Igreja de San Francisco Javier – Cáceres

Bem próximo à Plaza de Santa María situa-se outra praça emblemática de Cáceres, a Plaza de San Jorge, dedicada ao santo padroeiro da cidade, representado numa escultura no centro da mesma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta bela praça está presidida pela Igreja de San Francisco Javier, um santo espanhol pertencente à Ordem dos Jesuítas, e conhecido como o Apóstolo das Índias, por sua atividade missioneira no continente asiático.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta igreja barroca do século XVIII fazia parte de um antigo colégio jesuíta, situado ao lado da igreja, e que atualmente é utilizado pelo governo da Comunidade de Extremadura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fachada da igreja está composta por duas torres quadradas e uma escultura de San Francisco Javier (1506/1552), junto com o escudo de Castilla y León.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO interior da igreja segue o modelo dos templos jesuítas, com uma nave e capelas laterais que se comunicam entre si. O destaque fica por conta do Retábulo Maior, pintado na cor dourada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro do retábulo vemos uma pintura realizada pelo artista italiano Paolo de Matteis que retrata o conhecido milagre do caranguejo, um dos mais representados na iconografia de San Francisco Javier. Em uma de suas travessias pelo mar, o santo tentou acalmar uma tempestade submergindo seu crucifixo na água, fato que ocasionou sua perda. Quando chegaram à costa e triste pela perda do crucifixo, um caranguejo saiu do mar e se parou aos pés do santo, elevando o crucifixo entre suas pinças…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo estive na cidade um pouco antes do Natal, pude admirar vários presépios pela cidade. No interior da Igreja de San Francisco Javier organizaram uma exposição com beléns (presépio, em espanhol) de diversas partes do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa nave central da igreja foi montado um maravilhoso presépio feito com peças de Playmobil, que me impressionou pelo tamanho e riqueza de detalhes relacionados a várias civilizações da antiguidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA O acesso às torres estava permitido, e aproveitei para subir à parte mais elevada da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém na praça vemos um belo espaço, o Jardim de Doña Cristina de Ulloa, inaugurado em 1963 em homenagem a esposa do então prefeito da cidade, falecida num acidente de carro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Monastério de San Salvador de Oña

A história do povoado de Oña está intimamente relacionada com o poderoso Monastério de San Salvador, uma das instituições religiosas mais influentes do antigo Reino de Castilla. Tal era sua importância que os abades do monastério se converteram em Senhores de Oña.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Monastério de San Salvador foi fundado no ano de 1011 pelo conde castelhano Sancho García como um monastério duplo, isto é, feminino e masculino. O conde concedeu à sua filha Tigridia o destino da instituição até 1033, quando uma reforma introduziu a Ordem Beneditina em sua direção. É a partir deste momento quando maior crescimento e influência adquire. Abaixo, vemos uma estátua do conde fundador realizada pelo artista Bruno Cuevas e colocada na frente do monastério em 2011, com motivo da celebração de seu milenário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério chegou a ter sob sua jurisdição mais de 70 outros monastérios e igrejas espalhados pelo norte da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma nova fase de prosperidade ocorreu a partir de 1506, quando se integra à Comunidade Beneditina de Valladolid. No século XVI, nele se fundou a primeira escola de surdos-mudos de todo o mundo, graças ao trabalho desenvolvido pelo frade beneditino Fray Pedro Ponce de León, descobridor da linguagem utilizada até os dias de hoje pelos surdos. Também recebeu sua justa homenagem pela Confederação Nacional de Surdos da Espanha, em virtude da comemoração do quarto centenário de seu falecimento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem Beneditina permaneceu no monastério até que a invasão francesa do início do século XIX e a posterior Desamortização de Mendizábal provocaram destruições na construção e seu posterior abandono. Abaixo, vemos o Pórtico dos Reis, situado na entrada do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de 1835 a igreja do monastério se converte na Paróquia de Oña. As dependências do monastério somente voltarão a ser ocupadas em 1880, quando foram adquiridas pela Ordem dos Jesuítas, que instalaram um colégio com cursos de Teologia e Filosofia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalmente, em 1968 o monastério é adquirido pelo estado, que o transforma num hospital psiquiátrico e numa granja agrícola. O monastério é visitável, mas infelizmente as fotos não estão permitidas em seu interior, com exceção do claustro. A igreja foi construída no século XII e reformada no XV no estilo gótico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo interior da igreja encontra-se o Panteão Real dos Reis de Castilla, formado por arcas sepulcrais feitas com madeira de nogal e ricamente esculpidas, considerado um conjunto único na Espanha. Também se conserva o Panteão dos Condes Castelhanos, com os restos do conde fundador, Sancho García (falecido em 1017), de sua esposa Urraca e do filho de ambos, o infante García Sánchez, assassinado em 1029 na cidade de León, no dia de seu casamento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o Claustro, realizado no início do século XVI por Simón de Colonia no estilo gótico-flamígero.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO claustro possui dois níveis, sendo o inferior do século XVI e o superior do XVII…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério conserva seus jardins, que permanecem abertos para o público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveito para agradecer a hospitalidade e a simpatia da Veronica, proprietária do Hotel e Restaurante Rincón del Convento, estratégicamente localizado em frente ao monastério. Nele nos hospedamos durante os três dias em que permanecemos em Oña, disfrutando de seu conforto e de sua saborosa comida.

Almagro – Parte 2

O primeiro monumento que conheci em Almagro, pela proximidade do hotel onde me hospedei, foi a Igreja de San Bartolomé, construída com tijolo e pedra. Antiga igreja da Ordem dos Jesuítas, sua construção iniciou-se em 1625, mas as obras somente prosseguiram, por motivos econômicos, em 1733, sendo concluída na segunda metade do século XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASeu interior possui a típica planta das igrejas jesuítas, com apenas uma nave e compostas por capelas comunicadas entre si a ambos lados da nave.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas laterais, vemos tribunas entre pilastras com balcões decorados no estilo rococó a base de elementos vegetais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA titularidade do templo foi dada ao santo padroeiro da cidade, San Bartolomé (São Bartolomeu, em português), um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo. Apesar de ter sido um dos testemunhos da Ascensão de Cristo, não desempenhou um papel destacado nos evangelhos. Divulgou o evangelho na Índia e foi o fundador do Cristianismo na Armênia, sendo considerado o santo padroeiro da Igreja Apostólica deste país, junto com São Judas Tadeu. Sua representação mais habitual é a de seu martírio por esfolamento, a remoção da pele do corpo. São Bartolomeu foi martirizado por Astiages, Rei da Armênia. Na época barroca, é comum vê-lo representado como apóstolo com a escritura sagrada e mostrando uma navalha, como vemos nesta escultura situada no interior da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE também na fachada da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo altar maior, vemos uma reprodução do famoso quadro do pintor espanhol José de Ribera (1591/1652), intitulado “O Martírio de San Felipe“, cujo original se encontra no Museu do Prado de Madrid. Durante muito tempo se pensou que se tratava do Martírio de San Bartolomé, mas São Felipe foi crucificado, e não esfolado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a cúpula da igreja…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da igreja, a Ordem Jesuíta construiu um grande colégio, situado ao seu lado…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlmagro é uma cidade em que os chamados Ofícios Tradicionais ainda sobrevivem, como os belíssimos objetos feitos de metal, que eram expostos próximos à Plaza Mayor numa interessante feira de final de semana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro ofício de grande destaque, pela qualidade de suas peças, é o Encaje, parecido ao bordado..

OLYMPUS DIGITAL CAMERA A tradição em sua fabricação pode ser vista no Museu do Encaje, situado junto à Plaza Mayor

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Encajeras, as mulheres responsáveis por sua elaboração, foram homenageadas com uma merecida estátua.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlmagro também demonstra sua riqueza cultural na gastronomia. Seu prato mais famoso são as berinjelas fritas (berenjenas, em espanhol), cuja origem está relacionada à cozinha árabe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATive a oportunidade de saborear as delícias gastronômicas da cidade num edifício de finais do século XVI, a Posada de Almagro, antigamente conhecida como Posada de San Bartolomé. O ambiente rústico do local com sua galerias de madeira constituem o ambiente perfeito para saborear os pratos da gastronomia da Comunidade de Castilla La Mancha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAproveitei para provar um Menu de fim de semana que custou 18 euros. De primeiro prato, comi um delicioso Calabacín relleno de carne picada (Abobrinha recheada com carne moida).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe segundo prato, bacalhau

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara completar, vinho tinto e melão, de sobremesa…

Universidade de Santiago de Compostela – Parte 2

Nesta última matéria sobre a Universidade de Santiago de Compostela, veremos outros edifícios relevantes da instituição, que integram as visitas guiadas que se realizam diariamente. O Colégio de San Jerónimo (San Xerome, no idioma galego) está unido ao Colégio de Fonseca, que vimos no post anterior. Também foi fundado pelo Arcebispo Alonso III de Fonseca para estudantes sem recursos, e sua fachada principal dá para a Plaza del Obradoiro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente o colégio esteve situado num hospital situado próximo à catedral e desde 1652 encontra-se na atual localizaçao. O pórtico de entrada que vemos acima pertenceu a este antigo hospital, cuja riqueza decorativa inclui, no tímpano, a Virgem Maria como a Imaculada. Nas laterais, aparecem Santa Margarita e Santa Catalina. Nas colunas da parte inferior, diversos santos, entre os quais o Apóstolo Santiago, identificado pela concha, completam este belo conjunto escultórico do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Colégio de San Jerónimo foi criado como um Colégio Maior, mas em 1840 perdeu esta condição. Atualmente sedia a Reitoria da Universidade de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a sala onde se reunem os membros da reitoria, local onde se discutem os assuntos pertinentes ao governo da instituição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a visita que realizei, tivemos a sorte de encontrar com o Reitor da Universidade num dos corredores do edifício, um senhor simpático que estava a ponto de deixar o cargo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o período conhecido como a Ilustração, na segunda metade do século XVIII, o Rei Carlos III concede o título de Real à Universidade, incorporando o escudo da coroa que, junto com as armas de Castilla, León e Galícia, além dos escudos dos fundadores, conformam o brasão da Universidade de Santiago de Compostela. Nesta época, a instituição distancia-se do poder eclesiástico e passa a constituir um centro secular. Os jesuítas foram expulsos do país durante o reinado do citado monarca, sendo que os antigos terrenos e edifícios pertencentes à Ordem foram cedidos à universidade. Abaixo, vemos a Igreja da Companhia de Jesus, também denominada Igreja da Universidade, cuja fachada caracteriza-se por seu classicismo (final do século XVIII).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAdossado à igreja, encontramos o antigo Colégio dos Jesuítas, edifício que também foi doado à Universidade após o decreto de expulsão da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante um tempo, o edifício acolheu a reitoria e diversas faculdades, das quais permanecem atualmente os cursos de História e Geografia. O interior organiza-se em torno a um grande pátio com uma fonte no centro…

OLYMPUS DIGITAL CAMERATivemos o privilégio de conhecer o Paraninfo, situado numa das salas do edifício, e inaugurado no curso de 1906/1907 como local de importantes atos acadêmicos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO maravilhoso espaço está ornamentado por pinturas no teto que representam figuras femininas e deusas da mitologia clássica como alegorias das artes, ciências e do conhecimento em geral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERARetratos de personalidades relevantes da história da universidade  complementam a decoração da sala, como o do Arcebispo Alonso III de Fonseca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo início do século XIX, os estudantes universitários comprovaram seu intenso patriotismo, formando o Batalhão Literário, que combateu contra as tropas francesas  durante a Guerra da Independência. A seguir, outro edifício pertencente ao campus universitário…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XX houve um grande crescimento na quantidade de alunos matriculados e na oferta de títulos superiores concedidos, surgindo novas faculdades. Iniciam-se as relações com outras universidades estrangeiras, assim como o acesso às mulheres ao ensino superior da universidade, durante o curso de 1913/1914. Durante minha visita, meu orgulho patriótico irrompeu quando o guia mencionou a escritora brasileira Nélida Piñon como a única mulher que recebeu o título de Honoris Causa pela Universidade de Santiago de Compostela. Nascida no Rio de Janeiro em 1934, seus pais e avós foram emigrantes galegos e seu nome é um anagrama de seu avô, que se chamava Daniel. Membro da Academia Brasileira de Letras, tornou-se presidenta da associação, caso único em sua história. Recebeu inúmeros prêmios literários e um retrato da escritora carioca decora uma das salas da Universidade de Santiago de Compostela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, a Universidade de Santiago de Compostela está incluída entre as 10 melhores de toda a Espanha, estando composta por cerca de 30 centros educativos, 80 departamentos e mais de 60 títulos superiores oferecidos.

La Rambla de Barcelona – Parte 2

Conhecida por milhares de turistas que a percorrem diariamente, La Rambla de Barcelona é uma das ruas mais interessantes da cidade. Em 10/4/2013 publiquei uma matéria sobre ela, mas a grande quantidade de atrações que possui em sua extensão de 1.3 Km torna necessária um novo post, em que mencionarei alguns aspectos e lugares de interesse que não foram abordados naquela época. Neste post inicial, vimos que La Rambla começa seu trajeto na Praça Catalunha e finaliza no Porto Antigo, recebendo vários nomes diferentes segundo seu trecho, razão pela qual o mais correto seria a denominação Las Ramblas. Seu nome tem uma origem árabe, Ramla, que significa Arenal (areal, em português) e depois foi “catalanizado” como Rambla. Seus inúmeros postos comerciais, onde se vendem souvenirs, jornais e revistas, convivem com os mais variados tipos humanos. A partir do século XV, no lugar onde hoje ocupa a rua, foram construídos uma grande quantidade de conventos, que desapareceram com a desamortização de 1835, criando novos espaços públicos. No entanto, ainda podemos ver a Igreja de N.Sra de Belén, construída entre 1680 e 1729 no estilo barroco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO templo pertenceu a Ordem dos Jesuítas até sua expulsão do país em 1767. A fachada principal foi ornamentada com esculturas dos santos Ignácio de Loyola, fundador da ordem, São Francisco de Borja e São Francisco Xavier, também jesuítas. Sobre a porta, um relevo representa o Nascimento de Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a torre…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA decoração de seu interior se prolongou até 1855, sendo considerada uma das igrejas mais suntuosas da cidade. Lamentavelmente, a igreja foi incendiada durante a Guerra Civil em 1936, perdendo várias de suas obras. A seguir, vemos algumas fotos do interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERALa Rambla é um grande centro cultural graças a abundância de lugares dedicados à exposições, salas de concerto e museus que acolhe. O Palácio de la Virreina, por exemplo, é considerado um dos melhores expoentes da arquitetura civil barroca da cidade. Atualmente é um órgão da prefeitura com uma ampla atividade cultural.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADeclarado Monumento Nacional em 1941, o palácio possui um belo pátio interior…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADois dos mais importantes teatros de Barcelona se localizam em seu perímetro. O chamado Teatro Principal é o mais antigo da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro espaço cultural de referência, o Teatro do Liceu é considerado um dos mais importante do continente, especialmente em relação a ópera. Desde 1847, têm sido cenário das mais renomadas obras clássicas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1994, o teatro sofreu um incêndio, sendo reconstruído e reaberto cinco anos depois. Atualmente, o Teatro do Liceu é um dos maiores da Europa. Tive a oportunidade de visitar o saguão do teatro, e me permitiram fazer algumas fotos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro local de visita imperdível é o famoso Mercado de Sao José (Sant Josep, em catalão), popularmente conhecido como la Boquería. Considerado o maior mercado da Catalunha e o mais visitado, possui cerca de 300 postos com uma enorme variedade de produtos locais e internacionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO atual mercado foi inaugurado em 1840, mas em sua origem era um mercado ao ar livre, intencionalmente situado fora das muralhas para economizar o imposto de entrada de mercadorias. Antes de sua existência, no local situava-se o Convento de Sao José, que foi incendiado durante um motim anticlerical em 1835.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao mercado vemos um dos mais curiosos lugares da Rambla, o Museu Erótico. Seu acervo que supera as 800 peças mostra um amplo histórico da evolução e influência do erotismo na sociedade, na mídia, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA entrada ao museu custa 9 euros, mas infelizmente não tive tempo para conhecê-lo. Como forma de promovê-lo, nada melhor que um dos maiores mitos eróticos do século XX…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um Passeio por Alcalá de Henares – Parte 2

Neste último post desta série de matérias sobre Alcalá de Henares, veremos outros monumentos que fazem parte do patrimônio religioso da cidade e que merecem ser conhecidos. Pertencente à Ordem Carmelita, o Convento de Corpus Christi foi fundado no final do século XVI como um convento de clausura. De estilo barroco, foi projetado pelo arquiteto carmelita Fray Aberto de la Madre de Dios. Em frente ao convento foi colocada uma estátua de Santo Ignácio de Loyola, fundador da Ordem dos Jesuítas, pois no local se situava o primeiro colégio de jesuítas da cidade, de 1546.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra construção religiosa de interesse é o Oratório de San Felipe Neri. Conhecido como o Apóstolo de Roma, este santo foi o fundador da Congregação do Oratório, sendo canonizado em 1622. Em Alcalá, a congregação foi fundada em 1694 por Martín Bonilla, Bispo de Ceuta. O templo começou a construir-se no início do século XVIII, e nele se encontram os restos mortais do bispo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA reforma produzida por Santa Teresa de Ávila para a Ordem Carmelita em 1562, quando foi criada a Ordem das Carmelitas Descalças, fez com que fossem construídos vários conventos por todo o país. Em Alcalá de Henares, o Convento da Puríssima Concepción foi visitado pela santa em várias ocasiões, e uma placa recorda o fato.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA família de Miguel de Cervantes também teve relações estreitas com este convento, pois sua irmã Luisa de Belén desempenhou o cargo de priora do mesmo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade conta com históricas e singelas ermitas, algumas das quais podem ser visitadas. As origens da Ermita de Santa Lúcia, situada em frente à catedral, remontam ao século XII. O edifício atual pertence ao século XVII, de estilo barroco. Até 1515, nela se realizava o conselho da cidade, razão pela qual é considerada a primeira prefeitura que teve Alcalá de Henares.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJá a Ermita de los Doctrinos me impressionou deveras por sua simplicidade arquitetônica e a beleza de seu interior. Sua origem é do século XIII, mas no século XVI se funda no local um seminário para o ensino das doutrinas religiosas para crianças. O edifício conservado pertence ao século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERACom esta matéria, finalizo os passeios pela cidade de Alcalá de Henares, esperando ter contribuído para a divulgação de seu rico patrimônio histórico-artístico, e despertando o interesse por conhecê-la. Como puderam ver, vale muito a pena…

Mudéjar em Calatayud

O maior legado artístico da cidade de Calatayud para a posteridade é o estilo mudéjar, presente em muitas das construções religiosas do centro histórico, principalmente em suas admiráveis torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe fato, Calatayud é considerada uma das “capitais” do Mudéjar Aragonês, junto com Daroca (post publicado em 15/10/2013), Teruel (20/10/2013) e Zaragoza (9/10/2012). Mudéjar, como já foi dito em várias ocasiões, é a denominação que receberam a população de cultura, tradição e religião muçulmana que permaneceram vivendo na Espanha depois da Reconquista dos Reis Cristãos. Até 1610, quando os mouros foram expulsos do país, muitos muçulmanos mantiveram seus costumes nos lares das cidades que apresentavam uma comunidade importante de indivíduos que professavam a religião islâmica. Alguns eram hábeis construtores, incorporando elementos da tradição arquitetônica árabe nos edifícios religiosos cristãos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir do séc. XIII, surgiram originais modelos construtivos, baseado na combinação de materiais como o tijolo (em espanhol, ladrillo), utilizado como elemento construtivo e decorativo, o gesso, a madeira e a cerâmica. A beleza e particularidades do Mudéjar Aragonês foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 2001, como um testemunho da convivência entre distintas culturas e a criação de uma arte exclusiva do território espanhol. A Província de Zaragoza conta com uma grande quantidade de construções deste estilo único. Provavelmente, a igreja mais antiga de Calatayud é a Paróquia de San Andrés, uma das primeiras fundadas depois de ser reconquistada pelo monarca Alfonso I “El Batallador”. É bem possível que se trata de um templo originário de uma antiga mesquita, que acabou sendo transformada em igreja católica.

20150813_100412No séc. XVI a igreja foi ampliada, momento em que se edifica sua bela torre octogonal mudéjar. Formada por 3 corpos, é um típico exemplo de torre alminar, elemento característico da arquitetura islâmica presente nas mesquitas, cuja função principal é a chamada dos fiéis à oração diária (também denominado de Minarete). Aqui observamos a importância do tijolo dentro do contexto construtivo, transformando-se no material principal da arquitetura mudéjar. Normalmente, os materiais usados no estilo mudéjar são de fácil obtenção e baixo custo. Porém, os artesãos islâmicos foram capazes de transformar estes simples materiais em obras artísticas de grande plasticidade, compostas por formas geométricas que se repetem, arcos entrecruzados (denominados de Sebka), motivos vegetais, etc.

20150813_100435A Igreja de San Juan El Real, apesar de ter sido construída somente no séc. XVIII (entre 1774 e 1777), adotou formas arquitetônicas inspiradas do mudéjar, que podemos observar em sua torre.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste templo foi construído para a Companhia de Jesus, nome pelo qual se conhece a Ordem dos Jesuítas, que se estabeleceram na cidade em 1584.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADevido a problemas estruturais, as igrejas mudéjares de Calatayud estão sendo submetidas a um importante processo de restauração em seu interior, de modo que não pude visitá-las por dentro. A exceção foi justamente a Igreja de San Juan, cuja visita realizei logo após chegar à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANesta igreja, o pintor aragonês Francisco de Goya, com apenas 20 anos, realizou as pinturas representativas dos 4 Padres da Igreja Católica Ocidental nas partes laterais da cúpula. Fico devendo imagens das mesmas (na foto acima, podemos ver, mas não contemplar, duas delas, no alto da imagem). Abaixo, observamos a parte lateral da nave central e seu belíssimo órgão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a segunda parte da matéria sobre o Mudéjar em Calatayud, com destaque para a Colegiata de Santa Maria.