Monastério de Uclés – Parte 2

Como comentei no último post, o Monastério de Uclés teve uma grande importância histórica na Espanha por ter sido a sede da Ordem de Santiago, uma das principais ordens militares e religiosas do país. A Ordem de Santiago foi fundada no século XII (ano de 1170) no antigo Reino de León, precisamente na cidade de Cáceres, atual Comunidade de Extremadura. Inicialmente, seu objetivo primordial era proteger os peregrinos que realizavam o caminho a Santiago de Compostela, onde se encontra o sepulcro do Apóstolo Santiago, santo padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o tempo, a Ordem de Santiago acabou participando do processo de expulsão dos muçulmanos da Península Ibérica, tendo um papel relevante nas guerras de reconquista. No Monastério de Uclés vivía o grande mestre da ordem, bem como muitos dos cavalheiros que pertenciam à instituição. O emblema da ordem era a Cruz de Santiago, que podemos observar em distintos locais do monastério, como no pátio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu na sacristía….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se de uma cruz vermelha que simula uma espada com forma de flor de lis na empunhadura. Os cavalheiros da ordem  levavam a cruz estampada num estandarte e em sua capa branca. A espada representa o espírito guerreiro do Apóstolo Santiago e sua forma de martírio, pois foi decapitado com uma espada. Simboliza também “tomar a espada” em nome de Cristo. Abaixo, vemos a cruz numa das capelas da igreja do Monastério de Uclés, na qual podemos ver exposições sobre a história da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem de Santiago enriqueceu graças ao grande território que se estendia sobre seus domínios, principalmente pela região que atualmente conhecemos como Castilla La Mancha. Chegou a possuir mais propriedades que as ordens de Alcántara e Calatrava juntas, outras ordens importantes do país. Sua rápida propagação se deve a que suas regras eram menos rígidas que as demais, sendo a única em que os cavalheiros membros tinham o direito de casar. Além de suas amplas propriedades na Espanha, a Ordem de Santiago possuía terras em Portugal, França, Itália, Hungria e também na Palestina. Abaixo, vemos a sacristía do Monastério de Uclés, transformada numa capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1493, os Reis Católicos incorporaram as ordens militares-religiosas à Coroa da Espanha. Atualmente, constituem uma organização nobiliária religiosa e honorífica. Na sequência, vemos um quadro do Apóstolo Santiago retratado como peregrino…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a bela escada de acesso ao nível superior do pátio construído como se fosse um claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE um quadro da Imaculada Conceição que decora uma das paredes do interior do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto a ser salientado neste monastério é a grande quantidade de estilos artísticos que apresenta em sua construção, como vimos na matéria anterior. Sua fachada principal pertence ao século XVIII, e foi realizada por Pedro de Ribera, um dos maiores arquitetos barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi concebida como se fosse um autêntico retábulo feito de pedra, caracterizado por uma rica decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1836, com o processo desamortizador dos bens eclesiásticos, a Ordem de Santiago teve que abandonar o monastério. No começo do século XX, o Monastério de Uclés transformou-se num colégio de educação secundária e depois num colégio de noviciados pertencente aos padres agostinhos. Em 1936, durante a Guerra Civil Espanhola, foi saqueado, convertendo-se num hospital. Com o término do conflito, acolheu uma penitenciária para presos políticos até 1943, em cujo período faleceram centenas de presos republicanos pelas más condiçoes a que eram submetidos, além da prática da tortura. Finalmente, com o fechamento da prisão, foi transformado num seminário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Plazas de Toros de Madrid

Madrid é a capital mundial das touradas, e a Plaza de Toros de Las Ventas é considerada a mais importante do mundo (matéria publicada em 21/5/2012). Esta foi a terceira Plaza de Toros permanente que teve Madrid, e no post de hoje veremos as antigas Plazas de Toros que existiram na capital espanhola, além de imagens da atual Plaza de Toros de Las Ventas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente, as Plazas de Toros foram construídas em madeira e eram desmontáveis. Não se sabe com certeza onde esteve localizada a primeira Praça de Touros de Madrid. Segundo alguns autores, foi projetada pelo renomado arquiteto espanhol Pedro de Ribera em 1737, cuja enorme contribuição para o urbanismo da capital espanhola foi o tema de dois posts publicados em 23 e 24/6/2015. Esta primeira Praça de Touros tinha um caráter provisório e estava situada junto ao Rio Manzanares. Possuía uma capacidade para receber 11 mil espectadores e foi a base construtiva para as demais Praças de Touros de formato circular. Foi utilizada apenas durante 12 anos, já que em 1749, com o apoio do Rei Fernando VI, se construiu a primeira praça estável de Madrid,  situada junto à emblemática Porta de Alcalá, como vemos abaixo na imagem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta praça carecia de qualquer interesse arquitetônico, pois sua construção foi puramente funcional. Se manteve em atividade até 1874, quando as corridas de touros foram levadas a uma nova Praça de Touros. Foi derrubada dentro do processo de ampliação urbana da cidade e da construção do novo Bairro de Salamanca. A seguir vemos uma maquete da Praça de Touros da Porta de Alcalá, que podemos ver no Museu de História de Madrid, e uma placa comemorativa em sua localização original.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA segunda Plaza de Toros permanente de Madrid chamava-se “Plaza de Toros de la Fuente del Berro“, e se encontrava no espaço atualmente ocupado pelo Palácio de Deportes da Comunidade de Madrid, que vemos abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta nova praça tinha capacidade para acolher a 13 mil espectadores e inaugurou o estilo neomudéjar para as Praças de Touros. O denominado estilo mudéjar desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI, e se considera um estilo artístico autóctono e exclusivo do país. Foi utilizado nos edifícios religiosos (igrejas), na arquitetura civil (palácios) e também militar (muralhas). Suas construções utilizavam o tijolo como elemento construtivo e decorativo, incorporando características da arquitetura muçulmana, como o denominado Arco de Ferradura. A partir do século XIX, dentro do processo histórico da arquitetura, se realizou uma interpretação deste estilo (neomudéjar), originando diversas construções que ainda podemos admirar pela Espanha, como em muitas das praças de touros ainda existentes. Abaixo, vemos uma foto desta segunda praça permanente que teve Madrid, construída em 1874.

DSC07969A última tourada realizada nesta praça ocorreu em 1934. Com o grande aumento populacional verificado na primeira metade do século XX, surgiu a necessidade de se construir uma nova e maior Plaza de Toros, a atual Plaza de Toros de Las Ventas.

20190130_084854Esta praça, a mais importante e de maior prestígio do mundo, recebeu este nome por estar situada no Bairro de “Las Ventas del Espíritu Santo“. Com capacidade para acolher a 23 mil espectadores, é a maior de toda a Espanha, e nela atuaram e continuam apresentando-se os toureiros mais famosos do país. Apesar disso, a maior de todo o mundo é a Plaza de Toros Monumental da Cidade do México, com capacidade para 41 mil espectadores, construída em 1946. Abaixo, vemos uma foto do interior da Plaza de Las Ventas, com destaque para o Palco Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi projetada no estilo neomudéjar pelo arquiteto José Espeliú e finalizada por Manuel Muñoz Monasterio, depois do falecimento do primeiro arquiteto em 1928. Abaixo, vemos uma foto antiga tirada logo depois de finalizadas as obras, em 1929.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADevido à falta de infraestrutura urbana desta parte da cidade, a primeira corrida de touros foi realizada em 1931, mas a praça somente foi oficialmente inaugurada em 1934.

IMG_3450No exterior da Plaza de Las Ventas vemos diversas esculturas que homenageiam toureiros famosos, como o toureiro francês de origem espanhol José Cubero Sánchez (1964/1985), conhecido como “El Yiyo“. Com apenas 21 anos, e no auge de sua carreira e popularidade, foi morto por um touro na Plaza de Toros de Colmenar Viejo, um município da Comunidade de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ponte de Toledo – Madrid

De todas as pontes que cruzam o Rio Manzanares, e que atualmente se encontram dentro dos limites do Parque Madrid Rio, a Ponte de Toledo é a mais bela, sem dúvida nenhuma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo dos séculos, várias pontes receberam esta denominação, mas foram destruídas pelas enchentes do rio. Em 1718, durante o reinado de Felipe IV, o Marquês de Vadillo, corregidor da vila, encarregou ao grande arquiteto barroco Pedro de Ribera a construção de uma nova ponte, finalizada em 1732, que felizmente se conserva atualmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstá formada por 9 arcos e  foi construída de forma sólida e bem estruturada, para resistir à força das águas. O objetivo primordial de sua construção foi enlaçar a vila de Madrid com o antigo caminho à Toledo e Andaluzia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA outra função da Ponte de Toledo era que houvesse uma entrada digna à capital do reino desde o município de Carabanchel, hoje em dia integrado à cidade como um de seus distritos, uma zona em que foram edificados vários palácios aristocráticos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAQuando foi finalizada, a Ponte de Toledo sofreu várias críticas dos intelectuais e escritores da época, que comentavam que se tratava de “muita ponte para pouco rio…”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA ponte foi decorada com duas estruturas que acolhem as imagens do santo padroeiro de Madrid, San Isidro, e de sua esposa, Santa María de la Cabeza, que vemos acima e abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASan Isidro aparece realizando seu milagre mais conhecido, o chamado “Milagre do Poço“. Conta a tradição que seu filho caiu num poço profundo e o santo, através de suas orações e fé, conseguiu fazer com que a água do poço subisse, podendo desta forma resgatá-lo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABem em frente foi colocada a imagem de Santa María de la Cabeza

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ponte de Toledo une duas rotatórias (em espanhol chamadas de Glorietas), a Glorieta de Pirâmides com a Glorieta do Marquês de Vadillo. Na Glorieta de Pirâmides vemos dois obeliscos, construídos em 1831.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADuas belas fontes construídas por Pedro de Ribera embelezam este lado da ponte….

OLYMPUS DIGITAL CAMERADo outro lado, na Glorieta do Marquês de Vadillo, vemos duas torres também decoradas, uma espécie de porta de entrada a ponte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o detalhe decorativo da parte superior das torres….

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante décadas, a Ponte de Toledo serviu de estacionamento para os jogos disputados no Estádio Vicente Calderón, que abaixo vemos ao fundo de um dos arcos que constituem a ponte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1956 foi declarada Monumento Histórico-Artístico e em 1966 passou a ser utilizada somente para pedestres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom esta matéria, finalizo a série sobre o Parque Madrid Rio…até o próximo post !!!!

Parque Madrid Rio: Patrimônio Histórico

Além de sua importância ecológica, paisagística e de ócio para a população, o Parque Madrid Rio conserva em seus limites edificações históricas de grande relevância, que ficaram integrados a área do parque. Infelizmente, muitas destas construçoes foram duramente afetadas durante a Guerra Civil Espanhola (1936/1939), devido sua proximidade com as frentes de batalhas. Um exemplo é a Ermita de la Virgen del Puerto (post publicado em 13/7/2013).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEste belo templo religioso foi construído pelo grande arquiteto barroco Pedro de Ribera entre 1716 e 1718, que foi encarregado de seu projeto pelo então corregidor (uma espécie de prefeito da cidade na época, nomeado pelo rei) da Vila de Madrid, o Marquês de Vadillo, cujo sepulcro se encontra dentro da ermita.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPraticamente destruída durante a Guerra Civil, teve que ser reconstruída em 1945. Outro monumento interessante é o denominado Túnel de Bonaparte, construído por José Bonaparte, irmao do Imperador Napoleão, que governou o país entre 1808 e 1814. O túnel foi projetado pelo arquiteto Juan de Villanueva, responsável por importantes projetos históricos, como o Museu do Prado, por exemplo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste túnel tinha como finalidade servir de escapatória para o monarca francês, em caso de necessidade, ligando os jardins do Palácio Real com a Casa de Campo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA oferta cultural do parque está representado por um dos centros mais dinâmicos da cidade na atualidade, o antigo Matadouro Municipal de Legazpi (post publicado em 27/9/2013). Inaugurado em 1924, foi o principal matadouro da cidade no século XX e foi construído no estilo neomudéjar, com tijolos e cerâmica decorativa. Abaixo, vemos uma imagem panorâmica do local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecentemente, tive a oportunidade de conhecer o Palácio de Cristal de Arganzuela, que fica no interior do antigo matadouro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAHoje em dia, o Palácio de Cristal se transformou numa grande estufa (invernadero, em espanhol), onde foram criados ecossistemas de diferentes partes do mundo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACasa ecossistema foi representado por uma grande quantidade de espécies características. Existem três deles, o tropical…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEcossistema subtropical…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE ecossistema desértico…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos o edifício da Torre do Relógio, originalmente local administrativo do matadouro e atualmente sede de um órgão público.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizo a matéria com mais uma foto do Estádio Vicente Calderón, em seu último ano de vida…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Rio Manzanares – Parte 2

Em seu trajeto por Madrid, existem várias pontes que cruzam o Rio Manzanares, algumas delas históricas. Uma das primeiras matérias publicadas no blog (18/4/2012) falei a respeito da maioria delas. A Ponte de Segóvia é a mais antiga, embora tenha sido reconstruída depois da Guerra Civil.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta ponte foi construída no século XVI, logo depois que Madrid tornou-se a capital permanente da Espanha, durante o reinado de Felipe II (1561), como uma entrada digna para a corte. O arquiteto responsável de sua construção foi Juan de Herrera, também autor do projeto final do Monastério de El Escorial. As vistas do Centro Histórico de Madrid desde a Ponte de Segóvia impressionam, como vemos na foto acima, em que aparecem o Palácio Real e a Catedral de Almudena. Abaixo, vemos um quadro realizado entre 1640 e 1660 no qual podemos apreciar a ponte e o antigo Alcázar de Madrid, que sofreu um terrível incêndio em 1734, dando lugar ao atual Palácio Real.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA seguir, vemos uma foto antiga da Ponte de Segóvia

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra das pontes históricas de Madrid, a Ponte de Toledo foi projetada por Pedro de Ribera, um dos arquitetos que mais contribuíram para o desenvolvimento da paisagem urbana da cidade, sendo finalizada em 1732.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua construção foi promovida pelo então alcalde (prefeito) de Madrid, o Marquês de Vadillo. Feita de granito, está composta por 9 arcos e foi decorada em sua parte central com duas esculturas que representam o santo padroeiro de Madrid, San Isidro, e sua esposa, Santa María de la Cabeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma foto antiga da Ponte de Toledo, de 1920…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo sucedeu com o próprio Rio Manzanares, a Ponte de Toledo também se tornou objeto de sátira dos literatos e intelectuais, que o designaram “Muita ponte para tão escasso rio…”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo dos séculos, o Rio Manzanares foi aproveitado economicamente, e antigamente nas suas margens existiam moinhos para a produção de farinha. Denominados Norias, sua origem se remonta à época romana, e posteriormente foram aperfeiçoados pelos árabes. Durante a idade Média, sua importância foi tal que se tornaram monopólio senhorial, passando depois a ser propriedade do conselho da cidade e também das Ordens Religiosas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAntigamente, o Rio Manzanares nao era “calmo” como atualmente, e as enchentes provocadas em várias ocasiões destruíram boa parte dos moinhos existentes. Outra atividade relevante exercida em suas margens foi a lavagem de roupa. De fato, em muitas fotos antigas do rio podemos apreciar a paisagem ribeirinha tingida pelo branco das roupas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO ofício das lavadeiras estava regulamentado, e no final do século XIX e princípios do XX atingiu proporções industriais. Um grande canal, paralelo ao rio, foi construído para esta atividade, que desapareceu depois do término da Guerra Civil devido à contaminaçao industrial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Rio Manzanares possuía uma fauna e flora diversificada, e a pesca foi intensamente praticada tempos atrás. Vários fatores limitaram esta atividade, como o aumento populacional e sua consequente massificação. A partir do momento em que o rio foi canalizado no século XX, a rota migratória de várias espécies de peixe foi afetada. Muitas outras desapareceram com a contaminação industrial. Finalmente, a introdução de novas espécies, que não pertenciam originalmente à fauna fluvial, como as trutas e o chamado peixe-gato, que se alimenta de outras espécies, contribuíram para a diminuição da pesca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Edifício da Telefônica – Madrid

A capital de Espanha passou a ter telefones a partir de 1885, com a criação da Sociedade Telefônica de Madrid, uma empresa privada, cuja sede encontrava-se na Calle Mayor, junto a Puerta del Sol. Essa companhia foi a predecessora da futura Companhia Telefônica Nacional da Espanha, que inicialmente possuía um capital americano proveniente da International Telephone and Telegraph (ITT). A empresa foi criada em 1924, e sua monumental sede foi construída em plena Gran Vía entre 1926 e 1929, numa época em que a construção da grande avenida estava longe de dar-se por finalizada.

DSC08737O projeto construtivo deste que é um dos edifícios mais emblemáticos da Gran Vía envolveu a colaboração de arquitetos americanos e espanhóis, entre os quais Luis Ignacio de Cárdenas. Sua construção deveria simbolizar a importância e poder da empresa, e de fato o objetivo foi conquistado, pois o Edifício da Telefônica tornou-se um dos primeiros arranhas céus da Europa e o primeiro em ser construído na Espanha. Com 90m de altura e 15 andares de pé direito alto, atualmente ocupa apenas a décima sexta posição dos maiores edifícios da cidade, mas na época representou um grande êxito arquitetônico. Sua composição reflete os princípios da denominada Escola de Chicago, aliada com uma decoração inspirada no Barroco Madrilenho, principalmente do renomado arquiteto Pedro de Ribera, como podemos ver sem sua fachada principal, que recorda os Palácios de Madrid do séc. XVIII executados por este grande arquiteto (ver matéria publicada em 23 e 24/6/2015).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO edifício nasceu como uma central telefônica, composto tanto pelos equipamentos industriais da rede de telecomunicações, quanto oficinas e vestíbulos de atendimento aos clientes que mostravam a riqueza da empresa proprietária. Na parte superior da fachada foi colocado o Escudo de Espanha e no alto uma torre, cuja função original era de depósito de água, com capacidade para 45 mil litros. No centro da torre, vemos um relógio que quando começa a anoitecer recebe uma bela iluminação azul.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1928, antes que estivesse terminado, o rei Alfonso XIII realizou no edifício a primeira chamada transoceânica com o presidente dos Estados Unidos. Em 1930, trabalhavam no edifício 1800 funcionários, entre operadores, guardas, funcionários responsáveis pelas conexões telefônicas, atendimento ao público, etc. Nesta época, a incorporação da mulher no mercado de trabalho era escassa, e o grande número de mulheres trabalhadoras da companhia proporcionou uma imagem de modernidade para a empresa, que acabou se estendendo por toda a Gran Vía. Abaixo, vemos algumas imagens de sua construção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta outra foto, vemos uma ampla imagem de Madrid, com o Edifício da Telefônica no alto, ainda inacabado.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante a Guerra Civil, o edifício tornou-se um alvo prioritário por sua importância vital relacionada com as comunicações, e também por sua altura, um excelente ponto de observação. Apesar de ter sido bombardeado pelos motivos mencionados e por encontrar-se próximo das frentes de batalha, não sofreu colapso em sua estrutura. Seu interior foi utilizado como refúgio durante os ataques à cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADepois de terminada a guerra, nele foi instalado pelo novo governo a Oficina de Censura da Imprensa. Desde a sede da companhia foram transmitidas também crônicas de grandes escritores, como Ernest Hemingway e Antoine de Saint Exupéry. Em 1945, a companhia foi nacionalizada e o estado espanhol passou a ter o controle exclusivo da mesma. Abaixo, vemos uma foto do interior do edifício.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1992, o rei Juan Carlos I reinaugurou o edifício, com as reformas realizadas para acolher nos 4 primeiros andares um novo espaço cultural, a Fundação Telefônica, que exibe o Museu das Telecomunicações e diversas exposições temporárias, e merece ser conhecido.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos alguns dos curiosos e interessantes objetos do museu, alguns dos quais certamente muitos de vocês recordarão…

Pedro de Ribera – Parte 2

A cidade de Madrid nao seria a mesma sem a colaboraçao do arquiteto Pedro de Ribera, que no período barroco realizou desde igrejas a palácios, edifícios públicos e fontes, transformando a capital espanhola numa referente deste estilo artístico a nível europeu. Neste último post em sua homenagem, veremos outras obras executadas pelo grande arquiteto. Algumas delas pertenceram à classe aristocrática, que encarregaram a Ribera a edificaçao de suas residências, como o Palácio de Miraflores, construído entre 1730 e 1735.

DSC08681Uma de suas obras mais conhecidas é o Palácio do Marquês de Perales, atual sede da Filmoteca Nacional. A construçao ocupa boa parte do quarteirao onde está situada, e sua portada é uma das mais belas que realizou, com detalhes que revelam sua capacidade criadora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra jóia do barroco madrilenho realizada por Ribera é o Real Hospício de Ave Maria e San Fernando, edificado entre !721 e 1726.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANesta obra fica patente a influência de José Benito de Churriguera na cosntruçao de sua decorada fachada, organizada em dois níveis como se fosse um grande retábulo feito de pedra. O hospício deixou de exercer sua funçao como tal em 1922 e alguns anos antes foi declarado Monumento Histórico-Artístico. Graças a intervençao da Real Academia de Belas Artes de San Fernando, escapou da destruiçao e hoje é a sede do imperdível Museu de História de Madrid.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANos jardins do museu encontramos outra realizaçao do arquiteto, a magistral Fonte da Fama. Sua construçao foi ordenada pelo rei Felipe V para embelezar a cidade, bem como proporcionar água à populaçao. O projeto foi financiado pelo povo madrilenho, e no dia de sua inauguraçao, foi colocado um cartaz que dizia: “Deus quis, o rei mandou e o povo pagou”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo bairro onde nasceu e viveu, Lavapiés, Pedro de Ribera colaborou na construçao da Igreja de San Cayetano e San Millán, uma das “belas desconhecidas de Madrid”, principalmente em sua fachada. A igreja formava parte do Convento dos Teatinos, desaparecido depois da Desamortizaçao de Mendizábal em 1836.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAIncendiada durante a Guerra Civil do séc. XX, o templo foi salvo graças a eficiente obra de restauraçao promovida pelo arquiteto Chueca Goitia. Em 1962 foi reaberta ao culto e declarada Monumento Histórico-Artístico. A igreja possui uma planta de cruz grega e seu interior é belíssimo. Suas grandes pilastras impressionam a todos que a visitam.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAPedro de Ribera faleceu em 1742 e foi sepultado na igreja que ajudou a construir. Abaixo, vemos uma placa comemorativa que vemos no interior do templo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA importância deste arquiteto fundamental foi reconhecida posteriormente, em pleno séc.XX, num dos edifícios mais emblemáticos da cidade, situado em plena Gran Vía. Trata-se da sede da Telefônica, uma das principais multinacionais espanholas. O autor do projeto construtivo rendeu uma homenagem ao grande arquiteto barroco, combinando a influência norte-americana de sua arquitetura com uma fachada que enaltece sua verticalidade, relembrando as notáveis fachadas de Pedro de Ribera.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA