Catedral de S.Compostela: O Mestre Mateo

Esta última matéria sobre a Catedral de Santiago de Compostela está dedicada a um de seus maiores artífices, um dos grandes artistas de toda a Arte Medieval Européia, o Mestre Mateo. Quem alguma vez teve o privilégio de contemplar sua obra máxima, o chamado Pórtico da Glória, situado na entrada da catedral, pôde constatar sua beleza inigualável e a imensa influência que exerceu ao longo dos séculos. Devido ao processo de deterioração que se produziu durante os 8 séculos de sua existência, o conjunto está sendo restaurado desde já alguns anos, motivo pelo qual poderemos admirá-lo somente ao final da reforma, que está a ponto de finalizar. De qualquer forma, atualmente existem exposições sobre o trabalho do Mestre Mateo no Museu da Catedral e também no vizinho Palácio de Gelmírez, que possibilitam compreender melhor a obra do grande mestre e o trabalho de restauraçao que está sendo desenvolvido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu Catedralício complementa a visita do templo maior compostelano, motivo pelo qual vale a pena conhecê-lo. Possui um excepcional conjunto de escultura e pintura de várias épocas, além de restos arqueológicos encontrados na catedral, mas infelizmente nao se pode fotografar. Abaixo, vemos uma foto exterior do museu, situado em frente à Plaza del Obradoiro, ao lado da bela fachada barroca da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo balcão, situado em seu nível superior, as vistas da praça são impressionantes, bem como das casas do Centro Histórico de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o lento processo construtivo da Catedral Românica, em 1168 o Rei Fernando II encarregou o Mestre Mateo com a incumbência de finalizar as obras de suas naves. Além do mais, construiu uma cripta para salvar o desnível da catedral com a Plaza del Obradoiro, sobre a qual ergueu o maravilhoso Pórtico da Glória, concluído em 1211, quando se realizou a consagração da catedral. Considerado um dos expoentes maiores da Arte Românica de finais do século XII e começo do XIII, suas inovaçoes arquitetônicas, escultóricas e iconográficas anunciam, com o naturalismo de seus personagens, o novo estilo que estava surgindo na França, o Gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO imenso pórtico possui três grandes arcos de meio ponto (semicirculares), correspondentes a cada uma das naves da catedral, e sua iconografia está baseada no Livro do Apocalipse. No Arco Central, aquele que desperta maior atenção por seu tamanho e características, aparece a figura de Cristo em Majestade, rodeado pelos símbolos dos 4 Evangelistas. O arco está dividido por uma coluna, denominada Parteluz, com uma grande riqueza escultórica. Está presidida pelo Apóstolo Santiago, titular do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEmbaixo da imagem do santo, vemos a Árvore de Jessé, que representa a genealogia humana de Cristo, por primeira vez representada na Arte Românica da Península Ibérica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte inferior do Parteluz, o Mestre Mateo se autorepresenta, dedicando sua obra ao Apóstolo Santiago. Uma inscrição possibilita  sua identificação, na qual está escrito “Architectus”. Esta escultura é também conhecida como o “Santo dos Croques“, devido a uma antiga tradição em que os estudantes da cidade golpeavam sua cabeça para adquirir sabedoria. Posteriormente, este gesto foi incorporado pelos peregrinos ao entrar na catedral, mas foi proibido para que a imagem não fosse prejudicada em sua estrutura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstátuas construídas a modo de colunas decoram o Pórtico da Glória, com personagens do Antigo e do Novo Testamento, como as que vemos abaixo, onde aparecem os chamados Profetas Maiores. Da esquerda para a direita, vemos Jeremías, Daniel, Isaías e Moisés. O naturalismo dos personagens, que observamos no sorriso de Daniel, constituem uma das principais inovações artísticas do Mestre Mateo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente as imagens estavam policromadas, para proporcionar um maior realismo. Ao ficarem expostas à humidade durante séculos, pois o Pórtico da Glória somente ficou protegido no século XVI, o colorido sofreu um grande desgaste. As figuras foram pintadas, total ou parcialmente, em várias ocasiões, e um dos objetivos do processo atual de restauração é devolver sua policromia. Abaixo, vemos a cabeça de um dos personagens representados…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém no Arco Central, vemos a representação dos 24 anciãos do Apocalipse, cada qual com seu instrumento musical. Esta cena, comum na Arte Românica, tornou possível o conhecimento dos instrumentos utilizados na época, e hoje em dia podemos assistir concertos de música antiga realizado somente com instrumentos medievais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Mestre Mateo também realizou um excepcional coro feito de granito, que esteve na nave central da catedral até 1603, quando foi substituído por um coro de madeira. Em 1945, este coro foi levado ao Monastério de San Martín Pinario, que vimos recentemente no blog. Felizmente, podemos apreciar o coro pétreo, pois foi reconstruído no Museu da Catedral. Mais uma vez lamento a proibição das fotografias no local. Por este motivo, tirei uma foto de um livro, que está longe de fazer jus à beleza do coro, mas que pelo menos nos dá uma pequena idéia de sua grandiosidade e qualidade artística.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de derrubado, parte de suas peças foram reutilizadas em outras partes da catedral, principalmente em suas fachadas exteriores, como vimos nas matérias anteriores. A biografia do Mestre Mateo continua sendo um enigma. A fama que alcançou em vida e a transcendência de sua obra fizeram com que os estudiosos procurem documentar sua formação e aprofundar no conhecimento de seu trabalho. Abaixo, vemos uma cabeça masculina, provavelmente um personagem bíblico que fazia parte de uma estátua-coluna realizada pelo Mestre Mateo e seus indispensáveis colaboradores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs fotos da presente matéria foram tiradas em 2012, durante minha primeira visita à Catedral de Santiago, quando ainda podíamos ver em parte o Pórtico da Glória, cuja restauração estava iniciando-se. Outras foram realizadas em minha última viagem de 2018, que foram complementadas com imagens das exposições que podemos ver atualmente sobre o Mestre Mateo e também de livros de arte sobre a catedral. Recomendo que assistam o vídeo abaixo, onde podemos ver o Pórtico da Glória e seu processo de reabilitação.

Anúncios

Interior da Catedral de Santiago de Compostela

Nas duas primeiras matérias sobre a Catedral de Santiago de Compostela comentei um pouco sobre sua história, arquitetura, fachadas externas e o claustro. No post de hoje, veremos os espaços mais emblemáticos de seu interior, como algumas de suas inúmeras capelas, iniciando pela Capela do Sancti Spiritus, que possui um belo retábulo barroco com a Virgem da Solidão (Virgen de la Soledad, em espanhol).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Capela de Mondragón foi fundada pelo canônigo Juan de Mondragón em 1521, estando decorada com um precioso conjunto escultórico de terracota que representa a lamentação do falecimento de Cristo, realizado por Miguel Perrín em 1526.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de la Comunión foi realizada no estilo neoclássico, com um retábulo do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das capelas existentes pertencem à época românica, quando se construiu a catedral. Abaixo, vemos a porta de uma delas, chamada da Corticela, ornamentada com uma cena da Epifania, de mediados do século XII, e realizada pelo atelier do Mestre Mateo. No centro, vemos uma imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral de Santiago de Compostela possui dois belíssimos órgãos barrocos, um de frente para o outro, fabricados no início do século XVIII. Foram colocados no meio da nave central.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela Maior, originalmente românica, foi reformada no período barroco por Domingo de Andrade. Está formada por um baldaquino, uma estrutura formada por 4 colunas, que alberga o altar situado sobre o Sepulcro do Apóstolo Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO altar está presidido por uma imagem do Apóstolo Santiago, de pedra policromada e vestido como peregrino, pertencente ao século XIII. Uma escada na parte posterior permite que, finalmente, os peregrinos se aproximem à imagem do santo e realizem um emotivo abraço, dando por concluída a peregrinação do Caminho de Santiago. Apesar de  ter realizado apenas de forma parcial o caminho, fiz questão de realizar o gesto, e a emoção que senti não pode ser descrita com palavras…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADebaixo do altar encontra-se a cripta com o Sepulcro do Apóstolo Santiago, um dos locais mais sagrados do cristianismo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA urna de prata que guarda os restos do santo foi inspirada na Arte Românica, sendo fabricada por artesãos da cidade em 1885.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Catedral possui um Panteão Real onde se guardam diversas sepulturas de monarcas espanhóis, como os leoneses Fernando II ( 1137/1188) e Alfonso IX (1171/1230). Infelizmente, nao tive ocasião de vê-los. No entanto, pude contemplar o singelo sepulcro de Teodomiro, Bispo de Iria Flávia considerado o descobridor da tumba do Apóstolo Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uns dos vitrais do interior da igreja….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com a parte interna da Porta Santa que, como dissemos anteriormente, se abre apenas nos Anos Santos, quando as festividades em honra ao Apóstolo de Santiago (25 de julho) caem num domingo. Como elemento decorativo, destacam as figuras que integravam o coro pétreo original, realizado pelo Mestre Mateo em 1200. Na parte superior, uma cruz com inscrições referentes à consagração da catedral. A porta de bronze foi realizada no século XX.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO próximo post estará dedicado a uma das grandes atrações da Catedral de Santiago de Compostela, o Botafumeiro