso ao interior. A Igreja de Santa María del Azogue possui duas portas românicas. Em uma delas, os motivos geométricos e florais caracterizam sua decoração nas arquivoltas, como vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa outra porta, um magistral conjunto escultórico atrai o olhar de todos aqueles que a contemplam. Ao contrário da porta de acima, apresenta um belo tímpano que representa o Agnus Dei, ou Cordeiro Eucarístico, rodeado por anjos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa arquivolta interna, observamos em sua parte central uma cabeça humana, que representa provavelmente a Adão, além de uma figura feminina associada a Eva e os símbolos zoomórficos relacionados aos 4 evangelistas (Marcos, Lucas, Mateus e Joao).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas arquivoltas central e superior, a decoração se restringe a motivos florais e geométricos. Os capitéis românicos também receberam uma curiosa, e muitas vezes enigmática, representação escultórica, como acontece nesta igreja de Benavente. Abaixo, vemos um deles, em que se reconhece a presença de dois leões que protegem o templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra porta da igreja foi construída em época posterior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a imponente torre da igreja, com um relógio em sua parte superior. Na Idade Média, a Torre do Relógio regulava a vida dos cidadãos em vários aspectos do cotidiano, além de chamar os fiéis para os cultos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA