Castelo de Montalbán

Antes de visitar o povoado de La Puebla de Montalbán, visitamos dois locais de grande interesse histórico situados em sua proximidade, uma igreja visigoda (que veremos no próximo post) e uma das fortalezas mais espetaculares da Província de Toledo, o Castelo de Montalbán.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderado o castelo mais extenso e robusto de toda a província, a fortaleza situa-se sobre um terreno escarpado de 100 m sobre o rio que corre em sua parte baixa, sendo utilizado como fosso natural em três de seus lados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASobre sua origem, alguns autores sustentam que foi levantado em época visigoda, e que existiria um túnel subterrâneo que ligava a fortaleza com o templo visigodo situado perto do castelo. No entanto, a maior parte dos historiadores afirmam que  se trata de uma fortaleza erguida pelos Templários, sobre uma anterior construção muçulmana, que foi abandonada depois da Reconquista de Toledo.OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à sua robustez, o Castelo de Montalbán nunca foi atacado, segundo os documentos históricos. Com o final da Ordem Templária no século XIV, o castelo passou a ser propriedade real. O acontecimento histórico de maior importância relacionado à fortaleza foi quando o Rei Juan II, presente no castelo, esteve sitiado pelas tropas de seu primo e cunhado, o Infante Don Enrique de Aragón, que almejava o trono. Graças ao apoio prestado pelos habitantes de La Puebla de Montalbán, este abandonou o castelo e o povoado recebeu um privilégio real para realizar um mercado semanal, algo importante naquela época, em que apenas poucas cidades contavam com esta oportunidade de grande relevância econômica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois, o castelo passou a pertencer à nobreza, quando foi doado pelo Rei Alfonso XI ao cavalheiro Alfonso Fernández Coronel. Chegou a pertencer também a Álvaro de Luna, e depois de sua morte foi habitado por sua esposa. Já durante o reinado de Enrique IV, a fortaleza passou a ser propriedade de Juan Pacheco, I Marquês de Villena. Desde este momento, passou aos seus descendentes até os dias atuais. A fortaleza conta com imponentes portas, uma das quais possui um arco com 10 m de altura, que vemos acima e abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos algumas fotos tiradas no interior do Castelo de Montalbán….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita, a história e importância deste castelo foi comentada com grande riqueza de detalhes por um simpático guia local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

Castelos Reais da Espanha – Parte 3

Neste último post sobre os Castelos Reais da Espanha, veremos duas fortalezas de grande importância histórica e arquitetônica, ambas denominadas Alcázares Reais.  Integram o excepcional patrimônio histórico-artístico das cidades onde de encontram, Toledo e Segóvia, declaradas Patrimônio da Humanidade pela importância e conservação de seu centro histórico. O Alcázar de Toledo (Comunidade de Castilla La Mancha) está situado na parte mais elevada da cidade castelhana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVestígios arqueológicos encontrados confirmam que o local esteve fortificado desde a época romana, quando a cidade foi fundada com o nome de Toletum, palavra que significa colina elevada, uma referência à própria geografia de Toledo. No período muçulmano, uma outra fortaleza se levantou no mesmo local, que foi ampliada pelos reis cristãos após a cidade ter sido reconquistada pelo Rei Alfonso VI no final do século XI.

20160425_165434O atual Alcázar de Toledo foi construído no século XVI durante o reinado de Carlos I como residência real, quando o monarca trouxe a capital do reino a Toledo. O projeto construtivo se deve aos arquitetos Alonso de Covarrubias e Juan de Herrera, ambos referências do Renascimento Espanhol.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fortaleza foi utilizada como prisão real, quartel militar e sede de uma Academia de Infantaria. Sofreu, ao longo dos séculos, vários incêndios, como os ocorridos durante a Guerra de Sucessão Espanhola (1710), na Guerra da Independência contra os franceses, no início do século XIX, e outro em 1887.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil do século XX (1936/1939), o Alcázar de Toledo foi praticamente destruído pelas tropas republicanas. A resistência dos nacionalistas, que se encontravam no interior do edifício, foi usada como propaganda política pelos integrantes do grupo comandado pelo General Franco. O Alcázar foi reconstruído a partir dos anos 40. Atualmente é a sede da Biblioteca de Castilla La Mancha e também do Museu do Exército. Vemos abaixo o grande pátio interior do Alcázar de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Alcázar de Segóvia (Comunidade de Castilla y León) é, indiscutivelmente, uma das mais belas fortalezas da Espanha. Ergue-se soberano no alto de um grande rochedo, e sua vista é espetacular de qualquer ângulo, como o que vemos abaixo, junto com a românica Igreja de Vera Cruz.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Alcázar de Segóvia é um típico castelo de contos de fada, daqueles que imaginamos quando lemos um livro sobre as histórias de reis e princesas da Idade Média

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs primeiros documentos que comprovam sua existência datam do século XII, embora se acredita que haviam edifícios de períodos anteriores. Durante a Idade Média converteu-se na residência favorita de muitos monarcas castelhanos, e foi remodelado várias vezes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADele partiu Isabel la Católica para ser coroada Rainha de Castilla (1474) na Igreja de San Miguel, situada no Centro Histórico de Segóvia, como vemos na pintura abaixo, que podemos contemplar no interior do Alcázar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Torre del Homenaje do castelo, construída durante a época do Rei Juan II no século XV e as coberturas de pizarra (ardósia) que foram colocadas durante o reinado de Felipe II no século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o reinado de Carlos III, o Alcázar de Segóvia tornou-se a sede do Real Colégio de Artilharia, em 1762. Cem anos depois, um terrível incêndio destruiu o interior da fortaleza, que pôde ser reconstruída da mesma forma graças às gravuras existentes. A visita ao interior do Alcázar nos permite admirar suas várias dependências, com destaque para suas inúmeras e magníficas coberturas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Alcázar de Segóvia possui também uma excelente coleção de armas e armaduras…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa próxima matéria sobre os Castelos e Fortalezas da Espanha, veremos alguns exemplos de edifícios construídos que pertenceram ao clero.

Um Passeio por Trujillo

Trujillo está situada a cerca de 50 km de Cáceres, a capital provincial, e cidade onde me hospedei para explorar seu impressionante centro histórico, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Em breve, publicarei diversas matérias sobre esta cidade da Extremadura. Em Trujillo, passeio um dia inteiro, tempo suficiente para conhecer seus principais pontos turísticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrujillo possui um verdadeiro encanto, e passear à pé por seu centro histórico possibilita conhecer edifícios históricos de grande interesse, como a Igreja de Santiago, construída no século XIII pela Ordem de Santiago. Originalmente de estilo românico, foi reformada no século XVII. Nela se reunia o conselho da cidade, numa época em que ainda não existiam as chamadas Casas Consistoriais, ou prefeitura. Ao lado do templo, vemos a Porta de Santiago, uma das portas da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA atual Prefeitura de Trujillo está sediada num edifício construído em 1566.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente neste edifício situava-se o pósito, isto é, um local utilizado como armazenamento de grãos para serem distribuídos em época de colheitas insuficientes (este aspecto reflete a relevância da cidade, pois este tipo de construção somente existia nas cidades mais importantes). Foi também prisão de Trujillo, e em 1888 passou a ser a sede do Ayuntamiento (prefeitura), momento em que foi reformado para sua nova função. Em cima da porta de madeira, vemos o escudo da cidade, um dos mais antigos de Extremadura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local significativo do ponto de vista histórico e cultural é o Monastério de San Francisco “El Real”, fundado na segunda metade do século XV para a comunidade religiosa da Ordem das Clarissas.

DSC02237As religiosas que o habitaram pertenciam à nobreza local e teve grande influência na vida da cidade. Por este motivo, o Rei Juan II concedeu o título de “Real” ao convento, pelos serviços prestados. Sua igreja foi construída no estilo gótico. Abaixo, vemos algumas fotos do claustro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XVIII, o monastério entrou em decadência, processo que culminou com a Invasão Francesa de início do século XIX. Finalmente, com a Desamortização de Mendizábal de 1836, as freiras foram obrigadas a abandoná-lo. Em 1969, o professor Xavier de Salas iniciou um processo de restauração que finalizou somente em 1981, quando o antigo convento passou a ser a sede da fundação que leva seu nome. Seu objetivo primordial é a promoção e defesa do patrimônio histórico de Trujillo e também das artes e das culturas hispano-americanas, servindo de elo entre a Espanha e o continente americano. A vista é gratuita e podemos encontrar diversos objetos procedentes das culturas de diversos países da América Latina. De grande beleza são os objetos artesanais, como esta reproduçao da Catedral Peruana de Huamanga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPeças provenientes dos antigos povos pré colombianos também fazem parte da exposição, além de outros ofícios artesanais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO próximo post estará dedicado à Plaza Mayor de Trujillo, um belíssimo local que se transformou num dos símbolos da cidade. Finalizo a presente matéria com outras imagens do Centro Histórico de Trujillo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Trujillo – Comunidade de Extremadura

Trujillo é uma belíssima cidade da Comunidade de Extremadura que tive a oportunidade de rever, pois lá estive há alguns anos atrás. Situada na Província de Cáceres, conta com pouco menos de 10 mil habitantes e destaca-se por ser um importante centro turístico da comunidade.

20181209_095225OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ considerada um dos pueblos mais belos do país, e sempre aparece incluída na lista dos mais bonitos da Espanha. Na América Latina existem cidades homônimas, tanto no Peru, quanto na Venezuela, ambas fundadas por imigrantes procedentes da cidade espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrujillo está assentada sobre um promontório granítico e sua história é milenária, sendo encontrados restos pré-históricos anteriores à dominação romana, quando foi conhecida como Turgalium. Durante o período árabe, passou a ser chamada Turyila, convertendo-se num importante enclave defensivo com uma grande atividade comercial.

20181209_123522OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade foi reconquistada em 1232, momento em que passa a pertencer ao antigo Reino de Castilla e transformando-se numa vila de realengo, isto é, pertencente e sob a jurisdição do rei. Em 1256, o Rei Alfonso X de Castilla lhe concedeu um foro, mas o título de cidade somente foi outorgado em 1430, durante o reinado de Juan II de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO século XV representou uma época de grande prosperidade e a população chegou aos 5 mil habitantes no começo do século, um número significativo para aqueles tempos. No entanto,  com o Descobrimento da América um grande contingente populacional migrou para o continente recém descoberto. Foi a partir deste momento que Trujillo ganhou fama, pois nela nasceram exploradores e conquistadores que passaram à história, caso de Francisco de Orellana (1511/1546), considerado o descobridor do Rio Amazonas e, principalmente, Francisco Pizarro (1478/1541), conquistador do Peru. Abaixo, vemos a estátua equestre de Pizarro, situada na Plaza Mayor de Trujillo

20181209_155241Da América Latina retornaram a Trujillo um grande número de indianos (como são conhecidos os imigrantes que fizeram fortuna na América), construindo abundantes palácios que hoje podemos contemplar no centro histórico da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1800, a cidade foi perdendo importância, principalmente depois da Invasão de Napoleão, que causou estragos em seu núcleo urbano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX, a economia local recuperou-se e atualmente Trujillo constitui um importante centro comercial com uma grande atividade turística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstive passeando pela cidade durante todo o dia, descobrindo suas principais atrações e seus encantos secretos. A próxima matéria estará dedicada ao Castelo de Trujillo, uma poderosa e impressionante fortaleza defensiva…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Frías – Província de Burgos

Durante vários anos, tive um sonho que finalmente se realizou, conhecer o povoado de Frías, situado ao norte da Província de Burgos, na região conhecida como Las Merindades. Razões para visitá-la não me faltavam, pois este pueblo sempre aparece nas listas dos mais belos da Espanha, fato que pude comprovar com meus próprios olhos…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAParte da incrível beleza de Frías se deve à sua espetacular localização, no alto de um cerro conhecido como “La Muela“. Outro aspecto que destaca no povoado é que conserva seu aspecto medieval, motivo pelo qual foi declarado Conjunto Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFrías aparece documentada já no ano de 867. No século XI, foi vendida ao Conde Sancho García e depois de sua morte, passou a depender do Reino de Navarra, sendo governada pelo Rei Sancho “El Mayor”. Em 1202, o Rei Alfonso VIII concede foros à vila, favorecendo seu desenvolvimento econômico, momento em que volta a integrar o Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1435, o monarca Juan II outorga o título de cidade a Frías, sendo atualmente considerada como a mais pequena de toda a Espanha, com cerca de 300 habitantes. Este fato contribuiu de maneira decisiva em sua história, pois Frías se converteu num dos principais centros de Las Merindades. Posteriormente, Juan II doou à cidade ao Primeiro Conde de Haro, Pedro Fernández de Velasco, integrando o Senhorio dos Velasco. Em 1492, os Reis Católicos concedem o título de Duque de Frías a Bernardino Fernández de Velasco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANum dos extremos de Frías situa-se seu impressionante Castelo, que veremos no próximo post. No outro lado ergue-se a Igreja de San Vicente

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído no século XIII no estilo românico, mas atualmente seu aspecto se deve ao conjunto de reformas realizadas ao longo do tempo, predominando o estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente a Igreja de San Vicente desempenhou uma função defensiva, associada ao castelo. Vários desastres marcaram sua vida, e em 1836 se construiu um pórtico quadrado para proteger sua portada românica. Em 1906, a torre e parte do templo desabaram.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInacreditavelmente, a porta românica foi adquirida pelo Museu dos Claustros de Nova York, onde se exibe nos dias de hoje.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior guarda uma excelente amostra de obras religiosas, principalmente do século XVII, além de um retábulo maior dedicado a San Vicente (imagem acima).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das atrações de Frías são as Casas Colgadas (literalmente Casas Penduradas, pois foram construídas ao borde do penhasco).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO traçado medieval de suas casas e ruas nos convidam a um passeio relaxado pelo pueblo, que foi protegido ao longo dos séculos por sua imponente fortificação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANumerosos são os exemplos de arquitetura popular que encontramos no povoado, constituindo outro dos atrativos de Frías. Muitas das casas possuem uma bodega de vinho na parte inferior da estrutura, pois foi um produto comercializado desde séculos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com uma foto de meu querido irmão Marcelo, a companhia perfeita para explorar Las Merindades e a Província de Burgos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

La Alberca – Província de Salamanca

Viajar pelo interior da Espanha é uma experiência inesquecível, pois possibilita conhecer lugares encantadores, como os pequenos povoados, aqui denominados Pueblos, abundantes por todo o país. Alguns destes povoados, apesar de seu reduzido tamanho, possuem uma valioso patrimônio histórico-artístico. Outros se caracterizam por suas peculiaridades e por serem lugares realmente pitorescos, como o povoado de La Alberca, situado numa região serrana ao sul da Província de Salamanca, uma das províncias que formam a Comunidade de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALocalizada numa região de grande beleza natural, a denominada Sierra de Francia, neste povoado não veremos castelos, palácios ou belas igrejas, pois La Alberca é conhecida principalmente por sua interessantíssima arquitetura popular tradicional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom pouco mais de mil habitantes, La Alberca foi o primeiro povoado da Espanha em receber o título de Monumento Nacional, em 1940. A partir deste momento, o povoado, antes conhecido apenas por curiosos viajantes, alcançou grande popularidade e prestígio, sendo frequentado por milhares de turistas que a visitam anualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA beleza e a singularidade deste pueblo foi divulgada por personalidades do mundo artístico como o cineasta Luis Buñuel (1900/1983) e por intelectuais famosos, como o escritor e filósofo espanhol Miguel de Unamuno (1864/1936), cujo retrato aparece decorando uma das casas do povoado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive o privilégio de conhecer La Alberca num passeio de fim de semana organizado pelos professores de história Rafael (conhecido como “Rafa”) e Fernando, cujas aulas sobre a história de Madrid pude presenciar durante dois anos em cursos que realizei na capital espanhola. Rafa foi nosso guia na excursão, brindando as cerca de 40 pessoas que faziam parte do passeio com seus amplos e profundos conhecimentos sobre história, arte e arquitetura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO povoado de La Alberca localiza-se numa das zonas mais úmidas do país, e seu nome procede do artigo árabe “Al” com o termo de origem hebraico “Bereka”, significando “lugar das águas”. Foi habitada desde tempos remotos por tribos pré-romanas, os celtíberos, como demonstram os restos de um antigo castro, como são conhecidos os assentamentos deste povo, sobre o qual se construiu o povoado de La Alberca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os séculos XII e XIII, o local foi repovoado por ordens do Rei Alfonso IX de León, principalmente por franceses, justificando desta forma a presença de inúmeras palavras na região de origem francesa ou relacionadas ao país vizinho (Sierra de Francia, por exemplo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XV, o monarca Juan II concedeu o povoado à Casa de Alba, transformando-se num senhorio. Esta condição permaneceu até 1834, quando  finalmente os senhorios foram abolidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALa Alberca foi edificada sem nenhum tipo de planificação urbana, e suas ruas, praças e casas se adaptaram às condições geográficas do local, uma montanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos consideram La Alberca como o Pueblo mais belo da Espanha, e razões não faltam para tanto. De fato, aparece sempre nas listas dos povoados mais bonitos do país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA No próximo post, faremos um passeio pelo pueblo, e vocês terão a oportunidade de conhecê-lo com mais profundidade…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Medina de Rioseco – Prov. Valladolid

A Comunidade de Castilla y León é um verdadeiro museu a céu aberto, com uma quantidade enorme de lugares históricos de grande interesse para o visitante. Recentemente, estive três dias viajando pela Província de Valladolid com o objetivo de conhecer algumas das cidades da região. Minha primeira parada foi a cidade de Medina de Rioseco, que conta com apenas 5 mil habitantes, mas que possui um patrimônio histórico extremamente rico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco é conhecida como a Cidade dos Almirantes desde o século XV, quando Don Alfonso Enríquez recebeu do Rei Enrique III o título de Almirante de Castilla em 1405. Em 1423, outro monarca, Juan II, lhe concedeu o senhorio desta vila. Sua importância aumenta quando os reis castelhanos concedem à cidade um mercado semanal e uma feira anual. O auge econômico de Medina de Rioseco ocorre no século XVI, quando são construídos os templos mais importantes. O município se converte no centro mundial de distribuição de prata que chegava do continente americano através do porto de Sevilha. Uma placa colocada numa das ruas da cidade homenageia os habitantes da cidade que participaram da conquista do novo continente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco faz parte do Caminho de Santiago que começa em Madrid e termina em Sahagún, no norte da Espanha, quando se une com o tradicional Caminho Francês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1632, o Rei Felipe IV concede o título de cidade a Medina de Rioseco e, em 1725, Felipe V suprime o título de Almirante que ostentavam os senhores da vila. A cidade teve uma participação fundamental na Guerra da Independência contra os franceses em 1808, momento em que foi travada nos campos de Medina de Rioseco a Batalha de Moclín, uma das mais importantes da guerra. A terrível derrota do exército espanhol, que contabilizou mais de mil mortos nesta batalha, propiciou o avance das tropas de Napoleão a Madrid. Antes, porém, o exército francês saqueou e incendiou a cidade. O próprio imperador francês ordenou que o nome desta batalha fosse gravada no Arco do Triunfo de Paris. Segundo o próprio Napoleão, a vitória nos campos de Medina de Rioseco possibilitou a chegada ao trono espanhol de seu irmão, José Bonaparte. Em 1908, em homenagem ao centenário da batalha, foi esculpido um monumento, que podemos apreciar atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMedina de Rioseco possui um dos maiores legados culturais da Província de Valladolid, motivo pelo qual recebeu o título de Conjunto Histórico-Artístico. A tranquila cidade se transforma durante a Semana Santa, a principal festividade de seu calendário, com belíssimas procissões realizadas pelas 16 cofradías existentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA paixão de seus habitantes pela Semana Santa é herdeira de tradições antigas que se remontam ao século XVI, quando foi criada a primeira cofradía da cidade, a de Vera Cruz. Devido à sua antiguidade e importância, a Semana Santa de Medina de Rioseco foi declarada Festa de Interesse Turístico Internacional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIgreja de Santa Cruz é a sede do Museu da Semana Santa, que vale a pena ser visitado pelas impresionantes imagens que contém e que participam das procissões. A igreja foi construída em 1549 sobre um anterior templo gótico, e foi afetada pelo Terremoto de Lisboa de 1755.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada da igreja foi inspirada na Igreja dos Jesuítas de Getsu, em Roma. Sua decoração representa a exaltação de Santa Cruz e seus milagres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade possui também lugares de grande beleza natural, como o Canal de Castilla, que veremos num post especial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFiz minha viagem de Madrid a Medina de Rioseco em ônibus, num trajeto de um pouco mais de 3 horas. Até 1969, a cidade esteve comunicada por uma ferrovia de via estreita que realizava o percurso de Valladolid a Medina, inaugurada em 1884. O serviço foi suprimido e atualmente somente podemos ver uma locomotiva que realizou o trajeto entre 1911 e 1930.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA antiga estação ferroviária foi transformada num Mercado, cuja estrutura principal vemos abaixo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA