Patrimônio Religioso de Salamanca: Parte 2

Neste segundo post sobre o patrimônio religioso de Salamanca veremos outras construções de importância histórica da cidade castelhana. A Ordem Franciscana, como sucedeu com os carmelitas, também teve um grande papel na história salmantina. Um dos principais edifícios associados a ordem é o Monasterio de la Anunciación, um convento feminino fundado na segunda metade do século XV para as freiras da Ordem Terceira de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO convento, também conhecido como “Las Úrsulas“, foi ampliado pelo Arcebispo Alonso II de Fonseca, com a finalidade de estabelecer nele sua capela funerária. De fato, no monastério foi enterrado, depois de sua morte em 1512. Abaixo, vemos seu característico ábside gótico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal pertence ao período barroco, realizada por Jerónimo García de Quiñones, outro arquiteto emblemático da cidade, em 1722.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de mais de 5 séculos vivendo no local, em 2018 as religiosas tiveram que abandonar o convento devido ao escasso número de freiras e a falta de vocação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe mediados do século XVIII e de estilo barroco, a Capela de San Francisco fazia parte de um antigo convento franciscano, que não existe mais. Atualmente pertence à Ordem dos Capuchinos. Na fachada principal vemos uma imagem de São Francisco….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO próprio santo foi homenageado com uma estátua realizada por Venancio Blanco, e inaugurada em 1976.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo à estátua em homenagem a São Francisco, situa-se a Capela da Santa Vera Cruz, construída por uma das confrarias mais ilustre da cidade no século XVI, que nela está sediada. O projeto foi realizado por Rodrigo Gil de Hontañón, um dos principais arquitetos renascentistas do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADeste período inicial, se conserva a fachada principal com uma imagem da Imaculada. No século XVIII, o interior dete singelo templo foi reformado no estilo barroco por Joaquín de Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Irmãos Churriguera destacaram-se no século XVII como arquitetos e escultores referentes na Espanha. Realizaram muitos trabalhos em Salamanca, sendo que um deles, José Benito de Churriguera (1665/1725) tornou-se o mais famoso. Seu irmão Alberto de Churriguera foi o responsável pela construção da Igreja de San Sebastián, situada ao lado do Palácio de Anaya, um dos edifícios históricos da Universidade de Salamanca, que vimos recentemente no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja foi construída inicialmente em 1410, mas foi derrubada por problemas estruturais. Na primeira metade do século XVIII foi reconstruída por Alberto de Churriguera (1676/1750). A portada barroca foi decorada com uma imagem de San Sebastián realizada por outro membro da família, José de Lara Churriguera

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO período barroco foi determinante em muita das construções religiosas existentes em Salamanca, como podemos notar. A Igreja de San Pablo, situada na Plaza de Colón (com o conhecido monumento em homenagem a Cristóvão Colombo, que já vimos nesta série de matérias sobre a cidade) também se insere neste estilo artístico. Erguida no século XVII, em sua origem foi conhecida como Igreja da Santíssima Trindade, formando parte do Convento dos Trinitários Descalços. A fachada é a única parte que se conserva, decorada com um relevo da Santíssima Trindade

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo adquiriu o nome de San Pablo quando a antiga igreja dedicada ao santo foi abandonada por seu estado ruinoso (conhecida atualmente pelas ruínas de San Polo, que vimos no post anterior). Depois dos processos de desamortização do século XIX, a igreja perdeu sua função original, e o espaço litúrgico passou a ser usado como sede do quartel civil. Atualmente pertence ao sistema judiciário da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos a matéria com a Igreja de la Puríssima, considerada uma das mais belas de Salamanca. Declarada Monumento Nacional desde 1935, sua construção foi ordenada pelo Conde de Monterrey em 1636 para que nela fosse sepultado junto com  sua família. Formava parte do Convento de Agustinas Recoletos, e as obras finalizaram em 1687.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASituada em frente ao Palácio do Conde de Monterrey, em sua arquitetura barroca destaca a cúpula, reconstruída em 1675, depois que a original foi derrubada, e sua fachada, com um grande pórtico de mais de 30m de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma pena que infelizmente não tive a oportunidade visitar a igreja por dentro, que conserva magníficas obras de arte, entre as quais diversos quadros de José de Ribera, um dos principais pintores barrocos do país. Fica para a próxima vez…

Patrimônio Religioso de Salamanca

Além de sua histórica Universidade e da grande quantidade de palácios nobres que possui, Salamanca conta com um rico patrimônio religioso. Basta dizer que é uma das poucas cidades da Espanha com duas catedrais (posts publicados em 23 e 24/4/2012), diversos conventos, como o de San Esteban (matéria do dia 3/5/2012) e templos, como a Igreja de la Clerecía (tema da matéria publicada em 22/2/2015), entre muitas outras. Neste post e no seguinte, veremos outras fundações religiosas de importância na cidade, com uma grande variedade de estilos artísticos. Por exemplo, da arquitetura românica destaca a curiosa Igreja de San Marcos, de inusual planta circular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAExiste uma certa controvérsia a respeito de sua construção, mas parece que foi edificada no final do século XI ou no começo do XII. Única dentro do Românico Espanhol por seu singular formato, seu interior, no entanto, não possui uma planta centralizada típica das construções circulares, estando dividida por 3 naves com seus respectivos ábsides, que não podemos observar desde o exterior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém originária de época românica, a Igreja de San Millán foi reedificada a partir de 1765, cujo projeto foi elaborado por Jerónimo García de Quiñones, um importante arquiteto de Salamanca, filho de Andrés García de Quiñones, igualmente arquiteto, responsável de diversas intervenções no centro histórico da cidade. Atualmente é a sede do Centro de Interpretação do Patrimônio Histórico de Salamanca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas igrejas não sobreviveram à passagem dos séculos, e permaneceram em ruínas, caso da Igreja de San Polo, cujo nome representa um arcaísmo de San Pablo. Construída  a partir do século XII no estilo românico-mudéjar e reformada no século XVI, ficou abandonada no século XIX devido ao seu péssimo estado. Em 1984 foram realizadas escavações arqueológicas no local, um pouco antes de se construir um polêmico hotel, sendo que as ruínas foram incorporadas ao novo estabelecimento comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro caso similar, em que um templo foi abandonado pelos prejuízos causados pelos acontecimentos históricos, é o atual Auditório de San Blás. Situado próximo ao Colégio do Arcebispo Fonseca, tema de uma matéria recentemente publicada e que vemos no fundo da foto abaixo, sua origem se remonta ao século XIII, quando se construiu a Igreja de San Blás, com a finalidade de prestar serviço religioso a uma zona isolada da cidade na época. No século XVIII teve que ser reconstruída por seu estado lamentável, mas voltou a ser castigada durante a Guerra da Independência Espanhola no início do século XIX. O templo ficou abandonado, e na década de 80 do século XX a antiga igreja foi cedida à Prefeitura de Salamanca, que a habilitou como Auditório Municipal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo passado, a importância de uma cidade se refletia na quantidade de ordens religiosas que nela se estabeleciam, ordenando a construção de conventos e suas respectivas igrejas. Em Salamanca, a Ordem dos Carmelitas adquiriu um grande protagonismo. Abaixo, vemos o antigo Convento de San Andrés, uma antiga fundação carmelita cuja igreja é o única parte sobrevivente do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA primeira construção data do século XV, mas foi destruída por uma enchente em 1626. O atual templo foi edificado em 1756, projetado por Manuel de Lara Churriguera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo desaparecido convento viveu durante quatro anos San Juan de la Cruz (1542/1591), que junto com Santa Teresa de Ávila, foram os responsáveis pela reforma carmelita, que deu origem a Ordem das Carmelitas Descalças. Ambos são considerados  referências da poesia mística cristã e San Juan de la Cruz foi proclamado o Padroeiro dos Poetas de Língua Espanhola. Uma placa comemorativa na fachada da igreja enaltece a presença do santo dentro do antigo convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo à igreja foi colocado um monumento em homenagem a San Juan de la Cruz, inaugurado em 1993 e realizado pelo escultor Fernando Mayoral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do antigo Convento de San Andrés passou a ser conhecida como a Iglesia del Carmen de Abajo (por estar situada numa zona próxima ao Rio Tormes), para diferenciá-la de outra construção carmelita, a Iglesia del Carmen de Arriba, que vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo barroco foi realizado no final do século XVII, sendo a única construção que se conservou do Convento e Colégio de San Elías, pertencente à Ordem Carmelita. Na fachada vemos uma imagem de San Elías.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA