Plaza Mayor de Trujillo – Parte 2

A Plaza Mayor de Trujillo constitui um grande espaço urbano de estilo renascentista. De fato, o século XVI é considerado o “Século de Ouro” da cidade, e muitos são os edifícios construídos neste período que se converteram em residência das famílias nobres da cidade e que foram situados em plena Plaza Mayor. Um destes palácios, o de Orellana-Pizarro, serviu de hospedagem ao grande escritor Miguel de Cervantes. Construído em 1541, tornou-se um dos primeiros palácios renascentistas de Trujillo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Palácio dos Duques de San Carlos está situado num dos costados da praça, e possui um conjunto de curiosas chaminés. Atualmente, é um convento de freiras pertencente a Ordem Jerônima.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO escudo dos proprietários foi colocado numa das esquinas do edifício, algo que ocorre com outros palácios da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Casa de las Cadenas serviu de hospedagem para o Rei Felipe II em sua estadia na cidade em 1583. Conserva a Torre del Alfiler, de origem medieval (século XIV), que vemos no lado esquerdo da foto abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre pode ser visitada, e o escudo situado em sua parte mais alta pode ser visto desde a Plaza Mayor. Abaixo, vemos outra imagem da torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto à Estátua Equestre de Pizarro encontramos a Igreja de San Martín, erguida entre os séculos XV e XVI.

20181209_155349OLYMPUS DIGITAL CAMERASua austera fachada renascentista contrasta com o interior gótico

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui um maravilhoso órgão do século XVIII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Almagro

Outro fato histórico que contribuiu de maneira decisiva para  desenvolvimento de Almagro foi a chegada da Família dos Fugger à cidade. Esta poderosa família de origem alemã destacou-se por sua intensa e variada atividade financeira e comercial, com negócios espalhados por todo o continente. Inicialmente dedicaram-se ao comércio de seda e especiarias, com Jacob Fugger I “El Viejo”, mas foi um de seus filhos, Jacob Fugger II “El Rico”, quem expandiu as atividades financeiras da família, baseada no monopólio de minerais como prata e cobre. Em 1507 emprestou 150 mil ducados ao Imperador Maximiliano I, iniciando sua carreira como credor da Dinastia dos Habsburgos e convertendo-se em um dos primeiros banqueiros de todo o sistema capitalista. Jacob Fugger II é considerado também um grande mecenas das artes, acolhendo ao grande pintor renascentista alemão Alberto Durero, que realizou um retrato seu, cuja cópia vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Fugger estabeleceram-se em Almagro a partir de 1525, quando o Imperador Carlos I concedeu umas minas de exploração de mercúrio situadas próximas à cidade, como agradecimento aos favores dispensados pela família. Para poder armazenar o mercúrio, construíram um verdadeiro palácio, cuja fachada vemos a seguir, com uma faixa com o sobrenome da família traduzido ao espanhol (Fúcares).

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção iniciou-se em 1525, destacando-se seu belo claustro renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste pátio retangular feito de tijolo está formado por arcos sustentados por colunas de Ordem Toscano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs amplas salas dispostas ao redor do pátio constituíam originalmente as antigas câmaras de armazenamento do mercúrio. O edifício teve outras funções ao longo do tempo, como colégio, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, é a sede da Universidade Popular de Almagro e desde o ano 2000 é utilizado para a realização de  obras teatrais durante o Festival Internacional de Teatro Clássico. Abaixo, vemos uma reconstituição de uma das dependências do antigo palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÀ Família dos Fugger se deve também a construção da Igreja de San Blás, uma forma de agradecer ao Imperador Carlos I o direito de exploração das minas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAberta ao culto normalmente, durante a realização do festival Internacional seu interior  transforma-se num espaço dedicado à obra universal de Miguel de Cervantes, “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“, com um interessante espetáculo de som.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um detalhe arquitetônico do interior da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs Fugger trouxeram também a Almagro vários administradores de seu imenso império econômico, que construíram outros palácios pela cidade, alguns dos quais foram publicados numa recente matéria.

Conhecendo Santiago de Compostela

A grande maioria das pessoas passa apenas um dia em Santiago de Compostela, percorrendo a zona próxima à Catedral. No entanto, para conhecê-la a fundo, recomendo, como mínimo, dois dias inteiros na cidade galega. Isso porque a cidade possui um vasto patrimônio histórico que vai muito além de seu famoso templo catedralício, que vale a pena ser conhecido e visitado. Caminhando, pude descobrir boa parte de seu centro histórico, além de zonas mais afastadas. Nesta matéria gostaria de realizar um pequeno passeio com os (as) leitores (as) pela cidade, mostrando alguns dos lugares que a transformaram num grande centro turístico. Percorrendo suas ruas, deslumbramos lendas, locais e personagens que fizeram a história do Caminho de Santiago, como o Rei Asturiano Alfonso II “El Casto” (760/842), em cujo longo reinado de 51 anos se descobriu a tumba do Apóstolo Santiago, no ano de 814. Este monarca é considerado o primeiro peregrino do Caminho de Santiago, e inaugurou o chamado Caminho Primitivo (cerca de 320 km), que vai de Oviedo, atual capital de Asturias, até Santiago de Compostela. Uma estátua do rei lhe rende uma homenagem…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Caminho de Santiago possui inúmeras lendas e tradições que o enriqueceram, e conhecendo as ruas da cidade podemos encontrar muitas delas, como a relativa à Fonte de Franco. Diz a tradição que há dois mil anos atrás dois bois que levavam o corpo do Apóstolo Santiago pararam para beber água. Esta brotou milagrosamente depois que os animais começaram a cavar o solo com suas patas. Outro fato interessante é que esta água devolveu a vista a um beato italiano chamado Franco de Siena, depois de ter lavado os olhos com o bendito líquido, daí seu nome. A fonte atual data de 1830 e durante muito tempo matou a sede dos habitantes locais….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Porta de Mazarelos, a única porta sobrevivente da antiga muralha que rodeava a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação às igrejas, Santiago de Compostela é uma verdadeira mina de ouro, com uma grande quantidade de templos nos mais variados estilos, principalmente de época barroca. A Igreja de Santa María Salomé é um caso especial na Espanha, ao ser a única que está dedicada à mãe do Apóstolo Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua fundação remonta ao século XII, conservando deste período a porta original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA torre campanário somente foi levantada no século XVIII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra igreja de importância histórica, situada junto à Plaza del Obradoiro, é a Igreja de San Fructuoso, também conhecida como da Nossa Senhora das Angústias, devido a imagem da Virgem das Angústias que preside a fachada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja construída no século XVIII foi edificada para ser observada desde um nível superior, neste caso a Plaza del Obradoiro. Por este motivo, a decoração da fachada encontra-se em sua parte mais alta, onde vemos 4 figuras que simbolizam as Virtudes Cardenais (Justiça, Prudência, Fortaleza e Templanza ou Moderação).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local emblemático da cidade é a Plaza de Cervantes, que historicamente sempre foi um lugar de reunião popular. Nela esteve sediada a prefeitura durante 200 anos, de 1583 a 1787, quando foi levada à Plaza del Obradoiro. Durante a época do Tribunal da Inquisição, foram realizados na praça os denominados Autos de Fé, os julgamentos daqueles que foram acusados de cometer crimes contra os dogmas eclesiásticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA Posteriormente, com a chegada das lojas de alimentos e mercadorias, a praça passou a ser denominada Plaza del Campo e recebeu o mercado municipal. Daí a explicação da igreja situada num de seus costados, a Igreja de San Benito del Campo, de origem medieval mas reformada no século XVIII dentro do estilo neoclássico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO grande nome da Literatura Espanhola, Miguel de Cervantes, foi homenageado com o nome da praça no final do século XIX, recordando que seus dois sobrenomes, Cervantes e Saavedra, possuem uma origem galega. Um busto do escritor situado no alto de uma coluna assim o testemunha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plaza del Potro – Córdoba

Dentre todas as praças de Córdoba, a chamada Plaza del Potro (original em espanhol) é uma das mais representativas da cidade. A explicação de seu nome se deve ao fato que nela havia um local onde se comercializavam mulas e potros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo entanto, outros historiadores admitem que seu nome se refere à Fonte do Potro que preside a praça, de estilo renascentista e esculpida em 1577, com a finalidade de melhorar o abastecimento de água da zona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça possui diversos locais de interesse, como a Posada del Potro. Sua disposição interna é de uma corrala, isto é, uma espécie de bloco residencial característico de algumas cidades espanholas, formado por um corredor feito com uma armação de madeira, cujos balcões estão cercados por um pátio interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente foi utilizada como uma pousada, função que exerceu até o século XIX, e também como prostíbulo. Com a decadência comercial da zona, converteu-se num local residencial. Abaixo, vemos uma foto antiga do lugar….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Posada del Potro foi citada por Miguel de Cervantes em sua famosa novela “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha”, que nela se hospedou. Um azulejo colocado num dos muros da praça celebra este acontecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO bairro onde se localiza a praça sempre foi considerado um centro comercial e econômico na cidade, concentrando grande parte dos grêmios artesanais e atraindo a comerciantes, feirantes, viajantes, propiciando a existência de um grande número de pousadas, restaurantes, etc. Atualmente, a Posada del Potro é sede de um centro cultural dedicado à história do Flamenco e a um de seus grandes personagens, o cantor cordobês Antonio Fernández, apelidado de “Fosforito“, nascido em 1932.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANum primeiro momento, a Plaza del Potro possuía uma forma quadrada e fechada e não retangular e aberta como nos dias atuais. A primeira reestruturação realizada na praça foi feita devido à construção do extinto Hospital da Caridade, criado pelos Reis Católicos no final do século XV e atendido pela Ordem Franciscana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o antigo hospital alberga dois museus de grande interesse, o Museu de Belas Artes de Córdoba, que vemos abaixo, numa foto tirada no interior do pátio do edifício. Seu acervo está constituído por pintores espanhóis de grande relevância histórica, como Zurbarán, Valdés Leal, Rusiñol, Zuloaga, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado do pátio está situado um dos museus mais visitados de Córdoba, dedicado ao pintor nascido na cidade Julio Romero de Torres (1874/1930).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA O pintor viveu nesta casa, com uma belíssima fachada policromada realizada em 1752.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma placa que comprova o local de residência do pintor cordobês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJulio Romero de Torres nasceu numa família de artistas, e sua temática gira em torno aos aspectos regionalistas, do mundo taurino e da cultura flamenca. No entanto, mais da metade de sua obra pictórica está composta por retratos (realizou mais de mil quadros), gênero que soube explorar com grande maestria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANenhum outro pintor soube representar com tamanha beleza a sensualidade da mulher andaluza em inúmeros quadros que podemos contemplar no museu, aberto ao público em 1931 com um acervo doado pelos familiares do pintor e de outros colecionadores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma pena que nao se fotografar o interior do museu e suas obras, mas selecionei um vídeo no Youtube onde vocês poderão apreciar a obra deste grande pintor espanhol:

Finalizando a matéria, em 1924 foi colocada no outro extremo da praça um monumento dedicado ao Triunfo de São Rafael, santo padroeiro de Córdoba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Santander

Minhas andanças por Santander começaram no centro histórico, precisamente na zona mais comercial e considerada o centro geográfico da cidade, a Plaza del Ayuntamiento, onde se localiza a sede da prefeitura ou Casa Consistorial, situada num edifício de estilo eclético de 1907, construído sobre o antigo Convento de San Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo vemos a Escola de Artes e Ofícios, instituição fundada em 1877.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo princípio do século XX desenvolveu-se na arquitetura da cidade o denominado estilo regionalista. Um dos maiores expoentes desta nova arquitetura foi o Edifício dos Correios, inaugurado em 1926 e projetado pelos arquitetos Secundino Zuazo, que realizou várias obras de importância em Madrid, e Eugenio Fernández Quintanilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício está situado ao lado da Catedral de Santander, e impressiona por sua beleza e composição, com duas torres poligonais nas esquinas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1941, um incêndio arrasou o centro histórico da cidade, cujas ruas estreitas e grande parte das construções feitas com madeira colaboraram para a propagação do fogo. Por incrível que pareça, houve apenas uma vítima fatal, mas milhares de pessoas perderam suas residências. O Edifício dos Correios foi um dos poucos que se salvaram, apesar de se encontrar na zona afetada pelas chamas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao edifício, foi colocada uma estátua em homenagem ao Rei Alfonso XIII, que converteu a cidade em sua localidade preferida para as férias de verão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do edifício, vemos um monumento comemorativo da reconstrução da cidade, realizado pelo escultor de Santander José Cobo Calderón. Simboliza a presença do fogo, do vento e seus habitantes, além do ressurgimento de Santander.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMais distante do centro está situada a Praça de Touros de Santander, inaugurada em 1890 e projetada pelo arquiteto Alfredo de la Escalera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça de Touros possui uma capacidade para 10 mil espectadores e acolhe também o Museu Taurino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPequenas iniciativas culturais sempre fazem a diferença, e foi isso que percebi ao percorrer um dos túneis da cidade, decorado com pinturas realizadas por alunos das escolas de Santander, homenageando o escritor Miguel de Cervantes e sua universal novela “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cervantes em Ciudad Real

Ciudad Real localiza-se em plena Comunidade de Castilla La Mancha, região onde se desenvolve a novela mais famosa  da Literatura Espanhola, “El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha“, escrita por Miguel de Cervantes em duas partes, a primeira em 1605 e a segunda dez anos depois, em 1615. Na cidade, são abundantes os monumentos e estátuas relacionados ao escritor e sua universal obra. Bem no centro de Ciudad Real foi colocado o Monumento a Cervantes, esculpido em 1927 por Felipe Garcia Coronado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs famosos personagens da novela também foram homenageados com monumentos, como esta estátua de D.Quijote (Dom Quixote, em português), realizada em 1967 por Joaquín Garcia Donaire.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mulher amada de Don Quijote na novela, Dulcinea de Toboso, podemos ver numa escultura colocada na parte traseira do Ayuntamiento de Ciudad Real em 2015, realizada por López-Arza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 2015 foram celebradas inúmeras exposições pelo país para comemorar o quarto centenário da publicação da segunda parte da novela. Ainda hoje, muitas continuam sendo realizadas, com o intuito de mostra quem foi realmente Miguel de Cervantes, o impacto de sua obra na época em que foi escrita e a importância que teve ao longo dos séculos. Um lugar perfeito para descobrir a “Alma de Cervantes” se encontra em Ciudad Real, o Museo del Quijote e a Biblioteca Cervantina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs exposições realizadas no museu nos permitem conhecer Miguel de Cervantes através dos lugares e caminhos que transitou durante seus passeios por La Mancha, que afinal são os mesmos onde se desenrolam os episódios da novela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFotografias, desenhos, esculturas e modernas montagens multimídia nos ajudam a compreender a vida e a obra deste admirável escritor, bem como os capítulos principais da novela e fatos relacionados com sua vida. Cervantes lutou na famosa Batalha Naval de Lepanto, travada contra os turcos em 1571, e perdeu uma mão, ficando conhecido também pelo apelido de “El Manco de Lepanto“. Abaixo, vemos uma cópia do relevo de pedra que constitui uma das cenas do Monumento a Cervantes, que vimos na primeira foto, em que foi retratada a batalha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo mesmo monumento é a cena, também esculpida em pedra, em que Don Quijote é colocado numa jaula…

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu fiel escudeiro, Sancho Panza, aparece num mural de azulejos com sua esposa…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo museu foi ambientado uma imprensa de Madrid do século XVII, com os equipamentos destinados à publicação da obra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Biblioteca Cervantina está composta por um acervo de mais de 3500 livros relacionados ao autor. Também podemos admirar o funcionamento de um moinho de vento, um dos episódios mais conhecidos da novela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao museu aparecem os dois personagens principais, Don Quijote e Sancho Panza, montados no cavalo Rocinante e no burrinho Rucio, respectivamente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita ao Museo del Quijote é muito instrutiva e recomendável, e passei interessantes momentos em seu interior, contribuindo para o conhecimento deste escritor que transcendeu a literatura de seu país, tornando-se universal, e de sua imortal novela…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Ciudad Real – Comunidade de Castilla La Mancha

Ciudad Real é a capital da província homônima, uma das 5 que compõem a Comunidade de Castilla La Mancha (as demais são Toledo, Guadalajara, Cuenca e Albacete). Com uma população de 75 mil habitantes, conta com um interessante patrimônio histórico, infelizmente muitas vezes não devidamente valorizado pelos próprios espanhóis. Num final de semana decidi conhecer a cidade, e encontrei um lugar agradável para passear e com muita coisa interessante para ver.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASomente em relação ao seu patrimônio religioso, a cidade possui três igrejas góticas, incluída a catedral, o que reflete sua importância histórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi fundada pelo rei Alfonso X “El Sábio” em 1255, com a finalidade de deter o crescente poder das Ordens Militares, especialmente a de Calatrava, que dominava o território onde se localiza. Inicialmente chamada Villa Real, o objetivo do monarca era diminuir seu poder e influência, criando uma cidade de realengo, que estivesse submetida à sua autoridade. Abaixo, vemos a escultura em homenagem ao rei fundador, situada em plena Praça Maior de Ciudad Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPara proteger a cidade, Alfonso X ordenou a construção de um recinto de muralhas formado por 130 torres, com 7 portas de acesso ao interior. A única que se conserva é a magnífica Porta de Toledo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInspirada na arquitetura muçulmana, está sustentada por duas torres. Possui uma grande complexidade em relação aos seus vários arcos. Os exteriores são ojivais, os intermediários são de ferradura e os internos, góticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta de Toledo foi finalizada em 1328, como indica uma inscrição, e foi declarada Monumento Nacional em 1915.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALogo depois de sua fundação, na cidade passaram a conviver cristãos, judeus e muçulmanos, estando dividida em três paróquias, a de Santa María, de San Pedro e de Santiago. Ciudad Real chegou a ter uma das mais importantes juderias, ou bairro judeu, do antigo Reino de Castilla.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1420, o rei Juan II lhe concedeu o título de cidade, por seu apoio contra as ordens militares, momento em que passou a ser denominada Ciudad Real. Sua época de maior esplendor se verificou na época dos Reis Católicos (final do século XV e princípio do XVI). O aumento populacional e das atividades comerciais relacionadas à produção de lã, couro e vinho fizeram com que os Reis Católicos ordenassem a construção de importantes órgãos administrativos. Em 1488 se estabelece o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição e, seis anos mais tarde, a Real Chancelaría, o principal órgão de justiça do reino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a expulsão das comunidades judia e muçulmana, a população diminuiu e a cidade entrou num período de decadência, do qual se recuperou apenas no século XIX, com a chegada da ferrovia. Em 1691, tornou-se a capital da Comarca de La Mancha e em 1833 criou-se a Província de Ciudad Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra da Independência, ocorrida no princípio do século XIX, a cidade foi ocupada pelas tropas francesas até 1813, destruindo uma importante parte de seu patrimônio, especialmente religioso. A cidade se orgulha de ser conhecida como a “Capital del Quijote“, e as referências ao grande escritor Miguel de Cervantes e sua obra mais conhecida são abundantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos próximos posts, vocês poderão conhecer um pouco mais sobre a cidade, e comprovar que ela merece uma visita, sem sombra de dúvida !

OLYMPUS DIGITAL CAMERA