Museu de Cáceres

Para se conhecer as etapas históricas de Cáceres, bem como poder contemplar inúmeras peças artísticas, recomendo visitar o Museu da cidade, situado na Plaza de San Mateo. O museu encontra-se sediado no Palácio de los Veleta, um dos inúmeros palácios existentes no Centro Histórico da cidade, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo local onde atualmente se ergue o edifício, no século XIII se levantava o antigo Alcázar Árabe. Na segunda metade do século XV, o Rei Enrique IV concedeu a Diego Gómez de Torres a possibilidade de construir sobre a fortaleza um novo palácio, com a condição que não tivesse elementos defensivos. No entanto, o edifício que vemos atualmente se deve a Lorenzo de Ulloa y Torres. Na fachada, vemos os escudos de ambas as linhagens, dos Ulloa e da família Torres.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das grandes atrações do museu é que se conserva o antigo Aljibe Árabe, um local utilizado como depósito de água. Excavado em parte na rocha, o espaço ocupado pelo Aljibe está formado por 5 naves separadas por arcos de ferradura. Suas colunas conservam elementos de épocas romana, que foram reutilizados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO Museu de Cáceres foi inaugurado em 1933, cuja origem se deve a sua importante coleção de peças arqueológicas, formada a partir do final do século XIX e que abrangem desde o Paleolítico até a Idade Média. Do período ibérico estão expostos vários Verracos, como se conhecem as esculturas zoomórficas feitas de granito, que representam touros, porcos ou javalis e utilizados como marcadores de territórios.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutras peças de grande interesse histórico constituem as Estelas, monumentos funerários onde guerreiros são representados de maneira heróica. O Museu de Cáceres possui uma das maiores coleções deste tipo de obras da Idade de Bronze. Os guerreiros aparecem junto às suas armas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERATambém relacionado à cultura ibérica, o denominado Tesouro de Aliseda foi descoberto em 1920, estando considerado uma importante façanha da Arqueologia Espanhola.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAlém da seção de arqueologia, o Museu de Cáceres está composto pelo acervo de Etnografía e Belas Artes, esta com várias peças de interesse, tanto na pintura quanto na escultura. Abaixo, vemos um Cristo Crucificado de marfim, feito por um artista anônimo das Filipinas, no século XVII.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste outro foi esculpido em madeira, no século XV, por um artista espanhol anônimo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, vemos a representação da Santíssima Trindade, uma escultura feita de alabastro do século XVI (anônimo).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação à Pintura, vários quadros despertaram meu interesse, entre os quais um de El Greco (1541/1614), com a representação de Jesus Salvador.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo, um belíssimo tríptico flamenco da Paixão de Cristo, anônimo do século XVI.

OLYMPUS DIGITAL CAMERALuca Giordano (1632/1705), um pintor italiano que realizou diversas obras em solo espanhol, realizou este quadro de Santo André

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPintura Contemporânea Espanhola também faz parte do acervo pictórico do museu. Um exemplo é o pintor Darío Villalba (1939/2018), que realizou esta obra intitulada “Noche 81” em 1981.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutra obra interessante, o quadro feito de acrílico intitulado “Agressión” em 1976 foi realizado pelo artista valenciano Juan Genovés, nascido em 1930.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Museu de Belas Artes – Parte 2

O acervo permanente do Museu de Belas Artes de Valencia inclui importantes obras de duas escolas fundamentais na evolução da História da Arte, o Renascimento e a Pintura Flamenca. A cidade foi uma das portas de entrada na Península Ibérica das novas idéias humanistas provenientes tanto da Itália, graças aos intensos contatos políticos com Sicília e Nápoles, então parte integrante do Império Espanhol, como também através da cidade francesa de Avigñon, na época sede pontifícia. Esta proximidade fez com que Valencia se tornasse um foco da cultura renascentista, que na Espanha tardou em implantar-se devido a persistência, principalmente religiosa, em relaçao à Arte Gótica. No século XVI, o Renascimento Italiano triunfa em todo o continente, e sua assimilação em território espanhol resulta inevitável. Abaixo, vemos um quadro intitulado “Virgen de las Fiebres“, pintado pelo italiano Bernardino di Benedetto Biagio (1454/1513), que representa os vínculos existentes entre Valencia e Roma nos finais do século XV graças à família dos Borgia. Francisco de Borgia, que aparece no lado direito do quadro, ocupou cargos importantes na corte pontifícia na época de seu parente, o Papa Alejandro VI. A Virgem, representada como Mãe da Sabedoria, ensina o filho a ler. Este quadro teve uma forte repercussão em Valencia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm relação à temática, escassos sao os quadros pintados por artistas espanhóis do Renascimento que tratam de temas mitológicos e de nus femininos, abundantes na Itália, devido ao predomínio dos temas religiosos que persistem no país. Um exemplo é o quadro da “Purísima Concepción” de Nicolás Falcó, artista ativo em Valencia no final do século XV e início do XVI. Pertencente à fase inicial do Renascimento Espanhol, a obra apresenta um marcado caráter eucarístico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro artista que desenvolveu sua carreira em Valencia, já no período de maturidade do Renascimento no país (segundo quarto do século XVI), ficou conhecido como Mestre de Alzira. Este artista anônimo recebeu este nome devido a um retábulo dedicado à Virgem que realizou para uma igreja situada na cidade de Alzira, sendo considerado um dos personagens mais interessantes do panorama artístico valenciano da primeira metade do século XVI. Abaixo, vemos a obra por ele realizada “Cristo sobre o sepulcro com três anjos“.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAValencia possui uma grande tradição artística, que se reflete na importância de alguns de seus pintores mais famosos. Juan de Juanes (1523/1579) é um deles, um nome fundamental do Renascimento Espanhol. Foi um dos criadores de imagens religiosas de maior popularidade na época e o mais importante pintor valenciano de seu tempo. Influenciado por Rafael, suas obras destacam pelo intenso colorido e perfeito equilíbrio compositivo. A seguir vemos um “Ecce Homo“, pintado por ele.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma de suas obras mais conhecidas é este quadro da “Santa Ceia“, que retrata o momento em que Jesus anuncia que será traído por um de seus apóstolos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADocumentado em Valencia entre 1505 e 1525, o pintor Fernando Llanos é de origem castelhano e colaborou com Leonardo da Vinci em Florença. O Museu de Belas Artes possui uma bela obra sua, o quadro “Flagelación“, pintado em 1520.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos grandes impulsores da arte de sua época foi o Rei Felipe II, verdadeiro mecenas  que colaborou para a assimilação da arte clássica. O Monastério de El Escorial, construído em seu reinado, tornou-se o modelo arquitetônico do Renascimento Espanhol, influenciando notavelmente as construções posteriores. Abaixo, vemos um retrato do monarca realizado por um anônimo flamenco no século XVI, que segue as tendências dos retratos cortesanos impostos pelo pintor holandês Antonio Moro (1519/1579) e o valenciano Alonso Sánchez Coelho (1531/1588).

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Pintura Flamenca foi uma das escolas preferidas pelos monarcas espanhóis, junto com a italiana. Abaixo, vemos um exemplo, o quadro de São Sebastião sendo atendida pela viúva Irene e sua criada, realizado por Matthias Storm (1600/1650), um discípulo de Caravaggio. O corpo do santo é iluminado por uma fonte de luz ausente do quadro, criando um ambiente melancólico e meditativo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos os grandes nomes da Pintura Espanhola presentes no acervo do Museu de Belas Artes de Valencia.

 

Museu de Belas Artes – Valencia

Valencia conta com um dos museus de arte mais importantes da Espanha, o Museu de Belas Artes, que segundo alguns estudiosos somente perde em quantidade e qualidade das obras expostas para o Museu do Prado de Madrid. Sua origem se remonta à Real Academia de Bellas Artes de San Carlos, cujos estatutos foram aprovados pelo rei Carlos III em 1769. O impulso definitivo para a criação do museu se deu através das medidas desamortizadoras realizadas no século XIX, sendo fundado em 1837. Desta forma, originalmente a coleçao artística esteve formada pelas obras pertencentes a conventos, igrejas e monastérios que foram suprimidos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAInicialmente, o Museu de Belas Artes esteve situado no Convento Carmelita, abrindo suas portas ao público em 1839. Em 1936, com o início da Guerra Civil, o museu foi desmontado e seu espaço foi usado como armazém do tesouro artístico proveniente do Museu do Prado. Ao finalizar a guerra, o convento se encontrava num estado ruinoso, e sua coleção foi levada ao antigo Colégio Seminário de San Pio V, sua atual sede.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste magnífico edifício foi construído no final do século XVII para acolher um colégio de seminaristas. Depois passou a ser utilizado com outras funções, como Academia Militar, Casa de Beneficência e Hospital Militar. Desde 1946 acolhe o Museu de Belas Artes. No plano arquitetônico, destaca sua bôveda situada logo na entrada do museu.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASua riquíssima coleção engloba obras dos mais variados periodos históricos, estando representada por Velázquez, Goya, Murillo, pintores flamencos, etc. Valencia foi uma das primeiras cidades da Espanha em receber as influências da arte italiana, com notório reflexo em sua produção artística. Em relação à Pintura Gótica, o Museu de Belas Artes não possui nenhum rival em todo o país, com uma excepcional coleção de quadros que nos mostram a evolução deste estilo desde o século XIV até o XVI, em obras realizadas por pintores valencianos de grande qualidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAs artes figurativas do gótico se preocuparam mais com a beleza formal que com o simbolismo característico do Românico, a corrente artística precedente. Os temas religiosos relacionados com a Virgem Maria e os Santos adquirem especial relevância. Sua primeira etapa se desenvolve entre 1175 e 1325, com alguns resquícios da arte românica. Também chamado de Gótico Lineal, a pintura se desenvolve como fruto das observações da realidade sensorial, na qual a expressão dos sentimentos é uma característica fundamental, bem como o caráter narrativo das cenas representadas. Na Espanha, a arte deste período recebeu as influências do gótico francês, com escassa representação em Valencia. A partir do século XIV, a influência italiana, principalmente das escolas de Florença e Siena, proporciona elementos inovadores, como o valor dedicado ao espaço arquitetônico e à luz. Entre 1400 e 1500, as formas italianas se difundem pela Europa, surgindo o denominado Gótico Internacional. Um exemplo é o Retábulo de San Martín com Santa Úrsula e Santo Antonio Abad, realizado por Gonçal Peris Sarrià (1380/1451). San Martín foi bispo da cidade de Tours (França), e aparece doando uma roupa a um mendigo, sua representação pictórica mais usual.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro santo bastante venerado no Reino de Aragón, San Miguel normalmente é representado vencendo o demônio, como vemos no retábulo abaixo, pintado por Jaume Mateu, cujo trabalho foi documentado em Valencia entre 1421 e 1452.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA mediados do século XV se produz uma profunda renovação da pintura espanhola com a introdução das técnicas e forma da Arte Flamenca. O emprego da pintura à óleo é difundido, conduzindo a uma maior riqueza cromática e grande variedade em suas tonalidades. Um exemplo é o Retábulo de San Jaime e San Boil, realizado pelo artista Jaume Baço Jacomart (1411/1461). O apóstolo aparece como uma figura idealizada, característica típica da arte flamenca do período, com um livro do evangelho e uma concha de peregrino.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADe Jaume Jacomart vemos também o tema da Anunciação, com a Virgem Maria e o Arcanjo Gabriel. A monumentalidade e solenidade das figuras manifestam um conhecimento dos modelos procedentes dos Países Baixos. A Virgem aparece com os braços cruzados no peito, em sinal de aceitação ao receber o Espírito Santo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo próximo post, veremos algumas das obras do Museu de Belas Artes que pertencem ao período Renascentista.

Museu Provincial de Ávila

Um dos Palácios de Ávila de maior importância histórica é a denominada Casa de los Deanes, construída no século XVI. Situada na zona de influência da Catedral, possui uma bela fachada renascentista, decorada com pináculos em sua parte superior. O Deán é um cargo religioso, cuja função é presidir o chamado Cabildo Catedralicio, organismo que administra a catedral. Sua principal responsabilidade é celebrar as atividades litúrgicas de maior solenidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO Pátio Interior serve como eixo organizador das várias dependências do palácio.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEm 1969, este palácio foi recuperado para que nele se instalasse o Museu Provincial de Ávila, inaugurado em 1911 e que esteve sediado em vários outros lugares da cidade. Em 1986 foi alvo de uma nova reabilitação, e reaberto a partir de então.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAVale a pena conhecer o palácio e o museu, cuja coleção permanente está composta por três partes. Nas salas onde são expostos objetos da cultura tradicional podemos apreciar os elementos relacionados aos ofícios de antigamente, que em muitos lugares da província continuam sendo utilizados, como as vestimentas regionais, principalmente nos dias festivos. O processo de elaboração têxtil é explicado através dos objetos e máquinas que integram a coleção.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm exemplo de acessório ainda hoje utilizado pelas mulheres, sobretudo as de mais idade, são as gorras. Exclusivamente fabricadas pelas próprias mulheres, no antigo modo artesanal, estão feitas de palha trançada e constituem um dos elementos mais enraizados na cultura popular. Se utiliza no dia a dia, fazendo parte dos trajes regionais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASe reproduzem espaços relacionados à vida cotidiana, que dão uma boa idéia do modo de vida tradicional.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAUm dos móveis expostos que se utilizaram durante séculos, e que podemos apreciar no museu é o Bargueño. Este elemento presente nas casas  nobres é de origem espanhol, e servia para guardar objetos, dinheiro e documentos. Alguns incluíam uma tampa que servia como escritório. Originários do Renascimento Espanhol (século XVI), durante o período em que a Espanha foi governada pelos monarcas da Dinastia dos Habsburgos, acabou tornando-se uma moda por todo o continente europeu e pela América. Normalmente eram colocados em cima de uma mesa, que cumpria a função de suporte.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fotos antigas ajudam na compreensão de muitos ofícios diários, que infelizmente tendem a desaparecer…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA sessão dedicada à Arqueologia expõe peças encontradas na província, como esta escultura que representa a Tritón e Nereida, procedente de uma vila romana. A peça não se encontra em perfeito estado, faltando várias partes do conjunto, mas um desenho permite imaginar como era originalmente.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO museu conta também com salas dedicadas às Belas Artes, com um importante conjunto de pinturas e esculturas. Abaixo, vemos uma imagem de Santa Ana, a Virgem Maria e o Menino Jesus.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUm tríptico flamenco que retrata a vida de Cristo e da Virgem Maria, do século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs irmãos San Vicente, Santa Sabina e Santa Cristeta gozam de uma grande importância histórica em Ávila, pois foram martirizados durante o período romano, por defenderem a fé católica. Este quadro, que representa a fuga e o martirio, procede da Basílica de San Vicente, um dos templos românicos mais belos da cidade e de todo o país, que foi construída no mesmo local em que faleceram. Esta bela igreja foi tema de um post publicado em 22/7/2012.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Catedral de Acalá de Henares – Parte 2

No post de hoje continuaremos nossa visita pelo interior da Catedral de Alcalá de Henares e os momentos mais dramáticos por que passou em sua história. No século XIX, a Universidade de Alcalá de Henares foi suprimida e o templo ficou isolado de seu secular vínculo com a instituição, tornando-se uma igreja com funções paroquiais. Em 1851, apesar disso, se conservou o título de colegiata e alguns anos mais tarde deixou sua histórica relação com o Arcebispado de Toledo, integrando-se na nova Diocese de Madrid-Alcalá. Em 1902, devido ao seu lamentável estado, foi fechada. Com a declaração de Monumento Nacional logo depois, foram realizadas obras de restauração em toda sua estrutura. A seguir, vemos algumas das capelas que atualmente encontramos em seu interior, como a que acolhe a imagem da Padroeira de Alcalá de Henares, a Virgen del Val, com destaque para sua reja de estilo plateresco.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA Capela de San Diego de Alcalá, um santo franciscano que nasceu na Província de Sevilha, conserva seu corpo incorrupto, isto é, permaneceu intacto como em vida, apesar da passagem do tempo, pois faleceu no século XV. Uma urna de prata doada por Felipe II completa o espaço dedicado ao santo, canonizado em 1588.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERANa reforma realizada no início do século XX, algumas capelas foram eliminadas devido ao seu péssimo estado e no seu lugar receberam pinturas, que atualmente decoram os muros da catedral.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Guerra Civil Espanhola afetou de maneira particular este templo catedralício. Em 1936, sua torre foi utilizada como centro de observação e tiro e a igreja foi incendiada. A cobertura desabou, provocando estragos em obras de arte de grande importância, como o Sepulcro do Cardeal Alfonso Carrillo de Acuna (Arcebispo de Toledo desde 1446 a 1482), uma obra prima gótica realizada em alabastro no século XV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAbaixo vemos uma foto da época, quando as Capelas da Virgem Padroeira da cidade e a de San Diego de Alcalá passaram a acolher famílias refugiadas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADurante os três anos da Guerra Civil, a igreja ficou abandonada e exposta às inclemências meteorológicas, e mais uma vez as ruínas se propagaram rapidamente. Felizmente, uma das partes mais importantes do templo, a cripta com os restos dos Santos Mártires Justo e Pastor, sobreviveu. Na sequência, vemos a entrada à cripta, com um relevo em sua parte superior representando o martírio dos santos meninos no estilo renascentista.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAO aspecto atual da cripta se remonta ao século XVI, e guarda uma arca de prata de 1702 com os restos dos santos, e a pedra na qual foram decapitados, segundo conta a tradição.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAA visita à Catedral de Alcalá de Henares inclui também o claustro, finalizado em 1614. De estilo herreriano, nome associado ao arquiteto Juan de Herrera, responsável da construção do Monastério de El Escorial, nele podemos conhecer a história da catedral em didáticos painéis colocados em seus muros. Também acolhe uma exposição de lápides funerárias antigas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo claustro se encontra o Museu da Catedral, com alguns dos tesouros sobreviventes de sua complicada, mas bela, história.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma das principais peças exposta é a arca do século XVI, feita de prata e ébano com relíquias dos Santos Justo e Pastor.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOutro destaque é este tríptico flamenco, datado de 1520.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAUma foto da torre, vista do claustro…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAFinalizada a Guerra Civil, a catedral passou por outro longo processo de restauração, e atualmente constitui um local de visita obrigatória, fundamental para se conhecer a história desta apaixonante cidade.

 

Cartuja de Miraflores – Parte 2

Continuando a visita pela Cartuja de Miraflores, no post de hoje veremos seus lugares mais conhecidos e as obras mais destacadas do monastério. Na igreja, papel fundamental teve o artista Gil de Siloé, que realizou o maravilhoso Retábulo Maior entre 1496 e 1499.

20150726_133649OLYMPUS DIGITAL CAMERAA cena principal corresponde à Crucificação de Cristo, como podemos ver acima e abaixo.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEm frente ao retábulo e ocupando boa parte do presbitério, vemos o soberbo Sepulcro de Juan II e Isabel de Portugal, os pais de Isabel La Católica.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste sepulcro é considerado uma das obras funerárias mais impressionantes da arte europeia. Também foi realizado por Gil de Siloé, entre 1489 e 1493.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPossui uma planta com forma de estrela de 8 pontas e foi feito em alabastro. O rei aparece com um cetro, símbolo do poder monárquico e a rainha, um livro de horas. Além do mais, foram representados em seu riquíssimo conjunto de esculturas personagens do Antigo Testamento, figuras de profetas, a imagem da Virgem com o Menino Jesus e os escudos reais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAAo lado do sepulcro, foi colocada uma imagem do mesmo vista de cima, para que possamos ter uma ideia de sua beleza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa parte lateral do presbitério, situa-se o Sepulcro do Infante D. Alonso (filho de Juan II e Isabel de Portugal), igualmente esculpido por Gil de Siloé.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEste espaço da Cartuja de Miraflores nos mostra a elegância e sofisticação alcançadas na última fase da Arte Gótica em Burgos. De fato, trata-se de um dos mais notáveis conjuntos da Escultura Gótica de todo o continente. Em seguida, passamos para a Capela da Virgem de Miraflores.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAEsta capela nos surpreende por estar totalmente decorada com pinturas murais barrocas do séc. XVIII, tanto no teto, quanto nos muros. Representam cenas marianas, inspiradas no livro Flores de Miraflores, escrito pelo cartujo burgalês Fray Nicolás de la Iglesia.

20150726_135737OLYMPUS DIGITAL CAMERAO monastério acolhe alguns dos quadros mais importantes da Arte Espanhola, como a Anunciação de Pedro Berruguete (1450/1503). O pintor foi um dos primeiros em refletir o Renascimento Italiano em suas obras no país. Este quadro foi por ele pintado em 1500.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Cartuja de Miraflores está sob a advocaçao da Anunciação da Virgem. Esta cena do Evangelho de São Lucas foi frequentemente representada pelos pintores castelhanos, influenciados pela Pintura Flamenca. Berruguete consegue um excelente ponto de vista da perspectiva, graças a utilização de formas arquitetônicas e da luz. O rosto da Virgem foi realizado com extrema delicadeza.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAConsiderada uma obra prima de Pedro de Berruguete, seu virtuosismo se manifesta nas roupas do Arcanjo Gabriel e na jarra de vidro com 3 lírios, uma homenagem a pureza da Virgem Maria. O quadro incorpora as formas góticas dentro de um âmbito espacial tipicamente renascentista.

Monastério de San Antonio El Real – Parte 2

Neste segundo post sobre o Monastério de San Antonio El Real de Segóvia, veremos as principais dependências que o compõem, todas elas belíssimas e caracterizadas por uma esbelta decoração. Desde a igreja, que vimos na matéria anterior, passamos à Sacristia, um espaço coberto por um teto feito de madeira policromada e decorado com motivos vegetais e o escudo de Enrique IV.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERADa Sacristia chegamos ao Claustro Principal, também chamado dos Franciscanos. Como se fosse um verdadeiro museu, nele encontramos diversas obras de arte. Além do mais, também está coberto por um incrível teto decorado com artesanato mudéjar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERADentre todos os objetos expostos no claustro, destacam os denominados Trípticos Flamencos de Utrech, nos quais observamos uma feliz combinação de pintura e escultura, realizados por artistas flamencos. Em um deles, vemos uma cena central realizada em alto-relevo e feita de barro policromado com o tema do Calvário. Em outro, se representa o Santo Enterro. Nas laterais vemos pinturas de santos da igreja.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAEstas obras são uma referência ao período em que Segóvia manteve um estreito contato com Flandres, quando exportava tecidos aos Países Baixos (séc. XV). Desde o claustro se abrem alguns dos recintos mais belos do conjunto conventual. O refeitório, por exemplo, está formado por uma grande sala retangular, com um banco que a rodeia e utilizado pelas freiras na hora das refeições.

OLYMPUS DIGITAL CAMERASuas paredes estão repletas de pinturas murais, com a representação de santos e motivos florais. Entre todas as pinturas, destacam a de Cristo com Santa Clara e a Imaculada Conceição, situada no centro do refeitório.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAO púlpito, do séc. XV e profusamente decorado, está situado no centro da sala, e era utilizado durante as refeições para a leitura da bíblia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERANa sequência, vemos a chamada Sala dos Frailes, com uma grande quantidade de objetos religiosos de interesse. Está coberta por um teto decorado, similar ao da Sacristia. Nela foram encontrados recentemente dois registros de água que conectavam diretamente com um canal procedente do famoso Aqueduto de Segóvia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOs detalhes decorativos tornam a visita ao Monastério de San Antonio El Real uma experiência inesquecível…

OLYMPUS DIGITAL CAMERAE finalmente chegamos à Sala Capitular, um maravilhoso espaço formado por um teto de formato octogonal, também mudéjar. Sua vista impressiona ainda mais pela baixa altura em que se encontra. Estrelas de 12 pontas decoram o teto, com os símbolos da Ordem Franciscana e as armas do rei Enrique IV e sua esposa Joana. No centro da sala, vemos um retábulo do séc. XVIII, com as imagens de São Francisco e Santa Clara.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA