Ferrol – Galícia

Depois de passar uns dias em Lugo, fomos à cidade de Ferrol, situada ao norte da Província de La Coruña. Com aproximadamente 70 mil habitantes, esta cidade esteve tradicionalmente ligada às atividades marítimas e militares, tanto por seu porto pesqueiro, como por sua base naval e os edifícios relacionados ao seu importante Arsenal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs habitantes locais dizem que seu nome provém da palavra Farol, que faz parte do escudo da cidade desde 1778.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa chamada Fonte de San Roque vemos o escudo mais antigo que se conserva em Ferrol, de 1784.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante séculos a cidade foi um pequeno porto pesqueiro, sendo que sua economia se completava com a agricultura. No início do século XIII, recebeu privilégios reais que a converteram numa vila de senhorio. Em 1371, o Rei Enrique II entregou a vila à Fernán Pérez de Andrade e poucos anos depois foi incendiada pelos portugueses. Na segunda metade do século XVI, com a organização da Armada Invencível em 1588, Ferrol se converte numa importante base naval.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara proteger a base foram construídos três fortes, o de San Martín, de La Palma, e o de San Felipe, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído durante o reinado de Felipe II, na segunda metade do século XVI, o Castelo de San Felipe (apesar do nome, trata-se de um forte…) foi reformado no século XVIII, sendo considerado uma das melhores fortificações da Espanha deste período.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1726 foi criado o Departamento Marítimo de Ferrol e sete anos depois passa a ter jurisdiçao real. Em 1743, o Marqués de la Encenada, ministro do Rei Fernando VI, encarrega a construção de um novo Arsenal na cidade. Devido a esta condição  de base naval, a população da cidade alcança os 25 mil habitantes na metade do século XVIII. A chegada massiva de imigrantes para trabalhar na construção naval deu origem ao primeiro bairro obreiro do país. Abaixo, vemos a Porta do Dique, uma das principais portas do Arsenal, de 1765.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre 1769 e 1774, sob a ameaça de um ataque inglês, que realmente se produziria em 1800, se rodeia a cidade com uma muralha formada por baluartes, como o de San Juan (San Xoán, no idioma galhego).

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o motivo da visita da Rainha Isabel II em 1858, Ferrol recebeu o título de cidade. Abaixo, vemos o elegante edifício da Prefeitura de Ferrol, inaugurado em 1953 e situado na Plaza de la Constitución.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das variantes do Caminho de Santiago, o denominado Caminho Inglês se inicia em  La Coruña ou em Ferrol. Antigo caminho secundário, foi assim batizado porque de seu porto chegam os peregrinos procedentes do norte da Europa. Para chegar à Santiago de Compostela, devem percorrer 118 Km.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outras imagens da cidade relacionadas à sua tradição naval e militar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muralha de Lugo: Parte 2

Atualmente, a Muralha Romana de Lugo possui 10 portas de acesso que comunicam o interior da parte histórica com a zona moderna da cidade. Algumas destas portas foram abertas na Idade Média ou a partir do século XIX, enquanto outras foram construídas em época romana, caso da Porta Miñá, a melhor conservada do período construtivo da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra porta provavelmente aberta no período romano , a denominada Porta Falsa era de uso exclusivamente militar. Durante séculos esteve fechada, e em 1798 foi reformada, conservando restos do arco original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas portas de origem romana foram reconstruídas na Idade Média devido às novas necessidades do traçado urbano da época medieval, como a Porta de Santiago, reformada provavelmente no século XI e reconstruída em 1759 pelo Bispo Izquierdo, que colocou seu escudo de armas e uma imagem do santo padroeiro da Espanha. Situada em frente à catedral, por ela passava o Caminho Primitivo em direção à Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta de San Pedro também foi reformada no século XVIII. Seu nome se deve a  proximidade com uma capela dedicada ao santo, situada fora da muralha. Era considerada a principal porta de entrada à cidade de Lugo. Em sua parte superior foi colocado o escudo da cidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs portas modernas foram abertas para facilitar a comunicação da zona antiga com a parte nova da cidade, situada no exterior do recinto de muralhas. Em 1853, se construiu a Porta de San Fernando e, cinco anos depois, coincidindo com a visita da rainha Isabel II a Lugo, passou a ser chamada de Porta do Príncipe Alfonso, filho da rainha e futuro Rei da Espanha com o nome de Alfonso XII. Devido ao seu estado ruinoso, foi reconstruída em 1963.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1875 se abriu a Porta da Estação, com o objetivo de unir a cidade com a recém construída estação ferroviária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe 1888, a Porta de la Cárcel foi aberta para comunicar o centro com a prisão nova, que tinha acabado de ser inaugurada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1893 se inaugurou o seminário de Lugo, e no ano seguinte se construiu a Porta do Bispo Aguirre para servir de comunicação do centro da cidade com a nova instituição religiosa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Porta Nova foi reconstruída em 1900 sobre uma antiga porta de origem medieval, em péssimo estado e derrubada um ano antes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralha Romana de Lugo é excepcional por sua antiguidade e pela conservação de su traçado original. Somente para admirá-la, uma viagem a Lugo é mais do que recomendável. Além disso, a cidade possui um importante patrimônio medieval, que veremos no próximo post…

Banco Santander

Para muitos dos brasileiros, inclusive eu, a primeira menção da cidade de Santander se associa com a multinacional financeira espanhola, o Banco Santander, que possui importantes negócios no Brasil. Sua sede social, situada no Paseo de Pereda, na zona mais famosa da cidade, constitui um dos edifícios mais emblemáticos da capital da Cantábria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Banco Santander nasceu  da união de comerciantes que exportavam trigo e cereais  através do porto da cidade, além de importações com o continente americano. A data de sua fundação remonta ao ano 1857, quando a rainha Isabel II assinou o decreto que autorizava sua criação. Desde suas origens, foi uma instituição aberta ao exterior. O edifício onde se encontra sua sede social foi projetado pelo arquiteto Javier González Riancho, sobre uma construçao pré-existente, sendo reformado e ampliado ao longo dos anos para ser a sede do banco. Um dos problemas da reforma é que devia respeitar a rua que o atravessa, motivo pelo qual se adotou a solução de um grande arco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte superior do edifício, foram colocadas 4 esculturas, que representam as Artes, Ciências, Cultura, Comércio e Navegação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1900 a instituição iniciou um ambicioso processo de expansão, incorporando entre o início do século e os anos 20 outras entidades bancárias. Em 1942 se instala em Madrid, centro financeiro do país e cinco anos depois inaugura sua primeira oficina representativa na América, na cidade de Havana, Cuba. Em 1950, se expande por toda a Espanha. Em 1957, se converteu no sétimo banco espanhol e  no final do século XX passou a ocupar a primeira posição do mercado financeiro do país. Em 1995, amplia seus negócios em vários países sul-americanos, como Argentina, México, Colômbia e Brasil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2016, o Banco Santander contava com mais de 12 mil agências espalhadas pelo mundo, e quase 200 mil empregado, além de 125 milhões de clientes. Atualmente é o vigésimo banco do mundo em volume de ativos. A sede operariva da empresa se encontra na Cidade Financeira do Santander, situada na Província de Madrid, na qual trabalham cerca de 6 mil funcionários. Abaixo, vemos uma foto tirada do interior do grande arco…

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem atrás do Edifício Santander vemos uma belíssima construção, também propriedade de uma entidade financeira. O edifício do Banco Mercantil foi construído em 1899 no estilo eclético, obra de Casimiro Pérez de la Riva, num momento de grande prosperidade econômica para a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício surpreende por sua enorme riqueza decorativa, sendo considerado um dos mais bonitos do centro histórico de Santander.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente o edifício pertence ao Banesto, outra entidade financeira. No próximo post, vocês terão a oportunidade de conhecer o Paseo e os Jardins de Pereda, a avenida mais famosa da cidade.

Um Passeio por Valencia: Parte 2

Valencia é uma cidade que impressiona pela grande quantidade de monumentos a visitar, englobando vários estilos artísticos, como vocês têm tido a oportunidade de observar nesta grande série de matérias. No post de hoje, veremos outros locais emblemáticos, caso da Praça de Touros de Valencia, construída entre 1850 e 1860 durante o reinado de Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetada pelo arquiteto Sebastián Monleón segundo critérios neoclássicos. Inspirada no anfiteatro romano de Nimes, França, possui capacidade para acolher 17 mil espectadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente à praça vemos um monumento em homenagem ao toureiro valenciano Manolo Monteliu (1954/1992), que morreu durante uma corrida de touros celebrada na Praça de Touros de Sevilha (imagem acima). Antes da construção da praça, as corridas de touros em Valencia eram realizadas na Praça do Mercado. Devido à sua antiguidade, o coso taurino de Valencia, nome pelo qual também se conhecem as Praças de Touros, é considerado uma das praças históricas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAValencia conta com abundantes fontes urbanas que embelezam ainda mais a cidade. Abaixo, vemos a Fonte das Três Grácias, inaugurada em 1853.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das mais belas está situada na Praça da Virgem, ao lado da Basílica dos Desamparados. Simboliza o tradicional Tribunal das Águas, celebrado em frente da Porta dos Apóstolos da Catedral de Valencia e o Rio Turia, representado pela figura masculina da fonte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAValencia desempenhou um papel fundamental durante a Guerra Civil Espanhola, pois se converteu, entre novembro de 1936 e outubro de 1937, na capital do governo republicano. Durante o conflito, a cidade foi bombardeada por terra e ar, e mais de 200 refúgios foram construídos para proteger a populaçao dos ataques nacionalistas. Muitos dos mais importantes edifícios da cidade foram ocupados por organizações assistenciais. Em março de 1937, os nacionalistas entram vitoriosos na cidade, e em 1946 se ergue um monumento em homenagem aos caídos na guerra, realizado por Javier Goerlich Lléo. Na realidade, o monumento é uma reprodução da antiga Porta Real, um dos acessos da Muralha de Valencia, derrubada na segunda metade do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos locais mais interessantes do Centro Histórico é a singular Praça Redonda, situada próxima à Catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta curiosa praça representou uma das realizações urbanas mais originais do século XIX na cidade. Foi concebida para acolher os numerosos postos comerciais espalhados no bairro onde se localiza. Seu formato circular é realmente curioso, adornada por uma fonte central, também redonda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto aérea da Praça Redonda

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

O Interior do Congresso Nacional

Poder visitar as instituições políticas mais representativas do povo (Congresso e Senado) é um direito do cidadão, e este exercício cívico foi plenamente alcançado pela Prefeitura de Madrid no final do ano passado, quando se realizou o evento de Jornadas de Portas Abertas, e muitos edifícios públicos foram abertos à visitação popular. Em novembro de 2015 realizei duas matérias sobre o Senado (8/11/2015) e o Congresso (10/11/2015), contando um pouco da história de ambas, mas enfocando somente a parte exterior dos edifícios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de visitar o interior de ambas instituições, e a partir de hoje vocês poderão conhecer um pouco mais sobre estes emblemáticos edifícios. Iniciamos pelo Congresso Nacional, situado na Plaza de las Cortes de Madrid. Ao lado do edifício, vemos um monumento dedicado a Miguel de Cervantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício do Congresso Nacional é um dos referentes da arquitetura neoclássica de Espanha, e foi concebido pelo arquiteto Narciso Pascual y Colomer entre 1843 e 1850. Sua bela fachada está composta por 6 colunas clássicas, um frotón triangular decorado com cenas relativas à justiça e dois leões de bronze, realizados por Ponciano Ponzano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo entrar no edifício, somos recepcionados no Vestíbulo, também conhecido como Sala de Isabel II, dedicada a rainha em cujo reinado se efetuou a construção do edifício. Preside o espaço uma escultura da monarca, feita de mármore de Carrara por José Piquer y Duart.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala possui um formato elíptico, e nas paredes foram colocados retratos de políticos destacados dos séculos XIX e XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm seguida, passamos ao Salão de Conferências, uma das partes mais importantes do Congresso Nacional. Usado como local de recepção de chefes de estado em visita oficial ao país, nele se realiza também atos solenes como a comemoração anual da Constituição de 1978, em vigor na Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço impressiona por sua riqueza decorativa. A bôveda foi executada por Vicente Camarón, com uma grande quantidade de alegorias sobre a justiça, lei, religião, abundância e os quatro continentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPodemos observar 20 retratos com os políticos mais célebres do século XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASobre eles, vemos 12 quadros que representam alegorias relacionadas aos Reinos de Espanha, suas províncias e os principais rios do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA sala é utilizada como local de encontro dos deputados, jornalistas e membros do governo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita continua nas salas utilizadas como escritórios, onde se desenvolvem os trabalhos dos deputados durante os dias de sessão plenária.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO denominado Escritório del Reloj foi assim chamado pelo maravilhoso relógio astronômico de 1857, um dos melhores do mundo no seu gênero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Escritório da Constituição vemos a Carta Magna de 1978 e um quadro do Rei Juan Carlos I e sua esposa a Rainha Sofia, pais de Felipe VI, atual Monarca da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, continuaremos com a visita pelo Congresso Nacional

Real Bodega de Carlos III

A Espanha é um país de grande tradição vinícola. Seus vinhos sao apreciados no mundo inteiro e a  grande maioria de suas bodegas podem ser visitadas, sendo que algumas delas receberam prêmios internacionais de arquitetura por sua complexidade e beleza. Existem, inclusive, bodegas históricas que continuam elaborando produtos de grande qualidade, caso da Real Bodega de Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de visitá-la como parte do curso sobre a História de Madrid que realizei tempos atrás, junto com o grupo de alunos e professores. Situa-se a apenas 5 km do centro de Aranjuez, esta belíssima cidade considerada um Real Sítio da Coroa Espanhola, e declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco (muitas matérias já foram publicadas sobre Aranjuez, por sua importância monumental e histórica). Esta impressionante bodega integra o denominado Real Cortijo de San Isidro, criado em 1771 por ordem do Rei Carlos III dentro de uma política de desenvolvimento agrícola (produção de cereais, vinhos e azeite) e da pecuária. Uma pequena cidade foi construída, com casas para os agricultores, a referida bodega, e uma bela ermita, edificada no estilo neoclássico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a morte de Carlos III, o local entrou em decadência pois eu filho, o Rei Carlos IV, nao mostrou interesse em seu desenvolvimento. Durante o reinado de Isabel II (1868), o Real Cortijo foi desamortizado, sendo adquirido por proprietários particulares. Em 1944, foi comprado pelo Instituto de Colonização Nacional, com o objetivo de criar um novo núcleo agrário, com a divisão de suas terras aos agricultores. A Real Bodega de Carlos III foi construída em 1782 com a finalidade de produzir vinho e azeite para a monarquia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ considerada a única bodega da Coroa Espanhola, e foi declarada Monumento Histórico-Artístico em 1983. Construída por Manuel Serrano, está composta por galerias subterrâneas que medem 385m de comprimento por 4.5m de largura, atravessando todo o povoado do Real Cortijo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA galeria principal foi concebida para armazenar vinho, e a secundária para guardar o azeite.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil Espanhola do século XX, a bodega foi utilizada como refúgio do bando republicano. Abaixo, vemos a monumental fachada da bodega, também construída no estilo neoclássico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente,a Real Bodega de Carlos III voltou a ser propriedade privada, elaborando vinhos da variedade Tempranillo (80% da produção) e Merlot (20%). É utilizada também como um local para eventos diversos. A visita à bodega finaliza com uma degustação de seus vinhos, algo que agradecemos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Catedral de Murcia – Parte 2

O interior da Catedral de Murcia possui a mesma riqueza estilística que em seu aspecto exterior. Belas obras de arte enriquecem e adornam o templo, das quais veremos as principais. Está composto por 3 naves, a central e duas laterais, e a girola, como se conhece a prolongação das naves laterais que rodeiam o Altar Maior. O Retábulo Maior é do séc. XIX, que substituiu o original renascentista do séc. XVI, destruído num incêndio em 1854. O Altar maior é considerado uma Capela Real por acolher o sepulcro com o coração do rei Alfonso X “El Sábio”, que passou longas temporadas na cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um detalhe da Virgem que preside o Retábulo Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao Altar Maior situa-se o Coro, exemplo da Arte Plateresca, que foi trazido à catedral pela rainha Isabel II procedente do Monastério de San Martín de Valdeiglesias (Comunidade de Madrid), depois que o anterior coro e os órgãos nele situados ardessem no mesmo incêndio relatado acima. O órgão atual é de 1855.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte traseira do coro, por este motivo denominado Trascoro, vemos a Capela da Imaculada Conceição, realmente muito bonita. Construída no séc. XVII, é considerada uma das primeiras capelas de toda  Europa dedicada a ela. De estilo barroco, está ornamentada com abundantes mármores coloridos e uma imagem da Virgem do séc. XVIII, pertencente à escola madrilenha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a Capela do Nazareno, construída em 1479 e fundada pelo canônico D.Diego Rodríguez de Almeida, que nela está enterrado. Uma escultura de Jesus Nazareno do séc. XVIII preside a capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Capela de San Fernando foi fundada em 1477 e está adornada com um retábulo rococó do séc. XVIII, presidido por uma imagem do santo de autor desconhecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra bela capela é a do Socorro, construída no estilo renascentista em 1541 por Giovanni de Lugano. Tanto a capela quanto a imagem de N.Sra do Socorro foram realizados em mármore de Carrara.Famosa também é sua Pia Batismal, executada por Jacobo Florentino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA gótica Capela de San Bartolomé acolhe um quadro do santo de começo do séc. XIX, atribuído a Manuel Lázaro Meroño, uma cópia do grande pintor espanhol José de Ribera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, apesar da beleza e importância de cada uma destas capelas, a mais famosa é a Capela dos Vélez, situada na parte de trás do Altar Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta maravilhosa capela foi construída durante o reinado dos Reis Católicos. Sua construção foi encomendada por Juan de Chacón, Adelantado de Murcia, em 1490 e finalizada em 1507 por seu filho D. Pedro Fajardo, Marquês de Vélez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO autor do projeto é desconhecido, e sua exuberante decoração lhe valeu o título de Monumento Nacional em 1928. Fiquei um bom tempo contemplando esta joia da catedral, uma das obras mais destacadas do Gótico Espanhol. A seguir, vemos sua bôveda de crucería em forma de estrela de oito pontas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, uma das pinturas murais que se conservam no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConcluímos a matéria com a imagem de um dos vitrais da catedral, com a representação de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo e último post sobre a Catedral de Murcia, veremos o interessantíssimo Museu Catedralício, que complementa a visita ao templo.