Os Jardins do Descobrimento – Madrid

Em plena Calle Serrano se encontra um interessante espaço cultural, os Jardins do Descobrimento. Nele, vemos diversos monumentos relacionados ao Descobrimento da América pelo navegante genovês Cristovão Colombo. Na realidade, os jardins estão situados entre a Calle Serrano e a Plaza de Colón (como é chamado na Espanha o descobridor do continente americano). Ocupam o solar da antiga Fábrica da Moeda e Timbre, que foi demolida em 1970 para a construção do jardim, e levada a outro local. Os Jardins do Descobrimento foram inaugurados em 1977 dentro do plano de reforma desta zona de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte que dá para a Calle Serrano foram colocadas estruturas de concreto realizadas por Joaquín Vaquero Turcios que homenageiam o Descobrimento da América.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFormadas por 4 grandes blocos de concreto, a obra se assemelha às caravelas utilizadas por Colombo. Em cada uma delas existem inscrições com fatos relacionados ao descobrimento, bem como os nomes de todos aqueles que participaram do acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras esculturas servem de homenagem a importantes personagens históricos da Marinha Espanhola, como D.Blas de Lezo y Olavarrieta (1689/1741), Tenente Geral da Armada da Espanha. O monumento foi inaugurado em 2014, durante o reinado do atual monarca Felipe VI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra figura fundamental da história da Marinha Espanhola foi Jorge Juan Santacilia (1713/1773), chefe da esquadra da Real Armada, cujo destaque nos âmbitos científicos e técnicos da navegação possibilitaram um grande avanço na arte de cruzar os mares do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado do jardim, na Plaza de Colón, situa-se o Monumento a Cristovão Colombo,construído entre 1881 e 1885 por Arturo Mérida e Jerónimo Suñol, mas  inaugurado somente em 1892. No pedestal foram esculpidos em cada um de seus lados cenas relacionadas ao projeto do famoso navegante. No centro do jardim foi colocada uma enorme bandeira da Espanha. Com 300 metros quadrados, é considerada a maior do país. Abaixo, vemos o monumento e a bandeira…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGrande parte da área do jardim serve de cobertura para o Centro Cultural de la Villa Fernán Gómez, construído em seu subsolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro conta com auditório, espaços para exposições temporárias e uma grande oferta cultural. No subsolo foi construído também um estacionamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Praça Colón – Madrid

Como foi dito anteriormente, o Paseo de Recoletos termina na Praça de Colón (em referência a Cristóvao Colombo, em espanhol, conhecido como Colón). A partir dela, inicia-se o Paseo de la Castellana. Na praça, tremula a maior bandeira da Espanha existente no mundo, situada num amplo espaço aberto conhecido como Jardins do Descobrimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No cruzamento da praça com a Calle Génova, se levantam as Torres de Colón, construída entre 1967/1976 pelo arquiteto Antonio Lamela Martínez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No centro, vemos o monumento dedicado a Cristóvao Colombo, erigido entre 1881/1885 no estilo neogótico. Consta de uma base quadrada com relevos esculpidos, um pilar octogonal realizado por Arturo Mélida, e uma estátua do navegador genovês, trabalhada em mármore branco italiano por Jerónimo Suñol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os relevos esculpidos na base são uma referência a episódios da vida de Colombo. No lado oeste, por ex., vemos a rainha Isabel La Católica no centro, oferecendo a Colombo (à esquerda) empenhar suas jóias para ajudá-lo em sua nova exploração marítima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No lado leste, Colombo expõe seu projeto ao frade Diego de Deza, mediador entre o navegante e os Reis Católicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No norte, representa-se uma caravela e um globo terráqueo, com a inscriçao “A Castilla y León, Nuevo Mundo, dío Colón”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Finalmente, no sul, vemos a Virgem do Pilar com Jesus, entre dois anjos. Debaixo dela, o nome das caravelas Pinta (esquerda), Niña (direita) e a nau Santa Maria (centro). Na parte inferior, estão escritos o nome dos 81 tripulantes da expedição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Inicialmente, o monumento foi construído para celebrar o casamento real entre Alfonso XII e Maria de las Mercedes de Orleans, em 1878. Foi realizado um concurso para premiar o projeto escolhido, um ano antes do matrimônio. A morte do monarca, um tempo depois, obrigou a suspensão das obras. Finalmente, foi inaugurada em 1892, coincidindo com o quarto centenário do Descobrimento de América. Abaixo, vemos uma foto do monumento, de finais do séc. XIX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA