Um Passeio por Trujillo

Trujillo está situada a cerca de 50 km de Cáceres, a capital provincial, e cidade onde me hospedei para explorar seu impressionante centro histórico, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Em breve, publicarei diversas matérias sobre esta cidade da Extremadura. Em Trujillo, passeio um dia inteiro, tempo suficiente para conhecer seus principais pontos turísticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATrujillo possui um verdadeiro encanto, e passear à pé por seu centro histórico possibilita conhecer edifícios históricos de grande interesse, como a Igreja de Santiago, construída no século XIII pela Ordem de Santiago. Originalmente de estilo românico, foi reformada no século XVII. Nela se reunia o conselho da cidade, numa época em que ainda não existiam as chamadas Casas Consistoriais, ou prefeitura. Ao lado do templo, vemos a Porta de Santiago, uma das portas da muralha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA atual Prefeitura de Trujillo está sediada num edifício construído em 1566.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente neste edifício situava-se o pósito, isto é, um local utilizado como armazenamento de grãos para serem distribuídos em época de colheitas insuficientes (este aspecto reflete a relevância da cidade, pois este tipo de construção somente existia nas cidades mais importantes). Foi também prisão de Trujillo, e em 1888 passou a ser a sede do Ayuntamiento (prefeitura), momento em que foi reformado para sua nova função. Em cima da porta de madeira, vemos o escudo da cidade, um dos mais antigos de Extremadura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local significativo do ponto de vista histórico e cultural é o Monastério de San Francisco “El Real”, fundado na segunda metade do século XV para a comunidade religiosa da Ordem das Clarissas.

DSC02237As religiosas que o habitaram pertenciam à nobreza local e teve grande influência na vida da cidade. Por este motivo, o Rei Juan II concedeu o título de “Real” ao convento, pelos serviços prestados. Sua igreja foi construída no estilo gótico. Abaixo, vemos algumas fotos do claustro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do século XVIII, o monastério entrou em decadência, processo que culminou com a Invasão Francesa de início do século XIX. Finalmente, com a Desamortização de Mendizábal de 1836, as freiras foram obrigadas a abandoná-lo. Em 1969, o professor Xavier de Salas iniciou um processo de restauração que finalizou somente em 1981, quando o antigo convento passou a ser a sede da fundação que leva seu nome. Seu objetivo primordial é a promoção e defesa do patrimônio histórico de Trujillo e também das artes e das culturas hispano-americanas, servindo de elo entre a Espanha e o continente americano. A vista é gratuita e podemos encontrar diversos objetos procedentes das culturas de diversos países da América Latina. De grande beleza são os objetos artesanais, como esta reproduçao da Catedral Peruana de Huamanga.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPeças provenientes dos antigos povos pré colombianos também fazem parte da exposição, além de outros ofícios artesanais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO próximo post estará dedicado à Plaza Mayor de Trujillo, um belíssimo local que se transformou num dos símbolos da cidade. Finalizo a presente matéria com outras imagens do Centro Histórico de Trujillo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Real Monastério de Santa Clara – Parte 2

No post anterior, vimos como o antigo palácio árabe do séc. XIII se transformou na residência real dos monarcas castelhanos, depois da reconquista da cidade. Em 1365, o rei Pedro I “El Cruel” cedeu todas as estâncias do palácio à Ordem das Irmãs Pobres de Santa Clara, mais conhecida como Ordem das Clarissas, que desde então é a proprietária do monastério. Dois anos depois, as freiras obtiveram a permissão para adaptar o palácio às necessidades conventuais. No final do séc. XV, o monastério atingiu um momento de esplendor, quando recebeu a proteção pessoal dos Reis Católicos, momento em que se construiu o claustro e a igreja no estilo gótico. No séc. XVII parte do monastério foi reformado, incluindo a igreja, que adotou a estética barroca. No século seguinte, foi decorada no estilo rococó. Abaixo, vemos o coro alto do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja possui uma rica coleção de retábulos barrocos, mas o destaque é o baldaquino que preside a igreja, de inspiração italiana, realizado por José Ripoli e Francisco Salzillo, cuja obra vimos recentemente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cúpula da igreja recebeu uma esbelta decoração…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo séc. XX, o Monastério de Santa Clara viveu tempos difíceis, pois durante a Guerra Civil foi utilizado como quartel de tropas. Felizmente, nos anos 60 as freiras retornaram e na década de 80, este que é considerado o primeiro monastério feminino fundado em Murcia, foi restaurado. A seção de Arte Sacra que integra o museu acolhe importantes e belas peças artísticas, entre pinturas e esculturas, algumas das quais já vimos na matéria publicada sobre Francisco Salzillo. A seguir, vemos outras obras, pertencente principalmente ao período barroco. Abaixo, uma visão geral…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADa escola murciana, vemos esta Virgem do Rosário, do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtribuído a Jerónimo de Ballesteros, o quadro abaixo retrata a Morte de Santa Clara, realizado entre 1595 e 1597.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do séc. XVI, a representação da Última Ceia. Ignoro o autor….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtribuído a Roque López, vemos esta bela escultura do Menino Jesus com o Cordeiro, do séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas obras são anônimas, como as que vemos a seguir. Uma Imaculada, do séc. XVIII (lembra as virgens pintadas por Murillo…).

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém do séc. XVIII, a escultura de Santa Catalina de Bolonha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com um quadro da Santa Face, do séc. XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, vocês conhecerão um dos locais mais surpreendentes e visitados da cidade, o Real Cassino de Murcia. Não percam !!!!

Antequera – Cidade das Igrejas

Antequera é um exemplo perfeito do que se costuma denominar Cidade Conventual, devido ao grande número de monastérios e conventos que foram construídos a partir do séc. XVI. Nesta época, passa a ser conhecida como a Cidade das Igrejas, quando foram edificados vários templos para as distintas ordens religiosas que se estabeleceram. A Igreja de Santa María de Jesús é uma delas. Foi construída a partir de 1527 como igreja conventual da Ordem Terceira de São Francisco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de sua sobriedade exterior, o interior da igreja é belíssimo, como em todas as igrejas da cidade que pude visitar. O destaque fica por conta da Capela Maior, composta por três belos retábulos. O central está dedicado à Virgem do Socorro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste retábulo foi realizado em 1725 por um mestre antequerano, Antonio Ribera. Abaixo, vemos outra foto dos retábulos e a cúpula pintada existente sobre a Capela Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma imagem muito venerada é a de Jesus Nazareno, que vemos a seguir…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas antigas dependências conventuais funciona o Museu das Confrarias. O séc. XVIII, pertencente ao barroco, foi uma etapa de grande pujança para Antequera, e deste período corresponde a maior parte do patrimônio artístico e histórico existente. A cidade transforma-se num grande centro produtor de retábulos de enorme qualidade artística. Em alguns pontos da cidade, podemos contemplar curiosas capelas, construídas neste momento. A denominada Capela-Tribuna da Virgem do Socorro situa-se ao lado da Igreja de Santa María de Jesús, formando um dos conjuntos mais interessantes da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela aberta foi originalmente construída em 1715 como um ponto de parada ritual, junto a outras que existem na cidade, para o trajeto da procissão da sexta-feira santa das Confrarias de Santa Cruz de Jerusalém e de Nossa Senhora do Socorro, com sede canônica na Igreja de Santa María de Jesús. O estilo da capela é o Barroco-Mudéjar, com o predomínio do tijolo e da pedra calcária como materiais construtivos. Na parte superior foi colocado uma imagem da Virgem do Socorro para a veneração popular. Inspirada na capela acima, a Capela da Cruz Blanca  é de 1774, e também faz parte da rota da procissão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra instituição religiosa de grande interesse é o Convento de Belén. Desde sua fundação em 1640 até a Desamortização de Mendizábal, ocorrida em 1836, funcionou como Convento da Ordem dos Carmelitas Descalços. A partir de 1859, passou a receber freiras da Ordem Clarissa. Exemplo de construção maneirista e um modelo característico dos conventos castelhanos do séc. XVII. Os três corpos de sua fachada oferecem uma sensação de harmonia e uma perfeita combinação de pedra e tijolo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA planta interior foi realizada por Tomás de Melgarejo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMaravilhosa é a decoração feita de gesso por Francisco Asensio Carrizo em 1704, que podemos observar por toda a estrutura do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a Capela Maior

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO órgão é de 1791…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre as inúmeras obras de arte que adornam o interior, me chamou a atenção um quadro de procedência mexicana. Do séc. XVII, representa a Virgem das Sete Dores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, a arquitetura religiosa em Antequera é quantitativa e qualitativamente imensa, e as obras artísticas que acolhem, de uma grande riqueza e variedade. Nesta matéria, vimos uma pequena mostra de seu patrimônio religioso.

Monastério de San Antonio El Real – Segovia

Outro lugar que tive a oportunidade de visitar em minhas viagens a Segovia foi o Monastério de San Antonio El Real, um local realmente surpreendente.Como já foi dito em outra ocasião, o séc. XV representou uma época de prosperidade para Segovia, cujo esplendor podemos observar neste monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta instituição religiosa foi fundada em 1455 pelo rei Enrique IV, que manteve uma estreita ligação com a cidade de Segovia desde que nela passou a viver, sendo um de seus lugares favoritos, junto com Madrid. Em 1440, Juan II cedeu o senhorio de Segovia a seu filho Enrique IV, que contribuiu com várias obras para a cidade. O monastério foi construído numa zona de recreio que o rei possuía fora do recinto amuralhado da cidade, chamado El Campillo. O local foi cedido à Ordem dos Franciscanos para a construção de um convento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO documento fundacional de 1455 parece indicar a existência de uma construção prévia ao monastério, provavelmente a conhecida Casa do Príncipe, mandada construir por Juan II para seu filho. Com a construção do monastério, esta edificação passou a funcionar como enfermaria. Abaixo, vemos a porta principal do convento, atribuída aos arquitetos Juan Guas e Enrique Egas, onde podemos apreciar dois escudos de armas de Enrique IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1488, Isabel la Católica, irmã de Enrique IV, cedeu o conjunto à Ordem das Clarissas, que realizou várias reformas para adaptar o espaço às suas necessidades conventuais. Uma outra porta foi erguida no séc. XVIII, e nela estão representados Enrique IV junto a San Antonio de Pádua e sua irmã Isabel, com Santa Clara. Ambos monarcas aparecem em atitude orante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO estado de conservação do monastério é excelente, e podemos conhecê-lo da mesma forma em que foi concebido originalmente. A seguir vemos o Claustro dos Franciscanos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo final do séc. XV, se construiu um monastério independente, organizado em torno a outro claustro, que dividia com o Monastério das Clarissas a Capela Maior. No entanto, esta parte do conjunto foi abandonada e transformada num armazém, e em 2007 se converteu numa hospedaria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja do Monastério de San Antonio possui um aspecto sóbrio, em contraste com a Capela Maior, ricamente decorada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Retábulo Maior  foi  realizado em 1730, em madeira dourada. Um dos grandes tesouros do monastério é a grande quantidade de tetos decorados com artesanato mudéjar. Um deles decora Capela Maior, bem em cima do retábulo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO artesanato mudéjar está composto por estrelas de 5 e 10 pontas e policromado em azul, vermelho e ouro. Sua conotação simbólica está relacionado com a vitória do rei Enrique IV sobre os muçulmanos na Batalha de Jimena, além de ser também uma representação celestial. Na nave encontramos uma obra de arte excepcional, o Retábulo da Paixão. Realizado por um artista flamenco no séc. XV em madeira talhada e policromada, consta de 135 figuras que se caracterizam pela expressividade e individualização dos gestos e rostos, dotando o conjunto de um grande caráter teatral. Este retábulo foi inspirado nas obras dos geniais artistas flamencos Jan Van Eyck e Roger Van Der Weiden. Uma estrutura de vidro o protege e as fotos não saíram boas. mesmo assim, vale a pena reproduzi-las aqui, para que tenham uma ideia de sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de Pedralbes – Barcelona

O Real Monastério de Santa Maria de Pedralbes, situado em Barcelona, não faz parte dos roteiros turísticos tradicionais pela cidade, mas merece, e muito, ser conhecido.

Fundado pelo rei Jaime II e sua esposa, Elisenda de Montcada, em 1327, foi habitado desde o início por uma comunidade de monjas clarissas, a rama feminina da Ordem de São Francisco, e que continuam vivendo no local, 7 séculos depois de sua fundação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Depois da morte do rei, Elisenda ordenou a construção de um palácio anexo, no qual viveu até sua morte, em 1364. Os restos de dito palácio, destruído por ordem expressa da rainha em seu testamento, foram encontrados nos anos 70 do século passado.

Devido à rapidez de sua construção, o monastério apresenta uma grande unidade estilística, sendo considerado um dos grandes exemplares do gótico catalão. Seu nome origina-se do latim, Petras Albas, em referência às pedras brancas com as quais foi edificado. Abaixo, vemos a fachada principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A visita pelo edifício nos permite conhecer as diversas dependências monásticas e também a forma de vida de uma comunidade residente num convento de clausura.

A igreja está formada por uma grande nave, na qual contemplamos os vitrais do séc. XIV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, imagens do púlpito e uma visao geral do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral do presbitério, encontramos o sepulcro da rainha fundadora, que possui a curiosidade de possuir duas faces. Na parte voltada à igreja, Elisenda está vestida como rainha, e na parte que dá ao claustro, está representada como viúva.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro é considerado um dos maiores de toda a Europa, e possui abundante vegetação, tornando ainda mais agradável o passeio por seu entorno.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANele, vemos vários sepulcros de famílias nobres da Catalunha, localizados em seus muros e também no solo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de São Miguel constitui uma das partes mais importantes do conjunto, por conservar pinturas murais realizadas em 1346 pelo artista Ferrer Bassa, e que mostram a influência que recebeu do pintor italiano Giotto. Foi criada como capela de oração particular de Sor Francesca de Saportella i Pinos, sobrinha da rainha Elisenda e segunda abadesa do monastério, depois do falecimento da rainha. Ferrer Bassa era considerado o pintor catalão mais relevante da época, e introduziu na Península Ibérica a pintura gótica trecentista italiana. O conjunto pictórico está representado por uma rica iconografia, entre os quais destacam o ciclo de paixão e morte de Jesus, cenas do Juízo Final e efígies de santos, como os de Santa Clara e São Francisco. O bom estado de conservação se explica, já que durante séculos, o espaço foi destinado para guardar roupas, contribuindo para a conservação das pinturas, livres das agressões da luz e da umidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o sepulcro da abadesa Francesca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na parte superior do claustro, vemos as celas nas quais se retiravam as religiosas, para seu recolhimento pessoal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na Sala Capitular, que como o próprio nome indica, eram lidos os capítulos e também se discutiam assuntos relativos à comunidade, vemos um mural da crucificação (1337?).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na visita, podemos conhecer também o refeitório e a cozinha

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante as refeiçoes, as religiosas comiam em silêncio, enquanto desde o púlpito eram lidas passagens da bíblia. Abaixo, outra foto do refeitório e da cozinha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

No antigo dormitório, podemos apreciar a exposição “Tesouros do Monastério”, uma coleção das melhores obras de arte e objetos litúrgicos recolhidos pela comunidade durante seus prolongados anos de existência.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa foto a seguir, vemos uma arqueta, normalmente utilizada para guardar relíquias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1931, o Monastério de Pedralbes foi incluído na lista de Monumento Histórico-Artístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Carrión De Los Condes – Segunda Parte

Continuando a visita por Carrión de los Condes, o centro da cidade está presidido pela Praça Maior, na qual podemos ver os principais edifícios civis e religiosos da cidade. De um lado, está a Casa Consistorial, construída em 1868 e que substituiu a anterior, incendiada durante a Guerra da Independência em 1811.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado, localiza-se uma das obras primas do Românico Espanhol, a Igreja de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe finais do séc. XII, sua fachada principal é reconhecida como uma das mais belas do estilo, com uma decoração escultórica realmente maravilhosa. Realizada em 1160, é uma das poucas partes originais de todo o conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em sua parte superior, vemos a figura do pantocrátor (Cristo em majestade), encerrado numa mandorla mística e cercado pelos tetramorfos (representação animal referente aos 4 evangelistas: Leão/São Marcos, Águia/São João, Anjo/São Mateus e Toro/São Lucas).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A ambos lados do pantocrátor, estão representados um apostolário completo, com 6 estátuas de cada lado (as do lado sul estão praticamente sem cabeças).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A arquivolta central está composta por 24 figuras que representam um verdadeiro mostruário de ofícios medievais, além de mostrar com fidelidade e detalhe a indumentária que cada um utilizava.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os capitéis que decoram as colunas representam a luta entre o bem e o mal, como neste de abaixo, em que cabeças demoníacas tentam arrebatar a alma dos personagens que estão ao seu lado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo conjunto, a portada é uma manifestação da visão apocalíptica de San Juan, evocando a Cristo como juiz dos mortos e com o livro da vida, rodeado pelos evangelistas e os apóstolos, que guardam as 12 portas da Jerusalém Celestial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Durante a Guerra da Independência, o templo foi quase praticamente destruído e, em 1849, a igreja teve que ser reconstruída. A torre é do séc. XVIII, de estilo neomudéjar. Desde 1993, o interior acolhe o Museu de Arte Sacra da cidade.

Construída para permitir a passagem do rio Carrión para peregrinos e mercadores, a denominada Ponte Maior foi erguida a finais do séc. XI, porém seu aspecto atual se deve a reformas feitas no final do séc. XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANela, obtêm-se uma bela vista do rio e da Igreja de N.Sra de Belém, construção gótica de finais do séc. XV, e que guarda a imagem da Virgem de Belém, padroeira da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ao lado da ponte, um agradável parque convida à contemplação e ao passeio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos nossa visita no Monastério de Santa Clara. Este edifício conventual foi levantado em 1260, e pertence à Ordem das Clarissas, sendo um dos mais antigos de toda a Espanha referente a dita congregação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua história, o monastério caracterizou-se pela ininterrupçao de sua vida religiosa. A fachada da igreja é renascentista, construída entre 1614/1621.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior, o retábulo maior é barroco (1620), presidido por uma imagem gótica da Virgem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANele vemos também o sepulcro de alabastro da Condesa de Castañeda, que em vida realizou várias doações ao monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Santa Clara nasceu em Assis em 1194 e foi uma fiel seguidora de São Francisco, com o qual fundou a Segunda Ordem Franciscana, também denominada das Irmãs Clarissas. Foi a primeira mulher em redigir uma regra conventual e ser aprovada por um papa. Faleceu em 1253, na mesma cidade onde veio ao mundo.

Carrión de los Condes, além de sua riqueza histórica e a importância  das construçoes que possui, foi também o berço de vários personagens de renome da história espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA