Monastério de Uclés – Parte 2

Como comentei no último post, o Monastério de Uclés teve uma grande importância histórica na Espanha por ter sido a sede da Ordem de Santiago, uma das principais ordens militares e religiosas do país. A Ordem de Santiago foi fundada no século XII (ano de 1170) no antigo Reino de León, precisamente na cidade de Cáceres, atual Comunidade de Extremadura. Inicialmente, seu objetivo primordial era proteger os peregrinos que realizavam o caminho a Santiago de Compostela, onde se encontra o sepulcro do Apóstolo Santiago, santo padroeiro da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom o tempo, a Ordem de Santiago acabou participando do processo de expulsão dos muçulmanos da Península Ibérica, tendo um papel relevante nas guerras de reconquista. No Monastério de Uclés vivía o grande mestre da ordem, bem como muitos dos cavalheiros que pertenciam à instituição. O emblema da ordem era a Cruz de Santiago, que podemos observar em distintos locais do monastério, como no pátio…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOu na sacristía….

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATrata-se de uma cruz vermelha que simula uma espada com forma de flor de lis na empunhadura. Os cavalheiros da ordem  levavam a cruz estampada num estandarte e em sua capa branca. A espada representa o espírito guerreiro do Apóstolo Santiago e sua forma de martírio, pois foi decapitado com uma espada. Simboliza também “tomar a espada” em nome de Cristo. Abaixo, vemos a cruz numa das capelas da igreja do Monastério de Uclés, na qual podemos ver exposições sobre a história da ordem.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Ordem de Santiago enriqueceu graças ao grande território que se estendia sobre seus domínios, principalmente pela região que atualmente conhecemos como Castilla La Mancha. Chegou a possuir mais propriedades que as ordens de Alcántara e Calatrava juntas, outras ordens importantes do país. Sua rápida propagação se deve a que suas regras eram menos rígidas que as demais, sendo a única em que os cavalheiros membros tinham o direito de casar. Além de suas amplas propriedades na Espanha, a Ordem de Santiago possuía terras em Portugal, França, Itália, Hungria e também na Palestina. Abaixo, vemos a sacristía do Monastério de Uclés, transformada numa capela.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1493, os Reis Católicos incorporaram as ordens militares-religiosas à Coroa da Espanha. Atualmente, constituem uma organização nobiliária religiosa e honorífica. Na sequência, vemos um quadro do Apóstolo Santiago retratado como peregrino…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, a bela escada de acesso ao nível superior do pátio construído como se fosse um claustro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE um quadro da Imaculada Conceição que decora uma das paredes do interior do monastério.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro aspecto a ser salientado neste monastério é a grande quantidade de estilos artísticos que apresenta em sua construção, como vimos na matéria anterior. Sua fachada principal pertence ao século XVIII, e foi realizada por Pedro de Ribera, um dos maiores arquitetos barrocos da Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFoi concebida como se fosse um autêntico retábulo feito de pedra, caracterizado por uma rica decoração.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1836, com o processo desamortizador dos bens eclesiásticos, a Ordem de Santiago teve que abandonar o monastério. No começo do século XX, o Monastério de Uclés transformou-se num colégio de educação secundária e depois num colégio de noviciados pertencente aos padres agostinhos. Em 1936, durante a Guerra Civil Espanhola, foi saqueado, convertendo-se num hospital. Com o término do conflito, acolheu uma penitenciária para presos políticos até 1943, em cujo período faleceram centenas de presos republicanos pelas más condiçoes a que eram submetidos, além da prática da tortura. Finalmente, com o fechamento da prisão, foi transformado num seminário.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tarragona Romana

Qualquer pessoa que visite Tarragona ficará surpreendida com sua impressionante e longa história. O território onde se situa atualmente a cidade foi habitada por tribos ibéricas no século VaC, que travaram contato com gregos e fenícios que haviam se estabelecido na costa mediterrânea. No entanto, Tarragona entra na história com os romanos, dentro do contexto da Segunda Guerra Púnica, disputada entre as duas potências da época, Roma e Cartago, no início do século III aC. No ano 218 aC, Cneu Cornélio Escipión estabelece uma guarnição militar, que com o tempo se transformaria na principal base militar de Hispania. Desde a cidade, os romanos conquistariam nos seguintes 200 anos toda a Península Ibérica, levando a cultura latina a todo o território.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATarraco, como foi denominada pelos romanos, tornou-se a principal cidade de Hispania, convertendo-se na capital da Província da Hispania Citerior, a maior de todas as províncias do território controlado pelos romanos na península. Seu nome completo era Colonia Iulia Urbs Triumphalis Tarraco. Seu incrível patrimônio histórico ligado a esta época foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 2000, convertendo-se na única cidade da Catalunha em receber esta distinção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo século II aC, Tarraco foi estruturada com a construção de uma muralha e o estabelecimento de uma rede viária. Sua importância foi aumentando com a chegada de novos povoadores entre os séculos II e I aC. Recebeu o título de Colônia provavelmente em 45 aC, outorgado pelo Imperador Júlio César. Entre os anos 26/25 aC, o Imperador Augusto residiu na cidade, governando o império, por primeira vez, fora de Roma. Nos séculos I e II dC, Tarraco alcançou o período de máximo esplendor, com a construção de uma grande quantidade de monumentos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos uma maquete elaborada pelo Museu de História de Tarragona, na qual se representa a cidade de Tarraco no seu momento de maior importância.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATarraco teve moeda própria durante as épocas de Augusto e Tibério, e Vespasiano concedeu a cidadania latina a seus habitantes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACom a reforma administrativa realizada por Diocleciano, a Península Ibérica ficou dividida em 6 províncias. Tarraco permaneceu sendo capital, mas de uma província menor. No ano 259, foram martirizados no Anfiteatro Romano de Tarraco o Bispo Fructuoso e os diáconos Augurio e Eulogio, demonstrando que já nesta época existia uma comunidade cristiana organizada. Abaixo, vemos uma foto do Anfiteatro

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA crise do Império Romano no século III afetou gravemente a cidade, que se recuperaria lentamente nos séculos seguintes, mas algumas zonas foram abandonadas. A partir deste momento, o poder do Bispado de Tarragona cresceu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAcima vemos um monumento esculpido em homenagem ao Imperador César Augusto. Abaixo, uma réplica da Loba Capitolina, cuja estátua original se encontra no Museu Capitolino  de Roma.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém de visitar os monumentos de época romana, para conhecer mais a fundo a história de Tarraco recomendo visitar o Museu Arqueológico, fundado no século XIX com uma valiosa coleção de peças romanas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANas próximas matérias, veremos com mais profundidade os monumentos conservados de Tarragona pertencentes ao período romano, não percam !!!

Las Merindades – Parte 2

A zona norte da Província de Burgos, conhecida como Las Merindades, possui uma grande importância histórica, pois foi nesta região em que se mencionou, por primeira vez, o termo “Castilla“, no século IX. Esta referência se relacionava por um conjunto de pequenos territórios situados ao norte do Rio Ebro, que se converteu no núcleo original do antigo Reino de Castilla (Castela, em português). Dito território caracterizava-se pela abundância de construçoes defensivas, os castelos. Ainda hoje, é impressionante a quantidade de fortificações que ainda podemos contemplar. Um exemplo é a Torre dos Velasco, situada no povoado de Valdenoceda.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA família dos Velasco dominou a região de Las Merindades durante um bom período de tempo, sendo que a torre que hoje observamos fazia parte de uma fortaleza construída entre os séculos XIV e XV. A torre possui 20m de altura e seus muros alcançam 1.80m de grossura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe grande originalidade é o Castelo de Cebolleros, por sua curiosa história. Esta fortaleza foi construída graças ao sonho de um habitante deste povoado chamado Serafín Villacán. Sua construção iniciou-se em 1978, mas 20 anos depois Serafín faleceu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua família se encarregou de que o sonho de Serafín se realizasse, continuando a obra seguindo sua metodologia construtiva, edificando o castelo pedra por pedra. Como podemos observar na foto, o projeto seguiu os preceitos da arquitetura medieval, com alguns toques modernistas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERATambém denominado Castelo de las Cuevas, seu interior está repleto de surpresas para o visitante, além de um bar, mas quando o visitei estava fechado…que pena !

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo comentei no primeiro post sobre Las Merindades, sua beleza natural é um convite para os adeptos do senderismo e dos esportes de aventura. Abaixo, vemos o Lago Azul, ideal para um bom banho, de preferência se as temperaturas colaboram…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA quantidade de cachoeiras é enorme, e eu e meu irmão Marcelo pudemos conhecer várias delas. Uma das mais conhecidas encontra-se num parque denominado Monumento Natural del Monte Santiago, cuja espetacularidade de sua paisagem constitui seu maior atrativo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUma caminhada de cerca de 4 km (ida e volta) nos leva ao Salto do Rio Nervión, considerado o mais alto de toda a Península Ibérica. Suas águas se precipitam pelo Desfiladeiro de Delika a mais de 220m de altura. Lamentavelmente, nos meses de calor, época em que me encontrava no local, o rio está seco e não tive a oportunidade de  contemplar a cascata em todo seu esplendor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAApesar disso, o passeio valeu a pena pela maravilhosa paisagem do entorno. Um mirante situado ao borde do precipício possibilita sua contemplação visual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJunto ao precipício pelo qual o rio lança suas águas, um casal de cabras passeavam tranquilamente, imunes ao perigo das alturas…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERASelecionei um vídeo no YouTube para que vocês possam contemplar o Salto do Rio Nervión em toda sua exuberância:

Empúries – Província de Girona

Para os interessados no passado remoto da Península Ibérica, um dos passeios obrigatórios que se pode realizar pela Comarca de Alt Empordà (Província de Girona, Comunidade da Catalunha) é a visita ao recinto arqueológico de Empúries.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local é considerado um dos parques arqueológicos de maior importância em toda a península, pois é o único que conserva restos de uma colônia grega (Emporion, fundada no século VI aC) e de uma cidade romana (Emporiae, fundada no século I aC), dentro de um espaço de grande beleza natural. Abaixo, vemos a entrada ao recinto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAnualmente, milhares de pessoas visitam seus restos e o Museu de Arqueologia de Catalunha-Empúries, situado dentro de seus limites, contendo as peças mais significativas encontradas nas escavações realizadas. Seu descobrimento está relacionado ao movimento cultural ocorrido no século XIX, sendo que um de seus principais objetivos era recuperar as origens da cultura catalã . Em 1908, a Junta de Museus de Barcelona iniciou as escavações oficiais de Empúries, sob a direção do famoso arquiteto Josep Puig i Cadafalch.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO local já havia sido habitada por comunidades indígenas, os Iberos, desde a fase final da Idade de Bronze (século IX ao VIII aC). A partir do século VII aC, estes povos mantiveram contatos comerciais com outras culturas mediterrâneas, como os gregos, fenícios e etruscos. Várias necrópoles encontradas (locais de enterramento) colaboraram para a compreensão desta etapa primitiva do assentamento. Dentro do museu, se exibem várias peças deste período, como uma ânfora ibérica usada para o transporte de matérias primas (séculos VI a I aC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAObjetos de cerâmica relacionados ao ritual do vinho…

OLYMPUS DIGITAL CAMERARecipientes para perfumes realizados em pasta de vidro ( séculos V a IV aC).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEmpúries foi a porta de entrada das culturas clássicas na Península Ibérica. Por seu porto natural chegaram no século VI aC os gregos, e mais tarde o exército romano comandado por Cneo Cornelio Escipión, durante o desenlace da Segunda Guerra Púnica, fato que marcou o início da romanização do território (218 aC). É considerada a única cidade grega documentada arqueológicamente na península. Seu nome grego, Emporium, significa mercado, e desta denominação derivou o atual nome da comarca, Empordà. O centro da cidade grega chamava-se Ágora, local onde se desenvolviam as atividades políticas, sociais e comerciais, edificada no século II aC. Abaixo, vemos algumas das cisternas existentes em sua parte comercial, que abasteciam as famílias que não possuíam água em suas casas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte alta da cidade grega localiza-se a zona de templos religiosos, como o dedicado a Ísis e Serápis, divindades importadas da cultura oriental. A seguir, vemos o templo de Asclépio, deus da medicina.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAMagnífica é a estátua grega do século II aC encontrada em 1909, que se exibe no museu, desta divindade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cidade grega ainda esconde grande parte de seus tesouros, pois apenas uma pequena parte do conjunto foi escavada. Estava protegida por um conjunto de muralhas, como vemos a seguir.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAmbas cidades, a grega e a romana, encontram-se completas, pois a diferença de outras cidades antigas, em Empúries não existiram construções superpostas, possibilitando a compreensão da estrutura urbana das duas culturas. Por este motivo, é também denominada a Pompeia Catalã . No próximo post, veremos a antiga cidade romana´…

 

Alcazaba de Badajoz – Parte 2

O sistema defensivo da Alcazaba de Badajoz estava composto por 3 partes: as portas de acesso, as torres e a barbacana. A Barbacana constitui um muro de menor altura, que foi levantado na parte externa da muralha principal. Representava o primeiro obstáculo a ser superado pelo inimigo, e quando em perigo, se abandonava continuando-se a defesa nos muros superiores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAtualmente, se conservam 4 portas da muralha (das quais veremos duas) e praticamente todas suas torres defensivas. A maioria destas portas são chamadas de Recodo, isto é, composta por uma porta dupla que conduz a um pátio interior. Estão protegidas por uma torre almenada para sua vigilância. A chamada Porta do Capitel foi edificada no período almohade, e recebeu este nome devido a presença de um capitel romano em sua parte superior, procedente do foro romano da cidade de Mérida. É considerada a porta de acesso principal a Alcazaba.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Porta de Yelves foi reconstruída com grande fidelidade a obra original. Apresenta arcos duplos, de ferradura no exterior e de meio ponto (semicircular) no interior do pátio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação às torres, destacam as denominadas Torres Albarranas, que se situavam fora das muralhas, mas a elas comunicadas, cuja construção visava proteger as partes mais vulneráveis do conjunto, ou um ponto estratégico determinado. A mais importante de todas, por seu tamanho e características de estilo, é a Torre da Atalaia, também chamada de Espantaperros.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui planta octogonal, característica da arquitetura militar almohade. Representa um dos exemplos mais notáveis deste tipo de torre relacionada ao período almohade em toda a Península Ibérica, sendo erguida no século XII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANo século XVI, foi colocado um campanário no estilo mudéjar em sua parte superior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAComo foi dito no post anterior, a Alcazaba, além de sua função defensiva, era o local de residência do governante da cidade. O Palácio Árabe não sobreviveu aos séculos, e segundo a bibliografia tradicional, possuía 3 mesquitas. Badajoz foi reconquistada em 1230 pelo rei de Castilla y León Alfonso IX. Foi então quando estes templos muçulmanos foram convertidos em igrejas católicas, como habitualmente ocorreu em todo o país. A mais importante delas, a Mesquita Maior, transformou-se na primeira catedral de Badajoz, conhecida como Igreja de Santa María del Castillo. Infelizmente, na segunda metade do século XIX, se construiu um hospital militar e a igreja foi derrubada. Recentemente, o edifício foi totalmente reformado, convertendo-se na sede conjunta da Faculdade de Biblioeconomia e Documentação e da Biblioteca Regional. Durante a reforma, restos arqueológicos foram encontrados, como partes da igreja (um ábside) e ruínas do antigo palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cartagena Púnica

Foram os interesses de Cartago de se estabelecerem na Península Ibérica e um modo de recuperarem-se das perdas sofridas durante a Primeira Guerra Púnica (264/241 aC), quando se enfrentaram com o Império Romano, os fatores principais que fizeram com que Cartagena se transformasse na capital do Império Cartaginês na Ibéria, no ano 229 aC. A política expansiva da família dos Barca iniciou-se com Almícar, que estabeleceu pactos que assegurassem pontos estratégicos em seu avance pela península. As aspirações cartaginesas provocaram rebeliões da população autóctona ibérica, ocasionando vários enfrentamentos. Num deles, o próprio Almícar veio a falecer, na Batalha de Helike. Seu genro, Asdrúbal, foi capaz de controlar boa parte do mediterrâneo e as riquezas minerais e sua estratégica localização resultaram determinantes para que escolhesse este local para fundar no ano 229 aC a cidade de Qart-Hadasht, futura Cartagena. Abaixo, vemos um monumento em homenagem ao general cartaginês.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADesta época fundacional, se conservam em Cartagena as Muralhas, descobertas em 1987 e consideradas um dos escassos exemplos de conjuntos arqueológicos púnicos encontrados na Península Ibérica. Uma estrutura contemporânea preserva os achados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs Muralhas Púnicas, além de sua função defensiva, refletiam a importância que a cidade havia adquirido neste período. Feita de arenito, estava composta por dois muros paralelos, separados 5 metros entre si.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA parte superior da muralha possuía um caminho em que as guarnições podiam transitar, e provavelmente tinham um fosso, para a proteção das áreas mais vulneráveis. A muralha foi construída segundo o modelo helenístico e o edifício que a alberga recria suas dimensões, de 10 metros de altura.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO mais curioso é que dentro do conjunto arqueológico preservado se encontra uma cripta, pertencente a Ermita de San José, uma construção separada quase dois mil anos que nada tem que ver com a muralha, salvo que foi edificada no mesmo local.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANão se sabe ao certo quando o templo foi construído, provavelmente no séc. XVI. A cripta foi construída no séc. XVII por alguma das confrarias  que tinham sede na ermita, a de São José e a de São João Nepomuceno, acolhendo os restos de muitos de seus membros. Pinturas de época medieval, inspiradas na dança da morte, se conservam, recordando a fugacidade da vida e a vitória da morte sobre os poderes temporais, simbolizada por um esqueleto que pisa numa bandeira real  com a tiara papal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA  construção da cripta provocou a perda de boa parte da muralha onde foi edificada. Com a Desmortizaçao de Mendizábal em 1836, a igreja foi demolida, preservando-se somente a cripta graças ao uso que lhe foi dada, como um local de escombros. A importância da cidade durante o período cartaginês pode ser observada no Museu de Arqueologia Subaquática, que possui uma boa quantidade de ânforas púnicas para o armazenamento de produtos, prova de sua intensa atividade comercial.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Cartagena – Comunidade Murciana

Um dos lugares mais interessantes da Comunidade Murciana é a cidade de Cartagena, localizada apenas 50 km de distância de Murcia, a capital. Localizada na costa, junto ao Mar Mediterrâneo, possui aproximadamente 220 mil habitantes, sendo considerada um dos destinos turísticos de maior importância de toda a comunidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERACartagena é uma das cidades mais antigas de toda a Península Ibérica, com mais de 2.200 anos de história. Os inúmeros restos arqueológicos encontrados comprovam o papel fundamental que exerceu na antiguidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANeste período, foi uma das cidades mais prósperas da Península, fato constatado não só pela arqueologia, mas também pelas fontes escritas. OLYMPUS DIGITAL CAMERASua posição geográfica, uma pequena península rodeada por colinas e uma lagoa que a cerca do outro lado do mar, a tornaram um dos enclaves melhores protegidos de todo o Mediterrâneo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas características naturais, e sua condição de porto marítimo, determinaram sua longa história, e facilitaram uma intensa atividade comercial, ampliada pela riqueza de suas reservas minerais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém contribuíram de modo decisivo para o interesse que despertou os vários povos que a habitaram…

OLYMPUS DIGITAL CAMERANuma  caminhada pelo Paseo Marítimo de Cartagena, podemos descobrir a beleza de sua estratégica localização, e as inumeráveis atrações que atraem a cada vez um número maior de turistas, ávidos por conhecê-la.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAAo longo de sua história, Cartagena recebeu os títulos de “Muy nobre, fiel y leal, sempre heroica”. Abaixo, vemos o seu escudo que data de 1929, decorando o teto do Edifício do Ayuntamiento.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEstive todo o dia passeando de forma ininterrupta pela cidade, e conheci bastantes lugares. No entanto, deixei de conhecer vários outros, algo facilmente explicável para uma cidade com tanto que ver. De qualquer modo, creio que reuni um material suficiente para que vocês possam conhecer um pouco desta interessante e belíssima cidade da Comunidade Murciana.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA