Tarragona Romana – Patrimônio da Humanidade

O Conjunto Arqueológico de Tarragona, referente ao seu passado romano, é considerado um dos mais importantes de toda a Hispania, razão pelo qual foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2000. Representa o assentamento romano mais antigo de toda a Península Ibérica, com muitos monumentos conservados.

DSC02067Dois foram os critérios estabelecidos pela Unesco para que a Tarragona Romana recebesse esse almejado título. O primeiro deles: “Os restos romanos de Tarraco são de uma importância excepcional no desenvolvimento do planejamento urbano romano, servindo de modelo para as capitais provinciais do Império Romano“. Em segundo lugar: “Proporcionam um testemunho eloquente e incomparável de uma etapa significativa na história das terras mediterrâneas da antiguidade”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASua muralha é a construção mais antiga de toda a Tarraco Romana. Foi construída no final do século III aC, e ampliada no século II aC.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, a muralha romana tinha 3500m de perímetro, dos quais se conservam 1100m, que rodeia o Centro Histórico de Tarragona.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas das torres originais foram preservadas, como a chamada Torre de Minerva e a do Arcebispo. A muralha pode ser conhecida em sua totalidade num Paseo Arqueológico, cuja entrada vemos abaixo:

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma das portas da muralha…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma foto da parte interior da muralha, junto ao centro histórico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha romana sofreu diversas modificações ao longo da história…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1368, se construiu uma nova muralha medieval denominada “La Muralleta“, cuja construção mais emblemática é a Torre de les Monges.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta torre de formato octogonal estava situada num dos extremos da Muralleta. Em 1530, diante do medo de um ataque marítimo, a torre transformou-se num ponto de vigilância costeira. Esta torre encontrava-se junto ao Circo Romano, que em breve veremos no blog, e sua fachada converteu-se no muro interno desta fortificaçao do século XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Muralleta estava composta por 4 torres, e esta é a única conservada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra modificação se realizou no século XVIII, em 1737, durante o reinado de Fernando VI. Uma antiga porta medieval, o chamado Portal de Sant Antoni, foi reformado no estilo barroco, adquirindo um aspecto de Arco de Triunfo. Em sua parte superior, foi colocado o escudo do monarca, que atualmente encontra-se bastante desgastado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

A Muralha de Cáceres

Desde a antiguidade, as cidades estavam protegidas por um recinto defensivo, as denominadas muralhas, que cercavam todo o seu perímetro. Muitas destas cidades perderam, com o tempo, total ou parcialmente, o seu caráter militar, com o objetivo de expandir seu núcleo urbano e um número reduzido delas conservam o traçado de suas muralhas. A cidade de Cáceres teve sua primeira muralha ao redor do ano 900 aC, quando uma tribo celtíbera construiu um castro, um povoado fortificado pré-romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a chegada dos romanos e a fundaçao de Norba Caesarina, origem da atual Cáceres, se construiu uma nova muralha no século I aC, composta por 4 portas de acesso ao interior da cidade. Posteriormente, no século XII, os almohades, uma tribo árabe proveniente do Marrocos, conquistou a cidade e ergueu uma outra muralha, que se conserva em sua boa parte e um dos motivos principais pelo qual a cidade foi declarada Patrimônio da Humanidade em 1986. Atualmente esta muralha faz parte do patrimônio histórico da cidade e percorrer o seu perímetro permite conhecê-la a fundo. A primeira coisa que fiz ao chegar a Cáceres foi caminhar por seu recinto defensivo, descobrindo as partes que foram preservadas de sua muralha medieval.  A denominada Puerta do Consejo (Porta do Conselho, em português) é a única que se conserva do período romano.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado desta porta, se construiu no período almohade (século XII) uma torre destinada a protegê-la e que se ergue ao seu lado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém edificada pelos almohades, a Torre del Horno foi construída sobre uma base da anterior muralha romana. Seu nome se deve que em sua proximidade se localizava um forno para a fabricação de pão (horno, em espanhol) e se considera uma das mais conservadas do período árabe da cidade, entre as 40 torres existentes originalmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra torre preservada do mesmo período é a Torre del Aver, igualmente de planta quadrada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra parte da muralha árabe, situada na parte lateral da Plaza Mayor de Cáceres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da reconquista da cidade no século XIII pelo Rei Alfonso IX de León, se construiu outra porta de entrada, o chamado Arco de Santa Ana, cujo nome se deve à imagem de Santa Ana que foi colocada posteriormente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA denominada Torre de Bujaco, situada em plena Plaza Mayor, que vimos no post anterior, integrava o recinto fortificado do período árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado da Torre de Bujaco, localiza-se o Arco da Estrela, o principal acesso ao Centro Histórico de Cáceres. Foi construída no século XVIII sobre uma anterior porta do século XIV, denominada Porta Nova.

dsc02088OLYMPUS DIGITAL CAMERAA anterior “Porta Nova” foi destruída porque não permitia a passagem das carruagens. Diante dela, a Rainha Isabel la Católica jurou manter em 1477 os foros da cidade, como podemos comprovar numa placa situada junto ao Arco da Estrela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte interna do Arco vemos uma imagem da Virgem da Estrela, que deu o nome à construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Muralha de Lugo: Patrimônio da Humanidade

No centro de Lugo, antiga Lucus Augusti, ergue-se imponente a famosa Muralha Romana da cidade, que rodeia a parte histórica num perímetro de mais de 2 km de comprimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALugo é considerada a cidade mais antiga de toda a Galícia, com mais de 2 mil anos de história. Cerca de 300 anos depois de sua fundação, se construiu esta espetacular estrutura defensiva, a única de todo o Império Romano que conserva íntegro seu traçado original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu excelente grau de conservação e sua importância histórica foram reconhecidos com vários títulos como Monumento Nacional em 1921, Bem de Interesse Cultural em 1985 e Patrimônio da Humanidade, desde o ano 2000.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA  A Muralha Romana de Lugo foi construída no final do século III e princípio do século IV dC. Possui um formato quadrangular e as esquinas redondeadas. Sua altura varia de 8 a 12 m, e os cubos semicirculares que a compõem têm um diâmetro entre 10 e 13m.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA muralha é classificada dentro de um grupo denominado Estilo Legionário Hispânico, e foi projetada segundo os princípios do grande arquiteto Vitrubio para a arquitetura militar. Originalmente possuía 85 cubos ou torres, dos quais se conservam 72.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO esplendor de Lucus Augusti ocorreu justamente no momento em que a cidade foi fortificada. A construção deste excepcional sistema defensivo foi realizada em função dos conflitos internos existentes na época, mais que pelo temor das invasões bárbaras que já assolavam o Império Romano naquele momento. Seus principais materiais construtivos, a pedra de granito e a ardósia, se encontram nas imediações da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua parte inferior, fossos com mais de 20 metros de largura e 5 de profundidade dificultavam ainda mais a aproximação do inimigo. O acesso à parte superior das torres é possível através das escadas existentes ao longo da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO caminho de ronda da parte superior da muralha, em espanhol denominado Adarve, constitui um tradicional passeio pela cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI se castigava com 30 dias de prisão e uma pesada multa a todos aqueles que se atrevessem a roubar materiais da muralha. No século seguinte, o rei responsabiliza o bispo de Lugo para qualquer reforma ou intervenção realizada em sua estrutura. Na segunda metade do século XVIII, esta responsabilidade passa a ser da prefeitura da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1972, foram derrubados 81 edifícios que se encontravam adossados à muralha em sua parte exterior, dentro do processo de sua restauração geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara compreender sua importância e o processo histórico de sua dilatada existência, convém visitar o Centro de Interpretação da Muralha de Lugo, situado numa das Oficinas de Turismo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o traçado geral da Muralha Romana de Lugo

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOriginalmente, cada torre estava composta por janelas em seus dois ou três níveis. Para sua defesa, eram necessários 4 arqueiros em cada torre, totalizando cerca de 350 arqueiros…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, publicarei a segunda parte da matéria sobre a grande Muralha Romana de Lugo