Jardins de Sabatini – Madrid

Junto à fachada norte do Palácio Real encontra-se uma das áreas verdes mais elegantes de Madrid, os Jardins de Sabatini.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o reinado de Carlos III, o local estava ocupado pelas Caballerizas Reales, ou seja, o lugar onde permaneciam os cavalos e se guardavam as carruagens, construída pelo arquiteto real Francisco Sabatini. Durante o período histórico conhecido como Segunda República (primeira metade do séc. XX), o governo apoderou-se dos bens da coroa para cedê-los aos municípios, para que fossem construídos espaços para o lazer da populaçao. Os jardins foram desenhados por um arquiteto de Zaragoza, Fernando Gracía Mercadal, e seu nome homenageia o antigo arquiteto real Sabatini.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1932, as antigas dependências foram derrubadas e a construçao iniciou-se três anos depois. No entanto, com a Guerra Civil o processo construtivo foi interrompido, sendo retomado nos anos 40 e finalmente inaugurado em 1950.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAForam projetadas duas portas de entrada aos jardins. A primeira encontra-se próxima à Praça de Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara a construçao da segunda entrada, devido ao desnível existente entre a rua e os jardins, foi edificada uma bela escada monumental, feita de tijolo e pedra.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma imagem frontal da escada, com uma escultura em homenagem ao rei Carlos III.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs jardins estao divididos em 3 partes, estando o inferior composto por árvores que formam figuras geométricas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs espécies vegetais predominantes sao os Cedros, Ciprestes, Magnólias e Pinos, entre outros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa zona mais próxima ao Palácio Real, foi construído um lago retangular e, ao seu redor, foram colocadas 8 estátuas representando a vários reis da Monarquia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas esculturas formavam parte do conjunto de 112 estátuas reais, realizadas na metade do séc. XVIII para a decoraçao da parte superior do Palácio Real. Quando finalmente foram terminadas, decidiu-se aproveitá-las para a decoraço de diversos locais de Madrid, como o Parque do Retiro, a Praça do Oriente, etc. Muitas outras cidades do país foram presenteadas com algumas destas estátuas, como Burgos, Pamplona, Vitória, etc.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, nos meses de verao (julho e agosto), os Jardins de Sabatini acolhem espetáculos diversos, como concertos musicais, por exemplo. Vale a pena caminhar por seu entorno, apreciando as belas vistas que oferece, e curtindo o que de fato é, um verdadeiro remanso de paz situado em pleno centro histórico de Madrid.

Fontes Históricas de Madrid – Parte 2

Algumas das Fontes Históricas mais antigas que se conservam em Madrid situam-se no Jardim do Campo de Mouro, localizado na parte detrás do Palácio Real. A Fonte dos Tritones (Tritoes, em português), por exemplo, foi realizada em 1656, sendo considerada a mais antiga de todas existentes na cidade. Inicialmente, foi colocada no Palácio Real de Aranjuez e em 1846 foi trazida para sua localizaçao atual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInspirada na fonte realizada por Bernini para a Praça Navona de Roma, é toda feita de mármore, exceto o pilao, de granito. O Tritao é uma divindade marinha que aparece por primeira vez mencionado na Teogonia de Hesíodo e, junto com as Nereidas, faziam parte do cortejo das divindades principais dos mares, Poseidon e Anfitrite, seus pais. Representados com cabeça e tronco humanos e cauda de peixe, os Tritoes acalmam as águas do mar para que a carruagem de Poseidon possa deslizar com segurança pelos mares. A fonte está situada numa área inacessível para o público, num local privado do Palácio Real, dificultando o trabalho fotográfico e sua melhor apreciaçao. No meio do parque, encontramos a Fonte das Conchas, esculpida no séc. XVIII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATal como sucedeu com a Fonte dos Tritones, originalmente estava situada em outro local, concretamente no Palácio da Vista Alegre, até que em 1848, o arquiteto Narciso Pascual y Colomer trouxe a fonte para o Campo do Mouro, para integrar o projeto de revitalizaçao do parque promovida por ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta belíssima fonte foi realizada por Francisco Gutiérrez, que nela trabalhou até sua morte, sendo finalizada pelo artista Manuel Álvarez. O projeto artístico foi realizado por Ventura Rodríguez. No centro da fonte, observamos três Tritoes com as conchas em suas maos, que explicam a denominaçao da fonte. Segundo a Mitologia Grega, estas divindades apaziguavam as águas com seus cantos através das conchas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsculpida em mármore, distinçao explicada por sua origem palaciega é, certamente, uma das fontes mais elegantes de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlgumas fontes sao conhecidas, nao por sua qualidade artística ou monumental, mas pelo poder curativo de suas águas, estando associada a algum personagem relevante da história de Madrid. Este é o caso da Fonte de San Isidro Labrador, padroeiro da cidade. Encontra-se situada junto à Ermita dedicada ao santo, e cuja existência se deve à própria fonte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASegundo a tradiçao, Isidro, um humilde personagem da recém conquistada Madrid do séc. XII, estava trabalhando nas terras de Iván de Vargas, seu senhor, de linhagem nobre. Este solicitou a Isidro para que encontrasse alguma forma de matar a sede de todos aqueles que se encontravam no local. Confiando em Deus, Isidro golpeou uma pedra, e no mesmo instante começou a jorrar água. Como prova deste acontecimento, a fonte permanece, desde entao com fama de milagrosa, sendo frequente as curas documentadas graças a ela. Na própria fonte, vemos os nomes daqueles (as) beneficiados (as) pelo seu poder.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA fonte atual data provavelmente de 1725, quando a Ermita de San Isidro foi reformada. Depois de ter curado os monarcas Carlos I e Felipe II, os madrilenhos começaram a acudir em massa ao local, especialmente durante as festividades em honra ao santo padroeiro, cujas procissoes finalizam na ermita. Goya retrata o ambiente festivo da cidade durante as comemoraçoes ao santo no quadro “A Ermita e a Pradeira de San Isidro em dias de festa”, atualmente no Museu do Prado. Abaixo, vemos uma foto de 1936, tirada durante as festividades, na qual vemos muitas pessoas bebendo a água milagrosa.

DSC07971

A Reconquista de Madrid

Com a desaparição do Califato de Córdoba em 1031, devido a uma série de guerras civis motivadas pelo controle do poder, a Espanha Árabe se debilita com a formação dos fragmentados Reinos de Taifas, favorecendo o avance cristão. Deste modo, Madrid cai em poder do rei de Castilla y León Alfonso VI, provavelmente em 1083, um pouco antes da conquista de Toledo, efetuada dois anos depois.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASob domínio cristão, a cidade conserva seu caráter militar ao menos durante um século mais. Evidentemente, sofreu novos ataques árabes, que tentavam recuperá-la, como o acontecido em 1091, quando o mouro Ben Alí ergueu um acampamento aos pés da mítica fortaleza árabe, então transformado no Alcázar dos Reis Cristãos. Este local passaria à história como o Campo do Mouro, atualmente um jardim situado atrás do Palácio Real (matéria do post publicado em 26/2/2013).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido a estas séries de ataques,  foi erguido um novo sistema de muralhas, cuja fábrica não era da mesma qualidade do anterior sistema defensivo árabe. No entanto, era robusta e estava composta por torres circulares, ao contrário da anterior, de torres quadradas. No mapa abaixo, vemos a ampliação desta nova muralha (em amarelo), e a antiga muralha árabe (na cor branca), que seguia existindo na época da reconquista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste novo recinto de muralhas estava formado por várias portas, entre as quais mencionamos a de Guadalajara, situada onde atualmente se encontra a Calle Maior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu então a denominada Porta dos Mouros, situada onde hoje se ergue a praça da Igreja de San Andrés.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADurante o ataque de Ben Alí, as muralhas sofreram danos, a cidade foi assediada, mas uma peste espalhou-se pelas tropas árabes, que se viram obrigadas a retirar-se e desistir do projeto de conquistar novamente Madrid. Com a vitória dos exércitos cristãos (formados por tropas castelhanas, navarras e aragonesas), na famosa Batalha de Las Navas de Tolosa em 1212 contra o invasor árabe, Madrid nunca mais  voltou a ser muçulmana. Graças ao eficiente sistema de irrigação e abastecimento de água criado pelos árabes, durante o período cristão se multiplicaram os espaços destinados ao cultivo de oliva e uva, principalmente. O mercado principal, onde se vendia gado, cereais, etc, situava-se na atual Plaza de la Paja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAMadrid, depois de reconquistada, foi repovoada por habitantes originários do norte do país, que trouxeram seus costumes e crenças. Normalmente, os novos bairros (arrabales) surgiam ao redor de uma paróquia, que além do culto, eram utilizadas também como local de registro civil e também para representações teatrais. Uma parte da antiga população árabe permaneceu na cidade (os conhecidos mudéjares), e habitavam a denominada Moreria.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMuitos destes habitantes de origem árabe se dedicavam à construção, propiciando que durante muito tempo houvessem elementos árabes nos edifícios civis e religiosos, originando o estilo, adotado principalmente na arquitetura, denominado Mudéjar.  Esta simbiose entre as comunidades cristas e muçulmanas fez com que surgissem as primeiras paróquias de Madrid, realizadas no estilo mudéjar, que em breve veremos no blog…

Decoraçao de Natal – Madrid

Desde o começo de 2012, quando foi criado o blog, foram publicados quase 400 publicações sobre o inesgotável Patrimônio Cultural Espanhol. Graças a todos (as) vocês, já recebeu mais de 45 mil visualizações, fato que me estimula ainda mais nesta por si só prazerosa tarefa de divulgação. Pueblos de encanto, cidades monumentais, sua deliciosa e variada gastronomia, os imponentes castelos, sua arte refletida em igrejas, catedrais e monastérios, seus personagens ilustres, a longeva história, os mais interessantes museus, todos os aspectos relacionados à cultura e ao panorama turístico de Espanha conformam a essência deste blog. Evidentemente, a tarefa a que me propus está distante de terminar, e me alegro que assim seja. Os principais lugares de interesse podem ser encontrados no espaço de Busca, e as sugestões são sempre bem vindas e desejáveis. Agradeço a todos (as) que me acompanham, espero que o conteúdo e a natureza do blog preencham suas necessidades de conhecimento e informação. Em breve, estarei de férias no saudoso Brasil para uma estadia de um mês, e apesar das publicações serem menos frequentes que a habitual, estão programadas algumas delas. Hoje, o blog estará iluminado pelas luzes natalinas de Madrid, esta maravilhosa cidade em que resido há 3 anos e meio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs principais ruas da cidade receberam uma cuidadosa decoração, tornando a cidade ainda mais bela, como podemos apreciar no Paseo do Prado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa Gran Via, emblemática artéria viária da cidade, as luzes também não poderiam faltar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo hemisfério norte, a época de Natal coincide com as baixas temperaturas, e a instalação de pistas de gelo é comum em quase todas as grandes cidades européias. Em Madrid, a pista é colocada na Praça do Callao.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da praça, vemos uma das inúmeras árvores natalinas espalhadas por toda a capital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Praça Maior é o ponto de encontro do tradicional mercado de natal, existente desde 1860.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAs principais ruas comerciais acolhem a milhares de pessoas para as compras, como observamos na Calle de los Preciados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das mais conhecidas e prestigiadas redes comerciais do país, o Corte Inglês também realizou sua própria decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs monumentos da cidade também estão mais iluminados à noite, destacando sua importância e beleza arquitetônica, como o Palácio Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo centro da Porta do Sol, vemos a mais imponente das árvores de Natal que decoram a cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPassar por debaixo da árvore é uma experiência que cativa a todos (as) que circulam pelo local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADesejo a todos (as) vocês um maravilhoso Natal, e que suas luzes iluminem este final de ano, repleto de esperanças e sonhos realizados.

Teatro Real – Segunda Parte

Depois das reformas realizadas nos anos 90, o Teatro Real foi reaberto em 1997, com uma festa de gala presidido pelos Reis de Espanha, na qual foi representada obras de Miguel de Falla. Desde 1993, é considerado como um Bem de Interesse Cultural. O teatro dispoe de salas de ensaios para orquestra, coro e corpo de baile, bem como uma sala de cenas com as mesmas dimensoes da sala principal. Aos artistas também estao reservadas salas de ensaios individuais. Abaixo, vemos um esquema com a planta do teatro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, é um dos principais teatros operísticos da Europa e sua orquestra titular é a Sinfônica de Madrid. Acolhe uma média de 180 obras de ópera e ballet por temporada, além de um amplo programa de concertos e recitais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO requinte e o bom gosto estao presentes em todas as suas dependências.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO teatro pode ser conhecido através de uma visita guiada mais que recomendada, que possibilita o acesso a zonas que de outra forma seria impossível. Existem distintos tipos de visita: a geral, a artística e a técnica. O edifício pode ser percorrido circularmente, através de uma série de saloes. Abaixo, vemos o vestíbulo principal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs vários níveis do teatro podem ser alcançados por belas escadas, e cada espaço disponível está decorado com objetos relacionados à vida do teatro, como por ex., instrumentos antigos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs saloes situam-se na segunda planta, estando decorados cada qual com uma cor predominante, que os distinguem dos demais. O Salao Goya ocupa a fachada da Praça do Oriente e oferece espetaculares vistas da mesma e do Palácio Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo Salao de Felipe IV, destacam quadros dos reis que estiveram relacionados diretamente com a história do teatro, como Juan Carlos I, Fernando VII e Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Salao Carlos III, de tonalidade azul, está decorado com belos espelhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATapetes dos séc. XVII e XVIII podem ser admirados nas paredes do Salao Arrieta.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo teatro podemos também saborear excelentes pratos da cozinha espanhola, num magnífico restaurante.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local ocupa o antigo Salao de Bailes e no seu teto se reproduz o céu de Madrid tal como se encontrava na noite de sua reabertura, no dia 11/10/1997.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo parte integrante da decoraçao, vemos elegantes trajes históricos, utilizados pelas estrelas que atuaram no Teatro Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos a última matéria sobre o Teatro Madrilenho.

Teatro Real – Madrid

O Teatro da Ópera de Madrid é considerado um dos mais importantes, nao só da Espanha, como de toda a Europa. Em suas representaçoes, destaca habitualmente a presença da Família Real. Sua fachada principal está situada na Praça do Oriente, em frente ao Palácio Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO rei Fernando VII promoveu a construçao do teatro, incluído no projeto de remodelaçao da Praça do Oriente. Para tanto, ordenou a demoliçao do antigo Teatro de los Caños del Peral. O projeto foi realizado pelo arquiteto Antonio López Aguado, que desenhou um edifício de planta hexagonal irregular, com duas fachadas, uma para a mencionada praça acima e outra, de menor impacto, para a Praça de Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs dificuldades financeiras da casa real impediram que as obras fossem iniciadas antes de 1830. Com a morte do arquiteto encarregado, o projeto foi assumido por Custodio Teodoro Moreno. Com a chegada ao trono da rainha Isabel II, uma ordem real promulgada em maio de 1850, exigiu a finalizaçao das obras dentro de um prazo de 6 meses. Dessa forma, o teatro foi inaugurado em novembro de 1850, com a ópera “La Favorita”, de G.Donizetti. Abaixo, vemos a fachada da Praça de Isabel II.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm suas primeiras temporadas, representaram suas obras, entre outros, Rossini e Verdi, que se converteu no compositor favorito do público madrilenho, principalmente depois da estréia de sua ópera “La Forza del Destino” em 1863, um acontecimento social que marcou época. Os anos de esplendor do teatro verificaram-se no último quarto do séc. XIX. No início do séc. XX,  foram destaque as apresentaçoes dos grandes cantores espanhóis, embora os repertórios eram dominados pelas óperas de Puccini e Wagner.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEntre os concertos históricos  de música clássica, cabe mencionar o realizado em 1908 pela Filarmônica de Berlin, na época dirigida por Richard Strauss. A partir de entao, o teatro sofreu um enorme declínio, devido às crises econômicas e políticas que sacudiram o continente. No entanto, seu prestígio foi temporalmente resgatado com as míticas apresentaçoes de  Nijinsky em 1917, e Igor Stravinsky em 1921, ambas realizadas com o Ballet Russo de Sergei Diagilev.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1925, o teatro foi fechado por decreto real, pois poderia demolir-se devido a inestabildade de sua construçao, agravada pelas obras do metro que se realizavam em suas imediaçoes. Depois da Guerra Civil, decidiu-se por sua reabilitaçao como sala de concertos e para servir de sede a Orquestra Nacional, fato que acabou sucedendo somente em 1966. Desde esta data, até 1988, foi a única sala de concertos da cidade, na qual se apresentavam tanto a Orquestra Nacional, como a recém criada Orquestra Sinfônica da RTVE (Rádio e Televisao Espanhola).

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante este período, atuaram as principais orquestras do mundo (Viena, Berlin, Leningrado, Chicago, etc) e seus grandes diretores (Karajan, Bernstein, Claudio Abbado, etc). Entre 1991 e 1997, o teatro foi reformado para sua reconversao em uma sala de ópera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO espaço cênico original foi reaproveitado e instalou-se uma complexa e moderna estrutura que permite o movimento vertical de 18 plataformas a partir do solo. Abaixo, vemos umas imagens que nos proporciona uma idéia da complexidade da estrutura, que possibilita a mudança de decorados e cenas de forma quase instantânea.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa sala principal, foi mantida o estilo italiano original, bem como sua decoraçao, ambos inspiradas no grandes teatros europeus, como o Scala de Milao. Abaixo, vemos o camarote real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro elemento de destaque da sala principal é seu enorme e belo lustre, fabricado na famosa fábrica de vidros da Granja de San Ildelfonso.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, continuaremos com a visita pelo Teatro Real…nao percam !!!

2 de Maio de 1808 – Madrid

A data acima assinalada representa uma das mais celebradas de todo o calendário madrilenho e, também, de todo o território espanhol, pois foi neste dia que se produziram os acontecimentos que originaram a denominada Guerra da Independência, contra o invasor francês. O episódio está inserido dentro do contexto imperialista de Napoleao Bonaparte, do qual Espanha foi um dos países involucrados. Por toda a cidade de Madrid encontramos monumentos  que prestam homenagem aos mortos deste célebre dia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara poder compreender o sucedido, é necessário retroceder alguns anos, precisamente em 1805, quando foi travada a famosa Batalha Naval de Trafalgar, em que uma coalisao formada por Espanha e França foi derrotada pela armada inglesa, sob o comandante do almirante Nelson. A superioridade tática e técnica dos ingleses lhes conduziram à vitória, apesar do falecimento em combate do famoso comandante inglês. A batalha objetivava a destituiçao de Napoleao do trono francês, bem como dissolver a influência militar francesa no continente. O êxito alcançado pelos ingleses possibilitou a hegemonia marítima da Inglaterra durante todo o séc. XIX. Em 1806, após o fracasso da tentaiva de invasao à Inglaterra, Napoleao decretou o bloqueio continental. Portugal, tradicional aliado dos ingleses, negou-se a acatá-lo. Por este motivo, o imperador francês decidiu conquistar o território luso e, para tanto, tería que cruzar com seu exército o estado espanhol. Este problema foi solucionado em 1807, com a assinatura do Tratado de Fontainebleau, que promulgava também a divisao das terras portuguesas entre França e Espanha. Abaixo, vemos o edifício sede da presidência da Comunidade de Madrid, situado na Porta do Sol, onde foram travados sangrentos combates entre espanhóis e franceses.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA ocupaçao consentida das tropas de Napoleao no país gerou un descontentamento entre o governo do Ministro Godoy, máximo representante do entao rei Carlos IV, e a oposiçao, encabeçada pelo filho deste, o Príncipe de Astúrias Fernando VII, candidato legítimo ao trono espanhol. Godoy planejou, entao, a fuga da família real, levando a corte a Aranjuez, local onde se localiza um dos palácios reais, próximo a Madrid. Porém, a estratégia de Godoy resultou um fracasso, pois em março de 1808 estalhou uma rebeliao popular organizada pelos partidários do Príncipe de Astúrias, no episódio conhecido como o Motim de Aranjuez. Na foto abaixo, vemos o palácio real da localidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMadrid foi ocupada pelas tropas francesas do General Murat no dia 23 de março de 1808 e, no dia seguinte, ocorreu a entrada triunfal na cidade de Fernando VII e de seu pai, o rei Carlos IV, que tinha sido forçado a abdicar em favor de seu filho. Os planos de Napoleao haviam tomado outro rumo, e tanto o rei quanto seu filho foram obrigados pelo imperador a um encontro na cidade de Bayona, na França. Na ocasiao, Napoleao comunicou a ambos que o trono espanhol sería entregue a José Bonaparte, seu irmao. Enquanto isso, começaram a surgir protestos em Madrid, contra a presença do exército invasor na cidade. Um exemplo ocorreu no conhecido Arco dos Cuchilleros, uma das portas de acesso mais conhecidas da Praça Maior. No local, que parece um púlpito, realizou um monge chamado Antônio enraivecidos sermoes, incitando a populaçao a rebelar-se contra os franceses. Abaixo, vemos uma imagem do lugar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA gota da água ocorreu no dia 2 de maio, quando uma multidao concentrada em frente ao Palácio Real de Madrid viu como o exército francês obrigava, à força, a saída do infante Francisco de Paula, o outro filho do rei Carlos IV. A rebeliao iniciou-se em frente à casa real, e uma placa comemorativa recorda o acontecimento, situada em frente ao palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA partir de entao, a revolta alastrou-se pela cidade, cujo desenlace veremos no próximo post…