Último dia em Murcia

Durante os passeios que realizei por Murcia, alguns interessantes edifícios me chamaram a atenção, por sua curiosa decoração vanguardista. Abaixo, vemos uns exemplos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo meu último dia na cidade, conheci o Museu Arqueológico de Murcia, local essencial para descobrir seu passado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInaugurado em 1864, possui um amplo acervo de peças arqueológicas, que compreendem a pré-história, as culturas ibérica, romana e visigoda, entre outras.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs salas do museu estão dispostas ao redor de um grande pátio interior, onde foram colocados diversos escudos nobiliários em pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de visitar o Museu Arqueológico, dei uma bela relaxada no Jardim de Floridablanca, situado no Bairro do Carmem. Inaugurado em 1848, é considerado o primeiro jardim público de toda a Espanha. Seu nome é uma homenagem a José Moñino Redondo (Murcia-1728/Sevilha-1808), mais conhecido como Conde de Floridablanca. Político, economista e jurista, ocupou o cargo de ministro do monarca Carlos III e foi o responsável pela urbanização do bairro. Uma estátua do Conde de Floridablanca de 1849 pode ser vista no parque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras estátuas, representativas de personagens importantes da vida cultural da cidade foram colocadas, como o Monumento ao Nazareno Colorao, esculpida por Antonio Campillo. Representa a um dos personagens mais importantes das festividades da Semana Santa de Murcia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa entrada do jardim vemos a antiga portada do Matadouro da cidade, de 1748.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem próximo ao jardim, uma outra escultura homenageia o Sardineiro, figura central de uma das festas mais populares da cidade, o chamado Enterro da Sardinha, de caráter carnavalesco. Esta festa foi declarada de Interesse Turístico Internacional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo foi dito na primeira matéria sobre Murcia, a cidade ostenta o título de A Horta da Espanha, pela excelência de seus legumes, verduras, etc. Tive o privilégio de conhecer o Restaurante Acuario, localizado no centro da cidade, bem perto da catedral. As palavras não são suficientes para expressar a delícia de sua gastronomia, o cuidado com que os pratos são preparados, e a atenção e simpatia de seus funcionários.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Chef Marcos, responsável pela cozinha do restaurante, realizou diversas obras de arte espalhadas pelo estabelecimento. Sua singularidade reside em que foram realizadas utilizando como material vários tipos de açúcar, e retratam monumentos emblemáticos de Murcia, como suas igrejas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante dois anos, esteve trabalhando em seu projeto mais ambicioso, a construção da Catedral de Murcia, toda ela feita do mesmo e doce material. Uma pena que não se pode, através da foto, contemplar devidamente o resultado, pois foi colocada numa estrutura de vidro. Mesmo assim, publicarei a foto, pois vale a pena…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO  Chef Marcos, artista na cozinha e também como escultor, realizou também outros monumentos famosos da Espanha, como o Aqueduto de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMinha despedida de Murcia não poderia ter sido melhor, ao admirar estas verdadeiras obras de arte, e saborear os maravilhosos pratos oferecidos. No entanto, minha viagem pela Comunidade Murciana não havia ainda finalizada, pois da capital fui conhecer outro destino turístico fundamental da região, a cidade de Cartagena, que em breve vocês verão no blog…

Anúncios

Real Cassino de Murcia – Parte 2

Neste segundo e último post sobre o Real Cassino de Murcia, veremos algumas das principais estâncias de seu belíssimo interior. Em 1983, o edifício foi declarado Monumento Histórico-Artístico por sua importância arquitetônica, decorativa e até mesmo social. As dependências do Real Cassino se organizam ao redor de sua Galeria Central, que vemos abaixo com seu teto coberto de vidro e em forma de L, além de um detalhe de sua decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO grande destaque da chamada Biblioteca Inglesa, construída em 1913, fica por conta de sua tribuna superior, talhada em madeira e sustentada por estruturas que representam flamingos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO denominado Pátio Pompeiano é realmente uma beleza, rodeado por esculturas de divindades clássicas. No centro, a deusa Vênus, obra realizada pelo artista José Planes.OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Real Cassino possui uma importante coleção de pinturas do séc. XIX, que adornam várias de suas salas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cafeteria….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Salão de Bailes constitui uma de suas partes mais importantes e foi decorado no estilo Luis XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teto, todo pintado, representa os distintos ofícios artísticos em formas alegóricas. Retratos de personagens ilustres da cidade, como o Conde de Floridablanca, que ocupou importantes cargos políticos no final do séc. XVIII, e o escultor Francisco Salzillo, que vimos numa matéria especial, também integram o conjunto de pinturas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra sala recebeu um outro tipo de decoração no teto, igualmente interessante…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos outros lugares de interesse em Murcia, e com ele finalizaremos a matéria sobre esta surpreendente cidade.

 

Real Cassino de Murcia

A denominada Calle Trapería é uma das ruas mais movimentadas da cidade. Aberta no final do séc. XIII pelo rei Jaime I, nela se concentrava o comércio de tecidos. Em seu perímetro, está situado um dos monumentos mais incríveis de Murcia, e por isso mesmo, um dos mais visitados de toda a Comunidade Murciana, o Real Cassino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAÉ difícil mostrar-se indiferente diante de tanta beleza, concentrada num único lugar. O Real Cassino de Murcia foi construído a partir de 1847, combinando variados estilos artísticos, que coexistiram na segunda metade do séc. XIX. A fachada, por exemplo, é de estilo eclético com influências modernistas e históricas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada principal foi realizada pelo arquiteto Pedro Cerdán (1863/1947), responsável por várias obras neste estilo em toda a região de Murcia. Apesar de ser a sede da instituição que funciona como um clube privado, é possível visitá-lo, oferecendo também diversas atividades culturais em sua programação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARestaurado integralmente entre 2006 e 2009, o título de Real Cassino foi outorgado pelo rei Juan Carlos I, logo após as reformas. Depois de passar pela entrada, vemos uma belíssima sala construída e decorada com uma combinação de madeira e vidro, realizada por Manuel Castaños.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço de entrada permite o acesso ao chamado Salão Árabe, inspirado na arquitetura da Alhambra de Granada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste maravilhoso salão com conotações históricas foi igualmente projetado por Manuel Castaños. Abaixo,vemos alguns detalhes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Salão Árabe está coberto por uma grande cúpula de vidro. Uma inscrição percorre todo seu diâmetro. Diz: “Nada é mais grande que Alá.”

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde sua fundação, o Real Cassino de Murcia tornou-se uma das instituições mais destacadas da vida social dos seus habitantes. O Salão Árabe nos conduz à Galeria Central, totalmente coberta por uma estrutura de vidro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADeclarado Monumento Histórico-Artístico em 1983, o Real Cassino está composto por várias dependências de grande beleza, organizadas em torno à Galeria Central. Na próxima matéria, veremos as principais, e vocês terão uma ideia de sua riqueza decorativa…

Real Monastério de Santa Clara – Parte 2

No post anterior, vimos como o antigo palácio árabe do séc. XIII se transformou na residência real dos monarcas castelhanos, depois da reconquista da cidade. Em 1365, o rei Pedro I “El Cruel” cedeu todas as estâncias do palácio à Ordem das Irmãs Pobres de Santa Clara, mais conhecida como Ordem das Clarissas, que desde então é a proprietária do monastério. Dois anos depois, as freiras obtiveram a permissão para adaptar o palácio às necessidades conventuais. No final do séc. XV, o monastério atingiu um momento de esplendor, quando recebeu a proteção pessoal dos Reis Católicos, momento em que se construiu o claustro e a igreja no estilo gótico. No séc. XVII parte do monastério foi reformado, incluindo a igreja, que adotou a estética barroca. No século seguinte, foi decorada no estilo rococó. Abaixo, vemos o coro alto do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma rica coleção de retábulos barrocos, mas o destaque é o baldaquino que preside a igreja, de inspiração italiana, realizado por José Ripoli e Francisco Salzillo, cuja obra vimos recentemente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cúpula da igreja recebeu uma esbelta decoração…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XX, o Monastério de Santa Clara viveu tempos difíceis, pois durante a Guerra Civil foi utilizado como quartel de tropas. Felizmente, nos anos 60 as freiras retornaram e na década de 80, este que é considerado o primeiro monastério feminino fundado em Murcia, foi restaurado. A seção de Arte Sacra que integra o museu acolhe importantes e belas peças artísticas, entre pinturas e esculturas, algumas das quais já vimos na matéria publicada sobre Francisco Salzillo. A seguir, vemos outras obras, pertencente principalmente ao período barroco. Abaixo, uma visão geral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa escola murciana, vemos esta Virgem do Rosário, do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtribuído a Jerónimo de Ballesteros, o quadro abaixo retrata a Morte de Santa Clara, realizado entre 1595 e 1597.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do séc. XVI, a representação da Última Ceia. Ignoro o autor….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtribuído a Roque López, vemos esta bela escultura do Menino Jesus com o Cordeiro, do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas obras são anônimas, como as que vemos a seguir. Uma Imaculada, do séc. XVIII (lembra as virgens pintadas por Murillo…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do séc. XVIII, a escultura de Santa Catalina de Bolonha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com um quadro da Santa Face, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, vocês conhecerão um dos locais mais surpreendentes e visitados da cidade, o Real Cassino de Murcia. Não percam !!!!

Real Monastério de Santa Clara – Murcia

A matéria de hoje está dedicada ao Real Monastério de Santa Clara, uma das mais importantes e, por incrível que pareça, desconhecidas construções de Murcia. Este monastério possui um significativo papel não só para a  cidade, mas para todo o país nos aspectos históricos, artísticos e, principalmente, arqueológicos. Originário do séc. XIV, foi construído sobre um antigo palácio muçulmano do séc. XIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesde o séc. XIV, o monastério pertence à Ordem das Clarissas, que ainda vivem no local. Mas tudo começou no séc. XII, durante o próspero período governado pelo rei da Taifa de Murcia IBN MARDANIS (1147/1172), que ordenou a construção de um palácio residencial. Este Alcázar, denominado AL DAR al SUGRA, foi parcialmente destruído durante a conquista da cidade pelos Almohades, em 1172. No interior do monastério, podemos observar os restos arqueológicos deste palácio primitivo, referentes ao pavilhão central do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XIII, entre 1228 e 1238, um outro rei árabe murciano, IBN HUD al MUTAWAKKI, mandou construir outro palácio no mesmo lugar do anterior, sendo desta vez chamado de Alcázar SEGUIR. A maior parte dos restos conservados pertencem a este palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs achados arqueológicos do Palácio SEGUIR possuem um grande interesse para a arte e arquitetura da Península Ibérica durante a época muçulmana. Isso porque é considerado o melhor expoente do período de transição da Arte Almohade (cujo máximo representante é a torre campanário da Catedral de Sevilha, conhecida como La Giralda, e o Real Alcázar, situado na mesma cidade) ao Período Nazarí, cujo monumento mais importante é a Alhambra de Granada. Podemos apreciar suas principais características nos arcos e no novo desenho do pátio. Nele, se construiu uma grande Alberca em sua parte central, uma construção hidráulica em forma de lago para o armazenamento de água. É considerada um precedente dos palácios nazaríes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAGraças aos estudos realizados, as plantas situadas ao redor da alberca reproduzem a flora original existente no palácio. Abaixo, vemos a elegante portada de um dos salões do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAté os dias de hoje, este é o único palácio com estas peculiaridades encontrado em todo o território espanhol. Em 1267, depois que a cidade passou a ser controlada pelos cristãos, o Alcázar SEGUIR se transformou na Casa Real da Monarquia Castelhana. Personagens como Alfonso X “El Sábio” e Jaime I nele viveram algumas temporadas. No monastério podemos visitar um Museu, com uma seção de Arte Sacra, que veremos na próxima matéria, e outra com achados arqueológicos muçulmanos. Alguns deles vemos a continuação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo séc. XIII, vemos exemplares de cerâmica árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPertencente a Mesquita de Murcia, sobre a qual foi construída a Catedral, vemos este capitel com uma decoração conhecida como Ninho de Abelhas (mármore branco, séc. X).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo séc. XIII, uma inscrição comemorativa da construção de uma das torres que faziam parte da muralha de Murcia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta outra inscrição abaixo pertence a lapida fundacional de uma mesquita de Alicante, do séc. X. Entre outras coisas, diz: “Em nome de Deus o Clemente, o Misericordioso. Não existe outra divindade que Deus. Maomé é o enviado de Deus.” Escrito em linguagem cúfica, aparece também o nome do construtor do monumento, IBN MARYAN BN AL-BANNÁ.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post publicarei a segunda e última parte do Real Monastério de Santa Clara.

Francisco Salzillo

O post de hoje complementa a matéria anterior, pois trata de uma das maiores personalidades artísticas nascidas em Murcia, com uma enorme importância dentro do Barroco Espanhol. Francisco Salzillo y Alcaraz (1707/1783) é considerado o escultor mais representativo do séc. XVIII, e um dos grandes nomes deste estilo em todo o país. Sua vida transcorreu totalmente na cidade de Murcia, e o ofício de escultor aprendeu de seu pai, o artista de origem italiana Nicolás Salzillo, cuja escultura de São José (princípio do séc. XVIII) podemos apreciar no Monastério de Santa Clara, local de importância histórica fundamental que em breve veremos no blog.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA obra de Francisco Salzillo, de temática exclusivamente religiosa, pouco a pouco foi adquirindo fama, recebendo inúmeros encargos para a decoração de igrejas e conventos de Murcia e das províncias limítrofes, como Alicante, Albacete e Almeria. No Museu Catedralício, podemos contemplar muitas de suas esculturas, como este Cristo Crucificado, realizado em 1766.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada uma das maiores esculturas do Barroco Espanhol, este São Jerônimo é uma maravilhosa obra de arte, também exposta no Museu Catedralício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm sua  carreira, Francisco Salzillo quase sempre empregou como material a madeira policromada. Graças a seu pai, recebeu a influência da escola italiana. Outra de suas influências foi o escultor francês Antonio Dupar, assim como a própria tradição da escola espanhola. A seguir, vemos a escultura da Virgen de la Leche, também no Museu Catedralício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASalzillo não enfocava os aspectos dramáticos das cenas e personagens, preferindo um conceito mais naturalista e de beleza idealizada, características do momento final do barroco e do período de transição ao rococó e ao neoclassicismo. De 1770, vemos este Cristo Crucificado, exposto no Monastério de Santa Clara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua obra pode ser admirada no Museu Salzillo, inaugurado em 1960 dentro da Igreja de Nuestro Padre Jesus, de finais do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja é a sede da Confraria de Nuestro Padre Jesus de Nazareno, que na sexta feira santa sai em procissão com as imagens criadas pelo célebre artista no séc. XVIII. Em 1935, o templo foi declarado Monumento Histórico-Artístico e as coleções do museu receberam o mesmo título em 1962.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFrancisco Salzillo foi nomeado escultor da cidade em 1755 e criou a Escola Murciana de Escultura, cuja importância transcendeu a época em que viveu, e sua influência se manifesta até os dias atuais. Apesar de ter realizado uma grande quantidade de obras, muitas delas se perderam durante a Guerra Civil Espanhola (1936/1939). No entanto, o reconhecimento de sua obra se mantêm intacto. O grande escultor foi homenageado com um monumento na Praça de Santa Eulália em 1899, em frente a igreja de mesmo nome.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Barroco em Murcia

O século XVIII foi um período de grande desenvolvimento para a cidade de Murcia, favorecendo a explosão da Arte Barroca, o estilo artístico em voga naquele período. Igrejas e conventos foram construídos e reformados segundo a estética barroca, como o Convento de Santa Ana, por exemplo. Apesar deter sido fundado em 1490, a igreja foi edificada no séc. XVIII, a terceira construída depois de sua criação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA popular Igreja del Carmen, situada no bairro de mesmo nome, também pertence ao séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Plaza de Santa Eulália, junto aos restos de um cemitério muçulmano e de uma das portas conservadas da muralha medieval de Murcia, que vimos recentemente no blog, foi erguida a Igreja de Santa Eulália em 1766, no estilo rococó.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo vimos no post anterior, a Universidade de Murcia ocupa o local do antigo Convento de la Merced. Se conserva apenas a igreja, situada ao lado da universidade. Originária do séc. XVI, foi reformada no séc. XVIII e sua fachada se caracteriza pela rica decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADe todos os templos que visitei, o que mais me impressionou foi a Igreja de San Juan de Dios, situada próxima à catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando entrei na igreja, fiquei encantado por sua beleza e por sua inusual planta ovalada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAToda a cúpula da igreja está decorada com pinturas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço interior está organizado por 6 capelas que se intercomunicam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma excelente coleção de esculturas religiosas, que abrangem o período do séc. XV ao XX. Uma das mais importantes é a escultura de Cristo Jacente, uma obra do séc. XVI atribuída ao artista Diego Ayala. Situada na Capela de la Soledad, esta escultura sai em procissão no sábado santo, com grande devoção popular.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade e o privilégio de assistir a um excelente concerto de música antiga no interior da igreja, oferecido pelos jovens talentos do Conservatório de Música de Murcia, um dos momentos mais gratificantes de minha visita à cidade. Em relação ao Barroco, não podemos esquecer a maravilhosa fachada da Catedral, que vimos na matéria a ela dedicada. No próximo post, destacaremos a vida e obra de um dos personagens artísticos mais importantes de Murcia, que consagrou em todo o país o estilo barroco, Francisco Salzillo.