Portomarín – Galícia

Depois de conhecer a cidade de Ourense e o Monastério de San Esteban, minha viagem pela Galícia junto com meus amigos Marcelo e Cristina prosseguiu sentido a uma pequena cidade (pueblo) do interior da comunidade chamada Portomarín, localizada na Província de Lugo. Portomarín é um dos muitos municípios da Galícia que deve sua existência ao Caminho de Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPortomarín converteu-se numa importante parada do caminho desde  que em 1120 se construiu uma ponte sobre o Rio Miño e um hospital junto a ele. De fato, o povoado pertenceu à Ordem de San Juan e existiram vários hospitais e um leprosário. Hoje em dia os hospitais foram substituídos pelos albergues de peregrino, abundantes no local, e que oferecem hospedagem e descanso aos inúmeros peregrinos que realizam o itinerário do chamado Caminho Francês, o mais transitado e famoso de todos aqueles que levam à Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste povoado, declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1946, ficou submerso com a construção do Embalse de Belesar. Felizmente, seus principais monumentos foram desmontados e levantados novamente em sua atual localização. Quando as águas da represa atingem um nível baixo, é possível observar parte das construções inundadas, algo que não pude ver, pois havia muita água…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos monumentos conservados e que preside a entrada da vila é um dos arcos da antiga ponte…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs peregrinos que chegam ao povoado devem realizar um último esforço, subindo a escada do arco que conduz ao centro de Portomarín.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO centro do pueblo está formado por uma bela praça na qual se ergue a impressionante Igreja de San Nicolás, que veremos no próximo post, e a Casa do Conselho, como se conhece o edifício sede da Prefeitura nesta região.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm pouco mais afastado encontramos a singela mas bonita Igreja de San Pedro, que também se salvou de ser engolida pelas águas da represa.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConstruído no estilo românico, o templo preserva sua porta original, apesar de ter sofrido reformas no século XVII em sua fachada. Abaixo, vemos detalhes da porta e de sua decoração escultórica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm nossa visita à Portomarín vimos muitos peregrinos que chegavam ao povoado, caminhando ou de bicicleta, sozinhos ou em grupo, para descansar de uma das últimas etapas do Caminho Francês, que em poucos dias os levará a seu destino final, a Catedral de Santiago de Compostela, onde se encontra sepultado o Apóstolo Santiago.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar de suas construções serem recentes, salvo as relacionadas com o patrimônio histórico conservado, caminhar pelas poucas ruas do pueblo é uma experiência deveras agradável…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAVários restaurantes e lojas de souvenir oferecem aos peregrinos e ocasionais visitantes uma boa refeição e o comércio de produtos relacionados ao senderismo e lembranças do povoado.

Mesquita de Bab Al-Mardum – Toledo

Das 10 mesquitas que haviam em Toledo no período islâmico, a Mesquita de Bab Al-Mardum é a mais importante conservada atualmente. Na época de sua construçao, era um pequeno oratório orientado à Meca, para uso daqueles que chegavam ou saiam da cidade. Trata-se de um dos monumentos mais complexos de toda Espanha, possuindo evidências que vao desde o assentamento romano até o período da reconquista de Toledo (séc. XI). Representa, também, uma das construçoes mais importantes da época de esplendor do Califato de Córdoba existente no país.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mesquita foi construída em 999 dC, como comprova a inscriçao em caracteres cúficos no relevo de tijolos de uma de suas fachadas, considerada única no Islao Ocidental, por ter sido elaborada com fragmentos de tijolos ordinários. Nela aparece o nome do arquiteto construtor, Musa Ibn Ali.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte exterior está composta por 3 vaos de acesso e um corpo superior formado por arcos entrecruzados cegos. A fachada noroeste, que dá para o pátio ajardinado, está formada por Arcos de Ferradura e de Meio Ponto. O nível mais alto, por Arcos Polilobulados que marcam outros Arcos de Ferradura de estilo califal, estando decorados com tonalidades bicolores de tijolos, inspirados na Mesquita de Córdoba.

DSC09151O exterior, decorado com arquerias sobre muros de alvenaria e tijolos, contrasta com o interior, revestido de gesso. Possui planta quadrada com 8 metros quadrados, distribuídos mediante 4 colunas situadas em 3 naves paralelas e cruzadas por outras 3 naves transversais. Cada espaço está coberto por bôvedas diferentes entre si.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADSC09144Os capitéis, de origem visigoda, foram reaproveitados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a reconquista de Toledo, a mesquita foi adaptada ao culto cristao, quando o rei Alfonso VI cede o monumento aos Cavalheiros da Ordem de San Juan, que estabelecem uma ermita sob a titularidade de Santa Cruz. Passa, entao, a ser conhecida pelo nome Ermita del Cristo de la Luz, graças a um Cristo crucificado que foi colocado e substituído posteriormente por uma imagem da Virgem da Luz. Em 1187, se constrói um ábside complementer, que se tornaria famoso por ser considerado a mais antiga amostra de arquitetura mudéjar conhecida.

DSC09148Esta reforma serviu de base e inspiraçao para todas as outras construçoes do Mudéjar Toledano, o estilo arquitetônico por excelência da cidade. Do séc. XII sao as pinturas murais encontradas no interior, estando catalogadas como exemplos de Pinturas Românicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa imagem acima, vemos representado um dos motivos iconográficos mais importantes do Cristianismo, o chamado “Maiestas Domini”, ou Cristo em Majestade com atitude triunfante e rodeado pelos tetramorfos, a representaçao zoomórfica dos 4 evangelistas. Pena que nao se conservam todas as imagens. Podemos contemplar somente a águia, símbolo de Sao Joao, e o leao, símbolo de Sao Marcos. Além do mais, estao conservadas algumas pinturas de santos (as) numa de suas paredes.

DSC09143Escavaçoes arqueológicas realizadas encontraram vestígios  de épocas anteriores à construçao, bem como uma calçada romana de 5 me de largura, em excelente estado de conservaçao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos outra imagem deste monumento impressionante.

DSC09150Com a desintegraçao do Califato de Córdoba, Toledo tornou-se um Reino de Taifa (taifa de Toledo), que ocupava a quase totalidade da atual superfície da Comunidade de Castilla-La Mancha. Eram como cidades autônomas, e sem poder centralizador, facilitaram sobremanera a tarefa dos Renos Cristaos, que reconquistaram Toledo em 1085, com a tomada  do rei Alfonso VI. Realizaremos ainda muitos posts sobre Toledo, porque existem vários lugares de interesse por conhecer…

Românico em Zamora – Segunda Parte

Prosseguindo nosso roteiro pelo Românico Zamorano, a Igreja de San Cipriano possui uma origem desconhecida. Supoe-se que data do séc. XI, com reformas realizadas nos séculos posteriores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASituada na Praça Maior da cidade, a Igreja de San Juan foi levantada junto à muralha que rodeava a zona mais antiga do centro histórico de Zamora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderado o segundo templo mais antigo de todos existentes na cidade, possui uma linda fachada principal, cujo rosetón situado na parte superior foi adotado como um de seus símbolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem do interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConservada praticamente sem reformas posteriores, a Igreja de Santa Maria de la Horta foi construída no séc. XII, sendo a sede matriz da Ordem de San Juan desde 1236.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Claudio de Olivares, do séc. XI, é uma das mais notáveis, graças à rica decoraçao escultórica que se conserva em sua fachada principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa arquivolta interior, estao representados os 12 meses do ano e seus respectivos trabalhos agrícolas. Na arquivolta exterior, vemos um conjunto de figuras fantásticas, difíceis de reconhecer devido ao desgaste da pedra arenítica. Na parte superior da fachada, uma série de esculturas, denominadas de canecillos, decoram o conjunto. Algumas destas figuras representam personagens adotando atitudes eróticas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento românico conservado na cidade é a ponte de pedra que cruza o Rio Duero. Composto por 16 arcos, foi erguida no séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua história, sofreu reformas em várias ocasioes, como a que derrubou as torres existentes a ambos lados da estrutura, para facilitar o tráfico de veículos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo aspecto militar, destaca o castelo, situado ao lado da catedral, e construído a mediados do séc. XI, ainda que desta época sobrevivem poucos restos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das obras fundamentais que constituiam o conjunto de muralhas da cidade, o castelo tinha exclusivamente a funçao de defesa da localidade. Foi erguido pelo rei Fernando I, considerado o primeiro unificador das coroas de Castilla e León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPor todo o que vimos nos dois posts apresentados, uma visita à cidade de Zamora nos permite aprofundar no conhecimento deste estilo artístico que completa dez séculos de existência em terras espanholas, em sua simplicidade estrutural, riqueza simbólica e instigante ornamentaçao.

Românico em Zamora

A cidade de Zamora (Castilla y León), conserva cerca de 20 igrejas, em parte ou totalmente, do estilo original românico. Este elevado número de templos a converte na localidade com a maior concentraçao de monumentos existentes deste estilo, nao só no país, como em toda a Europa. Na Espanha, somente Segóvia pode comparar-se a Zamora neste aspecto. A criaçao da diocese de Zamora está documentada desde o séc. IX, e a belíssima Catedral Românica é seu monumento religioso principal (post publicado em 4/04/2002). Nest post, e no próximo, veremos outras de suas construçoes românicas, todas elas de caráter religioso, pois da arquitetura civil dos séc. XI, XII e XIII, nada sobreviveu à passagem do tempo.

A Igreja da Magdalena é uma das mais belas do românico zamorano. Praticamente sem excessivas modificaçoes que lhe alterassem seu aspecto original, o templo pertenceu à Ordem de San Juan, que recebeu os bens da conhecida Ordem Templária, depois de sua extinçao. Por este motivo, se especula que a igreja pode ter sido criada pela ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo está formado por uma maravilhosa portada, composta por arquivoltas decoradas com motivos geométricos, e em seus capitéis vemos figuras fantásticas, típicas da escultura românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADepois da catedral, a Igreja de San Ildelfonso é a que possui o maior grau da hierarquia eclesiástica, na cidade. Seu grande volume externo faz com que o templo se sobressaia do resto dos edifícios circundantes. Guarda em seu interior relíquias de San Ildelfonso, a cuja história está ligada depois da descoberta do corpo do santo toledano no local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA igreja sofreu inúmeras reformas, e de sua origem românica se conserva pouco de sua estrutura, como a parte inferior da torre. A portada é barroca e, no exterior, destaca os enormes arbotantes, que sustentam os grossos muros do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Esteban conserva em sua parte externa o aspecto primitivo, de finais do séc. XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuase oculta pelas casas ao seu redor, a Igreja de San Vicente sofreu várias intervençoes que alteraram sua estrutura. Porém, sua magistral torre campanário de 6 níveis é inteiramente românica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior foi totalmente modificado, uniformizando o anterior espaço de 3 naves, por uma grande nave em época posterior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIniciada no séc. XII e finalizada no século seguinte, a Igreja de Santiago del Burgo recebeu influências arquitetônicas do incipiente estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos um dos capitéis decorados do interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Igreja de San Tomé, construída aproximadamente no ano 1100 dC, conservam o ábside original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMuito antiga, a Igreja de San Isidoro foi erguida para celebrar o passo, pela cidade, das relíquias de San Isidoro, trazida desde Sevilha com destino à León, em 1060. No entanto, parece que o templo atual é de finais do séc. XII. Interessante o ábside reto, apesar das modificaçoes sofridas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizamos o post com a Igreja de Santa Maria La Nueva, que apresenta os vestígios mais arcaicos da cidade, já que em sua portada vemos a um arco de ferradura, típico da época moçárabe. Supoe-se que o templo seja de finais do séc. XI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, uma imagem dos ábsides românicos da igreja. Observamos as colunas, que atuam como contrafortes, e as típicas janelas formadas por arcos semicirculares (arco de meio ponto), característicos do estilo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA